Programação da Semana do Patrimônio do SPH

O SPH recebeu um convite da Secretaria da Cultura do RS para participar das atividades de celebração ao Dia Estadual do Patrimônio Cultural, comemorado no dia 17 de agosto, que irão acontecer em todo o estado! As atividades organizadas pelo SPH vão do dia 12 a 17 de agosto, todas localizadas no Campus Centro da UFRGS.

PROGRAMAÇÃO:

  • Exposição fotográfica: 1ª Geração de Prédios Históricos da Universidade: 20 anos do Projeto Resgate do Patrimônio Histórico e Cultural da UFRGS, do fotógrafo e professor César Vieira (Prédios Históricos da UFRGS)

Durante toda a Semana do Patrimônio, de 12 a 17 de agosto, a exposição “1ª Geração de Prédios Históricos da Universidade: 20 anos do Projeto Resgate do Patrimônio Histórico e Cultural da UFRGS”, do fotógrafo e professor César Vieira (Prédios Históricos da UFRGS), estará aberta ao público no Centro Cultural da UFRGS, de segunda a sexta das 9h às 21h, e no sábado das 9h às 17h.

  • Céu como Patrimônio Histórico, Cultural e Natural

A roda de conversa “Céu como Patrimônio Histórico, Cultural e Natural” permitirá uma compreensão ampla sobre o entendimento e conceituação acerca do patrimônio imaterial, tendo como ponto de partida o céu como Patrimônio Histórico, Cultural e Natural da humanidade sob a perspectiva de diferentes povos e culturas. Ele ocorrerá no dia 13 de agosto, das 14h às 18h, no Observatório Astronômico da UFRGS. Link para inscrição de servidores da UFRGS (para obter certificado): https://bit.ly/2Y6P3DF e link para inscrição de pessoas externas: https://bit.ly/2Yko0jE.

 

  • Patrimônio Histórico e Memória da UFRGS

O curso “Patrimônio Histórico e Memória da UFRGS” tem o objetivo de apresentar os prédios históricos da UFRGS e o trabalho sobre eles desenvolvido, ressaltando a importância da memória e da preservação, de modo a fortalecer a identidade institucional. Ocorrerá no dia 14 de agosto, das 14h às 18h , no Prédio Centenário da Escola de Engenharia (sala 106). As inscrições podem ser feitas por servidores da UFRGS até o dia 07/08 em https://bit.ly/32WGIkH e pelo público externo em https://bit.ly/2JYNPSx.

 

  • Visitas Guiadas Teatralizadas pelos Prédios Históricos da UFRGS e Contação de Histórias

No dia 16 de agosto teremos duas atividades: contação de história, pelo projeto Conta Mais, com o livro “O Segredo da Chuva” do autor indígena Daniel Munduruku, das 14h Às 14h30; e das 14h30 às 16h uma visita guiada pelos prédios históricos da Universidade com participação de alunos de Teatro da UFRGS, que irão apresentar uma esquete teatral. Ambas as atividades serão realizadas no Museu da UFRGS (Av. Osvaldo Aranha, 277 – Campus Centro).

 

  • Desenho com o Grupo Croquis Urbanos Porto Alegre

No sábado, dia 17 de agosto, das 10h às 12h, haverá uma reunião para desenhar um ou mais prédios históricos da UFRGS in loco com o Grupo Croquis Urbano. A atividade ocorrerá na frente da Rádio da Universidade, no Campus Centro.

 

Secretária da Cultura, Beatriz Araujo, apresenta balanço das ações do primeiro semestre da SEDAC/RS. Fotografia: Rafael Varela/ SEDAC/RS

Secretária da Cultura lança Dia Estadual do Patrimônio Cultural…

Hoje (17/07) pela manhã, em coletiva na Casa de Cultura Mario Quintana, a Secretária da Cultura do Rio Grande do Sul, Beatriz Araujo, apresentou um balanço das ações da SEDAC/RS neste primeiro semestre de sua gestão e lançou o Dia Estadual do Patrimônio Cultural, que ocorre no terceiro fim de semana do mês, entre 17 e 18 de agosto. O evento terá visitas guiadas, rodas de conversas e uma série de atividades em torno do patrimônio cultural material e imaterial. Diversos municípios e instituições do Estado participarão das celebrações, incluindo a UFRGS, que estará presente com atividades realizadas pelo Setor de Patrimônio Histórico da Universidade.

