Artigos

AFOLABI, Niyi. Quilombismo and the Afro-Brazilian Quest for Citizenship. Journal of Black Studies. University of Texas at Austin, Austin, TX, USA, p. 847-871.2012Arquivo
Resumo: Between the radicalism of Black Brazilian movements of the 1980s, an aftermath of the negation and rejection of the myth of “racial democracy” that denies Brazilian subtle racism, the rise of re- Africanization sensibilities among Afro-Carnival groups, and the current ambivalent co-optation that has been packaged as “affirmative action” in the new millennium, a missing link to the many quests for Afro-Brazilianness lies in the (dis)locations that permeate the issues of identity, consciousness, and Africa-rootedness. Recent studies have remained invested in the polarity between the rigidity of “race” (one-drop rule) from the North American perspective and the fluidity of identity as professed by the South American miscegenation thesis. Regardless of the given schools of thought, or discourses, that have not resolved the oppressive sociopolitical realities on the ground, one must face the many levels of (dis)locations that define Afro-Brazilian identities. This essay draws upon the cultural productions of five Afro-Brazilian poets from various regions of Brazil, namely, Oliveira Silveira, Lepê Correia, Jamu Minka, Abelardo Rodrigues, and Carlos de Assumpção. Beyond exposing the marginalized poets to a wider readership in English, the essay also engages the current debate in the shift from racial democracy to affirmative action in Brazil and the implications for continued racial tensions and contradictions in the Brazilian state.
Palavras Chave: Afro-Brazilian identity, racial democracy, dislocations, poetics of resistance
AUGEL, Moema Parente. A Imagem da África na Poesia Afro Brasileira Contemporânea. Revista Afro Asia, 19-20 (1997). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas da Guiné-Bissau, 1997.
Resumo: Desejo tratar aqui de escritores brasileiros, quase que desconhecidos da crítica consagrada, um grupo dinâmico e atuante de poetas e contistas de ambos os sexos, espalhados por todo o Brasil, que vêm escrevendo e publicando desde a década de 70. mas que continuam quase completamente ignorados e silenciados, só excepcionalmente contando com o apoio de pequenas casas editoriais. São escritores que se chamam a eles mesmos de escritores negros, que proclamam uma literatura negra, isto é, afro-brasileira, ressaltando a sua africanidade, as suas origens distantes da ação civilizatória colonizadora, a sua cultura não pautada nos moldes da cultura dominante.
Palavras Chave: Não tem
BOEIRA, Eloisa Elena Prates. Oliveira Silveira: “Poeta da Consciência Negra”. Apresentação oral no copene sul, 2019.
Resumo: A poesia de Oliveira Silveira faz uma radiografia da sociedade brasileira do século XX, e a situação do negro nessa sociedade. Busca, nas suas origens, o resgate de uma história de luta contra as injustiças e o preconceito. A partir de estudos e pesquisas elencados sobre a temática em questão, foi feita a abordagem do referido trabalho, seguindo os parâmetros dos autores que trabalham com as questões da negritude, identidade e a situação dos afrodescendentes, em especial com a poesia afro-brasileira com enfoque no poeta Oliveira Silveira, objeto de estudo desse projeto.
Palavras-chave: não tem.
CAMPOS JÚNIOR, José de Sousa e MOURA, Ana Paula Alves de. Afrodescendência e gênero em foco: aspectos educacionais. João Pessoa, 2011.
Resumo: Este artigo tem como objetivo analisar a figura da mulher negra em períodos históricos diferentes da literatura através dos poemas “Essa Nega Fulô”, de Jorge de Lima (início do século XX), e “A Outra Nega Fulô”, de Oliveira Silveira (últimas décadas do mesmo século), atentando para os aspectos sócio-históricos que levaram a mudança de representação da mulher neste último texto poético. Para tanto, nos basearemos em uma atividade referente a esses textos realizada no curso “Literatura e Afro- descendência: o que há por trás disso?”, promovido pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), e desenvolvido na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Assis Chateaubriand, localizada na cidade de Campina Grande, tendo como público-alvo alunos do ensino médio.
Palavras-chave: não tem.

