Disciplinas e Bibliografias

Disciplinas Obrigatórias

Seminário de Tese em Artes Cênicas – 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Caráter: Obrigatório

Aprofundamento de conceitos operatórios que possibilitem a sustentação das pesquisas em andamento no programa.

 

Seminário Avançado em Artes Cênicas 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Caráter: Obrigatório

Discussões acerca da produção teórica recente, articulada à criação contemporânea em artes cênicas.

 

Disciplinas optativas

Estudos de composição cênica – 45h/aula – 3 créd

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1

Caráter: Opcional

Estudos de conceitos e métodos presentes na criação da cena contemporânea.

 

Dramaturgia da Cena Contemporânea – 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1

Caráter: Opcional

Estudo das práticas cênicas cujos processos criativos se emancipam da figuração e do texto como referência primeira do sentido. Investem na experiência sinestésica do espectador, oferecendo uma perspectiva plural de significados. Compõem uma dramaturgia da cena caracterizada pela circulação de imagens, fragmentação e descontinuidade, através da exploração dinâmica e interativa de diferentes recursos sensíveis e da hibridização cultural, artística e/ou tecnológica.

ALQUIER Sylvie.  “Une répétition pragmatique, um workshop avec Bob Wilson”, Les répétitions de Stanislavski a aujourd’hui, Alternatives Théâtrales, 2005.
AUSLANDER Philip. Liveness, Performance in a mediatized culture. New York: Routedge, 2008.
BADIOU  Alain. “Dança como Metáfora do Pensamento”. In: Pequeno Manual de Inestética. São Paulo: Editora Estação Liberdade, 2002.
BAUGH Christopher. Theatre, Performance and Tecnology. London: Palgrave, 2005.
BARTHES Roland. “O Terceiro Sentido”. In: O Óbvio e o Obtuso. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.
BRANDSTETTER Gabrielle. “Da auto-Semelhança: Dança-Teatro para além da Representação”, Revista Trilhas nº 7, Campinas, 1998.
CHAMBERLAND Roger.“L’ Expérience du chaos et la pragmatique du corps”, Théâtre Multidiscipli-narité et Multiculturalisme, Ed. Nuit Blanche, Québec, 1997.
CHAPPLE Freda, KATTENBELT Chiel. Intermediality in Theatre and Performance. Amsterdam, New York: FIRT/IFRT, 2006.
CHEVALLIER Jean-François. “Le geste thèatral contemporain : entre présentation et symboles “. L’Annuaire Théâtrale, nº 36, Ottawa, 2004.
CONNOR Steven. “Performance Pós-Moderna” In: Cultura Pós-Moderna. São Paulo: Ed. Loyola, 2004.
DERRIDA Jacques.”O teatro da Crueldade e o fechamento da representação”. In: A Escritura e a Diferença. São Paulo: Perspectiva, 1995.
DESMARETS Michel. « Les personages virtuels face aux personnages incarnés : fuite de l’efficacité symbolique ? ». Paris : Etudes Théâtrales, nº 26, 2003.
FERNANDES Silvia – Gerald Thomas em Cena. Memória e Invenção. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1996.
FINTER Helga. “Théâtre Experimental et sémiologie du théâtre : la théâtralisation de la voix », Théâtralité, Ecriture et Mise en scène. Montréal: Ed. Brèches, 1985.
FISCHER-LICHTE Erika. The Transformative Power of Performance. New York: Routledge, 2008.
FOUCAULT Michel. Isto não é um Cachimbo. São Paulo. Ed. Paz e Terra, 2007.
