Docentes


Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Ana Cláudia Ferreira Godinho

LINHA DE PESQUISA:
Trabalho, Movimentos Sociais e Educação

CONTATO:
ana.godinho@ufrgs.br

CURRÍCULO LATTES

Doutora em Educação (UNIISINOS, 2012) e Mestre em Educação (UNISINOS, 2007). Pós-doutora em Educação (UFF, 2018). Professora adjunta da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGEDU/UFRGS . Membro do Comitê de Ética na Pesquisa – CEP/UFRGS. Coordenadora do grupo de pesquisa Educação de Jovens e Adultos em Contextos Escolares e Não Escolares (CNPq). Coordenadora do projeto de pesquisa “A leitura no sistema prisional: potencialidades e desafios da remição de pena pela leitura no Brasil” (financiamento do CNPq), que está articulado com o projeto de extensão Remição de Pena Pela Leitura: formação de educadores de jovens e adultos. Pesquisadora da Rede Interinstitucional de Grupos de Pesquisa sobre Políticas de Restrição e Privação de Liberdade. Membro do conselho editorial da Revista Educação e Ciências Sociais. Avaliadora ad hoc do GT 18 – Educação de Jovens e Adultos da Anped desde 2019.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
A leitura no sistema prisional: potencialidades e desafios da remição de pena pela leitura no Brasil

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2019-2022

FINANCIAMENTO: CNPq

RESUMO:
A leitura em contextos de privação de liberdade tornou-se uma pauta da educação de jovens e adultos desde que a Recomendação n. 44 do Conselho Nacional de Educação, de 2012 possibilitou a remição de pena pela leitura em estabelecimentos prisionais brasileiros. Esta abertura legal ao reconhecimento da leitura como prática social relevante para a socialização de pessoas privadas de liberdade propicia o debate sobre a educação não escolar como um direito desta população, que cresceu significativamente no Brasil nos últimos anos. Considera-se que as práticas de leitura têm potencialidades educativas importantes no que se refere à leitura de mundo e de si para pessoas pobres, negras e com baixa escolaridade, perfil predominante da população prisional brasileira, conforme dados do INFOPEN de 2016. Ao mesmo tempo, o contexto de privação de liberdade apresenta desafios à formulação de propostas educativas voltadas para a garantia do direito à leitura. Diante desse cenário, o presente projeto busca compreender os avanços, potencialidades educativas e os limites da remição de pena pela leitura no que concerne à ampliação do direito à educação no sistema prisional brasileiro. Para isso, o presente projeto pretende realizar um estudo bibliográfico com análise documental e complementação de dados mediante aplicação de questionários direcionados a gestores e educadores que atuam em projetos e programas de remição de pena pela leitura no sistema prisional brasileiro.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Analice Dutra Pillar

LINHA DE PESQUISA:
Arte, Linguagem e Currículo

CONTATO:
analicedpillar@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

É Professora Titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e Editora-Chefe da Revista GEARTE. Possui graduação em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1983), mestrado em Artes pela Universidade de São Paulo (1990) e doutorado em Artes pela Universidade de São Paulo (1994). Realizou Estágio de Pós-Doutorado em Artes na Facultad de Bellas Artes da Universidad Complutense de Madrid, Espanha. Atua como professora na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da UFRGS, orientando Mestrado e Doutorado na área de Educação e Artes Visuais. Tem experiência nas áreas de Educação e de Artes, com ênfase no Ensino de Artes Visuais, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, artes visuais, leitura da imagem, produções audiovisuais, mídia televisiva e infância. Foi membro da Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS (1995-1998, 2011-2012 e 2013-2014). Coordena o Grupo de Pesquisa em Educação e Arte (GEARTE/UFRGS/CNPq). É sócia da International Society of Education Through Art (INSEA), da Associação Brasileira de Estudos Semióticos (ABES) e da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas (ANPAP) tendo atuado como representante do Comitê Educação em Artes Visuais da ANPAP (2006-2012). Integra o Conselho Editorial do International Journal of Education Through Art (IJETA); da Revista da Matéria-Prima, da Revista Art&, da Revista Palíndromo. Desenvolve atividades como avaliadora e consultora para periódicos e agências de fomento internacionais, nacionais e regionais. Participou de vários Comitês Científicos. Organizou e publicou artigos e livros na área do Ensino de Artes Visuais.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Leituras da visualidade: análise de macro e micronarrativas audiovisuais em contextos educativos

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2015 – Atual

FINANCIAMENTO: 

RESUMO:
Este projeto visa contribuir para a consolidação do campo da leitura de imagens enfocando uma discussão teórica sobre leitura de macro e micronarrativas audiovisuais da mídia e da arte contemporânea; e uma proposta metodológica de análise comparativa de tais produções a ser realizada em espaços de formação de professores. Na análise das produções audiovisuais o foco estará nos efeitos de sentido que as estratégias de montagem criam ao instaurar o discurso audiovisual. Os referenciais da semiótica discursiva (Landowski, Fechine, Médola, Hernandes,Teixeira), da cultura visual (Freedman, Walker e Chaplin, Hernández) e do ensino da arte (Barbosa, Acaso, Efland) possibilitarão problematizar essas produções e desenvolver uma proposta de leitura comparativa de macro e micronarrativas. A investigação consistirá em estudos teóricos, mapeamento, seleção e análise de macro e micronarrativas audiovisuais da mídia e da arte contemporânea, que articulam imagens e sons de modo diferenciado. A análise objetiva descrever e comparar essas criações quanto aos efeitos de sentido que as estratégias de montagem instauram. A pesquisa envolverá um estudo focal com estudantes de um curso de formação de professores para conhecer as leituras que as produções suscitam e como as significam. Pretende-se, assim, fornecer subsídios teóricos e metodológicos a futuros professores para a realização de leituras comparativas de criações audiovisuais da mídia e da arte em contextos educativos..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Pesquisa em Educação e Arte – GEARTE