COSTA, Laysa Cavalcante; SILVA, Francielle Suenia da. Etnia e Gênero na Poesia: um olhar sobre a Outra Negra Fulô. XI Colóquio Nacional Representações de Gênero e Sexualidades. Campina Grande – PB. Junho, 2015
Resumo: A literatura apresenta, por meio de seu discurso poético, questões socioeconômicas, religiosas, históricas e culturais, mesmo este não sendo seu objetivo enquanto expressão artística. No poema “A Outra Nega Fulô” escrito na segunda metade do século XX pelo poeta Oliveira Silveira, é possível perceber como os pontos anteriormente citados exercem influência no eu lírico. O artigo intitulado “Etnia e Gênero na Poesia: um olhar sobre A Outra Nega Fulô” busca apresentar uma reflexão acerca da condição e representação da mulher, escrava e negra no poema supra mencionado, além de permitir uma leitura comparativa com o poema “Essa Negra Fulô”, do poeta Jorge de Lima, escrito nos últimos anos do século XIX. O trabalho ainda propõe uma reflexão acerca do trabalho com a temática da mulher, no gênero literário poesia, no ambiente escolar
Palavras-chave: gênero; afro-brasileira; poesia.

CRESSONI, Fábio Eduardo. A construção da abordagem histórica numa perspectiva afrocentrada por meio do uso da poesia negra em sala de aula. Revista OLHARES, v. 7, n. 1 – Guarulhos, p. 63 – 80, maio 2019.
Resumo: Este trabalho tem como objetivo apresentar a categoria epistemológica e teórica afrocêntrica para, em seguida, demonstrar suas possibilidades de uso para o ensino de história na educação básica. Para tanto, optamos por expor o referido conceito a partir da obra de Assante (2009; 2014), problematizando suas origens e fundamentos para, em seguida, indicarmos como este referencial pode ser adotado para o desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem na área de história. O caminho teórico-metodológico adotado na escrita deste artigo nos conduz sequencialmente a compreensão da ideia de quilombismo, de acordo com as definições propostas por Abdias do Nascimento. Em seguida, dotados deste escopo pedagógico, passamos a observar como a literatura elaborada pelos poetas negros So-lano Trindade e Oliveira Silveira permite inserir esta perspectiva em sala de aula. Finalizamos esta re-flexão, apresentando parte da produção literária cearense no contexto abolicionista.
Palavras-chave: Ensino de história; Pensamento afrocêntrico; Quilombismo.

CAPUANO, Mariângela Monsores Furtado. A literatura afro-brasileira na sala de aula. In: XI CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIC. 2008, São Paulo.
Resumo: A Aprovação da lei 10639/2003, que torna obrigatória a inclusão do estudo de História e Cultura Afro-brasileira nos currículos escolares, gerou uma movimentação nos meios acadêmicos no sentido de contemplar nas disciplinas escolares esse novo conteúdo. Essa comunicação tem como objetivo apresentar uma proposta de trabalho de literatura no Ensino Médio, tomando como ponto de partida a desconstrução através da literatura da imagem estereotipada da figura do negro, formada ao longo de nossa história. Para tanto, a nossa proposta é utilizar textos da literatura brasileira canônica ou não em que o negro é referido como objeto e não como produtor de cultura, em comparação com uma produção literária que objetiva a reversão dessa imagem negativa, bem como o fortalecimento das raízes afro-brasileiras.
Palavras-chave: literatura afro-brasileira; cânone; desconstrução de estereótipos.

DANTAS, Elisalva Madruga. A negritude poética do gaúcho Oliveira Silveira. Revista de Letras, v. 1/2 – João Pessoa, p. 74 – 77, jan/dez. 2006
Resumo: Refletindo sobre as expressões literárias e culturais afro brasileiras e sobre o lugar ocupado por essas produções na sociedade, o trabalho que se segue tem como objetivo uma análise ideo/estética da produção poética do gaúcho Oliveira Silveira, tendo em vista sobretudo sua relação com as propostas do movimento da Negritude e o diálogo que estabelece com poetas vinculados ao referido movimento.
Palavras-chave: Negritude; poética; conscientização; paródia.
FLORES, Elio Chaves e AMORIM, Alessandro. Protagonismo negro numa perspectiva afrocentrada. Revista Brasileira do Caribe, São Luis, Vol. XI, nº22, p. 59-78. Jan-Jun. 2011.