FOUQUET Ludovic. Robert Lepage, l’horizon en images. Montréal: L’Instant scène, 2005.
GOLDBERG Roselee. A Arte da Performance, do futurismo ao presente. São Paulo: Ed. Livraria Martins Fontes, 2006.
GUHERY Sophie. “La danse contemporaine, laboratoire d’une action nouvelle ?”.   L’Annuaire Théâtrale, nº 36, Ottawa, 2004.
HEBERT Chantal. “De la Mimesis à la Mixis ou Les Jeux Analogique du Théâtre Actuel”, Théâtre Multidisciplinarité et Multiculturalisme. Québec : Ed. Nuit Blanche, 1997.
KANTOR Tadeusz. – O Teatro da Morte. São Paulo: Perspectiva, 2008.
KAPROW A. Como Fazer um Happening. Jornal Exposição Horizonte Expandido, Santander, 2010.
KIRBY Michael. “La représentation non-sémiotique”. In: Théâtralité, Ecriture et Mise en scène. Montréal : Ed. Brèches, 1985.
KURAPEL Alberto. Dramaturgia Contemporânea, Estética de la insatisfacción en el Teatro-Performance. Chile: Ed. Cuarto Próprio, 2004.
LEHMANN Hans-Thies – “Teatro Pós-Dramático e Teatro Político”. São Paulo: Sala Preta, nº3, USP/ECA, pp. 9-19.
_______________ . Teatro Pós-Dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
LEVY Pierre. As Tecnologias da Inteligência. São Paulo : Editora 34, 1996.
_______________. O que é o virtual? São Paulo : Editora 34, 1996.
LYOTARD  Jean-François. El diente, la palma de la mano. In:  Dispositivos pulsionales. Madrid: Fundamentos,1981.
_______________. “Resposta à Pergunta: O que é o Pós-Moderno?”. In: O Pós-Moderno Explicado às Crianças.  Lisboa: Ed. Paz e Terra S/A, 2007.
MAURIN Fredéric.  Robert Wilson, le temps pour voir, le espace pour écouter. Paris: Ed. Actes Sud, 1998. pp. 85-137.
MORIN Edgar. Introdução ao Pensamento Complexo. Lisboa: Ed. Instituto Piaget, 2003. HEBERT Chantal, ROY Irène. “Théâtre et Complexité” In: Face Cachée du Théâtre d’Image. Québec: Presses de l’Universté de Laval, 2001.
OUAKNINE Serge. “Si près de quelque chose de nouveau…Le théâtre : du théâtral au virtuel ». Québec : L’Annuaire Théâtral, nº 26, 1999. pp. 105-116.
PICCON-VALLIN Beatrice– “A encenação: visão e imagens”. A Arte do teatro entre tradição e vanguarda, Folhetim Ensaios, 2006.
PLATA V. G. – ” La Fura dels Baus: Histoires d’Images, du Corps à l’Écran ” In: Les Écrans sur la Scène. Lausanne : L’Age d’Homme, 1998.
ROY Irène Le Théâtre Repère. Du ludique au poètique dans le théâtre de recherche. Québec : Ed. Nuit Blanche, 1993.
SANTAELLA Lúcia. Cultura e artes do Pós-humano.São Paulo: Ed. Paulus, 2004.
SERVOS Norbert.  “L’Expérience du corps”  In: Pina Baush ou l’Art de dresser un Poisson rouge. Paris : L’Arche, 2001. pp. 16-36.
VILLAR Fernando. “O pós-dramático em cena: La Fura dels Baús”. Brasília: Revista VIS (UnB), Pós-Graduação em Arte, v. 1, n. 1.

 

Estudos e Práticas da Palavra45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1

Caráter: Opcional 

As possibilidades criativas da palavra enquanto geradora de imagens, sons e sentidos, e práticas de escrita e vocalidade. Aproximações entre as experiências de literatura e poesia oral e a escrita poética e cênica. A palavra enquanto performance na leitura, no teatro e em outras interfaces artísticas ou midiáticas. Articulações ente palavra, escuta e silêncio. O ator e a palavra.