Andresa Silva da Costa Mutz

LINHA DE PESQUISA:
Estudos Culturais em Educação

CONTATO:
andresa.mutz@ufrgs.br

CURRÍCULO LATTES

Professora na Universidade Federal do Rio Grande do Sul vinculada ao Departamento Interdisciplinar (UFRGS/CLN), onde atende os cursos de graduação presenciais e os no formato EaD. Atua como docente na Linha de Pesquisa dos Estudos Culturais em Educação, junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU/UFRGS). Doutora (UFRGS) e Mestre (ULBRA) em Educação na linha dos Estudos Culturais em Educação. Licenciada em História (UNISINOS). Líder do Grupo de Estudos em Educação, Interdisciplinaridade e Tecnologias – GEEDINTEC/UFRGS (CNPq), Pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre Currículo, Cultura e Sociedade da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – NECCSO/UFRGS (CNPq) e no Grupo de Estudos em Educação, Cultura, Ambiente e Filosofia da Universidade Federal do Rio Grande – GEECAF/FURG (CNPq). Atuou como professora Adjunta da FURG (2014-2018), na graduação e na Pós-Graduação em Educação, onde tem orientações de mestrado concluídas na Linha de Pesquisa dos Estudos Culturais em Educação.Como professora da Educação Básica (2000-2010), atuou na área da História, Filosofia e Sociologia para os ensino fundamental e médio. Mantém projetos de pesquisa que contam com financiamento público e orientações de iniciação científica em andamento.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
O efeito Google na educação

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2001-Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
A presente investigação tem como objetivo geral refletir acerca das ressonâncias na área da educação decorrentes da proliferação do uso entre alunos e professores de produtos e serviços da gigante de tecnologia Google. A intenção é responder a seguinte questão de pesquisa: Como está constituída na mídia contemporânea a discursividade em torno do uso de produtos e serviços Google na educação? A questão desdobra-se, ainda, nos seguintes objetivos específicos a serem atingidos: a) aprofundar o conceito de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) quando aplicada à educação; b) Mapear as enunciações em artefatos da cultura como revistas, jornais, filmes, etc acerca do que chamamos aqui de ?Efeito Google na Educação?; c) Analisar a discursividade em torno das transformações no campo da Educação decorrentes do uso de produtos e serviços Google; d) Refletir com os discentes, em atividades de ensino, sobre o modo como, uma vez que assume um estatuto pedagógico, as mídias passam a ?ensinar? verdades sobre a educação quando ela está sob o efeito Google; e) Propor ações de extensão junto aos professores da rede pública de modo a socializar os resultados da pesquisa e construir junto com eles novos significados para a questão da educação digital. O campo teórico-metodológico da pesquisa é proveniente dos Estudos Culturais em Educação, em sua vertente pós-estruturalista. Assume-se nessa investigação que os produtos e serviços Google são artefatos culturais que operam sobre os sujeitos os interpelando por meio dos saberes que fazem circular e sobre os quais conferem legitimidade, ou seja, que possuem um importante caráter pedagógico. Como resultado dessa pesquisa, pretende-se reunir elementos para analisar os efeitos desses discursos como produtores de verdades sobre o trabalho e as identidades docentes.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Beatriz Vargas Dornelesbeatriz.dorneles@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/0485494661213898

Professora Titular do Departamento de Estudos Especializados da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do Programa de Pós-graduação em Educação da mesma universidade. Editora Associada da Revista Educação e Realidade da Faculdade de Educação. Cursou graduação em Pedagogia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1980), mestrado em Educação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1986), e doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano na Universidade de São Paulo (1996) e realizou Estágio Pós-Doutoral na Universidade de Oxford-UK (2009 e 2014). Atualmente é consultora de várias revistas nacionais e internacionais e revisora de agências de fomento regionais, nacionais e internacionais. Os interesses de pesquisa incluem formação de professores, diversidade na aprendizagem de diferentes sistemas simbólicos, aprendizagem da leitura, escrita e aritmética e suas dificuldades, aprendizagem em crianças com TDAH, aprendizagem da capacidade de realizar estimativas numéricas e relações entre inteligência e aprendizagem.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Diversidade na aprendizagem da matemática inicial: a compreensão da estimativa numérica

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Produzir uma estimativa não é uma tarefa fácil para as crianças, apesar de estar presente desde os primórdios da contagem. Com efeito, estimar certa quantidade até quatro é uma capacidade que temos e que, para alguns pesquisadores, é inata. (DEVLIN, 2004). As bases cognitivas da estimativa podem ser encontradas no que se tem chamado de senso numérico (CORSO & DORNELES, 2010). No entanto, há evidências de que a capacidade de estimar quantidades vai além do senso numérico e se desenvolve com a idade e a experiência educacional e cultural (HALBERDA AND FEIGENSON, 2008).O objetivo geral do estudo é definir como a habilidade de estabelecer estimativas evolui no decorrer do desenvolvimento infantil, mais exatamente dos 5 aos 14 anos, e definir o quanto tal habilidade está ligada à memória de trabalho e se é passível de estimulação; Os objetivos específicos da pesquisa são: a) descrever a evolução da habilidade de estabelecer estimativas e estabelecer de que forma a habilidade está ligada (ou não) à capacidade de memória de trabalho; b) compreender se tal habilidade de estabelecer estimativas pode ser desenvolvida pela estimulação da memória de trabalho; c) descrever como se caracteriza a diversidade no desenvolvimento da estimativa, especialmente considerando crianças de diferentes níveis socioeconômicos e crianças surdas;.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0978869099358308

Carla Beatriz Meinerzcarlameinerz@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/9741624321390195

Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991 e 1995), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005). Atualmente é professora adjunta do Departamento de Ensino e Currículo da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, como professora e pesquisadora, com ênfase em Ensino de História, atuando principalmente nos seguintes temas: processos de escolarização, juventudes, ensino de história e educação, educação das relações étnico-raciais.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Trajetórias das relações étnico-raciais no Rio Grande do Sul: Ensino de História e recepção das Leis 10.639/03 e 11.645/08

PERÍODO DE EXECUÇÃO:
2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:
O projeto de pesquisa objetiva investigar a recepção das leis 10.639/03 e 11.645/08 no ensino de História, através da imersão nas trajetórias de alguns discursos e de algumas práticas educativas, coletivas ou individuais, de professores dos municípios gaúchos de Cachoeirinha e de Palmares do Sul. A partir desse recorte espacial, aliado ao levantamento de dados com mais amplitude e generalização junto às gestões do estado e demais municípios, busca-se inferir e refletir sobre as especificidades da educação das relações étnico-raciais no Rio Grande do Sul. Tal reflexão será amparada numa revisão bibliográfica sobre a temática, realizada através da busca por produções acadêmicas (TCC, dissertação, tese, artigo), assim como produções dos movimentos sociais, desenvolvidas nos últimos dez anos em nosso estado. Alguns autores que inspiram essa busca, ao tratar do ensino de História na perspectiva da educação das relações étnico-raciais, são: Pereira: 2011, 2012; Bergamaschi: 2010. Finalmente, serão analisados os currículos de alguns cursos de Licenciatura em História das Instituições de Ensino Superior (UFRGS, PUC, UNISINOS, FAPA) da Região Metropolitana de Porto Alegre, buscando suas possíveis interfaces com a legislação em destaque. A metodologia de pesquisa combina análise documental, entrevistas abertas e grupos de discussão, técnicas próprias da pesquisa qualitativa..

