Vocês já ouviram sobre a controvérsia do SARS-CoV-2 ter sido criado em laboratório? Pois bem, encontraram um coronavírus de morcego que prova que alterações genéticas do SARS-CoV-2 ocorrem na natureza…

Pesquisadores coletaram amostras de 227 morcegos na província de Yunnan, na China. As amostras tiveram o metagenoma (genoma da microbiota total associada) sequenciado e foi encontrado um novo coronavírus (denominado RmYN02) com sequência genética similar ao SARS-CoV-2.

Os cientistas compararam o genoma do novo coronavírus ao do SARS-CoV-2 e viram que, apesar da alta identidade genética entre os dois vírus (>93%), a sequência da proteína de ligação ao receptor da célula hospedeira tinha baixa identidade. Isso significa que o novo coronavírus, provavelmente, não consegue se ligar ao receptor ACE2, usado pelo SARS-CoV-2 para entrar na célula hospedeira. Porém, de forma similar ao SARS-CoV-2, o novo coronavírus possui uma sequência de aminoácidos na proteína da espícula (Spike) que vem sendo apontada como um indicativo de que o SARS-CoV-2 foi criado em laboratório.

A descoberta desse novo coronavírus em morcegos prova que essa sequência de aminoácidos na proteína da espícula ocorre naturalmente em alguns vírus de animais.

FONTE: A Novel Bat Coronavirus Closely Related to SARS-CoV-2 Contains Natural Insertions at the S1/S2 Cleavage Site of the Spike Protein. Zhou H, Chen X, Hu T, Li J, Song H, Liu Y, Wang P, Liu D, Yang J, Holmes EC, Hughes AC, Bi Y, Shi W. Curr Biol. 2020 May 11. pii: S0960-9822(20)30662-X. doi: 10.1016/j.cub.2020.05.023.