BIBLIOGRAFIA

ALMEIDA, Milton José de. Imagens e sons. A nova cultura oral. São Paulo: Cortez, 1994.
AZEVEDO, Sônia Machado. O papel do corpo no corpo do ator. São Paulo: Perspectiva, 2002.
BACHELARD, Gastón. A Poética do Devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
_____. Fragmentos de uma poética do fogo. São Paulo: Brasiliense, 1990.
BAJARD, Elie. Da escuta de textos à leitura. São Paulo: Cortez, 2007.
_____. Ler e dizer. São Paulo: Cortez, 1994.
BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
BANEGAS, Cristina (org.). Caligrafia de la voz. Buenos Aires: Leviatán, 2007.
BARTHES, Roland. O óbvio e o obtuso. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.
BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas – Magia e Técnica, Arte e Política. Vol. 1. São Paulo: Brasiliense, 1994.
CALVINO, Ítalo. Seis propostas para o próximo milênio. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.
COSTA, Ana. Corpo e Escrita. Relações entre memória e transmissão da experiência. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001
DERDYCK, Edith. Linha de horizonte. Por uma poética do ato Criador. São
Paulo: Escuta, 2001.
FORTUNA, Marlene. A performance da oralidade teatral. São Paulo: Annablume, 2000.
GIRARDELLO, Gilka. Voz, presença e imaginação: a narração de histórias e as crianças pequenas. Anais da 26ª Reunião Anual da ANPED, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, Poços de Caldas, 2003.
GROTOWSKI, Jerzy. A voz. In: FLASKEN, Ludwik e POLASTRELLI, Carla. O Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski. São Paulo: Perspectiva, 2007.
KNÉBEL, María Ósipovna. La palabra em la creación actoral. Madrid: Editorial Fundamentos, 2003.
LAROSSA, Jorge. La experiência de la lectura. Estúdios sobre literatura e formación. Barcelona: Laertes, 1996.
MANGUEL, Alberto. A cidade das palavras. São Paulo: Companhia das Letras,
2007.
_____. Uma história da leitura. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.
NOVARINA, Valère. Diante da palavra. Rio de Janeiro: 7 letras, 2003.
ORLANDI, Eni Pucinelli. As formas do silêncio. No movimento dos sentidos.
Campinas: Editora da Unicamp, 2002.
PERDIGÃO, Andréa Bomfim. Sobre o silêncio. São José dos campos:Pulso, 2005.
QUILICI, Cassiano Sydow. Teatros do Silêncio. Sala Preta, Revista da Escola de
Comunicação e Arte, USP, n.7, 2007.
SETTI, Isabel. O corpo da palavra não é fixo deixa-se tocar pelo tempo e seus
espaços. Sala Preta, Revista da Escola de Comunicação e Arte, USP, n7., 2007.
SHAFFER, R. Murray. O ouvido pensante. São Paulo: UNESP, 1991.
SPRITZER, Mirna. Ator e palavra: práticas da vocalidade. Memória ABRACE 2010. http://portalabrace.org/memoria1
_____. Silêncio, escuta e a performance da palavra. Memória ABRACE 2009. http://portalabrace.org/memoria1
_____. Dizer e ouvir. Memória ABRACE 2007. http://portalabrace.org/memoria1
_____. O corpo tornado voz: a experiência pedagógica da peça radiofônica. Porto Alegre: UFRGS, 2005. (Tese de Doutorado em Educação).
TOMÁS, Lia. (org.) De sons e signos. São Paulo: EDUC, 1998.
WERNECK, Maria Helena; BRILHANTE, Maria João. (orgs). Texto e Imagem: Estudos de Teatro. Rio de janeiro: 7 letras, 2009.
WULF, Cristoph. O ouvido. Grebh, Revista de Comunicação, cultura e teoria da mídia, n. 9,março de 2007.
ZUMTHOR, Paul. Introdução à Poesia Oral. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.
_____. Performance, Recepção e Leitura. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
_____. Escritura e Nomadismo. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2005.
_____. A letra e a voz. São Paulo: Cia. da Letras, 1993.

 

Performance e Espetacularidade 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1

Caráter: Opcional

O estudo das diferentes manifestações culturais sob o ponto de vista da Etnocenologia. Introdução à Antropologia e às noções de Cultura, Aculturação e Inculturação.  Estabelecer os princípios comuns entre Antropologia do Teatro, Antropologia Teatral e Performance. A noção do espetacular, da teatralidade sob a abordagem da Etnocenologia.

