Disciplinas e Bibliografias

  • Artes Cênicas nos Processos Sócio-educativos – 3 créd.

    Estudos dos processos de formação acadêmica e extra-acadêmica em teatro, visando ao desenvolvimento dos saberes e fazeres docentes. Discussão sobre implicações deste debate na área educacional.

    Bibliografia

    BENJAMIN, Walter. Reflexões: A criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Summus, 1984.
    BOAL, Augusto. 200 exercícios e jogos para o ator e o não ator com vontade de dizer algo através do teatro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.
    BOAL, Augusto. Teatro do oprimido. Rio de Janeiro: Forense, 1973.
    BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e cultura. São Paulo: Cortez, 1995.
    BROUGÈRE, Gilles. Jogo e educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
    CHACRA, Sandra. Natureza e sentido da improvisação teatral. São Paulo: Perspectiva, 1983.
    CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. São Paulo: Summus, 1987.
    CORREA, Ayrton Dutra (Org.) Ensino de artes: múltiplos olhares. Ijui: Ed. Unijui 2004.
    COURTNEY, Richard. Jogo, teatro e pensamento. São Paulo: Perspectiva, 1980.
    ELKONIN, Daniil B. Psicologia do jogo: tradução de Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
    FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
    GIL, João Pedro Alcantara. O significado do jogo na educação infantil. Santa Maria: UFSM, 1991. Dissertação (Mestrado em Educação).
    GIL, João Pedro Alcantara. Para além do jogo. Santa Maria: UFSM/UNICAMP, 1999. Tese (Doutorado em Educação).
    HUIZINGA, Johan. Homo ludens. São Paulo: Perspectiva, 1971.
    JAPIASSU, Ricardo. Metodologia do ensino de teatro. Campinas: Papirus Ed., 2001.
    KOUDELA, Ingrid Dormien. Brecht: um jogo de aprendizagem. São Paulo: Perspectiva, 1992.
    KOUDELA, Ingrid Dormien. Jogos teatrais. São Paulo: Perspectiva, 1991.
    SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico crítica: primeiras aproximações. Autores Associados, 1995.
    VIGOTSKI, Lev Semenovich. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1989.
    VIGOTSKI, Lev Semenovich. Psicologia pedagógica: tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
    VIGOTSKI, LURIA; LEONTIEV. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1998.
    VIGOTSKI, Lev Semenovich. La Imaginación y el arte en la infancia. Madri: Akal, 1982.

  • Atelier de Composição e Montagem I – 3 créd.

    Realização pelo aluno de experimentações práticas, investigando procedimentos técnico-metodológicos e estudos de linguagem associados aos objetivos práticos e teóricos de seu projeto de pesquisa.

    Bibliografia

    ASLAN, Odette. O ator no século XX: evolução da técnica/problema de ética. São Paulo: Perspectiva, 1998.
    AZEVEDO, Sônia Machado. O papel do corpo no corpo do ator. São Paulo: Perspectiva, 2002.
    BARBA, Eugenio. A Arte secreta do ator. Dicionário de Antropologia Teatral. São Paulo: Hucitec, 1995.
    BONFITTO, Matteo. O ator compositor: as ações físicas como eixo, de Stanislavski a Barba. São Paulo: Perspectiva, 2002.
    BROOK, Peter. A Porta aberta: reflexões sobre a interpretação e o teatro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
    BURNIER, Luis Otávio. A arte do ator: da técnica à representação. Campinas: Ed. UNICAMP, 2001.
    CEBALLOS, Edgar; JIMENEZ, Sérgio. Tecnicas y teorias de la direccion escenica. Vol. 2. Stanislavski, Reinhardt, Meyerhold, Brecht, Barrault, Kazan., Brook, Grotowski, Barba, Kantor, Margules, México, Grupo Editorial Gaceta (Colección Escenologia), 1988 .
    CHECKOV, M. Para o ator. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
    FERNANDES, Ciane. O corpo em movimento: o sistema Laban/Bartenieff na formação e pesquisa em artes cênicas. São Paulo: Annablume, 2002.
    FERRACINE, Renato. A arte de não interpretar como poesia corpórea do ator. São Paulo: Ed. Unicamp, 2001.
    FO, Dario; RAME, Franca (org). Manual mínimo do ator. São Paulo: Senac, 1997.
    LECOQ, Jacques. El cuerpo poetico, una pedagogia de la creacion teatral. Editorial Alba.
    RICHARDS, Thomas – Trabajar con Grotowski sobre las acciones fisicas. Editorial Alba.
    SZABO, Dussan. Traité de mise en scène, méthode des actions scéniques paradoxales. Paris : L’Harmattan, 2001.
    VENEZIANO Neyde. A Cena de Dario Fo. O exercício da imaginação. São Paulo, Codex, 2002.

    Bibliografia a ser complementada conforme as pesquisas dos alunos.

  • Atelier de Composição e Montagem II – 3 créd.

    Aprofundamento pelo aluno das experimentações práticas abordando técnicas e princípios estéticos visando à realização de seu projeto.

    Bibliografia

    Bibliografia a ser definida conforme as pesquisas dos alunos.

  • Cultura e Prática Brasileira – 2 créd.

    Cultura e prática teatral brasileira. A condição da encenação no Brasil entre arte erudita; cultura popular e cultura massiva. Relações entre dramaturgia e espaço cênico.

    Bibliografia

    ANDERSON, Perrry: As origens da modernidade. Rio Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1999.
    BORNHEIN, Gerd (et al.). Cultura brasileira: tradição, contradição. Rio Janeiro: Zahar/FUNARTE, 1997.
    CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas. São Paulo: EDUSP, 1998.
    COELHO, Teixeira. Usos da cultura. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1986.
    EAGLETON, Terry. A idéia de cultura. São Paulo: UNESP, 2003.
    LIMA TORRES, Walter. Entre técnica e arte: o trabalho teatral do ensaiador na virada do séc. XIX-XX. Memória Abrace, V, out. 2001, p. 272-278.
    LIMA TORRES, Walter. Introdução histórica: o ensaiador, o diretor e o encenador. Folhetim, Rio de Janeiro, n. 9, p. 31-71,jan-abr., 2001.
    MICHALSKI, Yan; TROTTA, R.: Teatro e estado. São Paulo: Hucitec-IBAC, 1992.

  • Discursos e Práticas de Criação Cênica

    Súmula

    Estudo de propostas e discursos estéticos da cena contemporânea, considerando dinâmicas do processo criativo, contexto de produção, perspectivas e conexões no mundo. A partir desse estudo, os alunos serão estimulados a desenvolver e analisar aspectos de seus próprios projetos artísticos, compartilhando conceitos e possíveis práticas em aula, em procedimentos expostos de investigação teórico-prática.