Resumo :O presente trabalho procura pensar o protagonismo negro em suas mais significativas formas de expressão, numa perspectiva afrocentrada. Apresenta a experiência estética e política de Solano Trindade (1908-1974), Abdias Nascimento (1914-2011) e Oliveira Silveira (1941-2009), como expressão de ativismo afrocentrado, no que se refere à maneira pela qual ações no campo da cultura e da política estavam baseadas na representação da África como o centro referencial ancestral, não universalista nem essencialista, bem como pelo estabelecimento de um paradigma cognitivo afrocêntrico, que vincula a ancestralidade africana à experiência diaspórica do negro na construção de um novo conhecimento sobre o mundo, a partir da experiência quilombista.
Palavras-chave: Afrocentrismo, Intelectuais negros, Cultura histórica
JESUS, Carolina de Gomes. Oliveira Silveira na UNB: memória coletiva e políticas de inclusão racial. Revista da ABPN, Uberlândia, v. 7, n. 15, p.04-24 nov. 2014–fev. 2015.
Resumo: Ideias e memórias coletivas podem ser desenvolvidas a partir de iniciativas individuais. O presente artigo visa ilustrar essa afirmação a partir da análise daevolução social e histórica de uma data, o Dia Nacional da Consciência Negra, considerando a contribuição efetiva de um indivíduo, o poeta gaúcho Oliveira Silveira, para sua consolidação teórica e política. A proposta fundamental para o fortalecimento da valorização grupal da data foi relacioná-la ao assassinato de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, herói nacional considerado um símbolo para a luta da população negra contemporânea contra o racismo, caracterizada pela resistência e pelo questionamento da subalternizaçãodas pessoas negras. Ademais, essa reflexão é contextualizada com o caso concreto da visita de Oliveira Silveira à Universidade de Brasília –UnB, em 2006, quando na instituição vigoram políticas afirmativas representadas pelo sistema de cotas para negros no vestibular, a fim de tratar da evolução do tema da consciência negra no Brasil.
Palavras-chave: Memória coletiva; Indivíduo; Consciência negra; Políticas afirmativas.
LIMA, Carina Bertozzi de. Literatura Negra – Outra história. Terra roxa e outras terras – Revista de Estudos Literários, Londrina – PR. V. 17A. Dez. 2009
Resumo: Partindo da análise de algumas obras do cânone brasileiro, o artigo se propõe a analisar como a literatura foi usada em diversos momentos da história brasileira como elemento de depreciação e dominação do negro, e como essa situação começa a se modificar a partir da ascensão dos movimentos negros no país, quando é iniciada uma reconstrução da imagem do afro-descendente, que toma para si a missão de fazer sua própria literatura.
Palavras-chave: Literatura negra, afro-descendência.
LIEBIG, Sueli Meira. Por um descentramento ético do negro: Esmeralda Ribeiro, Oliveira Silveira, Socorro Coelho e Solano Trindade. In: XII CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIC, 2011.
Resumo: Alguns autores afro-brasileiros como Esmeralda Ribeiro, Oliveira Silveira, Socorro Coelho e Solano Trindade, sentindo a necessidade de redesenhar, reinventar e reescrever a literatura nacional a partir da sua própria ótica, têm se utilizado da réplica às obras tidas como canônicas, no sentido de refutar certas premissas tidas como verdadeiras, centradas, sobretudo numa filosofia mono centrista ocidental branca/cristã/masculina. Procuram, desta forma, questionar o sujeito-criador e a flutuação da verdade e almejam à queda das hierarquias enraizadas no poder em conseqüência de um descentramento ontológico e ético. Desta forma, o presente estudo se propõe a analisar obras destes autores que, reescritas a partir da sua visão singular, resultam num simulacro divergente, crítico e produtivo, no qual o ser humano negro passa de sujeito a agente do seu próprio destino.
Palavras-chave: Descentramento Ético; Negro; Cânone; Margens; Recepção Produtiva.
LOPES, Elisângela Aparecida. O percurso da diáspora negra na poesia de Oliveira Silveira. Revista Jangada, Viçosa, n. 2, p. 3 – 14, jul-dez. 2013.
Resumo: Neste artigo, pretendemos percorrer os textos que compõem a Antologia poética de Oliveira Silveira, a fim de analisarmos a diáspora negra enquanto temática e como um movimento construído e requisitado pelo eu poético que o leva à afirmação da negritude.