BIBLIOGRAFIA

BARBA, Eugenio. Le canöe de papier: Traité d’Anthropologie Théâtrale. Bouffonneries, 1993.
BARBA, Eugenio, SAVARESE, Nicola. Un dictionnaire d‘anthropologie théâtrale: Anatomie de l’Acteur. Cazilhac: Bouffonneries Contrastes, 1985.
BARRAN, Jose Pedro.História de la sensibilidad en el Uruguay: la cultura bárbara: (1800-1860). Montevideo: Ediciones de la Banda Oriental, Tomo I e II, 1990.
CRESWELL, R; GODELIER, M. Outils d’enquête et d’analyse anthropologiques. Paris: Maspéro, 1977.
EIBL-EIBESFELDT, Irenauss. Ethologie : Biologie du comportement. Paris: Ed. Scientifiques, 1977.
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,1989.
_____. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro:Jorge Zahar Editor, 2001.
GOFFMAN, Erving. Les rites d’interaction. Paris: Les Éditions de Minuit, 1974.
_____. La mise en scène de la vie quotidienne .Paris: Les Éditions de Minuit, 1973.
GREINER,Christine; BIÃO, Armindo (org.). Etnocenologia: textos selecionados. São Paulo: Annablume/PPGAC/JIPE-CIT, 1999.
HERSKOVITS, M.J. Les bases de l’anthropologie culturelle. Paris: Payot, 1952.
HUXLEY, Julian (org) .Le comportement rituel chez l’homme et l’animal. Paris: Gallimard, 1971.
LECOQ, Jacques; CARASSO, Jean-Gabriel; LALLIAS, Jean-Claude. Le corps poétique: un enseignement de la création théâtrale. Paris: Actes Sud -Papiers/ANRAT, 1997.
LEROI-GOURHAN, André . Le geste et la parole. Paris: Albin Michel , 1965.
MAUSS, Marcel .Les techniques du corps. In: Sociologie et anthropologie. Paris: PUF,1968.
PRADIER, Jean Marie . Ethnoscénologie: la profondeur des émergences. In: Internationale de l’Imaginaire, nouvelle série, 5: 16, 1996.
_____. La Scène et la fabrique des corps: Ethnoscenologie du spectacle vivant en Ocident (Vème Siècle av. J.-C.-XVIIIème Siècle). Bordeaux: Presses Universitaires de Boerdeaux,1997.
SCHECHNER, Richard. Between theatre and anthropology. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1985.
TURNER, Victor . The anthropology of performance. New York: PAJ Publications, 1986.

 

Poéticas do corpo na cena contemporânea 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1

Caráter: Opcional

Estudo do corpo na cena contemporânea, a partir da compreensão dos pressupostos técnicos, poéticos éticos, estéticos e políticos que perpassam diferentes práticas coreográficas, enfatizando uma visão não-hierárquica dessas práticas. Matrizes técnicas, abordagens somáticas, procedimentos criativos, práticas discursivas e reflexivas como suportes para elaboração de corpos disponíveis para a criação. Transversalidade entre disciplinas artísticas, fragmentação do espaço cênico, mobilidade cultural, desterritorialização como contextos de práticas coreográficas contemporâneas.

