CIÊNCIA DA EXPERIMENTAÇÃO: TESTES CONTROLADOS ALEATORIAMENTE OU ESTUDOS OBSERVACIONAIS.

Contribuição do Dr. Carlos Eugenio Silva, do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da UFRGS.

Você foi deixado no meio da floresta amazônica, num afluente do Rio Purus, para estudar bromélias associadas com palmeiras e “deu de cara” com uma grande quantidade delas mortas sobre as árvores, numa área de 2 km quadrados. O que fazer? Continuar a contabilizar e identificar as bromélias ou tentar investigar o que causou a mortandade desses vegetais? Da mesma maneira, um paciente chega para atendimento com manifestações intensas de resfriado em pleno ano de 2020. O médico deve tratar o paciente utilizando uma prática conservativa até que protocolos aceitos por testes randomizados com controle estejam disponíveis, ou parte para experimentar alguma medicação que possa mitigar as manifestações de forma mais intensa? Esse é um típico dilema humano no mundo científico. Temos como fazer escolhas e elas geram resultados e interpretações diferentes. Tudo irá depender do tema que escolhermos e como faremos a avaliação dos resultados. Depois, a questão mais problemática passa a ser o quanto os resultados que geramos impactarão o senso comum para uma dada área do conhecimento humano.

Continue a ler