Seminário de Pesquisa

“Financeirização e Acumulação de Capital no Brasil: consequências macroeconômicas e limites estruturais ao desenvolvimento”

 

A financeirização é um fenômeno macroestrutural cujas implicações socioeconômico-políticas são múltiplas, exigindo o desenvolvimento tanto de estudos nos níveis micro e macroeconômicos, quanto setoriais. Dentre seus subprodutos, destacam-se: a perda significativa da autonomia dos Estados nacionais; queda e estagnação das taxas de investimento em níveis demasiadamente baixos, apesar dos aumentos das taxas de lucro bruto empresariais; aumento do grau de concentração funcional da renda em detrimento dos salários e a persistência de uma trajetória de desindustrialização precoce e acelerada das economias em desenvolvimento. O presente estudo reúne parte dos principais resultados de pesquisas desenvolvidas há mais de uma década sobre essa temática, para o caso brasileiro. Foram utilizados fundamentos teóricos regulacionistas, keynesianos e kaleckianos para explicitar os limites estruturais ao desenvolvimento, provocados por esse fenômeno.