BIBLIOGRAFIA

AZEVEDO, Sônia Machado. O papel do corpo no corpo do ator. São Paulo: Perspectiva, 2002.
BANES, Sally. Terpsichore in sneakers: post-modern dance, with a new introduction. Hanover: Wesleyan University Press, 1980.
BERNARD, Michel. De la création chorégraphique. Paris: Centre national de la danse, 2001.
DANTAS, Mônica. Dança, o enigma do movimento. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 1999.
CALAZANS, Julieta, Jacyan CASTILHO e Simone GOMES (org.) Dança e
educação em movimento. São Paulo: Cortez, 2003.
CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas. São Paulo: Edusp, 1997.
FERNANDES, Ciane. O corpo em movimento: o sistema Laban/Bartenieff na formação e pesquisa em artes cênicas. São Paulo: Annablume, 2002.
FORTIN, Sylvie (org.). Danse et santé: du corps intime au corps social. Québec: Presses de l’Université du Québec, 2008.
GIL, José. Movimento Total: O Corpo e a Dança. São Paulo, Iluminuras, 2004.
LEHMAN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosacnaify, s.d.
LOUPPE, Laurence. Poétique de la danse contemporaine.
MERLEAU-PONTY. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 2006.
_____. O olho e o espírito. Lisboa: Passagens/Vega, 1992.
MIRANDA, Regina. Corpo-espaço: aspectos de uma geofilosofia do corpo em movimento. Rio de Janeiro: 7letras, 2008.
NUNES, Sandra Meyer. As metáforas do corpo em cena. São Paulo: Annablume/Udesc, 2009.
PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
PEREIRA, Sayonara. Rastros do Tanztheater no processo cirativo de Es-boço: espetáculo cênico com alunos do Instituto de Artes da UNICAMP. São Paulo: Annablume, 2010.
RODRIGUES, Graziela. Bailarino, Pesquisador, Intérprete: Processo de formação. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.
SIQUEIRA, Denise. Corpo, comunicação e cultura: a dança contemporânea em cena. Campinas: Autores Associados, 2006.
SILVA, Eliana Rodrigues. Dança e pós-modernidade. Salvador: EDUFBA, 2005.

 

Práticas do corpo em dança, performance e improvisação 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1

Caráter: Opcional

Apresentação, discussão e análise de  práticas corporais de bailarinos-criadores que desenvolvem suas criações no âmbito da dança contemporânea e que dialogam com o teatro, a performance e a improvisação. Considera-se bailarinos-criadores aqueles que dançam e atuam em suas próprias criações ou em trabalhos de colaboração no âmbito da arte experimental. Busca-se compreender percursos de artistas independentes através de estudos de caso e sua inserção no campo da dança.

 

Poéticas da cena e processos formativos – 45h/aula – 3 créd

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 2

Caráter: Opcional.

Teorias, práticas e metodologias relacionadas a poéticas e processos formativos em artes cênicas.

 

Artes Cênicas nos Processos Sócio-educativos – 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 2

Caráter: Opcional

Estudos dos processos de formação acadêmica e extra-acadêmica em teatro, visando ao desenvolvimento dos saberes e fazeres docentes. Discussão sobre implicações deste debate na área educacional.

BIBLIOGRAFIA

BENJAMIN, Walter. Reflexões: A criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Summus, 1984.
BOAL, Augusto. 200 exercícios e jogos para o ator e o não ator com vontade de dizer algo através do teatro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.
BOAL, Augusto. Teatro do oprimido. Rio de Janeiro: Forense, 1973.
BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e cultura. São Paulo: Cortez, 1995.
BROUGÈRE, Gilles. Jogo e educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
CHACRA, Sandra. Natureza e sentido da improvisação teatral. São Paulo: Perspectiva, 1983.
CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. São Paulo: Summus, 1987.
CORREA, Ayrton Dutra (Org.) Ensino de artes: múltiplos olhares. Ijui: Ed. Unijui 2004.
COURTNEY, Richard. Jogo, teatro e pensamento. São Paulo: Perspectiva, 1980.
ELKONIN, Daniil B. Psicologia do jogo: tradução de Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
GIL, João Pedro Alcantara. O significado do jogo na educação infantil. Santa Maria: UFSM, 1991. Dissertação (Mestrado em Educação).
GIL, João Pedro Alcantara. Para além do jogo. Santa Maria: UFSM/UNICAMP, 1999. Tese (Doutorado em Educação).
HUIZINGA, Johan. Homo ludens. São Paulo: Perspectiva, 1971.
JAPIASSU, Ricardo. Metodologia do ensino de teatro. Campinas: Papirus Ed., 2001.
KOUDELA, Ingrid Dormien. Brecht: um jogo de aprendizagem. São Paulo: Perspectiva, 1992.
KOUDELA, Ingrid Dormien. Jogos teatrais. São Paulo: Perspectiva, 1991.
SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico crítica: primeiras aproximações. Autores Associados, 1995.
VIGOTSKI, Lev Semenovich. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1989.
VIGOTSKI, Lev Semenovich. Psicologia pedagógica: tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
VIGOTSKI, LURIA; LEONTIEV. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1998.
VIGOTSKI, Lev Semenovich. La Imaginación y el arte en la infancia. Madri: Akal, 1982.

