Estudo avalia jovens americanos hospitalizados com COVID-19.

Frequentemente descrita como uma doença que afeta adultos mais velhos, poucos estudos incluem pacientes jovens para entender a evolução da doença nesse grupo. Os autores investigaram o perfil clinico e a evolução da doença em 3.222 jovens (definidos pelo Censo americano como indivíduos entre 18 e 34 anos) que necessitaram hospitalização por causa da COVID-19.  Cerca de 21% dos pacientes necessitaram cuidados intensivos, 10% precisaram de ventilação mecânica e quase 3% foram a óbito. Essa mortalidade é aproximadamente o dobro da encontrada entre jovens com infarto do miocárdio.

Obesidade mórbida e hipertensão, além do sexo masculino, foram comuns e associadas a um maior risco para óbito ou ventilação mecânica. A obesidade mórbida estava presente em 140 (41%) dos pacientes que precisaram de ventilação mecânica ou morreram. Diabetes também estava associada ao risco de uma pior evolução. Pacientes com múltiplos fatores de risco (obesidade mórbida, hipertensão e diabetes) se deparavam com riscos similares aos pacientes com idades entre 35 e 64 anos.

Mais de metade dos jovens que necessitaram hospitalização era das etnias negra ou hispânica, dados consistentes com relatos anteriores de severidade desproporcional dessa doença nesses grupos demográficos.

FONTE: Clinical Outcomes in Young US Adults Hospitalized With COVID-19. Jonathan W. Cunningham, Muthiah Vaduganathan, Brian L. Claggett, AlKarola S. Jering, Ankeet S. Bhatt, Ning Rosenthal, Scott D. Solomon. JAMA Intern Med. September 9, 2020. doi:10.1001/jamainternmed.2020.5313.