    Objetivos:

     

    – Analisar procedimentos e conceitos de criação cênica, entendendo prática e teoria como componentes indissociáveis do campo da arte;

    –  Identificar princípios dos processos criativos da cena contemporânea e suas conexões com outras áreas do saber;

    – Refletir e subsidiar o desenvolvimento de projetos criativos relacionados à pesquisa do aluno;

    – Pensar as relações entre arte e sociedade, cena e política, contexto social e criação, ética e estética;

    – Experimentar possíveis práticas de criação cênica;

    – Estimular procedimentos compartilhados de investigação, criação e pensamento.

     

    Conteúdo:

    – Metodologias de criação no campo das artes cênicas

    – Relações entre arte e sociedade, ética e estética.

    – Temas da arte contemporânea: identidade(s), memória, corpo, violência, política, público, real, espaço, etc.

    – Diálogos entre ciência e criação artística: – imagens, inspirações e contaminações possíveis (complexidade, caos, autopoiesis)

    – Aspectos da produção teatral: relação entre contextos e práticas

    – Elementos de um projeto de criação cênica

     

    Metodologia:

    Aulas expositivas, leitura de textos indicados, realização de seminários nos quais os alunos serão responsáveis pela exposição e provocação de temas relacionados ao conteúdo da disciplina em conexão com sua própria pesquisa. Exercícios e práticas artísticas compartilhadas, a partir das pesquisas em andamento.

     

    Avaliação

    Participação e engajamento nas atividades teórico-práticas. Frequência, pontualidade cumprimento das tarefas solicitadas no prazo acordado. Desenvolvimento de práticas cênicas e de um trabalho escrito no final do processo.

     

    Bibliografia

    ALLAIN, Paul y HARVIE, Jen. Theatre and Performance. London and New York: Routledge 2006.

    ARDENNE, Paul. Un Arte Contextual. Murcia: Cendeac, 2002.

    BATTCOCK, Gregory y NICKAS, Robert. The Art of Performance. A Critical Anthology. New York: Dutton, 1984.

    BOGART, Anne. A Preparação do Diretor. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

    – And then, you act. Making art in an unpredictable world. London and New York, 2007.

    BOURRIAUD, Nicolas. Estética Relacional. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2006.

    BRECHT, Bertold. Brecht on Theatre. Edited and translated by Jonh Willett. Londres: Methuen, 1964.

    CALVINO, Italo. Seis Propostas para o Próximo Milênio. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

    CANTON, Katia. Temas da Arte Contemporânea (coleção). São Paulo: Martins Fontes, 2009.

    CARLSON, Marvin. Performance. Uma Introdução Crítica. Belo Horizonte: UFGM, 2010.

    CLIMENHAGA, Royd. Pina Bausch. London: Routledge, 2009.

    CORNAGO, Óscar. Éticas del Cuerpo. Madrid: Fundamentos, 2008.

    CORNAGO, Óscar. Teatralidade e ética In SAADI, Fátima; GARCIA, Silvana.(org). Próximo Ato: questões da teatralidade contemporânea. São Paulo: Itaú Cultural, 2008, p. 20-31.

    DELGADO, Maria M. y HERITAGE, Paulo. (Ed). In Contact with the Gods? Directors talk theatre. Manchester: Manchester University, 1999.

    DIAMONT, Elin (Ed.). Performance and Cultural Politics. London and New York: Routledge, 1996.

    DUNDJEROVIC, Aleksandar. Robert Lepage. London: Routledge, 2009.

    ETCHELLS, Tim. Certain Fragments. Contemporary Performance and Forced Entertainment. London: Routledge, 1999.

    FAGUNDES, Patricia. O processo de ensaios como mecanismo de relações: um dispositivo festivo. Abrace, 2012.

    FISCHER-LICHTE, ERIKA. Theatre, Sacrifice, Ritual. Exploring Forms of Political Theatre. London: Routledge, 2005.

    – (2004) The Transformative Power of Performance. London and New York: Routledge, 2008.

    FREEMAN Jonh. New Performance/New Writing. New York: Palgrave Macmillan, 2007.

    GOMEZ-PEÑA, Guillermo. Ethno-Techno. Writings on performance, activism, and pedagogy. London and New York: Routledge, 2005.

    GOVAN, Emma, NICHOLSON, Helen, e NORMINGTON, Kate. Making a Performance. Devising Histories and Contemporary Practices. London and New York: Routledge, 2007.

    HARVIE, Jen and LAVENDER, Andy. Making contemporary theatre. International rehearsal processes. Machester: University Press, 2010.

    HUYSSEN, Andreas. (1986) Después de la gran división: modernismo, cultura de masas, posmodernism. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2002.

    KANTOR, Tadeusz. (1977) O Teatro da Morte. São Paulo: SESC e Perspectiva, 2008.

    LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana. Belo Horizonte: Autentica, 2010.

    LEHMANN, Hans-Thies. Escritura Política no Texto Teatral. São Paulo: Perspectiva, 2009.

    LÉVINAS, Emmanuel. (1982) Ética e infinito. Madrid: A. Machado, 2000.

    MAFFESOLI, Michel. En el crisol de las apariencias. Para una ética de la estética. Madrid: Siglo XXI, 2007.

    MORIN, Edgar. (1990) Introducción al pensamiento complejo. Barcelona: Gedisa, 2007.

    PRECIADO, Beatriz. Testo Yonqui. Madrid: Espasa Calpe, 2008.

    RANCIÈRE, Jacques. Ética, Estética e Política. In Revista Urdimento, vol1, número 15. Florianópolis: UDESC/CEART, 2010.

    SÁNCHEZ, José A. Ed. Prácticas de lo Real en la Escena Contemporánea. Madrid: Visor Libros, 2007.

    SERRES, Michel. Variações sobre o Corpo. Sao Paulo: Bertrand Brasil, 2004.

    SCHECHNER, Richard. Performance Studies: an Introduction. Second Edition. London and New York: Routledge, 2006.

    STANISLAVISKI, Constantin. Selección y Notas Edgar Ceballos. Ética y Disciplina. Método de Acciones Físicas. México: Editorial Gaceta, 1994.

    WORD, Libby and POYNOR, Helen. Anna Halprin. London: Routledge, 2004.

  • Dramaturgia da Cena Contemporânea – 3 créd.

    Estudo das práticas cênicas cujos processos criativos se emancipam da figuração e do texto como referência primeira do sentido. Investem na experiência sinestésica do espectador, oferecendo uma perspectiva plural de significados. Compõem uma dramaturgia da cena caracterizada pela circulação de imagens, fragmentação e descontinuidade, através da exploração dinâmica e interativa de diferentes recursos sensíveis e da hibridização cultural, artística e/ou tecnológica.

