Equipe

Coordenação

Katia Maria Paim Pozzer

Bacharel e licenciada em História pela UFRGS, obteve Diplôme d’Études Approfondies em Histoire et Civilisations de L’Antiquité pela Université Paris I (Panthéon-Sorbonne) em 1993, concluiu doutorado em História na Université de Paris I (Panthéon-Sorbonne) em 1996 e Pós-doutorado na Université de Paris X – Nanterre em 2011. Atualmente é professora do Curso de História da Arte, do Instituto de Artes, do Curso de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente coordena o Laboratório de Estudos da Antiguidade Oriental (LEAO) e é líder de grupo de pesquisa no CNPq. Em 2011 atuou como Pesquisador Visitante no Grupo de Pesquisa Histoire et Archéologie de l’Orient Cunéiforme (HAROC), na Maison René-Ginouvès, Arqueologia e Etnologia – CNRS, Université de Paris I – Panthéon-Sorbonne e Université de Paris Ouest-Nanterre – La Défense, na França. Atua na área de História da Arte Antiga e Medieval, com ênfase em História da Arte Oriental, em Metodologia da Pesquisa em História da Arte, em História Antiga Oriental e em Teoria e Metodologia da História. Coordena o projeto de pesquisa Gênero, Representação e Simbolismo na Arte Mesopotâmica, com apoio do CNPq, da FAPERGS e da UFRGS. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-9083-1729.

Corpo Discente

Priscila Cristina Nascimento Lopez de Scoville

Doutoranda em História, na linha Cultura e Representações, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), sob orientação da Profa. Dra. Katia Maria Paim Pozzer. Mestra em História na UFPR, na linha de pesquisa Cultura e Poder. Graduada em História, Memória e Imagem, na mesma instituição. Possui o Egito Antigo e o Oriente Próximo como tema de seus estudos. As pesquisas tentam ir de encontro com discussões trazidas pelo senso comum, e, em sua monografia de final de curso buscou desmistificar a imagem do faraó como soberano absoluto. No mestrado, visou quebrar com a noção isolacionista do mundo antigo, inserindo-o em um contexto mais incisivo e real. Para tanto, procurou entender os modos de relacionamento do Egito com os reinos vizinhos, focando-se em Mitani, no século XIV AEC. Com o doutorado, procura entender as relações de rede do Antigo Oriente Próximo, de modo a visualizar as formas de interação entre Assíria, Babilônia, Egito, Hatti e Mitani e seus entendimentos sobre o estrangeiro.

Wellington Rafael Balém

Doutorando e Mestre em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com orientação da Profa. Dra. Katia Maria Paim Pozzer e com bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Licenciado em História pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), foi professor de História, Filosofia e Sociologia na Educação Básica e Professor Tutor de Licenciatura e de Gestão no Ensino Superior. Junto ao Laboratório de Estudos da Antiguidade Oriental (LEAO/UFRGS), desenvolve pesquisa na área de Egiptologia, com ênfase em Estudos Biográficos, Cultura Material e Teoria da História.

Caroline dos Santos Kiosseski

Possui graduação em Direito e pós-graduação em Ciências Penais, ambas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Desde 2009 trabalha no Instituto de Cultura da PUCRS desempenhando o cargo de Produtora Cultural. É graduanda do curso de Bacharelado em História da Arte na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua como bolsista voluntária de Iniciação Científica no projeto Gênero, Representação e Simbolismo na Arte Mesopotâmica, no Laboratório de Estudos de Antiguidade Oriental (LEAO) da UFRGS, sob a coordenação da Profa. Dra. Katia Maria Paim Pozzer desde 2021.

Mirella Muniz Dudzig

Graduanda do Bacharelado de História da Arte na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua como bolsista PIBIC CNPq-UFRGS no projeto Gênero, Representação e Simbolismo na Arte Mesopotâmica, no Laboratório de Estudos de Antiguidade Oriental (LEAO) da UFRGS, sob a coordenação da Profa. Dra. Kátia Maria Paim Pozzer desde 2021.

Júlia Gonçalo Braga

Graduanda de licenciatura em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atua como bolsista de PROBIC FAPERGS-UFRGS no projeto “Gênero, representação e simbolismo na Arte Mesopotâmica” no Laboratório de Estudos da Antiguidade Oriental, coordenado pela Profª Kátia Maria Paim Pozzer desde 2021.

Ana Carolina Reolão Stobbe

Acadêmica de Licenciatura em História na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Atualmente, participa do projeto de pesquisa Gênero, Representação e Simbolismo na Arte Mesopotâmica com bolsa BIC-UFRGS, no Laboratório de Estudos da Antiguidade Oriental (LEAO) da UFRGS sob a orientação da professora Kátia Maria Paim Pozzer. Além disso, é membro do grupo de pesquisa Jogos e Entretenimento Digital Interativo (JEDI) da PUCRS, do Laboratório de Pesquisa em Mobilidade e Convergência Midiática (Ubilab) da Famecos/PUCRS e participa de forma voluntária em pesquisas relacionadas a tecnologias, automatização, jornalismo e jogos digitais.

