Pesquisadores brasileiros comprovam a presença do coronavírus em suspensão no ar.

O vírus foi identificado em microgotículas que as pessoas expelem quando conversam ou expiram e podem ficar suspensas no ar durante horas, havendo possibilidade de transmissão da doença. Os resultados do estudo realizado no Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) reforçam a necessidade de manter uma ventilação adequada em ambientes fechados para diminuir o risco de contaminação pelo vírus.

A pesquisa buscou evidenciar a presença do vírus suspenso no ar, relacionando-a com indicadores de qualidade do ar interior (QAI) da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava), que, alinhada com órgãos internacionais, reforça a importância de manter ventilação adequada em ambientes fechados como forma de mitigar o risco de contaminação.

Os resultados ainda não foram publicados na forma de artigo científico.

FONTE: Presença comprovada do coronavírus no ar reforça necessidade da boa ventilação de ambientes. Júlio Bernardes. JORNAL DA USP. 13/08/2020.