Será que mulheres grávidas precisam ter mais preocupação com a COVID-19 do que o resto da população?

Uma análise de 38 mulheres grávidas diagnosticadas com COVID-19 na China dá algumas dicas importantes sobre isso e tenta responder se o vírus pode ser transmitido da mãe para o feto, como já se sabe que ocorre em outras viroses.

A idade das mães variou entre 26 e 40 anos e elas estavam no terceiro trimestre de gravidez quando desenvolveram a COVID-19. Nenhuma desenvolveu pneumonia severa ou foi a óbito.

Apesar das mulheres terem parido 39 bebês (dois eram gêmeos), os pesquisadores conseguiram informações detalhadas para apenas 30 deles. Entre esses 30 bebês, nenhum foi diagnosticado com infecção pelo vírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19.

Quando as placentas foram testadas, o resultado também foi negativo para presença do vírus.

Apesar de, aparentemente, não haver transmissão maternal-fetal do SARS-CoV-2, há relato na literatura de um bebê de 17 dias ter sido diagnosticado com o coronavírus após contato com duas familiares infectadas (a mãe e a avó) e de um neonato ter sido diagnosticado 36 horas após o parto.

Para finalizar, os autores mencionam que uma missão da Organização Mundial da Saúde que visitou a China durante a epidemia de COVID-19 naquele país concluiu que as mulheres grávidas não possuem maior risco de desenvolver doença severa por COVID-19 que o resto da população.

COM CERTEZA ESSE É UM TEMA QUE IRÁ SER ANALISADO PELA COMUNIDADE CIENTÍFICA MUNDIAL.

FONTE: An Analysis of 38 Pregnant Women with COVID-19, Their Newborn Infants, and Maternal-Fetal Transmission of SARS-CoV-2: Maternal Coronavirus Infections and Pregnancy Outcomes. Schwartz DA. Arch Pathol Lab Med. 2020 Mar 17. doi: 10.5858/arpa.2020-0901-SA.