Próximo CCC traz debate sobre Representatividade Feminina em Star Wars

Próximo CCC traz debate sobre Representatividade Feminina em Star Wars

Nesta sexta-feira, o Ciência, Cultura e Café aproveita o lançamento de Rogue One – filme derivado da série Star Wars – para debater Representatividade Feminina nos filmes da franquia. O debate será, às 15h, no Campus do Vale, na sala F201, no prédio da Química.

O debate vai ser guiado pela palestrante Anelise Ennes, que realizou seu trabalho de conclusão de curso sobre a temática, na Fabico (UFRGS). A ideia é analisar as personagens femininas da saga, criando um bate-papo com as/os presentes. O evento ainda conta com a presença das minas do Conselho Jedi RS!

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Para saber mais sobre o evento, visite a página do CCC no Facebook ou confira o evento de sexta por lá. E não esqueça de levar sua caneca.

Meninas realiza último Gurias, Partiu UFRGS! de 2016

Meninas realiza último Gurias, Partiu UFRGS! de 2016

Na última sexta-feira, o Meninas na Ciência realizou o último Gurias, Partiu UFRGS! do ano de 2016. A ação, que teve início no segundo semestre, encerrou suas atividades realizando uma oficina de manchas solares, no campus do Vale. Essa foi a última atividade do ano que, há meses, contempla alunas do ensino fundamental da rede pública de Porto Alegre.

O Gurias Partiu UFRGS! é um projeto do Meninas na Ciência que traz meninas do ensino fundamental de uma escola pública de Porto Alegre uma vez por mês à universidade. Nesses encontros, realizamos diversas oficinas e atividades sobre Ciências, como mudanças climáticas e astronomia e discussões de gênero, como profissões e estereótipos.Nessa última visita, o foco foi observar o astro mais próximo da Terra, o Sol. Utilizando do aparato do Campus, as meninas poderam enxergar as famosas manchas solares, observadas e desenhadas por Galileu.

O encontro ainda contou com um pequeno questionário, no qual o Meninas pretende entender um pouco melhor a relação das gurias com as ciências. Afinal, uma das vontades do Meninas é entender como se dá essa relação, encontrando os interesses e desinteresse das meninas pela Ciência.

Para saber mais sobre o projeto Gurias, Partiu UFRGS!, confira a nota sobre a primeira atividade neste link. Para ver todas as fotos desse evento, visite nossa aba de fotos (à esquerda) ou passe pela nossa página no Facebook.

Meninas lança o Mapa do Medo

Meninas lança o Mapa do Medo

 

O Meninas na Ciência lançou, em sua página do Facebook, uma pesquisa para medir o medo sentido por qualquer pessoa em seu dia a dia. A ideia é avaliar o questionário e explorar algumas questões latentes no nosso cotidiano. Todo o processo dura menos de 5 minutos e é totalmente anônimo.

Mapa do medo

O medo é aquela sensação de alerta, atenção e receio que todos já experienciaram várias vezes na vida. Todos sentem medo, seja o rico, o pobre, o branco, o preto… Porém em proporções e cenários diferentes. A nova campanha do Meninas na Ciência busca captar como o medo é sentido por pessoas que vivem em diferentes realidades e qual a intensidade do medo sentido por elas. Você sente medo?
Responda essas perguntas anônimas de 5 min e colabore com a nossa pesquisa!

https://docs.google.com/…/1FAIpQLSfWujRAJg78bD…/formResponse

 

 

Ciência, Cultura e Café apresenta Kubrick

Ciência, Cultura e Café apresenta Kubrick

 

No último dia 10 de novembro, o projeto Ciência, Cultura e Café teve mais uma atividade. Com a tutela do Professor Jorge Quillfeldt, o evento discutiu sobre o longa 2001- Uma odisséia no espaço, de Stanley Kubrick. Em um espaço recheado de ciência, cultura e café, o projeto não poderia ter iniciado de forma mais produtiva.

14925500_1160213644066376_654541395261839293_n 14993543_1161209157300158_3469887431652430514_n

Desde o início, o Professor conduziu a conversa, lembrando pontos específicos do filme e explorando as potencialidades da obra. Em uma conversa bastante despojada, passou-se pela obra cinematográfica do diretor, além de destacar algumas poucas incongruências físicas do filme.

