Anticorpos neutralizantes após seis meses de COVID-19.

Em 23/11/2020, foi publicado na plataforma de preprints BioRixv um artigo sobre a duração de anticorpos neutralizantes na COVID-19 (ainda não avaliado para publicação em revista científica).

Embora a resposta humoral inicial após a infecção por SARS-CoV-2 tenha sido descrita, os dados atuais sobre a decadência dos níveis de anticorpos além do estágio de convalescença descrevem um cenário heterogêneo, com informações limitadas sobre a atividade neutralizante ao longo do período de acompanhamento. Os autores avaliaram a atividade neutralizante dos anticorpos contra o SARS-CoV-2 no final do período de acompanhamento de 6 meses.

A análise incluiu 210 pacientes com infecção por SARS-CoV-2 confirmada por RT-PCR, recrutados durante a primeira e segunda ondas da epidemia de COVID-19 na Catalunha (nordeste da Espanha). Destes, 106 (50,5%) apresentaram infecção leve ou assintomática e 104 (49,5%) necessitaram de internação por comprometimento respiratório. Foram coletadas amostras periodicamente ao longo de 242 dias.

A maioria dos participantes do estudo desenvolveu uma resposta humoral neutralizante contra o SARS-CoV-2. No entanto, os indivíduos levemente afetados ou assintomáticos desenvolveram um título máximo de neutralização 10 vezes menor do que aqueles que necessitaram de hospitalização.

Recentemente, foi proposto que a cinética da atividade neutralizante pode não refletir a dos títulos de anticorpos. Portanto, foi investigada a mudança nos títulos de IgG em um subconjunto de 28 indivíduos (14 em cada grupo de gravidade da doença) com o período de acompanhamento mais prolongado. A análise incluiu anticorpos contra o domínio de ligação ao receptor (RBD) e a subunidade S2 da proteína S, ambos associados com potencial atividade neutralizante; e contra a nucleoproteína (NP), que são muito abundantes, embora incapazes de neutralizar o SARS-CoV-2 diretamente. A meia-vida dos anticorpos anti-RBD, anti-S2 e anti-NP para o período além do dia 30 foi de 86, 108, e 59 dias, respectivamente.

As evidências atuais sobre a imunidade à infecção por SARS-CoV-2 sugerem estabilidade da atividade neutralizante, apontando para um cenário otimista para o estabelecimento de imunidade de rebanho mediada por infecção ou vacina.

FONTE: Stable neutralizing antibody levels six months after mild and severe COVID-19 episode. Pradenas, E., Trinite, B., Urrea, V., Marfil, S., Avila-Nieto, C., Rodriguez de la Concepcion, M. L., Tarres-Freixas, F., Perez-Yanes, S., Rovirosa, C., Ainsua-Enrich, E., Rodon, J., Vergara-Alert, J., Sagales, J., Guallar, V., Valencia, A., Izquierdo-Useros, N., Paredes, R., Mateu, L., Chamorro, A., Massanella, M., Carrillo, J., Clotet, B., Blanco, J. BioRixv 10.1101/2020.11.22.389056.