Pacientes com resultados positivos persistentes para COVID-19 não causaram novas infecções em Wuhan, China.

Foi relatado que alguns pacientes com COVID-19 recuperados podem apresentar resultados positivos repetidos, com novo teste positivo para o vírus dentro do período de isolamento de 14 dias. Compreender as características epidemiológicas dos pacientes com resultados positivos repetidos é vital na prevenção de uma segunda onda de COVID-19.

Todos os primeiros casos de diagnóstico de COVID-19 foram confirmados de acordo com testes de RT-PCR respiratórios positivos. Depois de receberem alta do hospital, os pacientes em Wuhan continuam isolados no centro de reabilitação por 14 dias e em casa por mais 14 dias para prevenir a reinfecção, são acompanhados e depois revisados ​​regularmente nos hospitais (duas a quatro semanas após a alta).

A repetição positiva foi confirmada por testes de RT-PCR (suábes de nasofaringe e/ou anais). Foram coletadas todas as informações sobre pacientes com SARS-CoV-2 com repetição positiva entre 31 de dezembro de 2019 e 4 de agosto de 2020 em 84 hospitais em Wuhan.

No total, 20.280 pacientes foram amostrados e acompanhados. Entre eles, 2.466 (12,16%) pacientes apresentaram testes positivos repetidos para SARS-CoV-2 após a alta hospitalar. Para investigar se os pacientes com repetição positiva podem causar novas infecções, coletamos os resultados de RT-PCR das pessoas que tiveram contato próximo com esses pacientes.

Dos 2.466 pacientes com repetição positiva, 1.201 tiveram resultado positivo no centro de reabilitação e não houve nenhum indivíduo que teve contato próximo com eles. Portanto, esses 1.201 pacientes não tiveram chance de infectar pessoas saudáveis. 1.265 pacientes foram testados positivos depois que voltaram para casa, sendo que 4.079 indivíduos tiveram contato próximo com eles. O resultado do RT-PCR foi negativo para os 4.079 indivíduos. Isso indica que os pacientes com repetição positiva não causaram novas infecções.

Confirmamos que em 12,16% dos pacientes com COVID-19 o SARS-CoV-2 foi detectado novamente após a alta hospitalar. O período entre o resultado SARS-CoV-2 negativo a positivo variou de 1 a 165 dias, sugerindo que os pacientes recuperados ainda podem ser portadores do vírus e requerem uma rodada adicional de detecção e isolamento viral. A repetição positiva também pode ser causada pela detecção de fragmentos de vírus provenientes da primeira infecção, pois o teste de PCR detecta apenas os fragmentos de RNA do SARS-CoV-2, não partículas virais viáveis. Isso pode explicar por que não houve infecção secundária.

FONTE: A follow-up study shows no new infections caused by patients with repeat positive of COVID-19 in Wuhan. Wu, X., Wang, Z., He, Z., Li, Y., Wu, Y., Wang, H., Liu, Y., Hao, F., Tian, H. medRxiv preprint doi: https://doi.org/10.1101/2020.11.18.20232892 — Posted: 22/11/2020.