Você já sabe dos Projetos OpenData para a Covid-19? Conheça o caso do Brasil e do México.

Contribuição de Cristopher Yerena, mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agrícola e do Ambiente, UFRGS. O projeto pode ser visitado no blog https://cristoyerenahs.wixsite.com/cristopheryerenahmex/personal-covid-blog.

O conceito de Dados Abertos pode se definir como um pensamento ou filosofía na Era Digital, na qual diversos Organismos Internacionaís e Governos Nacionaís colocam de maneira livre dados de utilidade pública sem restrições autorais, patentes ou mecanismos de proteção. Teoricamente, qualquer pessoa tem a possibilidade de reproduzir e analisar dados de maneira independente.

Na atualidade, devido à Pandemia do SARS-COV-2, vários Organismos Internacionais têm colocado de maneira livre diversas bases de dados, como: Organização Mundial da Saúde, o Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade Johns Hopkins (CSSE), Ministérios da Saúde de vários países, assim como alguns Repositórios na web.

No momento de estudar a dinâmica ou comportamento do fenômeno dentro dos dados estatísticos, várias organizações apresentam os resultados em Dashboards. Estas representações gráficas ajudam o público alvo a compreender os dados de maneira visualmente fácil. Estas podem ser visitadas em qualquer momento nos portais da web.

Para este post, dois Projetos OpenData COVID foram estudados: o publicado pelo Ministério da Saúde do Brasil e o da Dirección General de Epidemiologia (DGE) do México. Ambos podem ser baixados, utilizados e analisados de maneira livre.

Para o caso do Brasil, a base de dados OpenData publicada pelo SUS foi analisada. O critério da classificação foram os pacientes positivos para COVID-19, cuja Classificação final do caso foi SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE (SRAG por COVID-19),segundo o Dicionário de Dados da mesma Base. Os campos utilizados foram alguns dos Fatores de Risco e as Idades registradas.

Os períodos de estudo foram: a semana do 04 de Novembro até o dia 11 de Novembro de 2020 e a semana do 11 de Novembro até o dia 18 de Novembro de 2020. O objetivo de apresentar as duas semanas é mostrar as diferenças e semelhanças em quantidades de positivos, negativos, situação desconhecida e porcentagens das prevalências de doenças para a população cadastrada na presente na base de dados.

Continuar a ler.