Palavras-chave: Diáspora; Poesia Afro-brasileira; Oliveira Silveira; Identidade Negra.
MACHADO, S. P. Oliveira Silveira: consciência negra em MOOC da Unipampa na plataforma Lúmina da UFRGS. EmRede – Revista de Educação a Distância, v. 7, n. 2, p. 267-287, 6 nov. 2020.
Resumo: Neste artigo, pretendemos percorrer os textos que compõem O presente relato tem o objetivo de descrever uma ação de extensão universitária em forma de Massive Open Online Course (MOOC), baseada em pesquisas sobre a vida, a obra e a consciência negra do poeta afro-gaúcho Oliveira Silveira (1941-2009). Trata-se de uma ação vinculada a outros projetos de extensão como, por exemplo: a digitalização do acervo pessoal do poeta e a produção de um jogo digital protagonizado por Oliveira Silveira. O percurso metodológico do projeto é orientado pela pesquisa-ação. Lançado em novembro de 2019, nos primeiros 3 meses de oferta, o MOOC sobre Oliveira Silveira teve mais de mil alunos/as tendo uma previsão de 30 horas de conteúdos distribuídos em três módulos. Tamanha adesão revelou a demanda represada por cursos sobre a temática da negritude na modalidade a distância.
Palavras-chave: MOOC. Negritude. Oliveira Silveira. Literatura. Educomunicação.
MATOS, Manoela Fernanda Silva de. As vivências do candomblé na poesia ancestral de Oliveira Silveira. Revista do Programa de Pós Graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia, Belém, v.1, n.1, p. 23-36, jan-julho de 2013.
Resumo:O presente artigo visa discutir a produção literária do poeta afro-gaúcho Oliveira Silveira, na análise de seus poemas será focado os seguintes temas: religião afro-brasileira (batuque afro-riograndense), memória e ancestralidade. Portanto, querer- se-á comprovar que os poemas de Oliveira Silveira buscam visibilizar sua afro- brasilidade, bem como, o local de pertencimento dos afrodescendentes no Brasil e a afirmação afrodescendente no cenário literário. Para tal discussão será utilizados arcabouços teóricos-crítico no que tange a literatura afro brasileira e a teoria literária. Concluir-se-á que Oliveira Silveira poeta negro, busca rememorar sua ancestralidade africana perdida, a Mãe África e a religião afro-brasileira como aporte para sua criação poética.
Palavras-chave: Literatura; Religião afro-brasileira; Afrodescendência; Memória.
MÉRO, Carlos. Uma negra fulô e dois olhares poéticos. Revista Reflexos. Toulouse, França. V. 2, p. 1 – 10. Maio – 2015.
Resumo:O presente artigo visa discutir a produção literária do poeta afro-gaúcho Oliveira Silveira, na análise de seus poemas será focado os seguintes temas: religião afro-brasileira (batuque afro-riograndense), memória e ancestralidade. Portanto, querer- se-á comprovar que os poemas de Oliveira Silveira buscam visibilizar sua afro- brasilidade, bem como, o local de pertencimento dos afrodescendentes no Brasil e a afirmação afrodescendente no cenário literário. Para tal discussão será utilizados arcabouços teóricos-crítico no que tange a literatura afro brasileira e a teoria literária. Concluir-se-á que Oliveira Silveira poeta negro, busca rememorar sua ancestralidade africana perdida, a Mãe África e a religião afro-brasileira como aporte para sua criação poética.
Palavras-chave: Literatura; Religião afro-brasileira; Afrodescendência; Memória.
NASCIMENTO, Tássia do. A Outra Negra Fulô, de Oliveira Silveira, “para escândalo do bom Jorge Lima”. Revista Diálogo e Interação, v. 2 – Cornélio Procópio, 2010.
Resumo:Neste trabalho pretendo traçar considerações sobre a literatura afro-brasileira através da análise de dois poemas: um referente à literatura canônica (Essa negra Fulô)- de autoria de Jorge de Lima – e outro pertencente à literatura negra (A outra negra Fulô)- de Oliveira Silveira. Será observado o processo de desconstrução dos discursos que legitimaram a hierarquização das culturas branca e negra contrastando esses dois poemas que marcam momentos distintos da nossa literatura. O primeiro reproduz alguns elementos que corroboraram para a construção de uma identidade afro-feminina estigmatizada e o segundo representa uma reescrita do primeiro e questiona alguns de seus elementos.
