O que fazer na Educação Física dos Anos Iniciais?

Se você é professor de Educação Física certamente já ouviu comentários como: “É muito fácil dar aula de Educação Física: basta entregar a bola para as crianças jogarem ou deixar que brinquem livremente”; ou quem sabe, “Educação Física nem é aula, é recreação”, etc. Os próprios PCN’s salientam que, muitas vezes, a Educação Física é…

Falando sobre afrobolivianidades

Tio Juanchín, Tia Raymunda, Tio Vicente, awincho Chan-Chan… Entre piqchadas de folhas de coca, caminhos percorridos na Tocaña e experiências pessoais da negritude, podemos reconhecer as diferenças, identidades e modos de existência afrobolivianos que estão para além da epiderme? De minha parte, vejo que as construções coloniais de raça, desde a plantation até os dias…

O prazer feminino é uma revolução

A masturbação e o prazer feminino ainda são tabus nas conversas, nas escolas, no cinema e também na literatura. Não é à toa que a maioria dos livros pouco aborda a temática. Não é à toa, também, que, ao começar a ler no ônibus Clitória, escrito por Adriana Mondadori, senti a pressão de estar naquele…

Entre liberais e conservadores, revolucionário?

Liberal, conservador, revolucionário, totalitário, nacionalista etc. são todos chavões utilizados em muitas explicações sobre o pensamento de Hegel. Isso ajudou a gerar uma confusão generalizada a respeito da própria filosofia hegeliana. Por exemplo, a longa censura ao filósofo no século XX, derivada da acusação de ser fonte teórica do nacional-socialismo. Felizmente isso parece ter chegado…

Os inimigos da sociedade justa

“Desmitificar a ideia de que a desigualdade social era fruto de uma inexorável lei da natureza ou de deficiências do sistema capitalista nacional.” A partir dessa frase que abre a terceira edição de A Sociedade Justa e seus Inimigos, Antonio Cattani e Marcelo Oliveira remetem ao objetivo da primeira edição: ser um importante referencial teórico…

Mulheres em movimento no passado e presente

De leitura agradável, o ensaio de Carla Rodrigues é bastante simpático. Carla é filósofa, professora de Ética da UFRJ e pesquisadora de epistemologias feministas. O feminismo apresentado no texto é histórico, crítico, vasto, plural, com a presença de mulheres guerreiras brasileiras, que são invisibilizadas na História do Brasil. O texto de abertura apresenta uma historiografia…

Informação gerada no passado acessível no presente

Se não existisse memória, todo o processo de acúmulo do conhecimento estacionaria permanentemente na fase da aquisição. A memória dá o sentido de identidade, pois, ao sabermos o que fomos, confirmamos o que somos, dando-se a noção de continuidade. A obra Memória: interfaces no campo da informação traz um conjunto de 10 artigos que tratam…

Uma crônica das dores e delícias de sermos brasileiros

Tratar o futebol como a expressão da mais genuína alma brasileira é algo que todos nós estamos acostumados a fazer. Assim como o carnaval, seu irmão mais velho, cuja trajetória parece confundir-se com a história da nação, também o futebol trilhou esse caminho, em que uma prática amplamente disseminada entre as classes populares foi vista…

Canção popular brasileira é Literatura, sim!

Uma verdade: a música popular brasileira é forte, é bela, e isso não é novidade!, aponta José Miguel Wisnik nas linhas iniciais do ensaio A gaia ciência: literatura e música popular no Brasil. Agora, o que pode soar como novidade – ainda – é dizer que canção é literatura. Pois sim, canção é literatura! Não…

Reflexões atuais para a Sociologia brasileira

Diferentes abordagens de um dos sociólogos mais importantes do Brasil, Gabriel Cohn (1938), emergem na leitura de Temporalidades, Timbres e Pulsações. Além do texto que dá nome ao livro, originalmente publicado em 2015, nos é apresentado também o ensaio Civilização, Cidadania e Barbárie (2006). No primeiro, o autor faz uma reflexão sobre o que é…