Manaus pode ter atingido a imunidade de rebanho.

A imunidade de rebanho é correlacionada com a proporção da população que deve estar imunizada contra uma doença infecciosa, seja por infecção natural ou por vacinação, de tal forma que o número de novos casos diminui e o número reprodutivo fica abaixo de 1. Não existe um consenso em qual proporção da população deve ser infectada pelo SARS-CoV-2 para a imunidade de rebanho ser alcançada.

O Brasil tem uma das epidemias de crescimento mais rápido no mundo, com o Amazonas sendo a região mais atingida. O primeiro caso em Manaus foi confirmado em 13 de março de 2020 e foi seguido por uma epidemia explosiva; a mortalidade em Manaus na primeira semana de maio foi 4,5 vezes maior do que em 2019. O pico da epidemia, no início de maio, foi seguido por uma queda sustentada nos casos e óbitos, apesar do relaxamento das medidas de controle.

Os autores desse estudo, publicado na plataforma de preprints medRixv (ainda não avaliado por pares para publicação em uma revista científica), estimaram a soroprevalência mensal em doadores de sangue em Manaus ao longo dos primeiros sete meses de transmissão da COVID-19 no Brasil e correlacionaram os resultados com a curva epidêmica na região Amazônica. Os resultados de soroprevalência foram comparados com os obtidos na cidade de São Paulo.

A prevalência de anticorpos contra o SARS-CoV-2 em fevereiro e março foi baixa (<1%) tanto em São Paulo como Manaus. Isso é consistente com a data dos primeiros casos confirmados nas duas cidades. Em Manaus, a prevalência de anticorpos IgG foi 4,8% em abril, 44,2% em maio e 51,8% em junho. O aumento da soroprevalência seguiu de perto a curva cumulativa de mortes. Após o pico em junho, a proporção de doadores de sangue com resultado positivo para IgG caiu para 40% em julho e 30% em agosto. Em São Paulo a prevalência de IgG em doadores de sangue também aumentou, alcançando 13,6% em junho.

Os resultados mostraram que entre 44% e 66% da população de Manaus foi infectada com o SARS-CoV-2 ao longo da epidemia. A elevada mortalidade e a queda rápida e sustentada nos casos sugerem que a imunidade da população teve um papel significativo na determinação do tamanho da epidemia em Manaus.

Como foi observada queda nos anticorpos após o pico da epidemia, Manaus poderia servir como sentinela para determinar a longevidade da imunidade populacional e a frequência de reinfecções.

FONTE: COVID-19 herd immunity in the Brazilian Amazon. Lewis F Buss. medRxiv preprint doi: https://doi.org/10.1101/2020.09.16.20194787. 21 setembro 2020.