    Bibliografia

    ALQUIER Sylvie. “Une répétition pragmatique, um workshop avec Bob Wilson”, Les répétitions de Stanislavski a aujourd’hui, Alternatives Théâtrales, 2005.
    AUSLANDER Philip. Liveness, Performance in a mediatized culture. New York: Routedge, 2008.
    BADIOU Alain. “Dança como Metáfora do Pensamento”. In: Pequeno Manual de Inestética. São Paulo: Editora Estação Liberdade, 2002.
    BAUGH Christopher. Theatre, Performance and Tecnology. London: Palgrave, 2005.
    BARTHES Roland. “O Terceiro Sentido”. In: O Óbvio e o Obtuso. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.
    BRANDSTETTER Gabrielle. “Da auto-Semelhança: Dança-Teatro para além da Representação”, Revista Trilhas nº 7, Campinas, 1998.
    CHAMBERLAND Roger.“L’ Expérience du chaos et la pragmatique du corps”, Théâtre Multidiscipli-narité et Multiculturalisme, Ed. Nuit Blanche, Québec, 1997.
    CHAPPLE Freda, KATTENBELT Chiel. Intermediality in Theatre and Performance. Amsterdam, New York: FIRT/IFRT, 2006.
    CHEVALLIER Jean-François. “Le geste thèatral contemporain : entre présentation et symboles “. L’Annuaire Théâtrale, nº 36, Ottawa, 2004.
    CONNOR Steven. “Performance Pós-Moderna” In: Cultura Pós-Moderna. São Paulo: Ed. Loyola, 2004.
    DERRIDA Jacques.”O teatro da Crueldade e o fechamento da representação”. In: A Escritura e a Diferença. São Paulo: Perspectiva, 1995.
    DESMARETS Michel. « Les personages virtuels face aux personnages incarnés : fuite de l’efficacité symbolique ? ». Paris : Etudes Théâtrales, nº 26, 2003.
    FERNANDES Silvia – Gerald Thomas em Cena. Memória e Invenção. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1996.
    FINTER Helga. “Théâtre Experimental et sémiologie du théâtre : la théâtralisation de la voix », Théâtralité, Ecriture et Mise en scène. Montréal: Ed. Brèches, 1985.
    FISCHER-LICHTE Erika. The Transformative Power of Performance. New York: Routledge, 2008.
    FOUCAULT Michel. Isto não é um Cachimbo. São Paulo. Ed. Paz e Terra, 2007.
    FOUQUET Ludovic. Robert Lepage, l’horizon en images. Montréal: L’Instant scène, 2005.
    GOLDBERG Roselee. A Arte da Performance, do futurismo ao presente. São Paulo: Ed. Livraria Martins Fontes, 2006.
    GUHERY Sophie. “La danse contemporaine, laboratoire d’une action nouvelle ?”. L’Annuaire Théâtrale, nº 36, Ottawa, 2004.
    HEBERT Chantal. “De la Mimesis à la Mixis ou Les Jeux Analogique du Théâtre Actuel”, Théâtre Multidisciplinarité et Multiculturalisme. Québec : Ed. Nuit Blanche, 1997.
    KANTOR Tadeusz. – O Teatro da Morte. São Paulo: Perspectiva, 2008.
    KAPROW A. Como Fazer um Happening. Jornal Exposição Horizonte Expandido, Santander, 2010.
    KIRBY Michael. “La représentation non-sémiotique”. In: Théâtralité, Ecriture et Mise en scène. Montréal : Ed. Brèches, 1985.
    KURAPEL Alberto. Dramaturgia Contemporânea, Estética de la insatisfacción en el Teatro-Performance. Chile: Ed. Cuarto Próprio, 2004.
    LEHMANN Hans-Thies – “Teatro Pós-Dramático e Teatro Político”. São Paulo: Sala Preta, nº3, USP/ECA, pp. 9-19.
    _______________ . Teatro Pós-Dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
    LEVY Pierre. As Tecnologias da Inteligência. São Paulo : Editora 34, 1996.
    _______________. O que é o virtual? São Paulo : Editora 34, 1996.
    LYOTARD Jean-François. El diente, la palma de la mano. In: Dispositivos pulsionales. Madrid: Fundamentos,1981.
    _______________. “Resposta à Pergunta: O que é o Pós-Moderno?”. In: O Pós-Moderno Explicado às Crianças. Lisboa: Ed. Paz e Terra S/A, 2007.
    MAURIN Fredéric. Robert Wilson, le temps pour voir, le espace pour écouter. Paris: Ed. Actes Sud, 1998. pp. 85-137.
    MORIN Edgar. Introdução ao Pensamento Complexo. Lisboa: Ed. Instituto Piaget, 2003. HEBERT Chantal, ROY Irène. “Théâtre et Complexité” In: Face Cachée du Théâtre d’Image. Québec: Presses de l’Universté de Laval, 2001.
    OUAKNINE Serge. “Si près de quelque chose de nouveau…Le théâtre : du théâtral au virtuel ». Québec : L’Annuaire Théâtral, nº 26, 1999. pp. 105-116.
    PICCON-VALLIN Beatrice– “A encenação: visão e imagens”. A Arte do teatro entre tradição e vanguarda, Folhetim Ensaios, 2006.
    PLATA V. G. – ” La Fura dels Baus: Histoires d’Images, du Corps à l’Écran ” In: Les Écrans sur la Scène. Lausanne : L’Age d’Homme, 1998.
    ROY Irène Le Théâtre Repère. Du ludique au poètique dans le théâtre de recherche. Québec : Ed. Nuit Blanche, 1993.
    SANTAELLA Lúcia. Cultura e artes do Pós-humano.São Paulo: Ed. Paulus, 2004.
    SERVOS Norbert. “L’Expérience du corps” In: Pina Baush ou l’Art de dresser un Poisson rouge. Paris : L’Arche, 2001. pp. 16-36.
    VILLAR Fernando. “O pós-dramático em cena: La Fura dels Baús”. Brasília: Revista VIS (UnB), Pós-Graduação em Arte, v. 1, n. 1.

  • Estudos Avançados em Artes Cênicas – 3 créd.

    Estudos do pensamento de diferentes autores-criadores e sua contribuição para a cena contemporânea, identificando as concepções de teatralidade e os princípios que norteiam os processos criativos.

    Bibliografia

    ARTAUD, Antonin. O Teatro e seu duplo. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
    BARBA, Eugenio. Além das ilhas flutuantes. São Paulo: Hucitec, 1991.
    BORIE, M., ROUGEMONT, M.; SCHERER, J. Estética teatral: textos de Platão a Brecht. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1996.
    BRECHT, Bertold. Escritos sobre o teatro I e II. , Buenos Aires: Ed. Nueva Visón.
    BROOK, Peter. O teatro e seu espaço. Petrópolis: Vozes, 1970.
    CARLSON, Marvin. Teorias do teatro. São Paulo: UNESP, 1999.
    CRAIG, E. G. Da arte do teatro. Ed. Arcádia, Lisboa.
    FERAL, Josette (Org.) Théâtralité, écriture et mise en scène. Québec : Ed. Hurtubise HMH, 1985.
    GROTOWSKI, J. Em busca de um teatro pobre. C. Brasileira, RJ, 1987.
    MEYERHOLD, V.; CEBALLOS, Edgar (org). El actor sobre la escena. México: Col. Escenologia, 1998.
    PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.
    ROUBINE, Jean-Jacques. Introdução às grandes teorias do teatro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003

  • Estudos e Práticas da Palavra- 3 créd.