A data foi criada a partir do Decreto 54.608, de 29 de abril de 2019, tendo como parâmetro o Dia Nacional do Patrimônio Cultural, celebrado em 17 de agosto. A titular da SEDAC/RS declarou: “quero deixar o Dia Estadual do Patrimônio Cultural como legado da minha gestão”.

Na apresentação do balanço iniciou-se falando sobre a elaboração dos Planos Museológicos, cujos primeiros encontros aconteceram em fevereiro e contaram com a orientação do Sistema Nacional de Museus. “A ideia é priorizar a acessibilidade Universal aos museus e reforçar a relação das comunidades que estão no entorno das instituições”, declarou Beatriz. Em seguida, nas ações de fomento, foram apresentados os primeiros os três editais lançados pela SEDAC/RS, com destaque ao FAC Educação Patrimonial. “A ideia é que esse edital se repita durante os anos seguintes, pois vamos continuar trabalhando bastante a educação patrimonial junto aos municípios.”, afirmou a secretária.

Outro tópico abordado foi a inauguração, em 25 de julho, do espaço IPHAE Patrimônio RS no Solar Conde de Porto Alegre, casarão histórico doado pelo Estado ao Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/RS). O espaço será utilizado para ações de educação patrimonial e outras atividades voltadas a mesma área.

O Dia Estadual do Patrimônio acontece em agosto, dia 17, mas durante toda a semana estarão ocorrendo atividades no Campus Centro da UFRGS. Confira a programação:

12/08 a 17/08 – Exposição fotográfica: 1ª Geração de Prédios Históricos da Universidade: 20 anos do Projeto Resgate do Patrimônio Histórico e Cultural da UFRGS, do fotógrafo e professor César Vieira (Prédios Históricos da UFRGS).
Horário: de seg. a sex. das 09h às 21h e, no sábado, das 09h às 17h
Local: Centro Cultural da UFRGS, R. Eng. Luiz Englert, 333 – Campus Centro

13/08 (terça-feira)  – Roda de Conversa no Observatório Astronômico da UFRGS.
Tema de conversa no Observatório – O Céu como Patrimônio Histórico, Cultural e Natural, Prof. Alan Alves Brito, Histórias que o Céu Conta, Profª Caroline Pacievitch e alunos, e a História do Observatório Astronômico da UFRSG, por Claudio Bevilacqua.
Horário: das 14h às 17h
Local: Observatório Astronômico da UFRGS. Av. Osvaldo Aranha, s/n – Campus Centro.

14/08 (quarta-feira) – Curso Patrimônio e Memória da UFRGS
Horário: das 14h às 18h
Local: Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Sala 106 – Campus Centro

16/08 (sexta-feira) – Contação de História: “O segredo da chuva”, do livro do autor indígena, Daniel Munduruku
Horário: das 14h às 14h30.
Local: Museu da UFRGS. Av. Osvaldo Aranha, 277 – Campus Centro.

16/08 (sexta-feira) – Visita Guiada Teatralizada aos Prédios Históricos da UFRGS
Horário: das 14h30 às 16h.
Local: Encontro e saída do Museu da UFRGS. Av. Osvaldo Aranha, 277 – Campus Centro.

17/08 (sábado) – Desenho com o Grupo Croquis Urbanos Porto Alegre:
Reunião para desenhar um ou mais prédios históricos da UFRGS in loco com o Grupo Croquis Horário: das 10h às 12h
Local: Campus Centro

Momento do Patrimônio

A secretária, Beatriz Araujo, é a próxima entrevistada do programa Momento do Patrimônio, que vai ao ar em duas etapas pela Rádio da Universidade, 1080AM, nos dias 24 e 31 de agosto às 20:30. Na entrevista a secretária aborda mais detalhes sobre o Dia Estadual do Patrimônio Cultural. As entrevistas também podem ser acompanhadas pelo canal do SPH no YouTube, onde são disponibilizadas após a veiculação da emissora.

