Presença do SARS-CoV-2 na placenta de mulher com COVID-19 leve.

O impacto da COVID-19 na gravidez ainda tem que ser amplamente caracterizado. A literatura atual sugera que há morbidade e mortalidade mínimas para a mãe, o feto e o bebê recém-nascido. Os autores encontraram seis artigos que descrevem a presença do SARS-CoV-2 em placentas de mulheres com COVID-19 moderada a severa. Este é o primeiro estudo em placentas de mulheres com COVID-19 leve.

O artigo relata o caso de uma mulher de 29 anos de idade, com 40 semanas de gestação. O pré-natal não teve complicações. Ela testou positivo para o SARS-CoV-2, com sintomas leves (mialgia dois dias antes do parto). Ela permaneceu sem febre, assintomática e com sinais vitais normais ao longo da hospitalização. O parto foi normal (vaginal) com nascimento de um menino, que testou negativo no teste de RT-PCR. A mãe e o menino foram acompanhados após a liberação do hospital e permaneceram bem.

Um patologista ginecológico examinou a placenta e não encontrou evidências de trombo fetal, uma potencial complicação da COVID-19. A presença do vírus na placenta e no cordão umbilical foi demonstrada por técnicas de imuno-histoquímica.

Como a mãe foi exposta ao vírus no terceiro semestre de gravidez, não é claro se a exposição ao vírus em fases iniciais de gestação poderia acarretar risco maior de transmissão vertical da COVID-19 da mãe para o feto. O achado do vírus na placenta é uma preocupação para complicações da COVID-19, como vasculopatias, e potencial transmissão vertical do vírus.

FONTE: Placental SARS-CoV-2 in a Pregnant Woman with Mild COVID-19 Disease. Hsu, Albert L; Guan, Minhui; Johannesen, Eric; Stephens, Amanda J; Khaleel, Nabila; Kagan, Nikki; Tuhlei, Breanna C; Wan, Xiu-Feng. J Med Virol ; 2020 Aug 04.