João Damaceno de Almeida Neto 

Cursa Bacharelado em História Universidade Federal Fluminense. Possui Graduação em Licenciatura em História pela Universidade Nove de Julho – UNINOVE – (2019). Atua como pesquisador voluntário no projeto de pesquisa Gênero, Representação e Simbolismo na Arte Mesopotámica do grupo LEAO (Laboratório de Estudos da Antiguidade Oriental) coordenado e orientado pela professora Dr. Katia.

Pesquisadores associados

Estefanía Bernabé Sánchez

É professora da IE University (Espanha). Foi docente da Universidad de la República del Uruguay, Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación e da PUCP (Pontificia Universidad Católica del Perú). Possui Doutorado em Letras, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS (2017). Possui Licenciatura em Filologia Hispânica (1999) e Mestrado em Estudos Medievais Hispânicos (2012) pela Universidade Autônoma de Madri, (homologação UFSM), e titulação em Língua Inglesa (1995) pela Escuela Oficial de Idiomas de Segovia (Espanha). Realizou o Curso de Adaptação Pedagógica (CAP) da Universidade Complutense de Madri (1999). Foi professora do CIUC, na Universidade de Cantabria (Santander, Espanha), durante 2006 e 2007, e professora associada do Instituto Cervantes de Porto Alegre, de 2010 até 2014. Tem experiência na área de Letras (Língua e Literatura Espanhola), atuando principalmente nos temas estudos histórico-sociais de gênero e história das mentalidades, com ênfase na relação entre literatura e história.

Simone Dupla

Pós-doutoranda em História, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Doutora em História pela Universidade Estadual de Maringá. Mestre em História, Cultura e Identidades, pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Especialista em História e cultura Afro-brasileira pela Universidade Cândido Mendes e Especialista em História, Arte e Cultura pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Possui graduação em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2008) e Ciências Sociais pela Universidade Metropolitana de Santos (2017). Atua principalmente nos seguintes temas: religiosidade, gênero, política, cidadania, didática da História e sagrado feminino. Pesquisadora na área de História Antiga, com ênfase nas culturas do Antigo Oriente Próximo.

Carolina Suriz dos Santos

Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), orientada pela Profa. Dra. Katia Maria Paim Pozzer. Pesquisa na área de História e Cinema, com foco na construção de uma memória cultural na narrativa cinematográfica. Também trabalhou o período conhecido como Antiguidade Tardia, no qual analisou o discurso de alteridade cristã do século II para compreender melhor a concepção de Mal que o Cristianismo construiu na Era Comum para com outras religiosidades do Mediterrâneo e Oriente Próximo. Participou como Comissão Organizadora do projeto Ciclo de História e Cinema realizado no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas com finalidade educacional para alunos de vestibular e graduação; além de fazer parte da equipe executora do curso “O golpe de 2016 e a nova onda conservadora no Brasil”.

Maria Clara Maduro Hagen

Mestranda em Assiriologia na Universidade de Leiden (Holanda), Bacharela em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atuou como bolsista de Iniciação Científica (PROBIC/FAPERGS) no projeto “Arte, história e cultura material: um estudo de selos-cilindros mesopotâmicos” no Laboratório de Estudos de Antiguidade Oriental (LEAO) da UFRGS, sob a coordenação da Profa. Dra. Kátia Maria Paim Pozzer nos anos de 2018 e 2019, e como voluntária no mesmo laboratório a partir de 2019.

Caroline Schmidt Patrício

Graduada em Bacharelado em História da Arte na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 2021. Desde 2018, atua como bolsista de Iniciação Científica (PIBIC-CNPq) no projeto “Arte, história e cultural material: um estudo de selos-cilindros mesopotâmicos” do grupo LEAO (Laboratório de Estudos da Antiguidade Oriental) coordenado pela professora Katia Pozzer. Também faz parte do corpo editorial da revista acadêmica ÍCONE: Revista Brasileira de História da Arte, vinculada ao Departamento de Artes Visuais e ao Bacharelado em História da Arte da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Marina Pereira Outeiro

Doutoranda em História Política na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Mestre em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Especialista em História Antiga e Medieval pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e em Estudos Culturais nos Currículos Escolares Contemporâneos na Educação Básica (UFRGS). Possui graduação em História – Licenciatura Plena pela Faculdades Porto-Alegrense (Fapa). Desenvolve pesquisa concentrada no estudo das mulheres na Antiguidade, em que pese, a justaposição das funções sociais da mulheres atenienses e meroenses, a partir da tecelagem,
tragédia grega e vasos de cerâmica ática.