Grupos de Pesquisa

Núcleo de Pesquisa em Arquivamento da Web e Preservação Digital (NUAWEB)

Líderes:

Moisés Rockembach
Caterina Marta Groposo Pavão

O Núcleo de Pesquisa em Arquivamento da Web e Preservação Digital foi criado em 2017 com o objetivo de investigar características do arquivamento da web por meio de iniciativas nacionais e internacionais, lidando tanto com as políticas, quanto as tecnologias envolvidas no processo. Estuda aspectos referentes a preservação, uso e acesso ao longo do tempo de objetos digitais disponibilizados na web de forma retrospectiva e como memória digital (website, som, imagem, vídeo, banco de dados, dados de redes sociais, entre outros), com contribuições da Arquivologia, Biblioteconomia, Ciência da Informação, Comunicação e Ciência da Computação.

Laboratório de Pesquisa em Mídia, Discurso e Análise de Redes Sociais

Líderes:

Raquel Recuero
Felipe Soares

O Laboratório MIDIARS foi criado em 2013, pelos pesquisadores Raquel RecueroMarco Bastos e Gabriela Zago. O objetivo era criar um grupo de pesquisa interinstitucional e internacional que focasse seus trabalhos em análises de mídia social, de modo particular, no discurso, difusão de informações e estrutura  dos grupos sociais naquele espaço. Mais do que isso, o grupo desejava unir diferentes áreas de pesquisa, como a Ciência da Computação, o Design, a Ciência Política, a Linguística Aplicada e a Comunicação dentro de uma mesma perspectiva interdisciplinar de estudos de redes.  Desde então, o grupo tem trabalhado em várias frentes, notadamente questões relacionadas à Democracia, Eleições e Mídia Social e à Violência e Mídia Social.  O grupo atualmente está sediado no Centro de Letras e Comunicação da Universidade Federal de Pelotas (sede física) e no Programa de Pós Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCOM/UFRGS).

Laboratório de Edição, Cultura e Design (LEAD)

Líderes:

Ana Gruszynski
Cida Golin

Reúne pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação (PPGCOM) vinculados às linhas de pesquisa Jornalismo e Processos Editoriais e Mediações e Representações Culturais e Políticas, além de professores e pesquisadores de outras instituições, como a PUCRS e UNISC. Sua atuação se dá em dois eixos principais: (1) Estudos em jornalismo e publicações culturais e (2) Produção editorial multiplataforma. A origem do grupo está associada ao Laboratório Eletrônico de Arte & Design criado em 1991 na Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, espaço dedicado aos eixos de pesquisa, ensino e extensão.

Jornalismo Digital (JorDi)

Líderes:

Marcelo Ruschel Träsel
Felipe Moura de Oliveira

O Grupo Jornalismo Digital está ligado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação (PPGCOM) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul desde agosto de 2011. É registrado no CNPq desde 2006 e até julho de 2011 esteve vinculado à Universidade Federal de Santa Maria, sob coordenação da professora Luciana Mielniczuk (in memoriam). Tem por objetivo estudar as especificidades do jornalismo praticado nas redes digitais. Conta com a participação de estudantes de pós-graduação, de graduação e de pesquisadores de outras instituições, que atuam em atividades de pesquisa e em práticas laboratoriais experimentais.

Representações, Memória Social e Cidadania

Líderes:

Valdir Morigi

O grupo possui 3 eixos articulados com as Representações Sociais, Cidadania e a Memória Social. 1) Mídia e Representações. Aborda questões relativas as representações e da constituição do imaginário na sociedade. Analisa narrativas,discursos e suas linguagens e os conteúdos significativos em diversos suportes, mostrando como ocorre as mediações das representações que circulam nos diferentes meios. 2) Práticas Informacionais, Mídia e Ambiente. Aborda questões relativas as práticas culturais e o papel da informação e da comunicação no debate para construção de novas formas de gestão das cidades e mudanças no comportamento dos cidadãos com o ambiente. Memória, tradição e sustentabilidade. As práticas informacionais, os processos comunicativos e os contextos culturais são elementos fundamentais para compreender como ocorre a produção, a comunicação e o uso de informação ambiental e os processos de construção da memória social e da cidadania. 3) Informação, Memória Social e Cultura (popular).