 

Formação do teatro brasileiro: o texto e o contexto45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 2

Caráter: Opcional

Estudo do teatro brasileiro, tendo em vista a perspectiva formativa, tal como formulada por Antonio Candido e também Décio de Almeida Prado, entre outros, que busca compreender de que modo a dramaturgia brasileiro foi ao mesmo tempo se fazendo e fazendo o país. Estudo de casos exemplares: Qorpo-Santo; Machado de Assis; Simões Lopes Neto; Nelson Rodrigues.

 

Memória, narrativa, experiência e conhecimento em artes cênicas – 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 2

Caráter: Opcional

Desenvolvimento de procedimentos teórico-práticos com ênfase nas relações entre memória, experiência, construção de conhecimento e autoria no campo das artes cênicas. A partir da narrativa oral e escrita de experiências  formativas da trajetória pessoal dos participantes, ligadas a motivações e interesses, busca-se compreender as origens da curiosidade científica dos sujeitos e as relações entre suas práticas artísticas e docentes, seus referenciais teóricos, suas concepções epistemológicas, suas escolhas estéticas, pedagógicas, metodológicas e profissionais e seus processos de formação dentro e fora do ambiente acadêmico.

BIBLIOGRAFIA

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

BACHELARD, Gaston. A epistemologia. Lisboa: Edições 70, 2006.

__. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BAJARD, Elie. Ler e dizer: compreensão e comunicação do texto escrito. São Paulo: Cortez, 1994.

BARROS, José D. Paul Ricoeur e a narrativa histórica. In. Revista História imagem e narrativas. Edição 12, abril de 2011.
Disponível em:
http://www.historiaimagem.com.br/edicao12abril2011/paulricoeur.pdf
Acesso em: 11/07/2012

BARROS. Manoel. Memórias inventadas: a infância. São Paulo: Planeta, 2004.

BECKER, Fernando. A origem do conhecimento e a aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2003.

__. Educação e construção do conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas 2001.

__. Da ação à operação: o caminho da aprendizagem em Piaget e Paulo Freire. Porto Alegre: Palmarinca, 1993.

__. O que é construtivismo? In. Revista de Educação AEC. Brasília. Vol. 21, Nº 83, p. 7-15, abr./jun. 1992.
Disponível em: http://www.crmariocovas.sp.gov.br/pdf/ideias_20_p087-093_c.pdf
Acesso em 02/07/2012

BELL, Judith. Projeto de pesquisa: guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: ArtMed, 2008.

DAMASCENO, A mente humana. Abordagem neuropsicológica. In. Multiciência: Revista Interdisciplinar dos Centro e Núcleos da Unicamp. Campinas, 2004.
http://www.multiciencia.unicamp.br/artigos_03/a_02_.pdf
Acesso em: 11/07/2012

DAMÁSIO, António. O erro de Descartes: emoção, razão e cérebro humano. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

__. O mistério da consciência: do corpo e das emoções ao conhecimento de si. São Paulo: Cia das Letras, 2000.

DEL NERO, Henrique Schützer. O equilíbrio necessário. São Paulo: Collegium Cognitio, 1998.

IZQUIERDO, Iván. A arte de esquecer. Cérebro, memória e esquecimento. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2004.