 

UFRGS TV inicia produção de documentário sobre a Capelinha

Na última quinta-feira (11/04), a equipe técnica do SPH acompanhou a UFRGS TV em uma visita à Capela de São Pedro, conhecida como Capelinha, localizada no Setor 1 da Estação Experimental Agronômica da UFRGS (EEA-UFRGS). O objetivo foi captar imagens para a produção de um documentário sobre a história do prédio, que terá seu processo de restauro iniciado ainda neste ano graças aos doadores pessoa física, que contribuiram por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura para a consquista do valor integral necessário para a execução do projeto.

Informações mais detalhadas e as etapas do projeto podem ser acompanhadas pelo Versalic, portal de transparência da Lei Rouanet, através do link: http://versalic.cultura.gov.br/#/projetos/145526

O patrimônio da UFRGS agradece a todos que contribuíram e apoiaram para o êxito desta etapa do projeto!

Fotos: Wellington Guterres Félix

SÉRIES PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – CAPELA DE SÃO…

CAPELA DE SÃO PEDRO (CAPELINHA)

A Capela de São Pedro, localizada no Setor 1 da Estação Experimental Agronômica da UFRGS (EEA-UFRGS), no município de Eldorado do Sul, foi construída pela família Ferreira Porto, no ano de 1893, tendo 59m² de área e sendo a edificação mais antiga da Universidade e do próprio município onde se encontra. Segundo alguns membros da comunidade, eventos e cerimônias religiosas eram realizados na Capelinha, como ficou carinhosamente conhecida entre os moradores das proximidades. Estes tinham tanto acesso a tais cerimônias quanto a família que fundou a construção.

A Capelinha era mantida arejada e limpa internamente por funcionários da própria Estação. A comunidade encontrava, algumas vezes, uma caixa de coleta para contribuir com essa manutenção. Durante a década de 1980, o prédio sofreu pequenas reformas, como a troca de algumas tábuas do piso interno, que estavam deterioradas e uma nova pintura.

Quanto à sua arquitetura, pode-se dizer que é caracterizada pela simplicidade e se trata do tipo vernacular, em que se empregam materiais e recursos do próprio ambiente em que a Capela é construída, apresentando, assim, um caráter local ou regional.

O interior é igualmente sóbrio, e o ambiente da nave é composto por um altar e um conjunto de 4 genuflexórios de madeira, além de dois brasões nas cores amarelo, vermelho e azul e com a figura de um elmo – que representariam a família portuguesa Ferreira Porto, donos iniciais da Fazenda. Interessante notar, nesse contexto, um terceiro brasão, menor que os outros, localizado em uma das laterais da Capela, talhado em madeira, sem maiores adornos e cores, onde consta as iniciais “F,P,J”. Não se sabe a data exata de confecção dele, mas provavelmente o “F e J” estão associados aos “Ferreira Porto”. Quanto ao “J”, talvez ele esteja associado à família Jardim, ligada ao marido da herdeira, Mario da Silva Jardim. Assim, o objeto poderia simbolizar a união entre os núcleos familiares.

Outro elemento simbólico interessante é, no plano exterior ao templo, a presença de um passeio linear, que conduz até a entrada da edificação, ladeado por um eixo duplo de palmeiras (seis em cada lateral), plantadas em momento anterior à da compra da Fazenda pela Universidade. As árvores, segundo depoimentos dos antigos servidores da EAA, representariam os 12 apóstolos de Jesus Cristo.

O Setor 1 da Estação Experimental Agronômica da UFRGS (EEA-UFRGS) é um órgão auxiliar da Faculdade de Agronomia, localizado no município de Eldorado do Sul. Com área total de 1.560 ha, abriga a parte de campo das pesquisas desenvolvidas pelos professores e alunos da Faculdade de Agronomia e de outras unidades, envolvendo cultivo de plantas, criações animais, entre outros.