    As possibilidades criativas da palavra enquanto geradora de imagens, sons e sentidos, e práticas de escrita e vocalidade. Aproximações entre as experiências de literatura e poesia oral e a escrita poética e cênica. A palavra enquanto performance na leitura, no teatro e em outras interfaces artísticas ou midiáticas. Articulações ente palavra , escuta e silêncio. O ator e a palavra.

    Objetivos:

    – Pensar a palavra vocalizada como criação e como poética;
    – Articular os conceitos de oralidade, vocalidade, performance e teatralidade;
    – Estudar as práticas de oralidade e vocalidade como experiências performáticas ou teatrais;
    – Problematizar a palavra nas experiências contemporâneas de literatura oral e de teatro;
    – Reconhecer as práticas da palavra em manifestações artísticas ou midiáticas;
    – Experimentar diferentes práticas com a palavra vocalizada;
    – Experimentar a escrita como ponte entre a palavra e a cena;
    – Refletir sobre a implicação do corpo nas diferentes práticas artísticas com a palavra;
    – Problematizar as relações entre vocalidade, silêncio e escuta.

    Bibliografia

    ALMEIDA, Milton José de. Imagens e sons. A nova cultura oral. São Paulo: Cortez, 1994.
    AZEVEDO, Sônia Machado. O papel do corpo no corpo do ator. São Paulo: Perspectiva, 2002.
    BACHELARD, Gastón. A Poética do Devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
    _____. Fragmentos de uma poética do fogo. São Paulo: Brasiliense, 1990.
    BAJARD, Elie. Da escuta de textos à leitura. São Paulo: Cortez, 2007.
    _____. Ler e dizer. São Paulo: Cortez, 1994.
    BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
    BANEGAS, Cristina (org.). Caligrafia de la voz. Buenos Aires: Leviatán, 2007.
    BARTHES, Roland. O óbvio e o obtuso. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.
    BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas – Magia e Técnica, Arte e Política. Vol. 1. São Paulo: Brasiliense, 1994.
    CALVINO, Ítalo. Seis propostas para o próximo milênio. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.
    COSTA, Ana. Corpo e Escrita. Relações entre memória e transmissão da experiência. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001
    DERDYCK, Edith. Linha de horizonte. Por uma poética do ato Criador. São
    Paulo: Escuta, 2001.
    FORTUNA, Marlene. A performance da oralidade teatral. São Paulo: Annablume, 2000.
    GIRARDELLO, Gilka. Voz, presença e imaginação: a narração de histórias e as crianças pequenas. Anais da 26ª Reunião Anual da ANPED, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, Poços de Caldas, 2003.
    GROTOWSKI, Jerzy. A voz. In: FLASKEN, Ludwik e POLASTRELLI, Carla. O Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski. São Paulo: Perspectiva, 2007.
    KNÉBEL, María Ósipovna. La palabra em la creación actoral. Madrid: Editorial Fundamentos, 2003.
    LAROSSA, Jorge. La experiência de la lectura. Estúdios sobre literatura e formación. Barcelona: Laertes, 1996.
    MANGUEL, Alberto. A cidade das palavras. São Paulo: Companhia das Letras,
    2007.
    _____. Uma história da leitura. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.
    NOVARINA, Valère. Diante da palavra. Rio de Janeiro: 7 letras, 2003.
    ORLANDI, Eni Pucinelli. As formas do silêncio. No movimento dos sentidos.
    Campinas: Editora da Unicamp, 2002.
    PERDIGÃO, Andréa Bomfim. Sobre o silêncio. São José dos campos:Pulso, 2005.
    QUILICI, Cassiano Sydow. Teatros do Silêncio. Sala Preta, Revista da Escola de
    Comunicação e Arte, USP, n.7, 2007.
    SETTI, Isabel. O corpo da palavra não é fixo deixa-se tocar pelo tempo e seus
    espaços. Sala Preta, Revista da Escola de Comunicação e Arte, USP, n7., 2007.
    SHAFFER, R. Murray. O ouvido pensante. São Paulo: UNESP, 1991.
    SPRITZER, Mirna. Ator e palavra: práticas da vocalidade. Memória ABRACE 2010. http://portalabrace.org/memoria1
    _____. Silêncio, escuta e a performance da palavra. Memória ABRACE 2009. http://portalabrace.org/memoria1
    _____. Dizer e ouvir. Memória ABRACE 2007. http://portalabrace.org/memoria1
    _____. O corpo tornado voz: a experiência pedagógica da peça radiofônica. Porto Alegre: UFRGS, 2005. (Tese de Doutorado em Educação).
    TOMÁS, Lia. (org.) De sons e signos. São Paulo: EDUC, 1998.
    WERNECK, Maria Helena; BRILHANTE, Maria João. (orgs). Texto e Imagem: Estudos de Teatro. Rio de janeiro: 7 letras, 2009.
    WULF, Cristoph. O ouvido. Grebh, Revista de Comunicação, cultura e teoria da mídia, n. 9,março de 2007.
    ZUMTHOR, Paul. Introdução à Poesia Oral. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.
    _____. Performance, Recepção e Leitura. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
    _____. Escritura e Nomadismo. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2005.
    _____. A letra e a voz. São Paulo: Cia. da Letras, 1993.

  • Fotoetnografia: pesquisa em artes e ciências humanas – 1 créd.

    Súmula:

    A história, os usos e a prática da fotografia na produção antropológica. A fotoetnografia como narrativa antropológica. A utilização da fotografia nas pesquisas de campo e na escrita etnográfica.
    Objetivos:

    1. Informar o aluno sobre a importância da fotografia e da sua utilização na área das Artes e das Ciências Humanas;

    2.Oferecer um panorama sobre a forma como a fotografia foi utilizada em trabalhos de pesquisa:

    3. Discutir em grupo questões de ordem metodológica e ética que envolvem a prática da fotografia;

    4. Proporcionar a aquisição de conhecimentos técnicos básicos para que o aluno possa lançar mão da fotografia na sua pesquisa com mais segurança obtendo melhores resultados.

     

    Método de trabalho:

    Aulas expositivo-dialogadas

    Produção de pequenos textos, trabalhos em grupo (painéis e seminários), prática fotográfica (produção de fotografias)

    Multimídia

     

    Avaliação:

    Os alunos serão avaliados de forma contínua, incluindo-se como critérios a participação, o interesse e o esforço, além da produção intelectual. O crescimento pessoal em termos de domínio de conteúdos, mas sobretudo de envolvimento com a disciplina e com as proposições do professor serão levados em conta. Seu interesse em participar das aulas, o crescimento em termos de autonomia e seu interesse em influir e contribuir para o aperfeiçoamento do plano de ensino serão igualmente estimulados e computados.

