Pesquisadores brasileiros calcularam quando será o pico da pandemia na cidade de São Paulo.

Pesquisadores de uma universidade de São Paulo publicaram uma carta ao editor da revista Travel Medicine and Infectious Disease com uma estimativa temporal para o pico da COVID-19 naquele estado.

A pandemia da COVID-19 emergiu em São Paulo em 26 de fevereiro de 2020, quando um homem de 61 anos, proveniente da Itália, apresentou Síndrome Respiratória Aguda Grave. Em 13 de março começou a transmissão comunitária em São Paulo e no Rio de Janeiro. A partir desse ponto, os casos confirmados continuaram a aumentar de forma exponencial.

Em São Paulo, as autoridades tomaram medidas imediatas. Os autores comentam que após três semanas de quarentena, quando o artigo foi escrito, era claro que as decisões governamentais tinham tido efeito no crescimento da COVID-19. Antes da quarentena, o número de casos crescia em uma taxa de 26% por semana; com a quarentena, a taxa diminuiu para 9%. Esse achatamento da curva é essencial para não sobrecarregar o sistema público de saúde.

Assumindo diferentes eficácias das decisões emergenciais tomadas pelas autoridades para a redução da disseminação do SARS-CoV-2, os pesquisadores calcularam o pico da pandemia em São Paulo. Havendo uma redução de 25%, o pico seria em 18-19 de maio; com uma redução de 50% o pico seria em 3-4 de junho; e, finalmente, com uma redução de 75%, o pico seria em 20-21 de julho.

ADIAR O PICO SIGNIFICA TRANSFERIR PARA MAIS ADIANTE NA LINHA DO TEMPO O PICO DE PESSOAS QUE NECESSITAM INTERNAÇÃO HOSPITALAR E RESPIRADORES, QUANDO O SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE PODERÁ ESTAR MAIS PREPARADO PARA RECEBER OS DOENTES.

FONTE: COVID-19 in Brazil: Historical cases, disease milestones, and estimated outbreak peak. Serdan TDA, Masi LN, Gorjao R, Pithon-Curi TC, Curi R, Hirabara SM.Travel Med Infect Dis. 2020 May 11:101733. doi: 10.1016/j.tmaid.2020.101733.