15032664_1161209927300081_3801622734016652440_n

Essa foi a primeira atividade do CCC, que volta dia 16 de dezembro, com a palestra Star wars e a Representatividade Feminina. mais informações em breve no site do Meninas ou pela página do projeto no Facebook.

Meninas inicia projeto de robótica no Colégio Estadual Inácio Montanha

Meninas inicia projeto de robótica no Colégio Estadual Inácio Montanha 

 

Após o sucesso das atividades de robótica no Colégio Tiradentes, o Meninas partiu para um novo projeto. A mesma equipe iniciou os trabalhos em uma escola da rede pública: o Colégio Estadual Inácio Montanha, de Porto Alegre. Desde o final do mês passado, o Meninas já começou o processo de inscrições online para as aulas de robotica, e agora já estão formadas duas turmas. A previsão é que as oficinas sigam até o mês de dezembro.

No dia 21 de outubro, o Meninas na Ciência fez divulgação no Colégio Estadual Inácio Montanha do projeto de robótica educacional, abrindo as inscrições para os estudantes do colégio. Para isso, a direção disponibilizou o laboratório de informática, durante o intervalo das aulas, para aqueles que não tem acesso à internet em casa, e todos os outros que estavam interessados em realizarem a matrícula naquele dia.Quatro dias depois, duas turmas – uma no turno da manhã na sexta-feira (10h -12h) e uma no turno da tarde na quarta-feira (13:30h -15:30h) – já estavam formadas, e o projeto começou de fato.

Sob orientação da Professora Maria Inês, que já está junto do Meninas desde o projeto anterior, as oficinas desenvolverão atividades básicas com o microprocessador Arduino. Os alunos vão experienciar uso de sensores e atuadores em placas de prototipagem eletrônica, associados ao Arduino e programado no IDE (ambiente de desenvolvimento a ele integrado).

Com o conhecimento adquirido nestas experimentações, os alunos podem desenvolver projetos próprios envolvendo diferentes disciplinas – foco do projeto do Meninas. A robótica nas escolas abre espaço de compartilhamento de informações na área de ciências e tecnologia, no qual são incentivados os trabalhos em grupo, a pesquisa e a autonomia na aprendizagem.

Nos primeiros encontros, os alunos entenderam do que trata a robótica, reconheceram o Arduino, protoboard, jumpers, LEDs, e estabeleceram pequenos circuitos elétricos com LEDs. A programação foi, inicialmente, desenvolvida com a utilização de exemplos dados, com espaço para modificações e personalizações nos códigos originais.

Confira as fotos das primeiras atividades no Colégio Inácio Montanha:

Inácio Montanha Inácio Montanha Inácio Montanha Inácio Montanha

Meninas traz minicurso de introdução teórica aos estudos feministas

Meninas traz minicurso de introdução teórica aos estudos feministas

No início dessa semana, o Meninas na Ciência promoveu mais um evento na UFRGS. Em duas datas, segunda e terça-feira, o Meninas trouxe para o Campus do vale (prédio O) um minicurso de introdução teórica aos estudos feministas conectado ao ensino de Física, com a Professora Doutora Katemari Rosa.

A Professora de Física da Universidade de Campina Grande (UFCG) Katemari Rosa veio ao Campus para ministrar o curso, trazendo sua experiência e produção na área de estudos de gênero dentro do campo das ciências. Com trabalho voltado ao ensino de Física, a docente produz dentro da temática de gênero, tendo publicado papers que relacionam o campo de estudos feministas ao ensino de Física.

O minicurso veio com a proposta de oferecer uma introdução teórica aos estudos feministas e de gênero para um público da área de ensino de ciências, bem como promover uma discussão sobre as implicações desses estudos para a construção da ciência e para o ensino de física.

Nas duas datas, primeiramente, a Professora apresentou um histórico dos feminismos, com seus grandes marcos: as chamadas ondas do feminismo,as transições dos estudos feministas para os estudos de gênero, as discussões sobre uma epistemologia feminista e as questões sobre gênero e feminismos no currículo de ciências. Em cada data, a Doutora mesclou uma parte de aula expositiva com atividades em grupos, leituras e discussões de textos. O espaço sempre foi aberto para questionamentos dos presentes, criando um ambiente de aprendizado e debate bastante saudável.

Presentes nos dias, estavam estudantes de licenciatura, professoras e professores de física, além de alunos de outros cursos, interessados na temática de gênero.

*Em breve, fotos do evento.

