Metaplasia

– Metaplasia é uma alteração reversível na qual um tipo celular diferenciado (epitelial ou mesenquimal), é substituído por outro tipo celular de mesma linhagem (Robbins & Cotran, 2015).

– O tipo mais comum de metaplasia é a de epitélio colunar para epitélio escamoso (ocorre no trato respiratório em resposta a irritantes crônicos).

– As influências que desencadeiam a metaplasia, se persistentes, podem iniciar transformação maligna no epitélio metaplásico.

Esôfago de Barrett: é a substituição do epitélio escamoso esofágico por epitélio glandular de tipo intestinal.

– A metaplasia é o resultado da reprogramação de células precursoras que se diferenciam ao longo de uma nova via.

Exemplo:

METAPLASIA ESCAMOSA DO COLO UTERINO

– Substituição do epitélio glandular endocervical por células de reserva subcolunares, que se diferenciam em epitélio escamoso (maduro ou imaturo).

– É uma resposta comum a irritantes, que está presente em quase todos colos uterinos e se localiza na zona de transformação.

– Não é considerada uma condição pré-maligna.

– O epitélio escamoso recobre as glândulas endocervicais.

Colo uterino, HE 10X.
Colo uterino, HE 10X.

Observe que no córion identificam-se  glândulas endocervicais, enquanto na superfície o epitélio de revestimento é de tipo escamoso estratificado maduro.

metaplasia1
Colo uterino, HE 50X.

 

metaplasia 2
Colo uterino, HE 100X

 

Observe nas duas imagens acima que no córion identificam-se  glândulas endocervicais, enquanto na superfície o epitélio de revestimento é de tipo escamoso estratificado maduro. Ausência de atipias.

metaplasia3
Colo uterino, HE 400X.

A imagem acima apresenta a junção do epitélio glandular endocervical colunar com o epitélio estratificado escamoso. No córion observam-se células inflamatórias e vasos congestos.

 

Leia mais:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2895407/

http://www.nature.com/modpathol/journal/v13/n3/full/3880046a.html

http://pathologyoutlines.com/topic/cervixmetaplasia.html