O projeto de restauração da Capelinha já tem 100% do valor captado através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e as obras iniciarão em breve.

Fotos: César Vieira


SÉRIES PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – ANTIGO PRÉDIO DA…

A Faculdade de Medicina da UFRGS foi fundada no dia 25 de julho de 1898, por um grupo de médicos e farmacêuticos, entre eles, Eduardo Sarmento Leite, Cristiano Fischer e Protásio Antônio Alves. Tendo como origem a fusão do curso de Partos da Santa Casa de Misericórdia e a Escola Livre de Farmácia e Química Industrial de Porto Alegre, tornando-se a terceira escola médica do país.

A primeira aula aconteceu em 15 de março de 1899, em pequenas salas do porão do Liceu (Escola Normal), No ano de 1900, foi adquirido o primeiro prédio próprio situado à Rua da Alegria, atual General Vitorino. Desde o princípio, sabia-se que o número de salas não era adequado. Expandindo-se rapidamente, foram criados institutos e os alunos foram realocados, em diversos locais da cidade.

Somente em 1911, a Faculdade de Medicina recebeu através de uma doação da Intendência Municipal, o terreno no Campo da Redenção, localizada na confluência das atuais ruas Sarmento Leite e Professor Luiz Englert. Em 1912, o arquiteto Theodore Wiedersphan propôs o projeto para construção do Antigo Prédio da Faculdade de Medicina.

As obras do prédio iniciaram em 1913, com execução de Rudolph Ahrons. Em razão da crise ocasionada pela Primeira Guerra Mundial, surgiram dificuldades financeiras e a falta do repasse de verba por parte do Governo Estadual, interrompendo as obras no ano seguinte, em dezembro de 1914. Com o apoio da população de Porto Alegre, professores e alunos e do então diretor da Faculdade, Sarmento Leite, a obra foi retomada em 1919, pela secretária de obras do Estado, através de um empréstimo obtido junto ao Governo Estadual.

Com o retorno das obras, a direção e execução do projeto passou a ser do Engenheiro Pedro Paulo Scheunemann, com o projeto de Augusto Sartori; obra que durou cinco anos, sendo concluída em 1924 e inaugurada no dia 31 de março. Houve modificações no projeto inicial, sendo simplificado, em função de maior economia. Nos anos de 1937, 1952 e 1955 foram feitas ampliações e reformas no Prédio, que definiram a forma hoje existente.

Em 1937, o edifício é ampliado na sua ala direita. São construídos três pavimentos, onde se instalam a administração, a biblioteca, alguns laboratórios e o Centro Acadêmico Sarmento Leite. Em 1945, é construído o Biotério, em prédio à parte, para liberar a sotéia. Com Ocorreram duas ampliações: uma em 1952, na ala direita do prédio, para instalar o Instituto Anatômico e o Anfiteatro e outra em 1955, quando a ala esquerda é aumentada para abrigar o Instituto de Fisiologia e Microbiologia.

Em 1974 ocorre à transferência da Faculdade de Medicina para o Hospital de Clinicas, mas após diversas discussões, estabeleceu-se o consenso de que a Faculdade novamente precisava de uma sede própria. Em 25 de julho de 1998 é inaugurado o terreno próximo ao HCPA, localizado na Rua Ramiro Barcelos, no bairro Santa Cecília, sendo a nova sede da Medicina.

As instalações do antigo Prédio da Faculdade de Medicina então passaram a ser ocupadas pelo Instituto de Biociências e, após pelo Instituto de Ciências Básicas da Saúde (ICBS), que ainda se mantém no Prédio. Em 15 de setembro de 2000, o Prédio passou a integrar o conjunto do Patrimônio Cultural do Estado.

Ainda hoje, A Casa de Sarmento, antigo Prédio da Faculdade de Medicina, exerce uma forte influência em cada um dos alunos que por lá passam, apesar de Faculdade ter uma nova sede.