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Diversidade cultural e políticas do estado brasileiro junto ao sistema de escolarização

PERÍODO DE EXECUÇÃO:
2011 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:
A pesquisa propõe o estudo das políticas estatais brasileiras formuladas em torno do tema da diversidade cultural e na relação com instituições do sistema de escolarização e suas práticas. Quais as concepções e interesses que sustentam a formulação das políticas estatais sobre diversidade cultural no Brasil? Como se apresentam os interesses dos movimentos sociais nesse processo de formulação de políticas? Qual o estado da arte dos conhecimentos acadêmicos sobre o tema da diversidade cultural na relação com políticas estatais? Trata-se de uma investigação bibliográfica, realizada a partir da produção acadêmico-científica brasileira – teses, dissertações, livros e revistas científicas -, além de documentos oficiais no período de dez anos, desde o ano 2000. O objetivo é interpretar políticas, mas também abordagens e pontos de vista que as constituem, tendo em vista o esforço pelo fortalecimento de espaços e relações de caráter público no sistema de escolarização no Brasil.


GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Estudos afro-brasileiros, indígenas e africanos da UFRGS

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5328020963036692

Grupo de pesquisa do LHISTE UFRGS

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6385374017365262

Carla Karnoppi Vasquesk.recuero@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/4302719300846333

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Luterana do Brasil (1992), mestrado e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação/UFRGS. Desenvolve estudos nas áreas da educação especial, em diálogo com a psicanálise. Atua principalmente nos seguintes temas: inclusão escolar; sujeitos da educação especial; educação especial e processos de subjetivação; formação de professores; autismo e psicoses infantis; alteridade e educação especial. Pesquisadora do NUPPEC (Núcleo de Pesquisa em Psicanálise, Educação e Cultura)-UFRGS/Cnpq.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. LEITURA E RASURA: a construcão do caso na formação continuada de professores implicados na escolarização de alunos com Transtornos Globais do Desenvolvimento
  2. SOCIOEDUCACAO, EDUCACAO ESPECIAL E PSICANALISE: DIALOGOS (IM)POSSIVEIS

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2017 – Atual
  2. 2016 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. O presente projeto de pesquisa ? do tipo integrado/guarda-chuva ? produz uma interface entre os campos da educação especial, psicanálise e a pesquisa acadêmica. Trata-se de uma pesquisa teórica que tem por objetivo estudar [aprofundando, resgatando e relacionando] as possíveis articulações entre a leitura [como tradução e transcrição do que se escreve] e a rasura [como transliteração daquilo que escreve] na construção do caso [dispositivo formativo considerado capaz de produzir, via narrativa escrita, uma leitura da singularidade e a responsabilização pelo agir pedagógico].
  2. O presente projeto – vinculado à Linha de Pesquisa Educação Especial e Processos Inclusivos/PPGEdu e ao Núcleo de Pesquisa em Psicanálise, Educação e Cultura (NUPPEC), ambos da UFRGS – tem por objetivo produzir uma interface entre os campos da educação especial, psicanálise, socioeducação e a pesquisa acadêmica, oportunizando, de um lado, a investigação acerca da escolarização de adolescentes acautelados na Fundação de Atendimento Socioeducativo do Rio Grande do Sul (FASE/RS) e, de outro lado, a reflexão aprofundada sobre a escolarização para àqueles com deficiência, especialmente os que apresentam impasses em sua estruturação psíquica. Como se configura a escolarização de adolescentes que cometem atos infracionais e cumprem uma medida socioeducativa de internação na FASE? Dentre os acautelados há adolescentes considerados da educação especial? Dentre estes, há sujeitos que apresentam impasses em sua estruturação psíquica? Como se estabelecem as relações entre a educação especial e a socioeducação? Trata-se de uma pesquisa exploratória que se alimenta da experiência, mas não exclusivamente. Por operadores conceituais, têm-se o diálogo entre a socioeducação, a educação especial e a psicanálise freudo-lacaniana. Seguindo os preceitos freudianos, os pressupostos ético-metodológicos incluem o pesquisador na experiência que pretende analisar, o que implica considerar a transferência como ferramenta metodológica privilegiada. Sobre as formas de proceder é recorrente nas instituições e nas pesquisas uma tendência a desconsiderar a voz do outro mediante um saber geral, científico e preexistente ao encontro. A construção do caso, metodologia privilegiada no presente estudo, tenta marcar uma subversão nessa lógica ao acolher a alteridade, a impossibilidade de tradução do outro e o cuidado ético com suas falas e ações. Desses fios-sentidos sublinhamos a possibilidade do ser/estar aluno em detrimento ao ser infrator. Ao deslocarmos o foco, apostamos que os impasses relativos ao acolhimento à alteridade podem ganhar novos sentidos, produzindo também efeitos subjetivos e institucionais.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

NEPIE-Núcleo de Estudos em Políticas de Inclusão Escolar

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1652197271061893

Núcleo de Pesquisa em Psicanálise, Educação e Cultura – NUPPEC

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0646341266113155

Célia Elizabete Caregnatocelia.caregnato@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/7312156411933886

