O que a Medicina Veterinária pode nos dizer sobre os coronavírus?

Os vírus da família Coronaviridae são onipresentes na natureza devido à sua existência em um amplo espectro de espécies de mamíferos e aves. Em 1937, o vírus da bronquite infecciosa aviária (IBV) foi isolado pela primeira vez de um surto em galinhas. Desde então, coronavírus (CoVs) relacionados foram descobertos com subsequentes isolamentos virais em roedores, animais domésticos e humanos. O primeiro CoV humano foi isolado na década de 1960 de secreções nasais de pacientes que sofriam de resfriado comum. Estima-se que dois CoVs humanos (HCoVs) estejam envolvidos em cerca de 30% dos resfriados comuns.

Acreditava-se que a infecção com HCoVs era leve até o surto da Síndrome Respiratória Aguda Grave (causada pelo SARS-CoV). O surto de SARS-CoV, em 2003, foi um dos mais devastadores da história atual, infectando mais de 8.000 pessoas e tendo uma letalidade bruta de aproximadamente 10%. Uma década depois, outra infecção zoonótica surgiu na região do Oriente Médio, a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (causada pelo MERS-CoV), que causou um transbordamento em 2012 e resultou em uma epidemia persistente na Península Arábica e disseminação esporádica para o resto do mundo. A infecção por MERS-CoV em humanos causa pneumonia grave fatal, com mortalidade de 35% dos casos. O novo HCoV de 2019 (2019-nCoV), que foi posteriormente renomeado SARS-CoV-2, é um CoV humano recém-surgido que resultou em uma pandemia global e contínua, ceifou mais de 710.110 vidas e infectou mais de 18.895.712 pessoas até 5 de agosto de 2020.

CoVs causam doenças graves em diferentes animais, como cães, gatos, porcos, galinhas, vacas, camelos e humanos. Esforços esmagadores têm sido investidos na obtenção de vacinas eficazes que resolvam o dilema global da pandemia de CoV. No entanto, as tentativas de licenciar vacinas eficazes contra o CoV para infecções respiratórias em humanos ainda não tiveram sucesso. Por outro lado, a infecção por CoV em diferentes espécies de animais domésticos, como gatos, cães, porcos, gado e aves, é tratada rotineiramente por vacinação. Por exemplo, as vacinas IBV foram as primeiras vacinas licenciadas para prevenir a infecção respiratória superior por CoV em galinhas. Considerando a experiência de longo prazo adquirida com CoVs animais, a medicina veterinária poderia participar com contribuições importantes para decifrar a origem do SARS-CoV2 e para conduzir pesquisas futuras em medicina humana para o desenvolvimento de vacinas imunogênicas e seguras e drogas antivirais eficazes. Os sucessos e fracassos encontrados com a profilaxia e o tratamento de CoVs animais podem ser úteis para tratar questões relacionadas ao SARS-CoV-2.

FONTE: The Coronaviruses of Animals and Birds: Their Zoonosis, Vaccines, and Models for SARS-CoV and SARS-CoV2. Ahmed M. Alluwaimi, Ibrahim H. Alshubaith, Ahmed M. Al-Ali and Salah Abohelaika. Front. Vet. Sci., 24 September 2020. https://doi.org/10.3389/fvets.2020.582287