Foto: César Vieira

SÉRIE PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – INSTITUTO ELETROTÉCNICO

Criado em 07 de março de 1908, o Instituto Eletrotécnico foi o primeiro no ensino de eletricidade e mecânica no país.  O Instituto era parte integrante da Escola de Engenharia e ficava abrigado nas dependências da Escola. Com a necessidade de um espaço maior, Manoel Itaqui elaborou o projeto de um novo prédio para o Instituto, com dois pavimentos, na atual esquina da Avenida Osvaldo Aranha, antes nomeada Avenida do Bom Fim; com a Rua Sarmento Leite. A execução do projeto ficou por conta de Francisco Andrighetto e Paolo Paganini. A nova edificação ficou pronta em 1910.

Em 1912, o prédio precisou ser ampliado por conta do desenvolvimento de suas atividades. Nesta época, o ensino era ministrado por professores, na sua maioria, contratados na Europa; alguns vindos da Alemanha e Estados Unidos.

Read more “SÉRIE PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – INSTITUTO ELETROTÉCNICO”

SÉRIE PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – PRÉDIO CENTENÁRIO DA…

A Escola de Engenharia foi criada em 10 de agosto de 1986 pela iniciativa de cinco engenheiros militares, professores do Colégio Militar. A Escola, inicialmente localizada no Atheneu Rio-Grandense, passou por outras seis locações, até que, através dos esforços de seus fundadores, do poder público e da comunidade, foi realizada a construção de uma sede própria, o Prédio Centenário, como é conhecido atualmente.

 

O prédio Centenário da Escola de Engenharia está erigido em frente à Praça Argentina, no Campus Centro da UFRGS e foi o primeiro do Rio Grande do Sul a ser edificado especialmente para receber um curso superior. O Prédio foi construído entre os anos de 1896 a 1900, a partir de um projeto do engenheiro João José Pereira Parobé. O terreno foi concedido pelo município e, para iniciar as obras, a intendência de Porto Alegre recolheu doações da comunidade; o diretor e os professores abriram mão de suas remunerações, para que a Escola pudesse se manter.

  Read more “SÉRIE PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – PRÉDIO CENTENÁRIO DA ESCOLA DE ENGENHARIA”

SÉRIES PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – INSTITUTO PAROBÉ

O Instituto Parobé nasceu no dia 1 de julho de 1906 nos porões da Escola de Engenharia da UFRGS, denominado Instituto Técnico Profissional. Com o apoio e a participação de outros professores, João José Pereira Parobé, ex diretor da Escola de Engenharia, inaugurou oficialmente o Instituto.

O Instituto se constituiu como mais importante escola técnica do Rio Grande do Sul. A Instituição foi criada para meninos de famílias de baixa renda e operários, e se propunha em promover o ensino superior técnico profissional nas áreas da construção mecânica e civil, marcenaria e artes para esses jovens, gratuitamente, e contava com regime de internato.

Entre os anos de 1908 e 1921, a Escola se instalou nos prédios Château e Castelinho, pois houve um aumento no programa; um curso noturno para aqueles que não podiam frequentar as aulas no turno diurno.

Foi denominado de Instituto Parobé, a partir de 1916 em homenagem ao professor fundador. No ano de 1920, o Instituto, até então, que era somente dedicado ao ensino para o sexo masculino, passa a abranger a educação, especialmente, para o sexo feminino. Um curso de educação doméstica rural para meninas foi iniciado.

Com o aumento das atividades e a inclusão de meninas, o arquiteto Chrétien Hoogenstraaten, projetou uma nova sede para o Instituto, fazendo parte do denominado prédios históricos, tendo sido a última edificação do ciclo de trinta anos de construções iniciado em 1898. A construção da edificação levou de 1925 a 1928.