     

    Bibliografia

    Bibliografia:
    ACHUTTI, Luiz Eduardo Robinson. Fotografia. Porto Alegre, Tomo Editorial, 1997, 140p.
    ACHUTTI, Luiz Eduardo Robinson. Fotoetnografia: Um estudo de antropologia visual sobre cotidiano, lixo e trabalho. Porto Alegre, Tomo Editorial, 1997, CXXVp – 93p.
    ACHUTTI, Luiz Eduardo Robinson (org). Ensaios sobre o fotografico. Porto Alegre, Unidade Editorial Porto Alegre, 1998, 126p.
    ADAMS, Ansel. The Camera. The New Ansel Adams Photography Series. Boston, Little, Brown And Company, 1991, 206p.
    ASSOULINE, Pierre. Cartier-Bresson. L’œil du siècle. Paris, Plon, 1999, 384p.
    BARTHES, Roland. La Chambre Claire. Note sur la photographie, Paris, Cahiers du Cinéma, Gallimard/Seuil, 1980, 192p.
    BATESON, Gregory & MEAD, Margaret. Balinese Character : A photographic Analysis. – 2e ed. New York, New York Academy of Sciences, 1942, 277p.
    BECKER, Howard. Explorando a Sociedade Fotograficamente. Rio de Janeiro, Cadernos de Antropologia e Imagem. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, n°2, 1997, pp 95-97.
    BECKER, Howard. Visual Sociology, Documentary Photography, and Photojournalism, It’s Almost a Matter of Context. Visual Sociology 10 (1-2), pp 5-14.
    BENJAMIN, Walter. Pequena história da fotografia. São Paulo, Editora Ática S.A, 1991.
    BERGER, John. About looking. New York, Vintage International, 1991, 205p.
    BERGER, John & MOHR, Jean. Une autre façon de raconter. Paris, François Maspero, 1982, 293p.
    BLUME, Hermann. Técnicas dos grandes fotógrafos da história. Madrid, Hermann Blume Ediciones, 1982.
    CANCLINI, Nestor García. Antropólogos sob a lupa, ou como falar das tribos quando as tribos são eles mesmos. Ciência Hoje, vol.15 n.90 de 1993, pp 27-32.
    COLLIER Jr., John. & COLLIER, Malcolm. Visual Anthropology : Photography as a Research Method.- 5e ed. Albuquerque, University of New Mexico Press, 1986, 248p (première édition publiée par John Collier Jr., en 1967).
    DEBRAY, Régis. Vida e morte da imagem. Uma história do olhar no ocidente. Petrópolis, Editora Vozes, 1994.
    FONTCUBERTA, Joan. Estética fotográfica. Selección de textos. Barcelona, Editorial Blume, 1984.
    FREUND, Gisèle. La Fotografia como documento social. Barcelona, Gustavo Gili, 1976.
    GARRIGUES, Emmanuel. Le savoir ethnographique de la photographie. Paris, Société d’ethnographie, L’Ethnographie, 1991, tome 87, numéro spécial 109, pp 11-54 et 145-178.
    GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan S. A., 1989.
    GEERTZ, Clifford. Estar lá escrever aqui. Revista Diálogo N°.3 vol.22, 1989, pp 58-63.
    GURAN, Milton. À Propos de la « photographie efficace ». Marseille, Imerec/Jean Michel Place, Xoana-Images et Sciences. 1994, n°2, pp 98-111).
    HINE, Lewis W. Men at work. Photographic Studies Of Modern Men And Machines. New York, Dover Publications, 1977.
    HIRSCHBERGER, Johannes. História da filosofia na antigüidade. São Paulo, Editora Herder, 1965.
    JEFFREY, Ian. Photohraphy. A concise history. London, Thames and Hudson Ltd, 1989.
    KOURY, Mauro. Usos da imagem as ciências sociais: pesquisadores. João Pessoa, Manufatura, 1997.
    LÉVI-STRAUSS, Claude. Saudades do Brasil. Paris, Plon, 1994.
    LÉVI-STRAUSS, Claude. Tristes tropiques. Paris, Plon, 1955, 502p ( Collection Terre Humaine).
    MARESCA, Sylvain. La photographie, Un miroir des sciences sociales. Paris, L’Harmattan, 1996, 267p.
    MEAD, Margaret. Visual anthropology in a discipline of words. In: PRINCIPLES OF VISUAL ANTHROPOLOGY. Paul Hockings, Chicago, Mouton Publishers, The Hague, Paris. 1975, pp 3-10.
    NEWHALL, Beaumont. Historia de la Fotografía : Desde sus orígenes hasta nuestros días. Barcelona, Gustavo Gili, 1983.
    NOVAES, Sylvia Caiuby. O uso da imagem na antropologia. In : O fotográfico / ed. par Etienne SAMAIN. São Paulo : Hucitec / CNPq, 1998, pp 113-118.
    RIIS, Jacob A. How The Other Half Lives. New York, Dover Publications Inc., 1971.
    ROSEMBLUM, Noami. Une histoire mondiale de la photographie. Paris, Editions Abbeville, 1996, 696p.
    ROUCH, Jean. Jean Rouch. In : Pour la Photographie / ed. Ciro BRUNI. Sammeron, Germs, 1983, pp 371-375 (Actes du 1er Colloque international pour la photographie – Université Paris-VIII, 1982).
    ROUCH, Jean. La caméra et les hommes. Paris, CinemAction, 1996, n°81, pp 42-45.
    SAMAIN, Etienne. « Ver » e « Dizer » na tradição etnográfica : Bronislaw Malinowski e a fotografia. Porto Alegre, Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Horizontes Antropológicos, n° 2, 1995, pp 19-48.
    SAMAIN, Etienne. Modalidades do olhar fotografico. In : Ensaios sobre o fotografico/ed. par Luiz Eduardo ACHUTTI. Porto Alegre, Unidade Editorial Porto Alegre, 1998, pp 109-114.
    SAMAIN, Etienne (org). O Fotografico. São Paulo, Hucitec / CNPq, 1998.
    YOUNG, Michael. Malinowski’s Kiriwina : Fieldwork Photographie 1915-1918. Chicago, The University of Chicago Press, 1998, 306p.

  • Memória, narrativa, experiência e conhecimento em artes cênicas – 3 créditos

    Desenvolvimento de procedimentos teórico-práticos com ênfase nas relações entre memória, experiência, construção de conhecimento e autoria no campo das artes cênicas. A partir da narrativa oral e escrita de experiências  formativas da trajetória pessoal dos participantes, ligadas a motivações e interesses, busca-se compreender as origens da curiosidade científica dos sujeitos e as relações entre suas práticas artísticas e docentes, seus referenciais teóricos, suas concepções epistemológicas, suas escolhas estéticas, pedagógicas, metodológicas e profissionais e seus processos de formação dentro e fora do ambiente acadêmico.