Célia Elizabete Caregnato possui Licenciatura e Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1986/1987), Mestrado em Ciência Política pela UFRGS (1992) e Doutorado em Educação pela UFRGS (2004). Realizou estágio pós-doutoral na University of Wisconsin com o grupo de pesquisa do Professor Michael Apple (2013).Exerceu a função de Pró-reitora de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação (2004/2008) no UniRitter. É professora associada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, membro do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da mesma Universidade, sendo também membro da Comissão Coordenadora do Programa (2017-2019). Pesquisa e orienta pesquisas, a partir da Sociologia da Educação, sobre temas da educação superior e da educação de nível médio. Também trabalha com aspectos sociológicos e educacionais no âmbito do ensino de Sociologia. É membro do grupo de pesquisa sobre universidade e educação superior, INOVAVAL.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Desigualdade, diversidade e reconhecimento na Educação: novos públicos da escolarização média e superior
  2. Conhecimento Acadêmico-Científico em Redes de Colaboração II: produção de conhecimento, afinidades e habitus no campo da Educação

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2017 – Atual
  2. 2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. A pesquisa visa analisar aspectos da desigualdade e da diversidade sociocultural nos processos de escolarização de nível médio e superior, tendo por base o estudo de disposições sociais de agentes, de processos de reconhecimento e/ou de legitimação identificados nos casos concretos. A finalidade é a de problematizar práticas sociais, institucionalizadas ou não, que disputam continuidades e/ou mudanças no âmbito das diferenciações sociais no campo da educação..
  2. Este projeto de pesquisa dá continuidade à investigação anterior, fase I com o mesmo título, que analisa o campo científico da Educação, grupos de pesquisa e redes de colaboração, tendo os pesquisadores de 1A como sujeitos estudados. Trabalhamos com a análise da produção dos pesquisadores identificados a partir dos dados acessíveis, inicialmente, na rede mundial de computadores pelo Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq, CV Lattes e, posteriormente, com base no conteúdo das entrevistas com pesquisadores selecionados. Identificamos características da produção de conhecimento, bem como sobre condições a partir das quais se efetiva a liderança das redes de pesquisa, com variado capital político na relação com seu incontestável capital científico. Vimos características da área de Educação mais especialmente quanto à sua dinâmica de produção, bem como sobre possibilidades de criação de novos indicadores de avaliação (Leite et al., 2014a e 2014b) e de aspectos da distribuição regional desses líderes com suas redes de produção (Caregnato et al., 2012 e 2014). A proposta atual objetiva ampliar a análise por meio das fontes já coletadas (2000 e 2010) e também atualizar as informações para os anos subsequentes até 2015, a fim de verificar diferenças de ênfases em período recente na relação com período passado, tendo em vista as transformações da área/campo de conhecimento, as quais se intensificam. Este projeto de pesquisa, da mesma forma que o anterior está vinculado ao projeto de pesquisa de espectro mais amplo que articula atividades do Grupo de Pesquisa Inovação e Avaliação na Universidade (Inovaval) e se vincula com outras pesquisas (Leite, 2014a). Palavras-chave: Produção científica, Sociologia da ciência, Educação, Universidade, Pesquisa..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Estudos Inovação e Avaliação na Universidade

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8632044554453935

Laboratório Virtual e Interativo de Ensino de Ciências Sociais – LAVIECS

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2174484859069476

Cláudia Rodrigues de Freitasfreitascrd@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/5266827280052272

É doutora em Educação pelo PPGEDU/UFRGS, na Linha de pesquisa Educação Especial e Processos Inclusivos. Mestre em Educação (UNISINOS/RS. Possui Formação em Psicopedagogia pela Escuela Psicopedagógica de Buenos Aires – EPsiBA em Curso de Formación En Psicopedagogia Clínica. Possui Pós-doutoramento no campo da Educação Especial-UFRGS. Foi professora na Rede Municipal de Porto Alegre até julho de 2010, atuando no Atendimento Educacional Especializado (AEE) com crianças de zero a seis anos. Professora na FACED/PPGEdu/UFRGS. É integrante do Núcleo de Estudos em Políticas de Inclusão Escolar ? NEPIE/FACED/UFRGS.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. ARCA: Alfabetização com Recursos abertos de Comunicação Alternativa a partir de métodos e tecnologias inovadores aplicados à crianças com deficiência intelectual e/ou TEA
  2. Medicalização e escolarização de alunos-adolescentes referidos com o suposto diagnóstico de TDAH: estado da arte
  3. Games e saúde mental: um ambiente para favorecer processos comunicativos – 1ª etapa
  4. (Des)construindo diagnósticos: o olhar do direito buscando uma política do cuidado em saúde mental