Meninas promove I Jornada Feminista: ciência, gênero, violência e relações de poder na contemporaneidade

Meninas promove I Jornada Feminista: ciência, gênero, violência e relações de poder na contemporaneidade

Na última sexta-feira (30/09), o Meninas na Ciência promoveu sua primeira Jornada Feminista. O projeto de extensão do Instituto de Física da UFRGS reuniu, no ILEA (Campus do Vale, Av. Bento Gonçalves, 9500), pesquisadoras de diversos campos para uma discussão sobre feminismo, das experiências diárias aos estudos da área. Com entrada franca, o evento atraiu jovens de dentro e fora da universidade, além de estudiosas(os) e curiosas(os) dos estudos e discussões de gênero.


Na manhã, com a cordenação da Professora Daniela Knauth, a Professora da Faculdade de Medicina da USP Ana Flávia d’Oliverira apresentou seu testemunho a respeito do projeto realizado por ela e outras mulheres na USP. A docente trouxe dados a respeito da violência de gênero dentro das universidades, além de comentar sobre episódios de violência dentro do ambiente universitário.

Em seguida, Fabiane Dutra, Presidenta do Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres, explanou sobre políticas públicas do atual governo. Além disso, Fabiane também trouxe histórias de sua experiência de vida, há 15 anos dentro dos debates e lutas da causa feminista.

À tarde, com a mediação das Professoras do Instituto de Física da UFRGS, Daniela Pavani e Carolina Brito (à frente do Meninas na Ciência), o debate foi com a Professora Marcia Barbosa, também do IF (UFRGS), que trouxe a palestra Mulheres na Ciência: Por que tão poucas? Por que tão devagar?, fruto de um artigo com a mesma temática e também da vivência da Professora dentro do ambiente das Ciências Exatas ao longo de sua carreira como física.

Quem também estava compondo o debate no turno da tarde foi a empresária Margareth Goldenberg, apresentando a palestra Equidade de Gênero nas empresas: Avanços e Desafios, gerando um debate sobre o meio profissional, angariando também vivências da própria palestrante.

A cada turno, também foi aberto um espaço para debate e perguntas, com a participação de convidadas como a advogada Débora Vicente – mestranda em Direito pela UFRGS, com foco em desigualdade de gênero – e de diferentes coletivos feministas da Universidade, como o Musas, da Medicina, e o Mulheres de Gaia, das Geociências. Ao final do dia, também foi aberto um espaço para pensar novas ações e jornadas como a ocorrida.

Mais sobre a Jornada pode ser vista na página do Meninas no Facebook (aqui). Caso queira ver a Jornada completa, é só acessar o link aqui.

Gurias, partiu UFRGS!

Gurias, partiu UFRGS!

 

Com uma pergunta singela começou o primeiro encontro do Gurias, partiu UFRGS!, na última sexta-feira (26). “Vocês sabem por que só vocês, meninas, estão aqui, no IF/UFRGS?”. Em poucos instantes, a resposta já era certa para todas as presentes:
– Porque somos mais bonitas e inteligentes que os meninos!!!

E elas estavam certas. O Meninas na Ciência acredita que elas são tão ou mais bonitas e inteligentes que os meninos. Acredita que elas são o futuro desta cidade e País, o futuro de uma Ciência feita por mulheres que são reconhecidas por isto. Por acreditar nelas, o Meninas criou o projeto Gurias, partiu UFRGS!, uma parceria com os Programas de Extensão Aventureiros do Universo e Observatório Educativo Itinerante.

O projeto consiste em levar ao ambiente universitário um grupo de, aproximadamente, 50 gurias do ensino público para a realização de atividades e oficinas de Física, Astronomia e de Gênero. Mas, acima de tudo, mostrar que a UFRGS, a universidade pública, também é um espaço delas. Em cada visita, as jovens vão trabalhar nos laboratórios de ensino do IF, conhecerão os laboratórios e espaços de trabalho das professoras-pesquisadoras, professores-pesquisadores, graduandas(os), pós-graduandas(os), técnicas, técnicos administrativos e colaboradores da nossa Instituição.

Nesta primeira atividade, as meninas do Escola Municipal Heitor Villa Lobos participaram da oficina sobre o sistema solar, observando a escala do nosso sistema dentro do ambiente universitário. As gurias ainda tiveram uma aula antes das atividades e, claro, um pequeno “coffee break”. Essa é a primeira visita de uma série que prevê cinco encontros, na última sexta-feira de cada mês.