Palavras-chave: Literatura negra. Identidade. Emancipação.
OLIVEIRA, Helaine de. Oliveira Silveira: política de exceção e poética do além. Darandina Revisteletrônica, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 211-229, ago. 2004. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27931. Acesso em: 01 jun. 2017. 
Resumo: O presente artigo almeja elaborar uma breve análise acerca do protagonismo político e literário do poeta gaúcho Oliveira Silveira apontando-o como importante referência de intelectual diaspórico negro na literatura brasileira, em contraponto à visão equivocada acerca da aparente apatia do negro e aceitação de sua condição de subordinado desde a libertação dos escravos em 1888, transcorrendo o Período de Exceção no Brasil, como o reforça o discurso canônico literário oficial até os dias atuais.
Palavras-chave: Exceção; Diáspora; Poética do Além; diferença.
PARADISO, Silvio Ruiz e GONÇALEZ, Deyse Natali Gonçalez. O ‘Tambor’ como Símbolo Metonímico da Identidade Afro-Brasileira, na Poesia de Oliveira Silveira. Revista Cesumar – Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, 19, n.2, p. 327-346, jul./dez. 2014.
Resumo: Este artigo analisa a identidade negra e a religiosidade afro-brasileira valorizada e ressignificada em um de seus símbolos máximos: o tambor. E, especificamente, na literatura de Oliveira Silveira. Nos poemas “Atabaques”, “Cavalo-se- santo” e “O tambor bebeu sangue” observa-se o resgate da identidade negra que, trazida através da junção das vozes dos antepassados, da cultura e dos mitos às divindades africanas, revelam um negro como sujeito enunciador, libertando-se das amarras do preconceito e dos conceitos hegemônicos e ‘eurocidentais’, constituindo assim, ao mesmo tempo, seu próprio conceito de sujeito e cultura religiosa.
Palavras-chave: Candomblé; Identidade Negra; Literatura Afro-brasileira; Religiosidade.
Pereira, E. de A., & Pinto, A. M. (2018). Orixás: a retomada das raízes africanas através da tradição religiosa dos orixás em Oliveira Silveira. Principia: Caminhos Da Iniciação Científica16, 119-127.
Resumo: O Projeto “Viagens por outros mares: diáspora africana e seus mapas literários” integra-se, de modo geral, aos núcleos de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Teoria da Literatura e Identidade Cultural do Departamento de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora. De modo particular, se insere em um projeto integrado de pesquisa intitulado “A questão identitária: mediações literárias e tradutórias”, registrado no CNPq. A presente etapa do Projeto atende ao seguinte objetivo: destacar e analisar os aspectos da produção poética em língua portuguesa que, a partir da segunda metade do século XX, vêm contribuindo para estabelecer um mapa estético cujos referenciais são a diáspora africana e as sociedades pós-coloniais da África e das Américas. No presente trabalho, analisamos o livro Orixás, de Oliveira Silveira, no intuito de apontar as relações existentes entre a poesia, a pintura e as notas etnográficas presentes na obra, fato que colabora para torná-la multifacetária. Além disso, nossa análise ressalta o modo de ver o mundo, na perspectiva dos afro-brasileiros herdeiros da cultura iorubá.
Palavras-chaves: Literatura; Diáspora Africana; Identidade Cultural; Oliveira Silveira.
SANTOS, Donizeth Aparecido dos. Poetas de todo o mundo. Revista de História e Estudos Culturais, Vol. 4 Ano, nº 2, Abril/ Maio/ Junho de 2007.
Resumo: O artigo apresenta uma abordagem do sentimento de solidariedade entre os negros de todo o mundo, presente na poesia dos escritores africanos de língua portuguesa: Francisco José Tenreiro, Agostinho Neto, Viriato da Cruz e Noémia de Sousa, bem como dos afro brasileiros Solano Trindade e Oliveira Silveira. A solidariedade negra, oriunda do Pan-africanismo e difundida pelos movimentos culturais negros surgidos a partir dele, foi uma das maiores recorrências literárias na poesia africana de língua portuguesa dos anos 1940 e 1950 e na afro brasileira da década de 1960 à de 1980.
