Fazendas de São Carlos preservam memória de São Paulo

Fazendas de São Carlos preservam memória de São Paulo

As propriedades guardam resquícios dos tempos do império e do ciclo do café, com a presença de grandes casarões e senzalas.  A Fazenda Santa Maria, por exemplo, foi construída em 1850 e foi ampliada no final do século 19, quando o antigo dono acreditava estar aguardando uma visita de Dom Pedro II. Durante a ampliação, ele se afundou em dividas e teve que vender o local. O fazendeiro Cândido Malta de Souza Campos comprou a propriedade, que permanece com a família, seu neto mora ali há 50 anos e a mantém aberta para o turismo. O complexo conta com uma grande casa, um terreiro (onde os grãos de café eram secos) e uma senzala, onde viviam, em condições desumanas, 120 escravos.

Além de Santa Maria, há outras fazendas abertas para visitação. A Casa do Pinhal foi construída há 200 anos com a técnica de taipas, estrutura popular na época pela possibilidade de reaproveitar materiais, e conta com 30 cômodos. A propriedade foi lar de uma importante família: a do conde do Pinhal. A condessa construiu no local uma estrutura considerada novidade: uma escada d’água para praticar hidroterapia.

 

Os passeios devem ser agendados pelos telefones:

Fazenda Santa Maria, (16) 3366-7141 | 3366-7143

Casa do Pinhal, (16) 3377-9191