__. A mente humana. In. Multiciência: Revista Interdisciplinar dos Centro e Núcleos da Unicamp: Campinas, 2004.
Disponívem em: 11/07/2012
http://www.multiciencia.unicamp.br/artigos_03/a_01_.pdf
Acesso em: 11/07/2012

__. Memória. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

JOSSO, Marie-Christine. História de vida e projeto: a histórias de vida como projeto e as “histórias de vida” a serviço de projetos. In. Revista Educação e Pesquisa. São Paulo. Vol. 25. Nº 2. Jul/dez. 1999.
Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97021999000200002
Acesso em: 11/07/2012

LARROSA, Jorge. A operação ensaio: sobre o ensaiar e o ensaiar-se no pensamento, na escrita e na vida. In. Educação & Realidade. Vol. 29. Nº 1. Jan./jun., 2004.
Disponível em:
http://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25417/14743
Acesso em: 11/07/2012

__. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. In. Revista Brasileira de Educação. Nº. 19, p. 20-28, jan./fev./mar./abr. 2002.
Disponível em: http://www.anped.org.br/rbe/rbedigital/RBDE19/RBDE19_04_JORGE_LARROSA_BONDIA.pdf
Acesso em: 11/07/2012

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.

PEREIRA, Marcos Villela. A escrita acadêmica: do excessivo ao razoável. (Texto em formato pdf cedido pelo autor).

PIAGET, Jean. A tomada de consciência. São Paulo: Melhoramentos, Ed. Da  Universidade de São Paulo, 1977.

__. Fazer e compreender. São Paulo: Melhoramentos, Ed. Da Universidade de São Paulo, 1978.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. Porto, Portugal: Afrontamento, 2002.

SANTOS, Vera Lúcia Bertoni dos. Brincadeira e conhecimento: do faz-de-conta à representação teatral. Porto Alegre: Mediação, 2002.

__. No fio do equilibrista. Professor de teatro e construção de conhecimento. Porto Alegre, Porto Alegre: PPGEdu/UFRGS, 2006. (Tese de Doutorado).

VENÂCIO, Beatriz Pinto. Pequenos espetáculos da memória. São Paulo: Hucitec, 2008.

 

Recepção Teatral e Contemporaneidade – 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 2

Caráter: Opcional

Tipos de relação teatral e seus métodos de abordagem. Pressupostos da prática e da recepção teatral na contemporaneidade. Encenação e experiência estética. Leitura e cognição.

BIBLIOGRAFIA

BARILLI, Renato. Curso de estética. Lisboa: Editorial Estampa, 1989.
DE MARINIS, Marco. Comprender el teatro: lineamentos de una nueva teatrología. Buenos Aires: Editorial Galerna, 1997.
INGARDEN, Roman. Concreción y reconstrucción. In: WARNING, Rainer (Org.). Estética de la recepción. Madri: Visor, 1989.
ISER, Wolfgang. O ato da leitura. Vols. I e II. São Paulo: Editora 34, 1999.
JAUSS, Hans Robert. Petite apologie de l´expérience esthétique. In: ___. Pour une esthétique de la recéption. Paris: Éditions Gallimard, 1978.
PAVIS, Patrice. Pour une esthétique de la réception théâtrale. In: DURANT, Regis (Org.). La relation théâtrale. Lille: Presses Universitaires de Lille, 1980.
PAVIS, Patrice. Vers une théorie de la pratique théâtrale: voix et images de la scène 3. Villeneuve-d’Ascq: Presses Universitaires du Septentrion, 2000.
TORO, Fernando de. Semiótica del teatro: del texto a la puesta en escena. Buenos Aires: Editorial Galerna, 1987.

 

Teatro sem Espetáculo e Atorialidade – 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 2

Caráter: Opcional

Estudo do espetacular, a partir da noção de “sociedade do espetáculo” e de outras contribuições dos movimentos letrista e situacionista. Teatro menor, teatro sem espetáculo, vazio da cena e atorialidade em Carmelo Bene. Afinidades das noções estudadas em Bene com a obra de outros artistas contemporâneos, especialmente das artes cênicas.

 

Cultura e Prática Brasileira – 30h/aula – 2 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 2

Caráter: Opcional

Cultura e prática teatral brasileira. A condição da encenação no Brasil entre arte erudita; cultura popular e cultura massiva. Relações entre dramaturgia e espaço cênico.