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2015 – Atual
  2. 2014 – Atual
  3. 2014 – Atual
  4. 2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. O presente projeto tem por objetivo aliar o know-how de grupos de pesquisa que se complementam nas áreas de tecnologia assistiva e educação especial na perspectiva inclusiva para investigar, propor e avalar métodos e tecnologias inovadores em comunicação aumentativa e alternativa (CA). Para realizar este propósito, formou-se um consórcio composto de três universidades, UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), UFPE (Universidade Federal do Pernambuco) e UFCE (Universidade Federal do Ceará), por meio dos seus núcleos de tecnologias assistiva..
  2. A presente pesquisa tem por foco analisar a escolarização de alunos-adolescentes referidos com o suposto TDAH. Quais as racionalidades/supostos saberes sustentam a identificação e o diagnóstico destes alunos? Como se organizam tais processos? Como tal diagnóstico é construído e atua nas formas organizativas do trabalho pedagógico? Atua/altera o quadro pedagógico? Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, realizada a partir da produção acadêmico-científica brasileira – teses, dissertações, livros e revistas científicas-, no período de 2005 a 2015. Como operadores de leituras têm-se as proposições da educação especial em diálogo com os construtos foucaltianos. Busca-se captar, por um lado, a heterogeneidade dos estudos, dos sujeitos e dos contextos e, por outro, identificar as homogeneidades que podem revelar os eixos constitutivos de uma possível agenda de formação para professores..
  3. Com o advento e a popularização de tecnologias digitais, estudos investigam como elas afetam a vida dos usuários. A tecnologia digital utiliza ferramentas que são aplicadas em diversas áreas. No âmbito da saúde mental, a utilização de jogos e mídias digitais vem ganhando espaço, pois profissionais e pesquisadores entendem que os games ajudam a produzir formas de divertimento, de potencialização da capacidade inventiva dos usuários que passam a construir diferentes modos de interação. Grande parte da aplicação destas ferramentas tecnológicas é influenciada pelo alto poder computacional das tecnologias mais recentes. Cenários são construídos para compor uma realidade baseada na vivência do usuário e elementos inseridos nos ambientes virtuais convidam para o estabelecimento de modos de conexão consigo mesmo e com as diversas dimensões do que designamos como realidade. A produção de modos de estar com o outro é essencial na configuração da vida humana. Tendo em vista a potencialidade dessas tecnologias, este projeto propõe desenvolver um ambiente tridimensional contendo um sistema de recomendação de ferramentas que visam estimular processos interativos, partindo da experiência em andamento que envolve crianças e jovens do CAPSi (Centro de Apoio Psicossocial da Infância e da Adolescência de Mossoró) e de escritos de diários de campo relacionados a um grupo de usuários que apontam para modos diferenciados de interação através de jogos digitais, diário virtual, pintura digital, fotografias e vídeos. Como resultado do projeto, esperamos finalizar uma plataforma digital capaz de favorecer modos de interação de jovens que vivem em circunstâncias diferenciadas de transtorno no desenvolvimento..
    • A ação diagnóstica nos ambientes de saúde mental e de educação se definem a partir de conceitos sobre o sujeito e sua aprendizagem, construções que se fazem em meio a um conjunto de redes sociotécnicas e políticas da saúde e da educação. As lutas pela inclusão educativa e por novas formas de atendimento de sujeitos em circunstâncias de transtorno de desenvolvimento produziram mudanças nos espaços sociais. Os conceitos sobre o diagnóstico em saúde mental, quando acontece de modo a rotular ou a cristalizar os sujeitos em um lugar definido, produzem efeitos em suas vidas, fortalecendo, muitas vezes, formas de exclusão social. Tem-se, portanto, a perda de alguns direitos fundamentais, garantidos constitucionalmente, como o direito à aprendizagem e à convivência social. É necessária uma averiguação mais complexa e interdisciplinar sobre a temática do diagnóstico, abrangendo não apenas a unilateralidade médica, mas também as dimensões biológica e social que configuram a vida humana. O diagnóstico, portanto, ganha um impacto ainda maior, sendo legitimado por ações públicas e se fazendo presente na legislação. Assim, a pesquisa analisa os mecanismos legitimados em nosso país que interferem nos percursos de atendimento de crianças e jovens em um ambiente de saúde mental, uma análise que considera conceitos inovadores sobre como acontece a aprendizagem e depoimentos coletados em oficinas com familiares de jovens atendidos durante um período de seis meses. A metodologia envolve análise documental de textos da legislação e dos documentos que orientam as políticas da saúde e da educação e uma experiência que cria as condições para uma análise qualitativa dos depoimentos coletados em rodas de conversa com familiares de crianças e jovens. Procuramos mapear concepções sobre o diagnóstico e seus efeitos na experiência dos sujeitos para, assim, discutir a pertinência das diretrizes legais e das políticas públicas como dispositivos que garantam o cuidado e a atenção psicossocial necessárias para o processo de inclusão social de sujeitos com transtornos de desenvolvimento..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Linguagens, Cognição e Tecnologias

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3519179934567171

NEPIE-Núcleo de Estudos em Políticas de Inclusão Escolar

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6695606539613038

Pesquisa, Ação e Colaboração em Educação e Ensino da Saúde – EducaSaúde

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1665076511892913

Claudio Roberto Baptistabaptistacaronti@yahoo.com.br

http://lattes.cnpq.br/3335193926784100

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1983), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1988), doutorado em Educação – Universita degli Studi di Bologna (1996) e Pos-doutorado pela Università di Roma ‘Foro Italico’ (2015). Atualmente é Professor Titular na área de Educação Especial, no Departamento de Estudos Básicos, na Faculdade de Educação e no Programa de Pós-Graduação em Educação, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Coordena o NEPIE (Núcleo de Estudos em Políticas de Inclusão Escolar) na UFRGS. No âmbito desse Núcleo, coordena o Projeto de Pesquisa: Políticas de educação especial e inclusão escolar do Programa Observatório da Educação CAPES/INEP. Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS entre 2004 e 2008. Coordenou o Projeto Doutorado Interinstitucional e Educação UFRGS-UNEMAT (Dinter), entre 2010 e 2014. Integrou a Câmara de Pós-Graduação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da UFRGS entre 2011 e 2014. Membro do Comitê de Avaliação da CAPES desde 2010.Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Especial, atuando principalmente nos seguintes temas: educação especial, inclusão escolar, políticas de inclusão, além das relações entre pensamento sistêmico e educação.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Políticas de inclusão escolar: o atendimento educacional especializado em municípios do Rio Grande do Sul
  2. Políticas de Inclusão Escolar no Rio Grande do Sul: contextos e perspectivas

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2013 – Atual
  2. 2005 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. Projeto vinculado ao Programa Observatório da Educação (CAPES/INEP) do Edital de 2012. A presente proposta configura-se como um ?plano articulado de trabalho em pesquisa e formação? que congrega diferentes iniciativas de investigação. O objetivo geral é analisar a gestão das políticas de inclusão escolar em municípios do Rio Grande do Sul, com ênfase na identificação do espaço institucional da educação especial, nas configurações que evidenciam a ação pública para garantia da escolarização dos alunos com deficiência, na oferta de serviços especializados em educação especial e nas trajetórias escolares dos alunos com deficiência, altas habilidades e transtornos globais de desenvolvimento..
  2. A presente investigação tem como objetivo geral: analisar a implementação de políticas de inclusão escolar no Estado do Rio Grande do Sul. Os objetivos específicos são: -Analisar a abrangência e as singularidades das políticas de inclusão escolar no Rio Grande do Sul; -Identificar experiências de escolarização que valorizem o atendimento dos alunos com necessidades educativas especiais no ensino comum; -Investigar as possíveis conexões entre a inclusão e as políticas municipais de atendimento educacional. -Analisar o avanço de experiências inclusivas por meio da identificação de redes de ensino que apresentam políticas de inclusão escolar. -Discutir as características do atendimento educacional oferecido aos alunos com necessidades educativas especiais, considerando-se os contextos prioritários de análise e os dispositivos que dão suporte ao trabalho educacional: serviços de apoio, formação continuada, organização curricular, etc. -Divulgar o conhecimento produzido com relação à temática em pauta, com vistas à ampliação de um debate que possa subsidiar a qualificação do atendimento educacional. Palavras-Chave: educação, educação especial, inclusão, necessidades educativas especiais, políticas de inclusão, políticas educacionais..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

