Que tal um mate?

Plageder: aliando a excelência da UFRGS às regionalidades

Episódio 17

A singularidade do Plageder no podcast "Que tal um mate?" 

Com o tema Plageder: aliando a excelência da UFRGS às regionalidades, o episódio de número 17, do podcast "Que tal um mate" trouxe uma visão ampliada da importância do Curso de Bacharelado em Desenvolvimento Rural, o Plageder, um curso de graduação que está disponível na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e que teve origem no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR), da Faculdade de Ciências Econômicas.

O Plageder é um Programa Especial de Graduação ofertado na modalidade à distância, que já está na sua quarta edição. A iniciativa partiu da Universidade Aberta do Brasil, que propôs o ensino à distância como estratégia para a democratização, expansão e interiorização da oferta de ensino superior público e gratuito no país. O Plageder se constitui em uma experiência inovadora na UFRGS e no Rio Grande do Sul, tanto pelo desafio do ensino à distância, quanto pela relação entre universidade, governo federal e municipal.

A trajetória do Plageder, os desafios, as conquistas e a sua importância no contexto das regiões foram explanados no podcast por pessoas que conhecem o curso na prática: a coordenadora geral do Plageder, Daniela Kuhn; o coordenador do Polo Universitário Federal de Três de Maio, Paulo Alfredo Schönardie; a aluna egressa do Plageder, que foi tutora e seguiu a sua formação, no mestrado e doutorado do PGDR, Tamara Raisa Bubanz Silva e a estudante ativa do curso de Bacharelado em Desenvolvimento Rural, do Plageder, Édina Agliardi, do Polo Santo Antônio da Patrulha. 

Com cerca de 30 disciplinas, o Plageder é focado em eixos que inserem o aluno na teoria e na prática: Políticas públicas e Desenvolvimento Rural; Organizações de Produção Agrícola; Organizações Agroindustriais e Profissional. 

A excelência do ensino à distância nos contextos regionais

Os entrevistados debateram os desafios do ensino à distância e os resultados do Plageder. Segundo a aluna Édina Agliardi, nessa modalidade de ensino os encontros presenciais são muito valorizados: "Outra atividade que eu destaco, dentro da perspectiva dos encontros presenciais, foi a construção de vídeos, da disciplina de Impactos Ambientais e Etnoecologia. Esses vídeos foram feitos com diversos grupos sociais, com entrevistas, e depois a gente explorou essa vivência que teve, como por exemplo em quilombos e economia solidária de Porto Alegre". 

A aluna também destacou o desafio de analisar o consumo e o  abastecimento alimentar dos alunos dos pólos do Plageder, proposto pela disciplina de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), como atividade de extrema relevância para observar a origem, o processo logístico, a comercialização e a relação da alimentação com a saúde. "Acima de tudo foi uma atividade que visou refletir sobre a consciência da saúde e da nutrição correta do nosso corpo. A partir deste estudo que nós tivemos na disciplina, a gente pode  refletir além das questões de alimentação, porque se relaciona com as questões ambientais, sociais, políticas e também econômicas. Então, nesse sentido, a alimentação consciente leva a um empoderamento dos indivíduos. Os questionamentos levantados pela disciplina proporcionaram uma reflexão integradora para os estudantes, de forma crítica e social", ressaltou. 

Prof. Gabriela Coelho, mediadora deste episódio, destacou o caráter  aplicado e dialógico proposto na disciplina de Segurança Alimentar e Nutricional, relatando que os alunos foram incentivados a tratar dos temas produzindo materiais informativos para os contextos onde os polos estão inseridos.  Um exemplo de grande êxito foi a produção da Revista Comensal Segurança Alimentar e Nutricional, do Polo de Santo Antônio da Patrulha (https://www.ufrgs.br/circulosociobiodiversidade/2021/07/23/revista-comensal-seguranca-alimentar-e-nutricional).


 

Sobre o Que tal um mate?

O podcast, que busca trazer informações técnicas e científicas de forma acessível e aplicada sobre a soberania e segurança alimentar e nutricional, destacando contextos de populações em situação de vulnerabilidade, nasceu da cultura do Sul da América Latina, onde pessoas se sentam em uma roda de conversa para compartilhar uma cuia de mate. Esses são costumes que vêm dos indígenas, principalmente dos Guaranis e dos Quéchuas. Entretanto, o compartilhamento de utensílios e a aproximação de pessoas são pautas extremamente importantes em tempos de pandemia e devem ser feitas respeitando as determinações médicas e das autoridades locais. 

O objetivo é abordar informações relevantes para a comunidade, explorando os temas de interesse do AsSsAN Círculo, que é ligado ao Centro Interdisciplinar Sociedade, Ambiente e Desenvolvimento (CISADE) e ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Interessados em contribuir com sugestões de temas e entrevistados para os próximos episódios podem enviar e-mail para: circulo@ufrgs.br.

Assessoria de Imprensa AsSsAN Círculo
Silvana Granja
Jornalista (DRT/RS 10.732)
Cel. 51 99841 8082


 

Imagem representando o episódio do podcast
Logo do Napead Logo da Sead Logo da Ufrgs 85 Anos

O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001.