SÉRIES PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – ANTIGO PRÉDIO DA…

A Faculdade de Medicina da UFRGS foi fundada no dia 25 de julho de 1898, por um grupo de médicos e farmacêuticos, entre eles, Eduardo Sarmento Leite, Cristiano Fischer e Protásio Antônio Alves. Tendo como origem a fusão do curso de Partos da Santa Casa de Misericórdia e a Escola Livre de Farmácia e Química Industrial de Porto Alegre, tornando-se a terceira escola médica do país.

A primeira aula aconteceu em 15 de março de 1899, em pequenas salas do porão do Liceu (Escola Normal), No ano de 1900, foi adquirido o primeiro prédio próprio situado à Rua da Alegria, atual General Vitorino. Desde o princípio, sabia-se que o número de salas não era adequado. Expandindo-se rapidamente, foram criados institutos e os alunos foram realocados, em diversos locais da cidade.

Somente em 1911, a Faculdade de Medicina recebeu através de uma doação da Intendência Municipal, o terreno no Campo da Redenção, localizada na confluência das atuais ruas Sarmento Leite e Professor Luiz Englert. Em 1912, o arquiteto Theodore Wiedersphan propôs o projeto para construção do Antigo Prédio da Faculdade de Medicina.

As obras do prédio iniciaram em 1913, com execução de Rudolph Ahrons. Em razão da crise ocasionada pela Primeira Guerra Mundial, surgiram dificuldades financeiras e a falta do repasse de verba por parte do Governo Estadual, interrompendo as obras no ano seguinte, em dezembro de 1914. Com o apoio da população de Porto Alegre, professores e alunos e do então diretor da Faculdade, Sarmento Leite, a obra foi retomada em 1919, pela secretária de obras do Estado, através de um empréstimo obtido junto ao Governo Estadual.

Com o retorno das obras, a direção e execução do projeto passou a ser do Engenheiro Pedro Paulo Scheunemann, com o projeto de Augusto Sartori; obra que durou cinco anos, sendo concluída em 1924 e inaugurada no dia 31 de março. Houve modificações no projeto inicial, sendo simplificado, em função de maior economia. Nos anos de 1937, 1952 e 1955 foram feitas ampliações e reformas no Prédio, que definiram a forma hoje existente.

Em 1937, o edifício é ampliado na sua ala direita. São construídos três pavimentos, onde se instalam a administração, a biblioteca, alguns laboratórios e o Centro Acadêmico Sarmento Leite. Em 1945, é construído o Biotério, em prédio à parte, para liberar a sotéia. Com Ocorreram duas ampliações: uma em 1952, na ala direita do prédio, para instalar o Instituto Anatômico e o Anfiteatro e outra em 1955, quando a ala esquerda é aumentada para abrigar o Instituto de Fisiologia e Microbiologia.

Em 1974 ocorre à transferência da Faculdade de Medicina para o Hospital de Clinicas, mas após diversas discussões, estabeleceu-se o consenso de que a Faculdade novamente precisava de uma sede própria. Em 25 de julho de 1998 é inaugurado o terreno próximo ao HCPA, localizado na Rua Ramiro Barcelos, no bairro Santa Cecília, sendo a nova sede da Medicina.

As instalações do antigo Prédio da Faculdade de Medicina então passaram a ser ocupadas pelo Instituto de Biociências e, após pelo Instituto de Ciências Básicas da Saúde (ICBS), que ainda se mantém no Prédio. Em 15 de setembro de 2000, o Prédio passou a integrar o conjunto do Patrimônio Cultural do Estado.

Ainda hoje, A Casa de Sarmento, antigo Prédio da Faculdade de Medicina, exerce uma forte influência em cada um dos alunos que por lá passam, apesar de Faculdade ter uma nova sede.

Foto: César Vieira

Caixa Cultural lança exposição sobre patrimônio histórico

Foi inaugurada hoje, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, a exposição “A Construção do Patrimônio”, que reúne mais de 150 obras, entre documentos raros, quadros e esculturas, oriundos dos acervos de diversas instituições culturais do país. Parte das comemorações dos 80 anos do Iphan -Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a mostra conta a história das políticas públicas de preservação no Brasil, propondo uma reflexão sobre os desafios que surgem diante dos conceitos modernos de patrimônio cultural. Read more “Caixa Cultural lança exposição sobre patrimônio histórico”

Livro resgata a história da “Bibliotheca Pública Pelotense”

O jornalista Klécio Santos, patrono da Feira do Livro de Pelotas 2017, estará lançando seu livro “Bibliotheca Pública Pelotense” hoje às 19:00 no Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS. A obra completa a trilogia escrita pelo jornalista sobre os principais prédios históricos e culturais de Pelotas – já foram lançados “Sete de Abril, O Teatro do Imperador” e “Mercado Central: 1846-2014”.

Read more “Livro resgata a história da “Bibliotheca Pública Pelotense””

11ª Edição da Primavera Dos Museus

Na semana que vem, de segunda (18) a sábado (24), os museus e acervos da UFRGS participam da 11ª edição da temporada cultural Primavera dos Museus, organizada pelo  Instituto Brasileiro de Museus  (Ibram). Este ano, o tema é  “Museus e suas memórias”.  

No Campus Centro, o Observatório Astronômico e o Museu da UFRGS realizarão exposições, palestras e  observação com telescópio. No Campus do Vale, o Memorial e Imigração da Cultura Japonesa oferecerá oficinas de encadernação, poema haicai e dobraduras de papel, além de encontros para debate cultural e um concurso de oratória em Japonês. O Museu de Topografia da UFRGS participará com exposições e encontros durante a semana.

O Planetário da UFRGS estará aberto para observações e atividades científico-pedagógicas sobre o equinócio de setembro, que marca o início da primavera. Também no Planetário, o Herbário do Instituto de Biociências realizará atividades como coleta de material botânico e uma sessão de dicas para confecção de um herbário. Vale a pena conferir também as ações educativas da Pinacoteca Barão de Santo Ângelo.

A entrada é franca para todas as atividades, que buscam promover, divulgar e valorizar os museus brasileiros. Em 2016, a Primavera dos Museus contou com a participação de 753 museus. Neste ano, serão 900 instituições envolvidas e 2500 atividades.

 

Para mais detalhes da programação:

http://guiadaprogramacao.museus.gov.br/pesquisar?estado=RS&cidade=4960&museu=&q=

https://www.facebook.com/REMAM-UFRGS-270864553334081/

Grandes obras latino-americanas sem preservação

O valor das grandes obras arquitetônicas resiste ao tempo, permanecendo como legados históricos que nos trazem informações valiosas sobre o passado. Porém as construções que representam tais obras, não o são. Abaixo, são listados alguns bem culturais notáveis da América Latina que merecem atenção especial visando a sua preservação, visto as más condições nas quais se encontram. Read more “Grandes obras latino-americanas sem preservação”