CROQUIS

Uso em Desenho Técnico a Mão Livre

Introdução Objetivos Pedagógicos Perspectiva Isométrica Perspectiva Cavaleira Vistas Ortográficas Créditos Questionário

Introdução


Através dos milênios o ser humano tem buscado no desenho um meio de comunicação direta de seus medos, seus objetivos, sonhos, projetos e de suas memórias. Não há barreiras de idioma, etnia ou classe econômica que dificulte ou impeça a comunicação. Ainda nos seus primeiros passos, se expressa através do desenho daquilo que o rodeia. Atualmente com a constante descoberta e avanço constante no aperfeiçoamento de equipamentos e ferramentas digitais temos relegado a plano secundário a prática do desenho a mão livre. A prática do Croqui como forma rápida e objetiva de expressar uma ideia ou de desenvolvê-la não pode ser abandonada.


Entende-se que o conhecimento e desenvoltura no uso das técnicas de representação tradicionais devem somar-se ao das novas ferramentas, como fundamentais, para a o exercício das diversas profissões que delas se utilizam como a arquitetura, o design e as engenharias. Segundo CARVALHO (2001) o novo instrumental da informática de maneira alguma elimina o desenho, não diminui a importância do gesto criativo e da estática bidimensional, apenas lhe traz novos desafios.


O que costuma ser mais importante nos croquis é o registro gráfico de uma ideia instantânea, através de uma técnica de desenho rápida e descompromissada (Wikipédia, 2007). O esboço, como ressaltam Bornancini, Petzold e Orlandi (1981), é aceito como um meio universal e eficaz de comunicação, tanto entre técnicos, como entre leigos, exercendo uma função primordial na atividade criativa do projeto quando as associações são ainda vagas e imperfeitas, ao registrá-las rapidamente, auxiliando a memória e a imaginação. Segundo BERMUDEZ e KING (1999), as interações múltiples entre os meios análogos e digitais, enriquecem o processo de desenho.


O objetivo deste site é o de apresentar técnicas de básicos de desenho de objetos relativamente simples, através de croquis, para desmistificar a ideia de que é preciso talento para desenhar e assim estimular à prática desse recurso como passo inicial de representação. O surgimento de mesas digitalizadoras pode ser um atrativo para, com o desenvolvimento de habilidades básicas, utilizar esses equipamentos para o desenvolvimento complementação e enriquecimento e detalhamento das formas inicialmente desenhadas.