DIABETES MELITO TIPO 1 E SEUS SUBTIPOS

17 setembro, 2021    tags:

O Diabetes Melito é uma doença crônica que apresenta diferentes classificações conforme a sua etiologia. Dentre os seus tipos, existe o diabetes melito tipo 1, que possui prevalência de 5-10% entre todos os casos de diabetes, e é mais prevalente em crianças e adolescentes. Entretanto, existem casos de diabetes melito tipo 1 em adultos, o qual é chamado de diabetes autoimune latente do adulto (LADA) ou de diabetes tipo 1 do adulto. 

O diabetes melito tipo 1 ocorre devido a destruição das células beta do pâncreas por mecanismos autoimunes, o que ocasiona uma deficiência completa de insulina. A insulina é um hormônio que atua na entrada da glicose (“açúcar”) nas células insulino-dependentes do corpo humano. Ou seja, sem insulina a glicose não consegue entrar nessas células e acaba se acumulando na corrente sanguínea, o que gera a hiperglicemia (níveis altos de açúcar no sangue). 

O que muitas pessoas não sabem é que o diabetes tipo 1 tem subtipos, chamados de 1A e 1B, que são diferenciados pela presença de anticorpos:

— O diabetes tipo 1A possui autoanticorpos positivos, podendo ser desencadeado por fatores genéticos ou por fatores ambientais. Alguns autoanticorpos que já foram identificados no sangue de indivíduos com diabetes tipo 1A são: anticorpo anti-ilhotas, anticorpo anti-insulina, anticorpo anti-desacarboxilase do ácido glutâmico, anticorpo antitransportador de zinco, anticorpo antitirosina-fosfatase IA-2 e IA-2B

— No diabetes tipo 1B, os anticorpos não são detectados, e a sua etiologia é considerada idiopática. 

Independentemente dos subtipos, o diabetes tipo 1 tem início rápido e apresenta sintomas como polidipsia (aumento da sede), polifagia (aumento da fome), poliúria (aumento da frequência urinária) e perda de peso. Em uma a cada 3 pessoas o diabetes tipo 1 se apresenta inicialmente com cetoacidose diabética (leia mais no texto “Cetoacidose Diabética”, publicado em 15/12/2020). 

O tratamento do diabetes tipo 1A e 1B é semelhante, e inclui insulinoterapia e medidas não farmacológicas, como exercícios físicos e dieta balanceada, que devem ser recomendados por um profissional de saúde capacitado.

 

Gabriela D. L. G. Scherer

Débora Wilke Franco

Gabriela Heiden Teló

REFERÊNCIAS

– Livro: Diabetes Melito Uma Visão Interdisciplinar

– American Diabetes Association. Diagnosis and Classification of Diabetes Mellitus.Diabetes Care, 2008. Acesso em: 06 fev. 2021. http://dx.doi.org/10.2337/dc09-s062.

– Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)