Quais são os fatores que influenciam o surto de COVID-19 na América Latina?

A América Latina tem várias especificidades que podem influenciar o rumo da pandemia de COVID-19. Tomando o Brasil como termômetro, temos lidado com surtos sazonais de infecções virais, como dengue, zika, etc. Será que podemos ter imunidade cruzada por causa dos anticorpos produzidos contra esses outros agentes virais?

Embora ainda não exista vacina contra o SARS-CoV-2, sabe-se que a eficiência da vacina para influenza é diminuída pela infecção com parasitas helmintos. Considerando a heterogeneidade da população brasileira, isso influencia, principalmente, as populações mais pobres infectadas, que não possuem saneamento básico e nutrição adequada. Será que esse panorama será encontrado em correlação com a COVID-19?

A vacina BCG foi introduzida para induzir proteção contra tuberculose e lepra. Mas essa vacina protege também contra outras infecções não relacionadas porque estimula o sistema imunológico e pode, potencialmente, auxiliar na proteção contra o SARS-CoV-2.

A idade média dos brasileiros é 34 anos, menor do que a idade média nos países que mais estão sofrendo com a pandemia de COVID-19. Mas não fiquem tão aliviados assim; a média de idade na Itália, um dos países mais afetados é 47 anos, enquanto na China é 38 anos.

Mas, como nós podemos traduzir esses fatores em dados para melhor compreender o que acontece na América Latina? A idade, estilo de vida e fatores climáticos, além do estado de saúde e medicações, deveriam ser anotados para estudos posteriores. Fatores de intervenção, como medidas de lock-down (isolamento total da população) precoces, também deveriam ser incluídos nas análises. A compreensão de como esses fatores irão influenciar a COVID-19 na América Latina auxiliará no caso de novas pandemias.

FONTE: What are the factors influencing the COVID-19 outbreak in Latin America? de Freitas E Silva R, Pitzurra R. Travel Med Infect Dis. 2020 Apr 11:101667. doi: 10.1016/j.tmaid.2020.101667