Hábito de evitar sair de casa por causa da COVID-19 pode diminuir infecção por influenza no Japão.

Há um medo mundial da coinfecção com o vírus da influenza e o SARS-CoV-2. Desde o início da COVID-19 no Japão, medidas para impedir a transmissão do novo coronavírus, como o uso de máscaras, lavagem frequente das mãos, distanciamento social, permanecer em casa e cancelamento de grandes eventos, são amplamente promovidas.

Em Tóquio, o número de doenças infecciosas sazonais, como a influenza, foi menor em 2019-2020 do que a média dos anos precedentes. Autores japoneses examinaram se as medidas acima citadas influenciaram a incidência de doenças infecciosas sazonais. Foi visto que um decréscimo na taxa de uso de máscaras e aumento na taxa de saída das pessoas de casa influenciou o aumento do número de pessoas infectadas pelo vírus da influenza.

Na era da COVID-19, durante o estado de emergência no Japão (7 de abril a 25 de maio), o número de pessoas que saiu de casa diminuiu mais de 25% em comparação com o período anterior à COVID-19. Já em setembro de 2020, esse número diminuiu até 59%. Se, durante a epidemia de influenza, o número de pessoas que saem de casa for reduzido a 60%, o número de pessoas infectadas com o vírus influenza pode diminuir a 36% em comparação com a média anual. Evitar sair de casa pode atuar fortemente como um efeito preventivo contra a influenza.

FONTE: COVID-19 era, preventive effect of no going out against co-infection of the seasonal influenza virus and SARSCoV-2. Takuma Hayashi, Nobuo Yaegashi,  Ikuo Konishi. medRxiv preprint doi:https://doi.org/10.1101/2020.09.27.20202739