Com o risco de reinfecção, a COVID-19 veio para ficar?

Na maioria dos indivíduos infectados pelo SARS-CoV-2, os níveis de imunoglobulinas IgM e IgG aumentam em poucos dias a semanas após o início dos sintomas. Porém, já foi demonstrado que os anticorpos neutralizantes contra o SARS-CoV-2 persistem por cerca de 40 dias. Por outro lado, testes de RT-PCR positivos, apesar da soropositividade para IgG após a primeira infecção, já foram relatados, levantando a suspeita de reinfecção ou de infecção latente pelo SARS-CoV-2.

Apesar dos estudos serem promissores para o desenvolvimento de uma vacina eficaz nos próximos 12 a 18 meses, a presença de mais de 80 variantes genotípicas do vírus, a possibilidade de reinfecção e a curta duração da soropositividade para os anticorpos neutralizantes causam preocupação de que a vacinação possa não resultar em imunidade de longa duração.

Portanto, a imunidade de rebanho pode não ser atingida, já que a reinfecção pode ocorrer mesmo na presença de anticorpos neutralizantes. Esses fatores sugerem que a eliminação da pandemia de COVID-19 possa não ser conseguida e nós teremos que contar com a prevenção da transmissão até que mais aspectos do vírus e sua patogenicidade sejam descobertos.

FONTE: With Risk of Reinfection, Is COVID-19 Here to Stay? Jabbari, Parnian; Rezaei, Nima. Disaster Med Public Health Prep ; : 1-3, 2020 Jul 27.