Então, Gurias, partiu UFRGS! ontem,hoje, amanhã e sempre.

 

UFRGS recebe I Ciclo de Formação Conjuntas: Gênero e Educação

UFRGS recebe I Ciclo de Formação Conjuntas: Gênero e Educação

Na última sexta-feira, dia 1°, o Meninas na Ciência, em conjunto com diversas organizações, realizou o I Ciclo de Formações Conjutas: Gênero e Educação. O evento, que aconteceu no CREF/IF/UFRGS,  reuniu Meninas/OEI/CMDM/CEDM/CNDM/Procuradorias Especiais da Mulher (RS e Municipal) em um dia de debate regido pela Professora Lúcia Rincon, Diretora de Comunicação da Associação dos Professores da Universidade católica de Goiás e Coordenadora Nacional da União Brasileira de Mulheres.

Em um dia voltado para o debate de Gênero e Educação, a Professora Lucia Rincon, convidada pelo Meninas, dividiu o dia em duas atividades. Pela manhã, os presentes discutiram a respeito da formação docente, em tópicos de gênero, explorando como a história do conhecimento foi construído por homens com uma visão machista. Célebres homens – como Lutero, Aristóteles, entre outros – foram citados num debate para questionar a construção do conhecimento.

Na segunda metade do dia, após a parada para o almoço, os presentes foram levados a analisar livros didáticos do ensino médio e fundamental com um olhar voltado para questões de gênero. Com livros escolares trazidos pelos próprios participantes, a Professora regeu a oficina que seguiu ao longo da tarde.

Essa foi a primeira de muitas ações conjuntas do Meninas com outras organizações para incentivar o estudo de gênero neste ano de 2016. Para mais informações da temática e a respeito das atividades do Meninas, confira a aba de notícias do nosso site (à esquerda) e curta nossa página no Facebook.

Sobre a Professora Lucia Helena Rincon Afonso:

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Goiás (1974), mestrado em História Regional pela Universidade Federal de Goiás (1981), e doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2002). É professora adjunto da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, integrante do PPGE/PUC Goiás, na linha de Pesquisa Estado, Políticas e Instituições Educacionais. Tem experiência na área de História, com ênfase em Direitos da Mulher, atuando principalmente nos seguintes temas: educação e trabalho, mulher, gênero, políticas públicas e formação de professores. É membro efetivo do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, e membro suplente do Fórum Nacional de Educação representando em ambos a União Brasileira de Mulheres e, neste último, pelo movimento feminista. Atualmente é Diretora de Comunicação da Associação dos Professores da Universidade católica de Goiás, Coordenadora Nacional da União Brasileira de Mulheres e membro da Comissão da Verdade da Confederação Nacional de Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino/CONTEE

Meninas na Ciência oferece oficina de robótica no Portas Abertas

Meninas na Ciência oferece oficina de robótica no Portas Abertas 

O Portas abertas da UFRGS já uma tradição. Anualmente, a universidade abre suas portas para alunos do ensino fundamental e médio, criando um espaço que possibilita a pessoas interessadas em ingressar na UFRGS um primeiro contato com atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas. O Meninas na Ciência participou do Portas Abertas 2016 com uma oficina de robótica, com a utilização do arduíno, similar às aulas oferecidas no Colégio Tiradentes, mas ainda acessível para qualquer jovem interessado em ciência.

Na manhã do último sábado (14/05), o Meninas na Ciência ofereceu duas oficinas de robótica para alunos que visitavam o Portas Abertas da Física, no Campus do Vale. Utilizando as luminárias de sucata já prontas, os visitantes tiveram a oportunidade de programar o arduíno para definir diferentes esquemas de iluminação, aprendendo noções básicas da linguagem utilizada e desenvolvendo um primeiro contato com tais ferramentas. Ao todo, foram duas oficinas cheias, com alunos de diferentes instituições de ensino, todos juntos no espaço acadêmico de nível superior.

Em 2016, foram realizadas, aproximadamente, 800 atividades envolvendo os campi Centro, Saúde, Vale, Olímpico e Litoral Norte. No ano passado, o Portas Abertas recebeu 12 mil pessoas em 38 unidades da UFRGS. Confira as fotos da oficina abaixo.

*Em breve, o site trará uma galeria desse evento, com mais detalhes sobre a oficina e o trabalho realizado.