Palavras-chave: Poesia africana de língua portuguesa; Poesia afro-brasileira; Solidariedade.
SANTOS, Donizeth Aparecido dos. Ressonâncias dos movimentos culturais negros na poesia de Oliveira Silveira. Universidade de São Paulo, 2010.
Resumo: Este artigo apresenta algumas considerações sobre os movimentos culturais negros surgidos a partir do Pan-africanismo, nos Estados Unidos, Haiti, Cuba e França, e a influência que eles tiveram na obra literária do poeta afro-brasileiro Oliveira Silveira.
Palavras-chave: não tem.
SANTOS, Donizeth Aparecido dos. Representações da Mãe-África nas poesias moçambicana e afro-brasileira. Revista do Estudos de Literatura Portuguesa e Africana – NEPA UFF, Vol. 5, Nº. 9, p. 67-78, 2012. 
Resumo: Através da análise dos poemas “Sangue negro”, da poeta moçambicana Noémia de Sousa, “Regressão” e “Elo”, do poeta afro-brasileiro Oliveira Silveira, o artigo mostra que a Mãe-África é representada na poesia moçambicana como a mãe negra biológica, a nação, e o continente africano, enquanto que na afro-brasileira, além de ser a progenitora da raça negra, o continente africano é também a terra prometida, o paraíso perdido.
Palavras-chave: Poesia moçambicana; Poesia afro-brasileira; Mãe-África.

SANTOS, Simone de Jesus. Poesia Afro-Brasileira da Memória. Revista Mujimbo, vol.1 , n.1, p. 68-83, Dez. 2009.
Resumo: O presente artigo trata da memória de afro-brasileiros enquanto elemento base de criação literária. Conforme essa temática, são analisados textos de autoria dosescritores Oswaldo de Camargo, Oliveira Silveira e Luiz Silva – Cuti. Reconfiguração de tradições e vivências, bem como reflexão sobre o fazer poético representam-se nos versos selecionados.
Palavras-chave: Literatura Negra; Memória; Afrodescendência.

SILVA, Adriana Kerchner da. A malungaje poética de Oliveira Silveira. Nau Literária, v. 17, n. 1 – 2020.
Resumo: Este artigo apresenta o conceito de malungajede Branche (2009), que afirmaque há uma rede de reconhecimentos e afetos entre escritores eintelectuais negros na América, motivada por um sentimento de união a partir da experiência de serem parte da diáspora africana. Com base noconceito, analisam-se cinco poemas do escritor gaúcho Oliveira Silveira, “Alô”, “Em Cuba”, “Antilhas”, “Haiti” e “Platinos”, em que o autor explicitamente recupera nações e regiões da América Latina nas quaisa participação negra é evidente, mesmo que muitas vezes negada. Nesses cinco poemas, Silveira estabelece essa rede de malungos de que fala Branche (2009) e insere-setambém como parte dessa união outernational
Palavras-chave: Malungaje; Oliveira Silveira; Literatura Afro-latino-americana.

SILVA, Ana Beatriz Gonçalves da. Elementos diaspóricos na trajetória poética de Oliveira Silveira – 1970-1994. In. ALMEIDA, Denise e CONCEIÇÃO, Evaristo. (org.) Literatura, história, etnicidade e educação: estudos nos contextos afro-brasileiro, africano e da diáspora africana. Frederico Wesphalen: URI, 2011
Resumo: Ana Beatriz Gonçalves da Silva analisa os elementos diaspóricos na obra do poeta negro riograndense Oliveira Silveira, evidenciando seu processo de amadurecimento e assunção de identidade afrodescendente e gaúcha ao longo da trajetória literária percorrida entre 1970 e 1994.
Palavras-chave: Literatura afro-brasileira; Literatura africana; Literatura; Diáspora africana; História; Etnicidade; Educação.

SILVA, Kislana Rodrigues Ramos da. A ressignificação das propostas do Pan-africanismo e da Negritude em Roteiro dos Tantãs de Oliveira Silveira. In: XI CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIC. 2013, São Paulo.