Núcleo de Pesquisa em Jornalismo (NUPEJOR)

Líderes:

Marcia Benetti
Thais Furtado

O Núcleo de Pesquisa em Jornalismo (NUPEJOR) reúne pesquisadores que atuam no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação (PPGCOM/UFRGS), na Graduação em Jornalismo da UFRGS e em outras instituições, como a USP e a UFSM. É um núcleo integrador de investigações sobre o campo jornalístico, com três linhas de pesquisa: Jornalismo e Discurso, Jornalismo e Estudos de Televisão, Sociologia do Jornalismo. O grupo é espaço de reflexão e interlocução, congregando as pesquisas em desenvolvimento por doutores e seus orientandos (doutorandos, mestrandos e acadêmicos da graduação). Existe desde 2004 e está registrado no diretório dos grupos de pesquisa do CNPq.

Núcleo de Pesquisa em Comunicação Política e Pública (NUCOP)

Líderes:

Maria Helena Weber

Este grupo desenvolve pesquisas norteadas pelos conceitos relacionados à comunicação pública, especificamente: sistemas e estratégias de comunicação do estado; relações de poder entre estado, mídia e sociedade; produtos de comunicação do Estado; sistemas de radiodifusão pública; ações de interesse público e a convergência entre instituições públicas e privadas; acontecimento público; opinião pública e debate público; imagem pública; processos de visibilidade dos poderes executivo, legislativo e judiciário.

Desde 2015, o NUCOP administra o Observatório de Comunicação Pública – OBCOMP (www.ufrgs.br/obcomp) com o objetivo de registrar e abordar temas e ações de interesse público e de interesse da comunicação. Formatado em editorias é constituído pela Biblioteca sobre a produção de comunicação pública, notícias, textos, opiniões, informes sobre eventos e um fórum de debates.

O NUCOP reúne egressos e orientandos em torno de estudos sobre comunicação pública, media e política.

Núcleo de Estudos de Rádio (NER)

Líderes:

Luiz Artur Ferraretto

O Núcleo de Estudos de Rádio reúne estudantes e professores dos cursos de graduação em Jornalismo e de pós-graduação em Comunicação da UFRGS, além de pesquisadores de outras instituições, para pesquisar a vertente comercial do meio, buscando contribuir de modo analítico para o desenvolvimento do setor de radiodifusão. Possui duas linhas de pesquisa:

Rádio comercial, programação e modelo de negócio:
Estuda os processos de gestão, produção, distribuição e consumo de conteúdo radiofônico em seus contextos cultural, econômico, político e social. Analisa as implicações existentes nas relações entre capital e trabalho dentro da sociedade capitalista. Compreende o rádio em sua fase atual de convergência. Trabalha temáticas como modelo de negócio radiofônico, cadeia produtiva, estratégias mercadológicas, audiência, programação, comercialização e regulação

História do rádio:
Recupera a trajetória de emissoras, profissionais e programas de rádio ao longo da história. Analisa a repercussão de fatos relacionados ao meio em seus contextos cultural, econômico, político e social. Compreende o processo de desenvolvimento da atividade de rádio no Brasil. Trabalha temáticas como periodização histórica; características do meio ao longo do tempo; emissoras, programas e profissionais de destaque; e tendências do rádio brasileiro.