BIBLIOGRAFIA

ANDERSON, Perrry: As origens da modernidade. Rio Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1999.
BORNHEIN, Gerd (et al.). Cultura brasileira: tradição, contradição. Rio Janeiro: Zahar/FUNARTE, 1997.
CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas. São Paulo: EDUSP, 1998.
COELHO, Teixeira. Usos da cultura. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1986.
EAGLETON, Terry. A idéia de cultura. São Paulo: UNESP, 2003.
LIMA TORRES, Walter. Entre técnica e arte: o trabalho teatral do ensaiador na virada do séc. XIX-XX. Memória Abrace, V, out. 2001, p. 272-278.
LIMA TORRES, Walter. Introdução histórica: o ensaiador, o diretor e o encenador. Folhetim, Rio de Janeiro, n. 9, p. 31-71,jan-abr., 2001.
MICHALSKI, Yan; TROTTA, R.: Teatro e estado. São Paulo: Hucitec-IBAC, 1992.

 

Atelier de Composição e Montagem I – 45h/aula – 3 créd

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1 e 2

Caráter: Opcional.

Realização pelo aluno de experimentações práticas, investigando procedimentos técnico-metodológicos e estudos de linguagem associados aos objetivos práticos e teóricos de seu projeto de pesquisa.

BIBLIOGRAFIA

ASLAN, Odette. O ator no século XX: evolução da técnica/problema de ética. São Paulo: Perspectiva, 1998.
AZEVEDO, Sônia Machado. O papel do corpo no corpo do ator. São Paulo: Perspectiva, 2002.
BARBA, Eugenio. A Arte secreta do ator. Dicionário de Antropologia Teatral. São Paulo: Hucitec, 1995.
BONFITTO, Matteo. O ator compositor: as ações físicas como eixo, de Stanislavski a Barba. São Paulo: Perspectiva, 2002.
BROOK, Peter. A Porta aberta: reflexões sobre a interpretação e o teatro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
BURNIER, Luis Otávio. A arte do ator: da técnica à representação. Campinas: Ed. UNICAMP, 2001.
CEBALLOS, Edgar; JIMENEZ, Sérgio. Tecnicas y teorias de la direccion escenica. Vol. 2. Stanislavski, Reinhardt, Meyerhold, Brecht, Barrault, Kazan., Brook, Grotowski, Barba, Kantor, Margules, México, Grupo Editorial Gaceta (Colección Escenologia), 1988 .
CHECKOV, M. Para o ator. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
FERNANDES, Ciane. O corpo em movimento: o sistema Laban/Bartenieff na formação e pesquisa em artes cênicas. São Paulo: Annablume, 2002.
FERRACINE, Renato. A arte de não interpretar como poesia corpórea do ator. São Paulo: Ed. Unicamp, 2001.
FO, Dario; RAME, Franca (org). Manual mínimo do ator. São Paulo: Senac, 1997.
LECOQ, Jacques. El cuerpo poetico, una pedagogia de la creacion teatral. Editorial Alba.
RICHARDS, Thomas – Trabajar con Grotowski sobre las acciones fisicas. Editorial Alba.
SZABO, Dussan. Traité de mise en scène, méthode des actions scéniques paradoxales. Paris : L’Harmattan, 2001.
VENEZIANO Neyde. A Cena de Dario Fo. O exercício da imaginação. São Paulo, Codex, 2002.

Bibliografia a ser complementada conforme as pesquisas dos alunos.

 

Atelier de Composição e Montagem II – 45h/aula – 3 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1 e 2

Caráter: Opcional

Aprofundamento pelo aluno das experimentações práticas abordando técnicas e princípios estéticos visando à realização de seu projeto.

 

Tópico Especial em Artes Cênicas I – 15h/aula – 1 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1 e 2

Caráter: Opcional

Discussão de um aspecto significativo das artes cênicas contemporâneas. Estudo de matéria de discussão atual no âmbito da pesquisa em artes cênicas.

 

Tópico Especial em Artes Cênicas II – 30h/aula – 2 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1 e 2

Caráter: Opcional

Discussão de um aspecto significativo das artes cênicas contemporâneas.

 

Pesquisa Orientada I – 15h/aula – 1 créd.

Área de concentração: Artes Cênicas

Linha de pesquisa: 1 e 2

Caráter: Opcional

Seminário sobre tema de interesse de pesquisas discentes em andamento.