    Bibliografia

    ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

    BACHELARD, Gaston. A epistemologia. Lisboa: Edições 70, 2006.

    __. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

    BAJARD, Elie. Ler e dizer: compreensão e comunicação do texto escrito. São Paulo: Cortez, 1994.

    BARROS, José D. Paul Ricoeur e a narrativa histórica. In. Revista História imagem e narrativas. Edição 12, abril de 2011.
    Disponível em:
    http://www.historiaimagem.com.br/edicao12abril2011/paulricoeur.pdf
    Acesso em: 11/07/2012

    BARROS. Manoel. Memórias inventadas: a infância. São Paulo: Planeta, 2004.

    BECKER, Fernando. A origem do conhecimento e a aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2003.

    __. Educação e construção do conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas 2001.

    __. Da ação à operação: o caminho da aprendizagem em Piaget e Paulo Freire. Porto Alegre: Palmarinca, 1993.

    __. O que é construtivismo? In. Revista de Educação AEC. Brasília. Vol. 21, Nº 83, p. 7-15, abr./jun. 1992.
    Disponível em: http://www.crmariocovas.sp.gov.br/pdf/ideias_20_p087-093_c.pdf
    Acesso em 02/07/2012

    BELL, Judith. Projeto de pesquisa: guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: ArtMed, 2008.

    DAMASCENO, A mente humana. Abordagem neuropsicológica. In. Multiciência: Revista Interdisciplinar dos Centro e Núcleos da Unicamp. Campinas, 2004.
    http://www.multiciencia.unicamp.br/artigos_03/a_02_.pdf
    Acesso em: 11/07/2012

    DAMÁSIO, António. O erro de Descartes: emoção, razão e cérebro humano. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

    __. O mistério da consciência: do corpo e das emoções ao conhecimento de si. São Paulo: Cia das Letras, 2000.

    DEL NERO, Henrique Schützer. O equilíbrio necessário. São Paulo: Collegium Cognitio, 1998.

    IZQUIERDO, Iván. A arte de esquecer. Cérebro, memória e esquecimento. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2004.

    __. A mente humana. In. Multiciência: Revista Interdisciplinar dos Centro e Núcleos da Unicamp: Campinas, 2004.
    Disponívem em: 11/07/2012
    http://www.multiciencia.unicamp.br/artigos_03/a_01_.pdf
    Acesso em: 11/07/2012

    __. Memória. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

    JOSSO, Marie-Christine. História de vida e projeto: a histórias de vida como projeto e as “histórias de vida” a serviço de projetos. In. Revista Educação e Pesquisa. São Paulo. Vol. 25. Nº 2. Jul/dez. 1999.
    Disponível em:
    http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97021999000200002
    Acesso em: 11/07/2012

    LARROSA, Jorge. A operação ensaio: sobre o ensaiar e o ensaiar-se no pensamento, na escrita e na vida. In. Educação & Realidade. Vol. 29. Nº 1. Jan./jun., 2004.
    Disponível em:
    http://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25417/14743
    Acesso em: 11/07/2012

    __. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. In. Revista Brasileira de Educação. Nº. 19, p. 20-28, jan./fev./mar./abr. 2002.
    Disponível em: http://www.anped.org.br/rbe/rbedigital/RBDE19/RBDE19_04_JORGE_LARROSA_BONDIA.pdf
    Acesso em: 11/07/2012

    PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.

    PEREIRA, Marcos Villela. A escrita acadêmica: do excessivo ao razoável. (Texto em formato pdf cedido pelo autor).

    PIAGET, Jean. A tomada de consciência. São Paulo: Melhoramentos, Ed. Da  Universidade de São Paulo, 1977.

    __. Fazer e compreender. São Paulo: Melhoramentos, Ed. Da Universidade de São Paulo, 1978.

    RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

    SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. Porto, Portugal: Afrontamento, 2002.

    SANTOS, Vera Lúcia Bertoni dos. Brincadeira e conhecimento: do faz-de-conta à representação teatral. Porto Alegre: Mediação, 2002.

    __. No fio do equilibrista. Professor de teatro e construção de conhecimento. Porto Alegre, Porto Alegre: PPGEdu/UFRGS, 2006. (Tese de Doutorado).

    VENÂCIO, Beatriz Pinto. Pequenos espetáculos da memória. São Paulo: Hucitec, 2008.

  • Performance e Espetacularidade- 3 créd.

    Estudo das diferentes manifestações culturais sob o ponto de vista da Etnocenologia. Introdução à Antropologia e às noções de Cultura, Aculturação e Inculturação . Estabelecer os princípios comuns entre Antropologia do Teatro, Antropologia Teatral e Performance. A noção do espetacular, da teatralidade sob a abordagem da Etnocenologia.

    Bibliografia

    BARBA, Eugenio. Le canöe de papier: Traité d’Anthropologie Théâtrale. Bouffonneries, 1993.
    BARBA, Eugenio, SAVARESE, Nicola. Un dictionnaire d‘anthropologie théâtrale: Anatomie de l’Acteur. Cazilhac: Bouffonneries Contrastes, 1985.
    BARRAN, Jose Pedro.História de la sensibilidad en el Uruguay: la cultura bárbara: (1800-1860). Montevideo: Ediciones de la Banda Oriental, Tomo I e II, 1990.
    CRESWELL, R; GODELIER, M. Outils d’enquête et d’analyse anthropologiques. Paris: Maspéro, 1977.
    EIBL-EIBESFELDT, Irenauss. Ethologie : Biologie du comportement. Paris: Ed. Scientifiques, 1977.
    GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,1989.
    _____. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro:Jorge Zahar Editor, 2001.
    GOFFMAN, Erving. Les rites d’interaction. Paris: Les Éditions de Minuit, 1974.
    _____. La mise en scène de la vie quotidienne .Paris: Les Éditions de Minuit, 1973.
    GREINER,Christine; BIÃO, Armindo (org.). Etnocenologia: textos selecionados. São Paulo: Annablume/PPGAC/JIPE-CIT, 1999.
    HERSKOVITS, M.J. Les bases de l’anthropologie culturelle. Paris: Payot, 1952.
    HUXLEY, Julian (org) .Le comportement rituel chez l’homme et l’animal. Paris: Gallimard, 1971.
    LECOQ, Jacques; CARASSO, Jean-Gabriel; LALLIAS, Jean-Claude. Le corps poétique: un enseignement de la création théâtrale. Paris: Actes Sud -Papiers/ANRAT, 1997.
    LEROI-GOURHAN, André . Le geste et la parole. Paris: Albin Michel , 1965.
    MAUSS, Marcel .Les techniques du corps. In: Sociologie et anthropologie. Paris: PUF,1968.
    PRADIER, Jean Marie . Ethnoscénologie: la profondeur des émergences. In: Internationale de l’Imaginaire, nouvelle série, 5: 16, 1996.
    _____. La Scène et la fabrique des corps: Ethnoscenologie du spectacle vivant en Ocident (Vème Siècle av. J.-C.-XVIIIème Siècle). Bordeaux: Presses Universitaires de Boerdeaux,1997.
    SCHECHNER, Richard. Between theatre and anthropology. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1985.
    TURNER, Victor . The anthropology of performance. New York: PAJ Publications, 1986.