Laboratório de Artefatos Digitais (LAD)

Líderes:

Suely Fragoso

O Laboratório de Artefatos Digitais (LAD) atua na intersecção entre as áreas da Comunicação e do Design e reúne pesquisadores interessados na materialidade, nas práticas de significação e na relação sociocultural dos artefatos digitais. As pesquisas do LAD articulam-se em três eixos: o das representações, o das especificidades materiais e o das interações, modos de uso e apropriações desses artefatos. Criado em 2005, o LAD reúne pesquisadores e estudantes de várias Universidades, oriundos de diversas áreas de conhecimento. É um Grupo de Pesquisa vinculado aos Programas de Pós-Graduação em Comunicação e Informação e em Design da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Jornalismo Ambiental

Líderes:

Ilza Maria Tourinho Girardi
Eloisa Beling Loose

O grupo tem por objetivo realizar estudos que venham a contribuir com a constituição de um referencial teórico para o Jornalismo Ambiental. O caminho que pretende seguir aglutina os estudos das Teorias do Jornalismo, especialmente no campo da ética e da função social do jornalismo na construção da cidadania, com os paradigmas Complexo e da Ecologia Profunda e a Corrente Teórica Ecossocial sobre Sustentabilidade. Em síntese, os estudos pretendem incorporar um novo olhar ao jornalismo, que contemple a sustentabilidade da vida no Planeta, a solidariedade, a justiça social e a construção da paz.

Interação Mediada por Computador (LIMC)

Líderes:

Alex Primo

O Grupo de Pesquisa em Interação Mediada por Computador dedica-se à inverstigação científica e ao debate sobre os processos comunicacionais em redes digitais. Com foco no estudo dos processos interativos, busca-se também testar e desenvolver novos produtos e tecnologias informáticas. Através do confronto da teoria com os experimentos, pretende-se promover reflexões sobre o desenvolvimento da socialidade no ciberespaço.

Grupo de Estudo sobre Comunicação e Imaginário (Imaginalis)

Líderes:

Ana Taís Martins Portanova Barros
Jean-Jacques Wuenburger (Université de Lyon III)

Imaginalis – Grupo de Estudos sobre Comunicação e Imaginário – é um espaço de investigação de temas focalizados em sua dimensão arquetípica, mítica, simbólica.
Tendo na tradição de Gaston Bachelard e Gilbert Durand a inspiração fundante, Imaginalis se inaugura com trabalhos na área da Comunicação, debruçados sobre a Fotografia e o Cinema, e se abre para pesquisas multidisciplinares, estabelecendo relações com as várias áreas do conhecimento, a elas unido pelo “tecido conjuntivo” que é o imaginário.
A transdisciplinaridade se faz presente, pois é levando em conta também o conhecimento construído além das disciplinas que se torna possível uma aproximação do imaginário, já que este é o “capital pensado e impensado do Homo sapiens” (Durand).
Assim, ao rigor metodológico se une a polissemia do pensamento por imagens, buscando-se o equilíbrio da coincidentia oppositorum que negocia com as diferenças sem apaziguar contradições.

Processos Audiovisuais

Líderes:

Miriam Rossini

O objetivo deste Diretório de Pesquisa é estudar as conformações contemporâneas da produção audiovisual brasileira, em seus aspectos históricos, políticos, tecnológicos, estéticos, narrativos e de mercado em um cenário de aproximações entre práticas produtivas nos diferentes meios audiovisuais. Essa investigação permite pensar as fronteiras entre os meios audiovisuais tradicionais, televisão e cinema, bem como a expansão para a Internet das produções audiovisuais. Verifica-se, assim, os modos de circulação, interação e consumo dos respectivos produtos. O grupo está vinculado às atividades desenvolvidas junto ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na linha de Mediações e Representações Culturais e Políticas.