NEPIE-Núcleo de Estudos em Políticas de Inclusão Escolar

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1652197271061893

Cristian Poletti Mossi  – cristianmossi@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/9298073969911416

Professor Adjunto da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), atuando junto ao Departamento de Ensino e Currículo e ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu) na linha de pesquisa Arte, Linguagem e Currículo. Possui Doutorado em Educação (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), na linha de pesquisa Educação e Artes e Mestrado em Artes Visuais (2010) pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGART), na linha de pesquisa Arte e Cultura, ambos pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM/RS) e com financiamento integral da CAPES. Graduação em Desenho e Plástica – Bacharelado e Licenciatura Plena (2004/2007), Pós-graduação – Especialização em Design para Estamparia (2008) na mesma instituição. Desenvolve estudos e pesquisas nas áreas de Artes Visuais e Educação e atualmente foca suas investigações na interface desses campos com as Filosofias da Diferença, tendo interesse especial pelas inter-relações entre processos de criação/invenção e docência. É membro pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte, Educação e Cultura (GEPAEC) e do Grupo de Estudo e Pesquisa em Arte e Docência – ARTEVERSA, ambos vinculados ao CNPq.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Povoamentos entre arte, educação e filosofia: processos de criação e docência

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2019 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Processos de criação/invenção articulados a percursos de docência e pesquisa em educação, indagando-se acerca dos possíveis povoamentos produzidos entre arte, educação e filosofia. Matérias de expressão de ideias instaurados nesses percursos formativos: leituras, escritas e imagens que são produzidas e/ou apropriadas ao longo dos mesmos. David Lapoujade, Gilles Deleuze, Suely Rolnik, Tim Ingold, Virgínia Kastrup compõem o arsenal teórico-epistemológico da investigação.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

ARTEVERSA – Grupo de estudo e pesquisa em arte e docência

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0454457670090591

Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte, Educação e Cultura

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/26178

Cristianne Maria Famer Rocharcristianne@gmail.com / cristianne.rocha@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/6227320473881539

Doutora e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Realizou estágio de Pós-Doutorado junto à Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS), em 2005, e junto à Universidad Nacional de Educación a Distancia (UNED), em 2013. É Professora Associada da Escola de Enfermagem (EEnf/UFRGS), onde atua, na graduação, junto ao Curso de Bacharelado em Saúde Coletiva e, na pós-graduação, é Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU) e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF). É membro do Comitê de Ética em Pesquisa da UFRGS e membro “ad hoc” do Comitê de Ética em Pesquisa da Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (ESP/RS). Coordena o Grupo de Estudos em Promoção da Saúde (GEPS) e integra o Núcleo de Estudos sobre Currículo, Cultura e Sociedade (Neccso). Foi Professora Visitante (2008) do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa (IHMT/UNL), em Portugal. Foi, de 2006 a 2013, Professora Convidada da Universidad para la Cooperación Internacional (UCI), na Costa Rica. Atua, desde 2006, como Consultora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), em diferentes projetos, no Brasil e no exterior. Desenvolve e orienta pesquisas no campo dos Estudos Culturais, Estudos Foucaultianos, Educação, Comunicação e Promoção em Saúde. ORCID: 0000-0003-3281-2911

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

ESTRATÉGIAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE: MANIFESTAÇÕES BIOPOLÍTICAS NA CONTEMPORANEIDADE

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2018-Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

A Promoção da Saúde foi definida como o processo através do qual indivíduos são capacitados para ter maior controle sobre a própria saúde. Desde a Conferência realizada em Ottawa, no Canadá, em 1986, a Promoção da Saúde vem sendo sempre mais utilizada e atualizada, com vistas a ampliar os seus mecanismos e estratégias de ação. Se, por um lado, seus discursos privilegiam a autonomia e os estilos de vida, por outro desconsideram, por vezes, o quanto a saúde é influenciada por fatores físicos, socioeconômicos, culturais e ambientais. Descrever e analisar, portanto, as estratégias de Promoção da Saúde, enquanto manifestações biopolíticas no contexto contemporâneo, poderão nos ajudar a problematizar algumas das verdades (re)produzidas a respeito da Promoção da Saúde nas últimas décadas. O projeto tem por base uma metodologia de investigação de caráter exploratório-descritivo, de abordagem qualitativa. Será utilizada como estratégia de coleta de dados a pesquisa documental e bibliográfica. A análise das informações produzidas será realizada a partir dos elementos emergentes do campo de pesquisa, tomando como ponto de partida os estudos sobre biopolítica, biopoder e governamentalidade de Michel Foucault. Espera-se que seja possível, com a realização da pesquisa proposta, melhor compreender as possibilidades e os limites conceituais e epistemológicos da Promoção da Saúde, assim como procurar desestabilizar algumas de nossas certezas e tornar visíveis e dizíveis alguns discursos dominantes no campo em estudo.

 

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Estudos em Promoção da Saúde (GEPS)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1505224790037948

Núcleo de Estudos sobre Currículo, Cultura e Sociedade (NECCSO)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5639919727701293

Grupo de Estudos de Atenção à Saúde em Desastres e Eventos de Massa (GEASDEM/UFRGS)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2426374621354711

Grupo de Pesquisa Políticas Públicas, Inclusão e Produção de Sujeitos (UNISC)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/9290356254254244

 

Cristiano Bedin da Costa – cristianobedindacosta@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/1830829812319182

Professor no Departamento de Ensino e Currículo e no Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Doutor em Educação pela UFRGS. Psicólogo pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atuou na Universidade do Vale do Taquari – Univates (2011-2016), desempenhando diversas atividades nos níveis de ensino, pesquisa e extensão. É líder do Grupo de Pesquisa Rede de Pesquisa Escrileituras da Diferença em Filosofia-Educação – REDIF, do Diretório do CNPq. É membro dos Grupos de Pesquisa CEM – Currículo, Espaço, Movimento (Univates) e DIF – Artistagens, Fabulações, Variações (UFRGS). Organizador do ciclo de debates Arredores da imagem (UFRGS-MARGS). Integrante da Zona de Investigações Poéticas – ZIP (UFRGS-UERGS-UFPEL). Interessa-se pelas relações entre Arte, Literatura e Filosofia, tomadas como intercessores do pensamento em Educação. Pesquisa estratégias de criação nos âmbitos da didática, escrita e formação docente.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Conceição Paludoc.paludo@terra.com.br

