Pneumonia associada à COVID-19 em paciente HIV-positiva com terapia antirretroviral em Porto Alegre, Brasil.

Ainda existe muito a ser descoberto sobre a COVID-19. Nesse contexto, não apenas os riscos de complicações da COVID-19 em pessoas com HIV permanecem incertos, mas também os potenciais efeitos protetores das drogas antivirais não são conhecidos. Os relatos de coinfecção com HIV e SARS-CoV-2 são incomuns na literatura.  

Uma mulher de 63 anos foi admitida a um hospital de referência em Porto Alegre em maio de 2020. A paciente era diagnosticada com infecção por HIV desde 2005 e recebia terapia antirretroviral. Ao se apresentar ao hospital, a paciente reclamou de febre, mialgia, inapetência, náusea, dor abdominal, diarreia, hiposmia e hipogeusia, além de tosse e dispneia por uma semana.

O exame de raio-X de tórax exibiu opacidades nos dois pulmões. O SARS-CoV-2 foi detectado por RT-PCR de suabe de nasofaringe. Ela teve uma evolução clínica favorável, sem necessidade de UTI ou terapia com oxigênio, sendo liberada em boas condições clínicas sete dias após a hospitalização.

Para a paciente avaliada, a terapia antirretroviral não foi capaz de proteger contra a infecção pelo SARS-CoV-2.

FONTE: COVID-19 pneumonia in an HIV-positive woman on antiretroviral therapy and undetectable viral load in Porto Alegre, Brazil. Murillo Machado Cipolata e Eduardo Sprinzab. The Brazilian Journal of Infectious Diseases 26 August 2020. https://doi.org/10.1016/j.bjid.2020.07.009