Como decifrar as informações dos rótulos de alimentos?

15 maio, 2018    tags: dieta nutrição

No Brasil a rotulagem nutricional é obrigatória e é uma maneira de comunicar as características dos alimentos para os consumidores. Por isso, compreender as informações que estão no rótulo pode ajudar nas escolhas alimentares e, assim, a manter uma alimentação mais adequada. Porém, não são todos que conseguem ler e entender as informações descritas. Será pontuado abaixo o que deve conter em um rótulo e como interpretar tais informações.

 

ITENS OBRIGATÓRIOS:

– Prazo de validade;

– Denominação do produto;

– Conteúdo: quantidade total de produto na embalagem (expresso por gramas, quilos, mililitros ou litros);

– Origem: permite identificar o fabricante do produto e onde ele foi fabricado.

 

INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS:

– Porção: É a quantidade média do alimento que deveria ser consumida por pessoas sadias em cada ocasião de consumo, com a finalidade de promover uma alimentação saudável;

– Medida caseira: Indica a medida comumente utilizada pelo consumidor para facilitar o entendimento da porção;

– Itens de declaração obrigatória: valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gordura saturada, gordura trans, fibras alimentares, sódio, cálcio, ferro;

– Percentual de valores diários (% VD): é um número em percentual que indica o quanto o produto apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta de 2000 Kcal (quilocalorias);

– Lista de ingredientes: informa os ingredientes que compõem o produto em ordem descrescente, ou seja, dos ingredientes em maior quantidade para os ingredientes em menor quantidade.

 

O que significam os itens da tabela de informações nutricionais:

 

  • VALOR ENERGÉTICO

É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais, Na rotulagem nutricional o valor energético é expresso em forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ).
Prefira alimentos com menor valor calórico. Mais de 400 kcal a cada 100g de produto é bastante elevado.

  • CARBOIDRATOS

São os nutrientes cuja principal função é fornecer a energia para as células do corpo. São encontrados em maior quantidade em massas, arroz, açúcar, mel, pães, farinhas, tubérculos (batata, mandioca, inhame, etc.) e doces em geral. Alimentos ricos em carboidrato com mais de 6g de fibras a cada 100g de produto, são boa escolha.

  • PROTEÍNAS

São nutrientes necessários para construção e manutenção dos nossos órgãos, tecidos e células. Encontramos nas carnes, ovos, leite e derivados, e nas leguminosas (feijão, soja e ervilha).

  • GORDURAS TOTAIS

São nutrientes que também fornecem energia para o corpo e ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K. As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento, tanto de origem animal quanto de origem vegetal. Procure alimentos com menos de 10g de gordura por 100g.

  • GORDURAS SATURADAS

Tipo de gordura presente em alimentos de origem animal. O consumo excessivo desse tipo de gordura pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, por isso o consumo deve ser moderado. São exemplos: carnes, toucinho, pele de frango, queijos, leite integral, manteiga e requeijão. Prefira alimentos com pouca ou nenhuma gordura saturada.

  • GORDURA TRANS

Encontrada em grande quantidade em alimentos que utilizam gordura vegetal hidrogenada em suas preparações. O consumo desse tipo de gordura deve ser muito reduzido, considerando que o nosso corpo não precisa desse tipo de gordura, além de aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Não se deve consumir mais de 2 gramas/dia.

  • FIBRAS ALIMENTARES

Está presente em diversos tipo de alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino. Consumo recomendado de 30 gramas/dia.

  • SÓDIO

Está presente no sal de cozinha e em alimentos industrializados (embutidos, enlatados, salgadinhos, molhos prontos). Devem ser consumidos com moderação, pois em excesso podem causar o aumento da pressão arterial. Máximo de 480 mg por porção ou 2000 mg por dia.

 

Os rótulos são feitos para transmitir informações, de forma clara, sobre os alimentos, dando ao consumidor a possibilidade de escolhas saudáveis que contribuam com a sua saúde.

 

Dra. Catharina Paiva
Nutricionista do Grupo de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim e Hipertensão da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Mestranda em Ciências Endócrinas na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

 

Adaptado do site da Sociedade Brasileira de Diabetes, publicado em 14 de maio de 2014.

http://www.diabetes.org.br/publico/rotulos-nutricionais-nutricao/675-como-decifrar-as-informacoes-dos-rotulos-de-alimentos