http://lattes.cnpq.br/1484551689017803

Possui graduação em Pedagogia, especialização em Educação Psicomotora e em Orientação Educacional, mestrado em Educação (1988) e doutorado em Educação (2000), ambos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é docente no curso de Licenciatura em Educação do Campo e pesquisadora na UFRGS, na Faculdade de Educação – Departamento de Estudos Básicos – e na Linha de Pesquisa Trabalho, Movimentos Sociais e Educação (TRAMSE). Tem trabalhado, ao longo dos anos, com processos formais ? em todos os níveis de ensino – e não formais de educação. Temas centrais trabalhados: Fundamentos da Educação; Educação Popular e Educação do Campo; Educação e Movimentos Sociais; Planejamento, Avaliação e Metodologia de Processos Formativos e Organizativos; Metodologia da Pesquisa em Educação.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Contribuições à análise da produção científica da ANPED sobre organização do trabalho pedagógico, política pública e Educação do Campo

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2017 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

A pesquisa proposta pretende realizar o Estado da Questão da relação entre organização do trabalho pedagógico, política pública e Educação do Campo, presente nos trabalhos apresentados nos Grupos de Trabalho da Associação Nacional de Pesquisa e Pós Graduação (ANPED), a partir da 34ª Reunião Anual, realizada em 2011, até a 37ª, de 2015. O projeto caracteriza-se, de um lado, como continuidade de outra investigação já realizada e, de outro, como um projeto ponte. Enquanto projeto ponte, desenvolve pesquisa necessária para posterior estudo de autores clássicos da América Latina e suas contribuições para o entendimento das relações entre organização do trabalho pedagógico, política pública e o desenvolvimento de experiências práticas escolas e não escolares, ditas alternativas, com povos que vivem no campo, em diferentes países da América latina, por meio de estudos comparativos..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Formação de Professores no Mercosul/Cone Sul

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6487620898571887

MovSE: Movimentos Sociais, Escola Pública e Educação Popular

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5058235379007486

Trabalho, Movimentos Sociais, Educação

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1002188834293937

Dóris Bittencourt Almeida

LINHA DE PESQUISA:
Educação, Culturas e Humanidades

CONTATO:
almeida.doris@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Graduada em História pela PUCRS, Mestre em Educação (2001) e Doutorado em Educação (2007) pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Membro da Associação Brasileira de História da Educação/SBHE, da Associação Sul-Riograndense de História da Educação/ASPHE e da Associação Nacional de História/ANPUH. Coordena o Grupo de Trabalho em História da Educação (GTHE) da Associação Nacional de História (ANPUH/ Seção Regional – RS). É professora adjunta IV de História da Educação da Faculdade de Educação, atuando junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência nas áreas de História da Educação, Fundamentos da Educação e Ensino de História. Pesquisa os seguintes temas relacionados à História da Educação: Memória e História Oral, História da Cultura Escrita, Cultura Escolar, Imprensa de Educação e de Ensino.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
MEMORIA FACED: ENTRE TEMPOS, ESPAÇOS E CULTURAS DA EDUCAÇÃO NO RS

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2018 – Atual

FINANCIAMENTO: CNPq

RESUMO:
O Projeto de Pesquisa busca desenvolver estudos que tematizem memórias da UFRGS, nas interfaces com a pesquisa da história da educação do RS, a partir do trabalho no Arquivo Histórico da Faculdade de Educação/UFRGS, setor da Faculdade. O Arquivo é um lugar que comporta atravessamentos complexos, em que se preservam fragmentos da memória da Universidade, e contempla, entre outros papeis, arquivos pessoais de professores. Assim, tem-se como um dos objetivos a análise de documentos pessoais de professores dessa instituição, considerando as singularidades que permeiam esses gestos de arquivamento, representativos de experiências docentes, em diferentes temporalidades. A partir do inventário desses conjuntos documentais, busca-se examiná-los, nos planos individual e coletivo, e reconhecer a potência desses testemunhos que, somados a outros documentos, podem contribuir para um incremento da produção historiográfica acerca das memórias da Educação, considerando os percursos de docentes,  em seus diferentes espaços de atuação. O Projeto alinha-se aos estudos em torno de arquivos institucionais e arquivos pessoais, atrelado às perspectivas temáticas da História da Educação, interessada em estudar os professores e suas práticas de ensino, escrita, trabalho, engajamentos, redes de sociabilidade, entre outros aspectos. A partir das memórias da UFRGS, estende-se a abrangência do Projeto que contempla pesquisas acerca da história da educação, em diferentes perspectivas temáticas, tendo como lócus o espaço geográfico do Rio Grande do Sul, nos séculos XIX e XX, considerando as práticas e experiências de diferentes agentes educativos, em seus diferentes espaços de atuação.  Com o emprego de metodologia oriunda da Análise Documental Histórica e da História Oral, pretende-se reunir elementos que auxiliem na compreensão de diferentes questões que envolvem as memórias da Educação no RS. Do ponto de vista da inserção social, considera-se importante que o trabalho com essa área de conhecimento, concomitantemente às práticas de preservação de arquivos, incentive políticas de salvaguarda institucional.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Educação no Brasil: memória, instituições e cultura escolar

Entre Memórias e Histórias da escola no Rio Grande do Sul: do DEUTSCHER HILFSVEREIN AO COLÉGIO FARROUPILHA(1858-2008)

Histórias e Memórias da Educação Brasileira e da Cultura

Dóris Maria Luzzardi Fissfiss.doris@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/1206324784455009