Localizado na Rua Sarmento Leite, no primeiro quarteirão do Campus Centro, o edifício do Instituto Parobé destaca-se na paisagem urbana pela sua intensidade plástica. Configura-se simetricamente a partir de um corpo central de quatro pavimentos, com pés-direito avantajado. A base da construção é rústica, adotada para marcar o peso da região de suporte do edifício ao solo e para conferir um caráter de solidez e requinte artístico.

Com a constituição da Universidade de Porto Alegre, o Parobé em 1936 desvincula-se oficialmente da Universidade, por ser uma escola de nível médio. Hoje, a Escola Técnica Estadual Parobé ocupa novas dependências na Av. José Loureiro da Silva, no bairro Praia de Belas.

Em 1970, o Prédio foi ocupado pelo Instituto de Matemática e atualmente é utilizado pelos cursos de graduação e pós-graduação em Engenharia Mecânica e pelo Museu do Motor.

O Prédio faz parte da história; das transformações que ocorreram no Brasil na década de 20, formando mestres e contramestres, homens e mulheres e assim profissionalizando jovens das classes menos favorecidas.

Foto: Cesar Bastos Vieira

Foto: Cesar Bastos Vieira

SÉRIES PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – FACULDADE DE DIREITO

A Faculdade Livre de Direito de Porto Alegre nasceu, em 17 de fevereiro de 1900, por iniciativa de um grupo de magistrados inspirados nas ideias reformistas que se introduziram com a República. Para consolidação definitiva como instituição de ensino, era necessário constituir um sólido patrimônio imobiliário para abrigar o curso.

Assim, construir o prédio exigiu, por parte de seus fundadores, grande empenho na captação de recursos financeiros. Verbas foram conseguidas com quermesses, bailes e doações diversas, inclusive de outras cidades, destacando-se as ações realizadas em Pelotas.

Entre os anos de 1908 e 1910, a edificação foi construída e finalizada. O Desembargador Manoel André da Rocha teve atuação decisiva para a construção do imponente prédio e, durante 32 anos, foi Diretor da Faculdade.

Em 1909, a Faculdade de Direito criou a Escola de Comércio, origem das atuais Faculdade de Ciências Econômicas e Escola Técnica de Comércio. Em suas dependências também se iniciaram vários cursos da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras.

O Centro Acadêmico, fundado em 1917, pioneiro na implantação do Serviço de Assistência Judiciária Gratuita no Brasil, destacou-se com decisivas ações de política estudantil, preocupando-se com questões legais de interesse da comunidade.

A Reitoria, base jurídico-administrativa da Universidade de Porto Alegre, criada em 1934, ocupou parte do prédio entre 1936 e 1954.

Formadora de gerações de grandes doutrinadores e operadores do Direito, a centenária instituição continua sendo vanguarda do pensamento jurídico nacional.

O acesso principal do prédio apresenta um portão de ferro, ricamente trabalhado, que se abre para o saguão do edifício. O saguão introduz à escadaria interna, de mármore, com corrimão em estuque veneziano, exemplar raro na arquitetura de Porto Alegre e em cujo patamar sobressaem os vitrais, de José Wollmann, representando a Justiça, a Doutrina e a Ciência.

O prédio causa grande impacto às pessoas que circulam pelo seu interior, em razão da diversidade de seus elementos decorativos. Belíssimos afrescos revestem suas paredes.

Integrados perfeitamente ao projeto original, os espaços da biblioteca e do auditório, chamado Salão Nobre, resultaram de uma ampliação realizada em 1951. Neste último, destaca-se uma magnífica pintura mural de Ado Malagoli. Por sua vez, o artista veneziano Frederico Pellarin realizou as esculturas figurativas da cúpula.

SÉRIES PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – CASTELINHO

Foto: Acervo SPH

Na virada do século XIX para o XX, o Instituto Técnico Profissional da Escola de Engenharia necessitava de prédios para abrigar as áreas onde seriam realizadas suas atividades. Deste modo, o prédio Castelinho foi construído em conjunto com o Instituto Astronômico e Meteorológico (hoje Observatório Astronômico) e com o Château – sendo o último também vinculado à Escola de Engenharia.

