Será que a cura da AIDS é possível?

Indivíduos com infecções por HIV, o vírus que causa a AIDS (também conhecida por SIDA), e que controlam, sustentadamente, o nível de replicação do vírus em níveis inferiores ao limite de detecção dos testes comerciais, podem representar a situação mais próxima possível da cura natural para a AIDS.

Estudos anteriores ligaram esse controle do HIV a variações específicas em genes humanos e à presença de respostas imunes celulares com grandes capacidades de matar as células infectadas pelo vírus, entre outros fatores.  Apesar da persistência de reservatórios virais (provirus) no genoma da célula hospedeira ser documentada, as características desses reservatórios permanecem pouco conhecidas.

Pesquisadores dos EUA, ao caracterizarem esses reservatórios do vírus no genoma das células hospedeiras, se depararam com um caso em que foram incapazes de detectar as sequências intactas do provirus, o que levanta a possibilidade de que uma cura real da AIDS seja possível. A pessoa analisada havia tido apenas um episódio de aumento de cópias do RNA viral em mais de 24 anos de acompanhamento sem terapia antirretroviral. Foram detectadas 19 sequências defectivas (defeituosas) do provirus, contendo mutações, o que claramente indica que essa pessoa teve infecção por HIV no passado.

Apesar de que a descoberta científica não permite a confirmação de que a pessoa analisada tenha se curado da infecção pelo HIV por meio de mecanismos imunes naturais, os pesquisadores não foram capazes de comprovar que isso não ocorreu.

UMA ESPERANÇA, NÃO É?

FONTE: Distinct viral reservoirs in individuals with spontaneous control of HIV-1.  Chenyang Jiang et al. Nature. 2020 Aug 26. doi: 10.1038/s41586-020-2651-8.