Resumo: Este estudo propõe a análise de alguns dos poemas do livro Roteiro dos Tantãs (1981), de Oliveira Silveira, com o objetivo de verificar o diálogo da poética do autor com as propostas da Negritude e do Pan africanismo. Para isso, empreenderemos os estudos referentes às questões de resistência, africanidade, negritude e afrodescendência que serão contemplados através dos pressupostos teóricos e históricos de Nascimento (1981), Appiah (1997), Cuti (2010) e Munanga (2012), entre outros. A presente análise objetiva mostrar a busca da ancestralidade e das configurações identitárias na retomada das origens africanas, destacando uma poética de resistência na busca de uma cultura e na afirmação da identidade negra, além da relação com a negritude e denúncia dos preconceitos. Oliveira Silveira, apesar de ser pouco estudado, mostra-se como um dos autores mais representativos da literatura afro-brasileira.
Palavras-chave: Negritude, Pan-africanismo, Oliveira Silveira.

SOARES, Marcelo Pacheco. A escritura da poesia afro-brasileira em(se) debate com uma literatura nacional dita canônica. Instituto Federal do Rio de Janeiro, 2016.
Resumo: O artigo investiga, na produção poética afro-brasileira do último século, a releitura de alguns textos considerados academicamente como pertencentes ao cânone nacional. Em seu comportamento leitor, constata-se nesses escritores um posicionamento artístico e político de construção de uma tradição literária pertinente à cultura negra, via de regra descentralizada pelos discursos de uma elite branca dominante. Para análise, são eleitos trabalhos de Oliveira Silveira, Solano Trindade, Márcio Barbosa e Lourdes Teodoro.
Palavras-chave: Poesia afro-brasileira; Intertextualidade; Resistência.

SOUZA, Conceição da Silva. Jônatas Conceição, um poeta afro-brasileiro. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 46, n. 4, p. 40-44, out./dez. 2011
Resumo: Este texto propõe-se a prestar uma homenagem ao escritor baiano Jônatas Conceição da Silva. Através de uma breve apresentação de suas atividades poéticas e intelectuais procura enfatizar as estratégias utilizadas pelo escritor e professor para divulgar aspectos da tradição afro-brasileira não somente por meio da poesia mas também através de outras atividades intelectuais nas quais seu compromisso com a divulgação da cultura e da história afro-brasileiras ficavam patentes.Como poeta, que se declarava afro-brasileiro, Jônatas Conceição deixou um série de poemas e contos nos quais sua história, sua memória e a memória dos afro brasileiros são apresentadas em linguagem simultaneamente sensível e comprometida. Ao fim desse texto, o leitor poderá conhecer um pouco da trajetória e da escrita de um poeta que fez da escrita de si uma forma de intervenção na vida literária, cultural e política brasileira.
Palavras-chave: Jônatas Conceição; Poesia; História afro-brasileira
FONTOURA, P. A.; SALOM, J. S.; TETTAMANZY, A. L. L. Sopapo Poético: sarau de poesia negra no extremo sul do Brasil. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 49, p. 153-181, 31 out. 2016.
Resumo: Apresentamos o Sopapo Poético, sarau de poesia negra que acontece em Porto Alegre desde 2012. Entendemos que nesse evento ocorre um encontro de duas tendências: a recente difusão dos saraus periféricos em São Paulo e outras cidades do Brasil com a tradição da poesia negra brasileira, especialmente a produzida desde a década de 1970. Esse encontro ocorre em um contexto específico que condiciona a atuação do movimento negro gaúcho: Porto Alegre, significativa “cidade letrada” e capital do Rio Grande do Sul, estado marcado por uma identidade regional racializada no mito do gaúcho europeizado. Descrevemos o funcionamento do sarau, desenvolvido em três momentos: a roda de poesia, com participação espontânea da audiência; a apresentação do Sopapinho, onde as crianças são levadas ao centro da roda; e o homenageado da noite, que combina o relato de trajetória com a performance artística. Entre os homenageados, destacamos duas figuras relevantes para a estética do sarau: o poeta Oliveira Silveira e o sopapeiro Giba Giba. Analisando as intervenções poéticas nas suas dimensões textual e performática, somos levados a pensar na íntima ligação entre o estético e o político que se constrói no sarau. As ideias de Paul Gilroy sobre a política cultural diaspórica no Atlântico negro servem para compreender o contexto de conflito e as formas de elaboração da identidade cultural afro-gaúcha.
Palavras-chaves: não tem.