O Castelinho foi erguido no intuito de receber a seção de Mecânica, assim como um gabinete para o Diretor do Instituto. As seções de Marcenaria, Carpintaria, Serralheria, almoxarifado e ambulatório foram instaladas no Château. O terreno – o qual tangencia a atual avenida Osvaldo Aranha (na época, rua Bom Fim) e situa-se ao lado esquerdo da Escola de Engenharia – fora designado para tais construções em 1857, ano que inseria-se também no contexto de urbanização do local. A construção de ambos os prédios aconteceu entre 1906 e 1908.

A história do Castelinho, neste sentido, realmente remonta ao início da própria história da Universidade e do estabelecimento e expansão do Campus da Redenção, o qual até então sempre havia sido uma zona plana e alagadiça, antiga várzea da cidade. No lado oposto da rua, porém, já havia casas construídas na grande área pertencente à Santa Casa de Misericórdia. Existia também a então denominada Praça Independência – somente no ano de 1921 passa a ser chamada Praça Argentina.

Em 1993, é realizado um primeiro projeto de reconstrução que vislumbra a subdivisão do avantajado pé-direito em dois pavimentos e a inserção de uma laje de concreto, engastada na alvenaria original, alterando as relações internas formais, funcionais e de proporção dos ambientes.

O segundo projeto foi realizado pelo SPH, entre os anos de 2004 e 2006 O projeto do Setor buscou manter a estrutura original do prédio. A fachada, bem ornamentada, conta com uma forte presença de elementos florais. Sua concepção, de linguagem historicista e repleta de elementos decorativos, assemelha-se à do Château, sendo a arquitetura de ambos os prédios inspiradas pelo estilo Art Nouveau.

SÉRIES PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – CHÂTEAU

Reinaugurado em 2004, após a realização de obras durante um período de 2 anos, o Château foi um dos primeiros prédios a ser reconstruído por meio de nosso Projeto Resgate do Patrimônio Histórico e Cultural da UFRGS. A construção, localizada no denominado Quarteirão 1 do Campus Centro da Universidade,  faz parte de um harmonioso conjunto arquitetônico, formado também pelo prédio Castelinho e pelo Observatório Astronômico.
Os primórdios de sua história dialogam com o contexto educacional no qual se inseria o Brasil, no início do século XX. Havia, então, um forte movimento visando à especialização dos trabalhadores, a fim de que esses fossem capacitados e pudessem melhor contribuir para o desenvolvimento nacional. Nesse sentido, a implementação de políticas direcionadas ao ensino técnico-profissional, como a criação de escolas e institutos vinculados, foi um dos principais focos dos primeiros governos da República Velha. Read more “SÉRIES PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – CHÂTEAU”

SÉRIE PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO

“O mais antigo remanescente das construções planejadas para observação astronômica no território brasileiro”. [1]

O Observatório Astronômico é um dos dois prédios do conjunto edificado da UFRGS tombados pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) juntamente com o prédio do Direito.  A construção teve início em 1906 – tendo sido concluída dois anos depois – e assistiu a uma série de transformações em sua vizinhança ao longo do século XX.

Read more “SÉRIE PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO”

SÉRIE PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – MUSEU

O prédio do Museu da UFRGS ocupa, sem dúvidas, um lugar especial na história do SPH.  Localizado na esquina da Av. Osvaldo Aranha com a Av. Paulo Gama, a edificação ainda mantém sua arquitetura e estrutura originais, que datam de sua construção entre 1910 e 1913.

Inicialmente criado como um laboratório da Escolade Engenharia, a construção já foi órgãode projeção na pesquisa de novas tecnologias no início do século. Foi ampliada em 1919, tendo sido adicionados um segundo e terceiro volumes de, respectivamente, dois e um pavimentos. Na década de 40, passou a abrigar o Instituto Tecnológico do Rio Grande do Sul (ITERS). Read more “SÉRIE PRÉDIOS HISTÓRICOS DA UFRGS – MUSEU”