Lâmpada germicida (220 nm) é eficaz para inativar o SARS-CoV-2.

Estudos mostraram que o SARS-CoV-2 pode permanecer viável por dias em superfícies. Também já foi demonstrada a contaminação de superfícies hospitalares pelo novo coronavírus.

Os sistemas de desinfecção por luz ultravioleta (UV) têm sido amplamente usados em ambientes hospitalares como tentativa de diminuir a transmissão de patógenos e prevenir infecções. A maior parte desses sistemas usa lâmpadas germicidas que emitem radiação UVC em torno de 254 nm, porém é sabido que essa radiação causa danos à pele e olhos. Portanto, essas lâmpadas são utilizadas, principalmente, em locais desocupados.

Estudos prévios demonstraram que a radiação UVC de 222 nm tem o mesmo efeito germicida da radiação de 254 nm, mas é menos danosa para pele e olhos. Portanto, um sistema de desinfecção com radiação UVC de 222 nm poderia ser utilizado em espaços públicos, incluindo salas hospitalares ocupadas por pacientes e frequentadas por profissionais de saúde e visitantes.

Suspensões contendo partículas do SARS-CoV-2 foram dispostas em placas de poliestireno estéreis e deixadas secar. As placas foram irradiadas com uma lâmpada de UVC 222 nm por 10, 30, 60 e 300 segundos, além do controle não irradiado. Todos os experimentos foram realizados em nível de biossegurança adequado.

Os resultados mostraram que a radiação UVC 222 nm resultou em 99,7% de redução nas partículas viáveis de SARS-CoV-2.

ATENÇÃO: AS RADIAÇÕES UVA E UVB, EMITIDAS PELO SOL E QUE CHEGAM À SUPERFÍCIE DA TERRA, NÃO SÃO GERMICIDAS. A FAIXA DE UV GERMICIDA SÓ PODE SER OBTIDA COM O USO DE LÂMPADAS ESPECÍFICAS PARA ESTA FINALIDADE.

FONTE: Effectiveness of 222-nm ultraviolet light on disinfecting SARS-CoV-2 surface contamination. Hiroki Kitagawa, Toshihito Nomura, Tanuza Nazmul, Keitaro Omori, Norifumi Shigemoto, Takemasa Sakaguchi, Hiroki Ohge. American Journal of Infection Control 000 (2020) 1−3. https://doi.org/10.1016/j.ajic.2020.08.022