  • Pesquisa em Artes Cênicas – 3 créd.

    Apresentação e discussão de temas referentes à configuração da sociedade contemporânea que mereçam ser pesquisados, tendo como referências as conceituações de ciência, arte e espetáculo. Discussão sobre as concepções de pesquisa existentes. Informação sobre diferentes tipos de pesquisa e discussão das possibilidades de adequação entre objeto e método. Revisão e aperfeiçoamento do projeto de pesquisa em artes cênicas.

    Bibliografia

    BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Pesquisa participante. São Paulo: Civilização Brasileira, 1983.
    BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Repensando a pesquisa participante. São Paulo: Civilização Brasileira, 1994.
    KASTRUP, V. A invenção de si e do mundo: uma introdução do tempo e do coletivo no estudo da cognição. Campinas: Papirus, 1999.
    KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Editora Perspectiva, 1987.
    MAFFESOLI, M. O conhecimento comum. São Paulo: Brasiliense, 1988.
    SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. Porto: Afrontamento, 1994.
    ___. Um discurso sobre as ciências. Porto: Afrontamento, 2002.
    ZAMBONI, Sílvio. A pesquisa em arte: um paralelo entre arte e ciência. São Paulo: Autores Associados, 1998.

  • Poéticas do corpo na cena contemporânea 3 créd.

    Estudo do corpo na cena contemporânea, a partir da compreensão dos pressupostos técnicos, poéticos éticos, estéticos e políticos que perpassam diferentes práticas coreográficas, enfatizando uma visão não-hierárquica dessas práticas. Matrizes técnicas, abordagens somáticas, procedimentos criativos, práticas discursivas e reflexivas como suportes para elaboração de corpos disponíveis para a criação. Transversalidade entre disciplinas artísticas, fragmentação do espaço cênico, mobilidade cultural, desterritorialização como contextos de práticas coreográficas contemporâneas.

    Bibliografia

    AZEVEDO, Sônia Machado. O papel do corpo no corpo do ator. São Paulo: Perspectiva, 2002.
    BANES, Sally. Terpsichore in sneakers: post-modern dance, with a new introduction. Hanover: Wesleyan University Press, 1980.
    BERNARD, Michel. De la création chorégraphique. Paris: Centre national de la danse, 2001.
    DANTAS, Mônica. Dança, o enigma do movimento. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 1999.
    CALAZANS, Julieta, Jacyan CASTILHO e Simone GOMES (org.) Dança e
    educação em movimento. São Paulo: Cortez, 2003.
    CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas. São Paulo: Edusp, 1997.
    FERNANDES, Ciane. O corpo em movimento: o sistema Laban/Bartenieff na formação e pesquisa em artes cênicas. São Paulo: Annablume, 2002.
    FORTIN, Sylvie (org.). Danse et santé: du corps intime au corps social. Québec: Presses de l’Université du Québec, 2008.
    GIL, José. Movimento Total: O Corpo e a Dança. São Paulo, Iluminuras, 2004.
    LEHMAN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosacnaify, s.d.
    LOUPPE, Laurence. Poétique de la danse contemporaine.
    MERLEAU-PONTY. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 2006.
    _____. O olho e o espírito. Lisboa: Passagens/Vega, 1992.
    MIRANDA, Regina. Corpo-espaço: aspectos de uma geofilosofia do corpo em movimento. Rio de Janeiro: 7letras, 2008.
    NUNES, Sandra Meyer. As metáforas do corpo em cena. São Paulo: Annablume/Udesc, 2009.
    PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
    PEREIRA, Sayonara. Rastros do Tanztheater no processo cirativo de Es-boço: espetáculo cênico com alunos do Instituto de Artes da UNICAMP. São Paulo: Annablume, 2010.
    RODRIGUES, Graziela. Bailarino, Pesquisador, Intérprete: Processo de formação. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.
    SIQUEIRA, Denise. Corpo, comunicação e cultura: a dança contemporânea em cena. Campinas: Autores Associados, 2006.
    SILVA, Eliana Rodrigues. Dança e pós-modernidade. Salvador: EDUFBA, 2005.

  • Recepção Teatral e Contemporaneidade – 3 créd.

    Tipos de relação teatral e seus métodos de abordagem. Pressupostos da prática e da recepção teatral na contemporaneidade. Encenação e experiência estética. Leitura e cognição.

    Bibliografia

    BARILLI, Renato. Curso de estética. Lisboa: Editorial Estampa, 1989.
    DE MARINIS, Marco. Comprender el teatro: lineamentos de una nueva teatrología. Buenos Aires: Editorial Galerna, 1997.
    INGARDEN, Roman. Concreción y reconstrucción. In: WARNING, Rainer (Org.). Estética de la recepción. Madri: Visor, 1989.
    ISER, Wolfgang. O ato da leitura. Vols. I e II. São Paulo: Editora 34, 1999.
    JAUSS, Hans Robert. Petite apologie de l´expérience esthétique. In: ___. Pour une esthétique de la recéption. Paris: Éditions Gallimard, 1978.
    PAVIS, Patrice. Pour une esthétique de la réception théâtrale. In: DURANT, Regis (Org.). La relation théâtrale. Lille: Presses Universitaires de Lille, 1980.
    PAVIS, Patrice. Vers une théorie de la pratique théâtrale: voix et images de la scène 3. Villeneuve-d’Ascq: Presses Universitaires du Septentrion, 2000.
    TORO, Fernando de. Semiótica del teatro: del texto a la puesta en escena. Buenos Aires: Editorial Galerna, 1987.

  • Seminário de Pesquisa em Andamento – 3 créd.

    Acompanhamento e discussão dos projetos de pesquisa dos alunos, com vistas ao aprofundamento de conceitos teóricos e levantamento de bibliografia crítica. Para as pesquisas cênicas será solicitado um projeto de composição e montagem.

    Bibliografia

    A bibliografia será adequada às temáticas de pesquisa do grupo de mestrandos.

  • Seminário de Preparação de Dissertação – 3 créd.

    Arte e pesquisa: articulações entre criação, reflexão e escrita. Visa o aperfeiçoamento do texto final da dissertação ou memorial de acompanhamento de encenação.