Televisão e Audiência (GPTV)

Líderes:

Flávio Antônio Camargo Porcello
Cristiane Finger Costa (PUCRS)

A televisão talvez seja uma das mídias mais impactadas com o novo contexto da convergência digital, principalmente porque sempre trabalhou com audiências cativas, mas nos últimos anos tem enfrentado uma população de espectadores heterogêneos e nômades. O desafio é mapear este público, conhecer para quem se fala (e para quem se produz) e, principalmente, o que realmente interessa a este público, sendo ele exibido e/ou produzido em diferentes plataformas tevê aberta, fechada, na internet e nos dispositivos moveis . Esta é a proposta deste grupo de pesquisa aprofundar a discussão sobre as rotinas de produção, as estratégias narrativas ficcionais ou jornalísticas e as mudanças de comportamento das audiências neste novo contexto. Com possibilidades de pesquisas aplicadas; proposição de novas metodologias de analise e o desenvolvimento de projetos que englobem o ensino e a pesquisa. Com o objetivo de participar de publicações e eventos científicos da área.

Grupo de Pesquisa Semiótica e Culturas da Comunicação (GPESC)

Líderes:

Alexandre Rocha da Silva
Nísia Martins do Rosário
Ione Maria Ghislene Bentz (vice-coordenadora, UNISINOS)

Diretório de Pesquisa Semiótica e Culturas da Comunicação – GPESC – investiga processos de significação engendrados tanto pela revisão crítica da produção científica contemporânea – dos estruturalismos à complexidade – quanto pelas semioses infocomunicacionais, configuradas por códigos, linguagens, e discursos. Reúne pesquisas acerca das audiovisualidades, da memória e do design estratégico, considerando sobretudo suas materialidades, em perspectiva estético-política. Com foco nas culturas da comunicação, tem por objetivos, ainda, a fundamentação, a experimentação e o debate metodológicos.

Comunicação Organizacional, Cultura e Relações de Poder

Líderes:

Rudimar Baldissera

Problematizar e refletir sobre a pesquisa em comunicação organizacional em seus aspectos epistêmicos, teóricos e metodológicos. São eixos temáticos do GCCOP: comunicação organizacional, discurso organizacional, cultura, relações de poder, identidade e imagem-conceito.

Comunicação e Práticas Culturais

Líderes:

Nilda Jacks
Elisa Reinhardt Piedras

Pesquisas sobre comunicação e praticas culturais repercutem através da produção e difusão do conhecimento sobre as relações entre os sujeitos e a comunicação, através de processos, produtos e praticas. O Grupo produziu os levantamentos sobre a produção cientifica brasileira no campo da recepção nos anos 90, 2000 e 2010-15 tangibilizados nos livros “Meios e Audiências” I, II e III; lidera a Rede Brasil Conectado (redebrasilconectado.wordpress.com) composto por membros de 47 universidades e 55 grupos de pesquisa; lidera o a pesquisa nacional comparativa “Jovem e consumo midiático em tempos de convergência”. Atualmente, os seguintes projetos são desenvolvidos pelo Grupo: “Recepção fílmica e espectatorialidade cinematográfica: explorações teórico metodologicas”, “Rumos da pesquisa em publicidade e propaganda: mapeamento da produção acadêmica” e “A pesquisa metodológica no aprendizado da metodologia no campo da comunicação”.

Ano de formação: 2004.

Comunicação Científica

Líderes:

Sônia Elisa Caregnato
Samile Andréa de Souza Vanz

O grupo desenvolve pesquisas teóricas e aplicadas na área de Ciência da Informação e Comunicação, dedicando-se especialmente às temáticas de Produção Científica, Bibliometria, Cientometria, Estudos de Citação, Coautoria e Colaboração, Periódicos Científicos, Fluxo da Informação Científica, Busca e Uso de Informação, Repositórios, bem como à aplicação das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) nas práticas sociais e científicas. Seus membros desenvolvem de forma individual ou coletiva trabalhos em colaboração com grupos de outras Instituições de Ensino Superior, notadamente UNB, USP e UFRJ, no Brasil, e Universidad Carlos III de Madri, na Espanha. O Grupo tem estudado a produção científica e os periódicos de certas áreas do conhecimento, especialmente no que se refere à sua mensuração, indicadores, fator de impacto, bases de dados, processo de avaliação de originais, contribuindo para a maior visibilidade da ciência brasileira.