Fernando de Noronha: como uma ilha controlou a transmissão comunitária da COVID-19.

Ilhas têm sido uma fascinação para os epidemiologistas. A transmissão pode ser mais facilmente controlada e, portanto, a dinâmica da transmissão e o efeito das intervenções podem ser mais efetivamente explorados. As medidas tomadas pela administração de Fernando de Noronha interromperam com sucesso a transmissão da COVID-19 na ilha cerca de três meses após os primeiros casos detectados. Isso aconteceu mesmo com a escalada da pandemia no continente.

As autoridades da ilha empregaram várias medidas de saúde pública que não foram usadas em nenhum outro lugar do Brasil: 1) rastreamento e testagem de contatos de todos os indivíduos positivos identificados na ilha; 2) para viajantes, foi requisitada testagem por RT-PCR em sete dias antes da viagem para a ilha; 3) testagem por RT-PCR ao chegarem na ilha e quarentena até liberação (se negativo) ou por 14 dias (se positivo); 4) uso de fita no pulso para identificar positivos que só poderia ser removida pelo sistema de monitoramento de saúde da ilha; 5) restrições a viagens dentro da ilha para residentes, com o uso de um aplicativo de celular para solicitação de autorização para saída de casa, de forma similar ao que foi feito na China. As medidas adotadas em Fernando de Noronha são um bom exemplo de uma política de distanciamento social mais restritiva logo no início da pandemia.

Apesar das medidas listadas acima, a transmissão foi relativamente alta, provavelmente devido a uma combinação de três fatores: a) apesar do uso de máscaras fora de casa ter sido alto, o uso dentro das residências não foi, especialmente para amigos ou familiares não residentes na casa; b) transporte de alimentos e outros produtos por via aérea ou marítima para a ilha (as cargas e a tripulação não estavam sempre sujeitos a protocolos); e c) a ilha requer pessoal especializado e tem presença militar, formando uma população flutuante que se move constantemente entre a ilha e o continente.

Parte do sucesso de Fernando de Noronha em controlar a COVID-19 pode ser atribuída ao isolamento provido por sua geografia, mas os autores acreditam que as medidas tomadas pelas autoridades locais foram essenciais para o controle da transmissão comunitária. Fernando de Noronha é um exemplo de sucesso no controle da doença no nordeste do Brasil.

FONTE: Fernando de Noronha: how an island controlled the community transmission of COVID-19 in Brazil. Mozart Júlio Tabosa Sales et al. medRxiv preprint doi: https://doi.org/10.1101/2020.10.22.20216010.