Será que crianças pegam a COVID-19?

A resposta é SIM.

Foram avaliados 36 pacientes pediátricos (idades entre 0 e 16 anos) com diagnóstico confirmado de COVID-19 em três hospitais da China. A rota de transmissão foi por contato com um membro da família infectado e/ou exposição a um local com a epidemia.

Apesar de 17 crianças terem apresentado apenas sintomas leves (10 foram assintomáticas e sete apresentaram sintomas respiratórios leves), 19 tiveram sintomas clínicos característicos de pneumonia leve. Nenhum desses pacientes apresentou quadro clínico de doença severa.

Na admissão aos hospitais, os sintomas frequentes foram: febre e tosse seca. Outros sintomas mais infrequentes incluíram dor de garganta, congestão, dispneia (falta de ar), vômito e diarreia. O tempo médio de hospitalização foi 14 dias. Os pacientes permaneceram em quarentena por duas semanas após a cura (teste negativo para a presença do vírus).

Comparado com crianças com influenza H1N1, os pacientes pediátricos com COVID-19 tiveram menos sintomas respiratórios (tosse e congestão), mas pneumonia foi mais frequente.

VAMOS TOMAR CUIDADO COM NOSSAS CRIANÇAS!

FONTE: Clinical and epidemiological features of 36 children with coronavirus disease 2019 (COVID-19) in Zhejiang, China: an observational cohort study. Haiyan Qiu, Junhua Wu, Liang Hong, Yunling Luo, Qifa Song, Dong Chen. The Lancet Infectious Diseases March 25, 2020 DOI:https://doi.org/10.1016/S1473.