Respostas a algumas perguntas sobre as vacinas para COVID-19 – Parte 3.

Continuação do extrato do artigo recém-publicado na Science News. Leia o artigo na íntegra aqui.

P: Essas vacinas podem nos ajudar a obter imunidade coletiva?

R: Os cientistas ainda estão descobrindo quantas pessoas devem ter imunidade ao vírus para eliminar os surtos de hospedeiros suscetíveis e acabar com a pandemia. A maioria das estimativas fica entre 60 a 80 por cento de uma população, embora quantas pessoas precisem ser vacinadas para chegar a esse ponto ainda não esteja claro e dependa da eficácia da vacina.

Se as vacinas fossem eficazes ao máximo na prevenção de doenças e transmissão, vacinar pessoas suficientes para atingir com precisão o limite de imunidade do rebanho seria suficiente. Mas vacinas menos eficazes requerem que mais pessoas sejam vacinadas, para compensar as lacunas potenciais na imunidade.

E como observamos acima, ainda não está claro como as vacinas afetam a transmissão. Se essas vacinas não previnem a transmissão, é impossível alcançar a imunidade coletiva por meio da vacinação. Mas esse cenário é muito improvável: ao diminuir a gravidade da doença, as vacinas provavelmente diminuiriam a transmissão, reduzindo o número de dias que uma pessoa espalha o vírus infeccioso, por exemplo. Por enquanto, os cientistas aguardam mais dados.

Mesmo que as vacinas acabem reduzindo a transmissão de forma eficaz, alcançar a imunidade de rebanho globalmente exigirá uma distribuição equitativa das vacinas, o que será um desafio. Se as pessoas que vivem em áreas mais pobres e rurais não tiverem acesso às vacinas, os surtos podem persistir nessas regiões e evitar o fim da pandemia se o problema for generalizado.

Fonte: Here are answers to 6 burning questions about COVID-19 vaccines. Tina Hesman Saey and Jonathan Lambert. Science News DECEMBER 9, 2020.

2 respostas para “Respostas a algumas perguntas sobre as vacinas para COVID-19 – Parte 3.”

  1. Olá, tenho uma dúvida em relação aos meus testes.
    Dia 4/12 testei positivo, fiquei os 15 dias isolada (só tive sintomas por uns 5 dias) e então dia 18/12 fiz o de sorologia e deu IGG negativo e IGM positivo, quer dizer que ainda estou transmitindo e preciso ficar mais tempo isolada? Pensei em fazer mais um teste de PCR para confirmar….

    1. Olá MAriana,
      Não é preciso ficar mais tempo isolada. Em pacientes leves, geralmente a transmissibilidade não acontece após 10 dias do início dos sintomas. Espero ter ajudado.

Os comentários estão desativados.