Cicatrização no Diabetes

8 outubro, 2017    tags: complicações; coração glicose pé prevenção

Você já deve ter ouvido falar que pessoas com diabetes demoram mais para cicatrizar suas feridas. Essa dificuldade de cicatrização ocorre devido a complicações cardiovasculares, que causam o bloqueio ou a diminuição da circulação sanguínea, e devido ao excesso de glicose (açúcar), que pode prejudicar o funcionamento do sistema imunológico. Ou seja, vasos doentes diminuem o fluxo sanguíneo, especialmente para pernas e pés, prejudicando o processo de cura e altos níveis glicêmicos incapacitam as células de defesa do organismo.

Os glóbulos brancos são células de defesa que atacam microrganismos, como vírus, bactérias, e fungos, que invadem nosso corpo. Um excesso de glicose torna essas células de defesa menos eficazes, impedindo que alcancem e matem seus alvos. Estudos mostram que a hiperglicemia aumenta a produção de substâncias derivadas do oxigênio, o que provoca um aumento significativo de apoptose celular, que significa que algumas células irão morrer antes de concluir seu papel, o que leva a uma cicatrização inadequada ou prolongada. Além disso, alguns desses microrganismos alimentam-se da glicose extra do sangue, facilitando ainda mais a formação de uma infecção, responsável por úlceras graves e até mesmo amputações, por exemplo.

Não importa onde inicie – nas gengivas, na pele ou nos pés – uma infecção pode ser prevenida ou tratada através de um melhor controle glicêmico e de medicamentos que ataquem o agente agressor. Manter um bom fluxo sanguíneo também é importante e pode ser feito através de medidas que baixem os níveis de colesterol e de pressão alta, além de realizar caminhadas ou alguma forma de exercício diário, e parar de fumar.