    Bibliografia

    DERDYCK, Edith. Linha de horizonte: por uma poética do ato criador. São Paulo: Escuta, 2001.
    ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Editora Atlas, 1986.
    FURASTÉ, Pedro A. Normas técnicas para o trabalho científico. Porto Alegre: Dactilo-plus, 2001.
    OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. Petrópolis: Vozes, 1978.
    SALLES, Cecília Almeida. Gesto inacabado. São Paulo: Annablume, 1998.
    SPRITZER, Mirna. A formação do ator: um diálogo de ações. Porto Alegre: Mediação, 2003.
    STOKOE, Patrícia; SIRKIN, Alice. El proceso de la creacion en arte. Buenos Aires: Almagesto, 1994.

  • Teatro Sem Espetáculo e Atorialidade – 3 créd.

    Estudo do espetacular, a partir da noção de “sociedade do espetáculo” e de outras contribuições dos movimentos letrista e situacionista. Teatro menor, teatro sem espetáculo, o vazio da cena e atorialidade em Carmelo Bene. Afinidades das noções estudadas em Bene com a obra de outros artistas contemporâneos, especialmente das artes cênicas.

    Bibliografia

    BENE, Carmelo et al. Carmelo Bene. Paris: Dramaturgie; José Guinot, 1977.
    BENE, Carmelo; DELEUZE, Gilles. Superpositions. Paris, Minuit, 1979.
    BENE, CARMELO & DELEUZE, GILLES. Superposiciones. Buenos Aires: Editorial TUSQUETS, 2003.
    CORVIN, Michel. (Org.) Dictionnaire encyclopedique du théâtre Larousse. Paris: Larousse/VUEF, 2001.
    DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.
    DELEUZE, Gilles. Manfred: un extraordinaire renouvellement. In: ___. Deux régimes de fous. Paris: Minuit, 2003.
    DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. 28 de novembro de 1947 – como criar para si um corpo sem órgãos. In: ___. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996a. v.3.
    DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998.
    KANTOR, Tadeusz. O teatro da morte. Sala Preta, São Paulo, n.2, p.89-95, 2002.
    ORLANDI, Luiz B.L. Marginando a leitura deleuzeana do trágico em Nietzsche In:___. et al. O trágico e seus rastros. Londrina: EDUEL, 2002a.
    QUILICI, Cassiano Sydow. Antonin Artaud: teatro e ritual. São Paulo: Annablume, 2004.
    MEICHES, Mauro. Uma pulsão espetacular: psicanálise e teatro. São Paulo: Escuta, 1997.
    NUNES, Silvia Balestreri. Boal e Bene: contaminações para um teatro menor. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica) . Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica, Pontifícia Universidade Católica-SP, 2004.

  • Tópico Especial – Cartografar em Artes Cênicas

    Súmula

     

    Cartografia e perspectivas afins em Artes Cênicas. Pensamento corporificado, roda e descolonização do pensamento. O sul-do-sul ou o sertão-em-nós: o pesquisador em arte como peregrino.

     

     

    Metodologia e Objetivos

     

    O curso se propõe como grupelho de estudos, para pensar, em conjunto, contribuições para as artes cênicas – ou possíveis contaminações – dos estudos sobre cartografia em pesquisa. Buscará também zonas de desassossego em aproximação a estudos que propõem uma descolonização do pensamento.

     

    Bibliografia

    Referências básicas

    A Onça e a Diferença: Projeto AmaZone (wiki multiautoral sobre as cosmologias amazônicas iniciado em 2005). Em: http://amazone.wikia.com/wiki/Projeto_AmaZone

    BENE, Carmelo. La ricerca teatrale nella rappresentazione di stato (o dello spettacolo del fantasma prima e dopo C.B.). In: —. La ricerca impossibile- Biennale Teatro ’89. Veneza: Marsilio Ed., 1990. p. 11-17.

    GUATTARI, Felix. (1981). Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.
    GUATTARI, Felix. (1981). Somos todos grupelhos. In:___. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1987. p.12-19.

    GUATTARI, Felix; ROLNIK, Suely. (1986). Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 1993.

    PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virginia; ESCÓSSIA, Liliana (org). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009.

    LINS, Daniel; GADELHA, Sylvio (org). Nietzsche e Deleuze – Que Pode o Corpo. Rio de Janeiro:Relume Dumará/Fortaleza,CE: Secretaria de Cultura e Desporto, 2002.
    LOPES SILVA, Wallace (org.). Sambo, logo penso: afroperspectivas filosóficas para pensar o samba. Rio de Janeiro: Hexis, 2015.
    ROLNIK, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.

  • Tópico Especial – Cartografar em Artes Cênicas

    Súmula

     

    Cartografia e perspectivas afins em Artes Cênicas. Pensamento corporificado, roda e descolonização do pensamento. O sul-do-sul ou o sertão-em-nós: o pesquisador em arte como peregrino.

     

     

    Metodologia e Objetivos

     

    O curso se propõe como grupelho de estudos, para pensar, em conjunto, contribuições para as artes cênicas – ou possíveis contaminações – dos estudos sobre cartografia em pesquisa. Buscará também zonas de desassossego em aproximação a estudos que propõem uma descolonização do pensamento.

     

     

    Bibliografia

    Referências básicas

    A Onça e a Diferença: Projeto AmaZone (wiki multiautoral sobre as cosmologias amazônicas iniciado em 2005). Em: http://amazone.wikia.com/wiki/Projeto_AmaZone

    BENE, Carmelo. La ricerca teatrale nella rappresentazione di stato (o dello spettacolo del fantasma prima e dopo C.B.). In: —. La ricerca impossibile- Biennale Teatro ’89. Veneza: Marsilio Ed., 1990. p. 11-17.

    GUATTARI, Felix. (1981). Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.
    GUATTARI, Felix. (1981). Somos todos grupelhos. In:___. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1987. p.12-19.

    GUATTARI, Felix; ROLNIK, Suely. (1986). Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 1993.

    PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virginia; ESCÓSSIA, Liliana (org). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009.

    LINS, Daniel; GADELHA, Sylvio (org). Nietzsche e Deleuze – Que Pode o Corpo. Rio de Janeiro:Relume Dumará/Fortaleza,CE: Secretaria de Cultura e Desporto, 2002.
    LOPES SILVA, Wallace (org.). Sambo, logo penso: afroperspectivas filosóficas para pensar o samba. Rio de Janeiro: Hexis, 2015.
    ROLNIK, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.

  • Tópico Especial em Artes Cênicas I – 1 créd.

    Estudo de matéria de discussão atual no âmbito da pesquisa em artes cênicas.

    Bibliografia
  • Tópico Especial em Artes Cênicas II – 2 créd.

    Discussão de um aspecto significativo das artes cênicas contemporâneas.

    Bibliografia

    Bibliografia a ser definida conforme o tema abordado no semestre.