Possui Graduação (Licenciatura Plena) em Letras Português/Inglês e respectivas Literaturas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1991), Mestrado (1996-1998) e Doutorado (1999-2003) em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É Professora Adjunta IV no Departamento de Ensino e Currículo (Área: Didática) da Faculdade de Educação (FACED) e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Linha de Pesquisa: Arte, Linguagem, Currículo / Área Temática: Docência e Discurso. É líder do “Grupo de Pesquisa em Educação e Análise de Discurso” (GPEAD) do PPGEDU/UFRGS/CNPq e integrante do Grupo de Pesquisa “Núcleo de Estudos sobre Acesso e Permanência na Educação” (Instituto Federal Fluminense/CNPq). Parecerista ad hoc das revistas: Educação e Realidade (UFRGS – A1), Currículo sem Fronteiras (A2), Arquivos Analíticos sobre Práticas Educativas (Universidade do Arizona/EUA, A2), Educação (PUCRS – A2), Reflexão e Ação (UNISC – B2), Ciência, Educação e Cultura (UNILASALLE – B5) e Eventos Pedagógicos (UNEMAT – B5). Membro do Conselho Editorial da Revista Reflexão e Ação. Membro do Conselho Consultivo Nacional da Revista Eventos Pedagógicos (UNEMAT). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em currículo, práticas pedagógicas e formação de professores, atuando principalmente nos seguintes temas: análise de discurso, currículo, culturas juvenis, identidades docentes, planejamento e formação de professores. Pesquisadora no campo da formação de professores e da análise de discurso, tem constituído interfaces entre educação e estudos da linguagem e, também, tem atuado na formação de licenciandos e de novos pesquisadores – mestrandos. Desenvolve a pesquisa “Formação de professores, Tecnologias de Informação e Comunicação e Autoria” de que se desdobraram quatro ações de iniciação científica associadas à coordenação das seguintes investigações: “A construção compartilhada dos saberes – o fazer-se professor na Formação Docente Inicial Presencial” (2012-2013) “Formação de professores e autoria nas vozes dos licenciandos: da expectativa de docência à docência-autora” (2013-2014), Escola e juventude: o que dizem os professores?” (2014-2015) e “”Narrativas docentes, culturas juvenis e o ser/estar na escola” (2015-2016). Tem publicado artigos em revistas e capítulos de livros nas áreas de pesquisa nas quais atua e, também, organizado Dossiês – “Língua, Discurso e Sujeito na Educação” (2011, Revista Educação & Realidade – A1), “Educação, pesquisa e linguagem: encontros e atravessamentos” (2014, Revista Educação PUCRS – A2), “Formação de professores e práticas culturais: descobertas, enlaces, experimentações” (2013, Revista Arquivos Analíticos sobre Políticas Educativas – A2), “Educação, arte e linguagem” (2015, Revista Reflexão e Ação UNISC, B2), “Formação de professores e desafios da escola na século XXI” (2016, Revista Eventos Pedagógicos, 2016, B5) e “Formação de professores: campos de (investig)ação, concepções e caminhos” (2017, Revistas perspectivas, A2).

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. O que aconteceu com a escola cidadã?
  2. Ciclo de vida dos professores em atividade nas escolas públicas: o discurso docente e as movências de sentidos
  3. O ser/estar na escola: efeitos de sentidos de permanência e autoria
  4. Estágio supervisionado como acontecimento: ressonâncias na constituição das identidades docentes
  5. Sobre a autonomia manifesta nos discursos dos estudantes de iniciativas populares
  6. Discurso e docência: efeitos de sentidos de permanência na escola
  7. Formação de Professores, Tecnologias de Informação e Comunicação e Autoria

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2016 – Atual
  2. 2016 – Atual
  3. 2016 – Atual
  4. 2015 – Atual
  5. 2015 – Atual
  6. 2015 – Atual
  7. 2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. Projeto de Pesquisa desenvolvido por aluna do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul sob a orientação da Profa. Dra. Dóris Maria Luzzardi Fiss..
    Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
  2. Projeto de Pesquisa desenvolvido por aluna do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul sob a orientação da Profa. Dra. Dóris Maria Luzzardi Fiss. Período: agosto de 2016 a agosto de 2018..
  3. Projeto de pesquisa desenvolvido por bolsista de iniciação científica e associado a outro projeto maior – “Formação de professores, tecnologias de informação e comunicação e autoria”.
  4. Projeto de Pesquisa desenvolvido por aluna do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul sob a orientação da Profa. Dra. Dóris Maria Luzzardi Fiss. Período: agosto de 2015 a agosto de 2017..
  5. Projeto de pesquisa desenvolvido por aluno do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul sob orientação da Profa. Dra. Dóris Maria Luzzardi Fiss. Período: agosto de 2015 a agosto de 2017..
  6. Projeto de Pesquisa desenvolvido por aluna do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul sob a orientação da Profa. Dra. Dóris Maria Luzzardi Fiss. Período: agosto de 2015 a agosto de 2017..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

GRUPO DE PESQUISAS SOBRE EDUCAÇÃO E ANÁLISE DE DISCURSO

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8939621547068422

NIEPE-EJA Núcleo Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão em Educação de Jovens e Adultos

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4082821492901574

Núcleo de Estudos sobre Acesso e Permanência na Educação

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8625284108745394

Elisabete Zardo Búrigo

LINHA DE PESQUISA:
Políticas e Gestão de Processos Educacionais

CONTATO:
elisabete.burigo@ufrgs.br

CURRÍCULO LATTES

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (2004), licenciada em Matemática e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Realizou estágio pós-doutoral no Service d’Histoire de l’Éducation do Institut National de Recherches Pédagogiques, em Paris, 2011. É professora titular do Instituto de Matemática e Estatística e também docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática. Os temas de interesse são: políticas curriculares, formação de professores, educação matemática e história da educação matemática.

TÍTULO DE PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Estudar para ensinar: práticas e saberes matemáticos nas Escolas Normais do Rio Grande do Sul (1889-1970)
Para que ensinar matemática? Recorrências e inflexões nos debates e embates sobre os currículos escolares

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2017-2021 / 2021-atual

FINANCIAMENTO: CNPq

RESUMO:
1. O projeto propõe um estudo sobre a formação de professores primários para o ensino dos saberes matemáticos implementada nas escolas normais ou complementares do Rio Grande do Sul, no período 1889-1970. São enfocados os processos e as práticas formativas no âmbito de três estabelecimentos com importância destacada no cenário regional: a Escola Normal de Porto Alegre, criada no tempo do Império, atual Instituto Estadual de Educação General Flores da Cunha; a Escola Complementar de Pelotas, atual Instituto Estadual de Educação Assis Brasil; a Deutsches Evangeliches Lehrerseminar, atual Escola Normal Evangélica de Ivoti, criada pela comunidade teuto-brasileira vinculada ao Sínodo Rio-Grandense. A pesquisa é orientada pelas seguintes questões: qual o papel dos saberes matemáticos na formação do professor para o ensino primário, no período abrangido pela pesquisa? Como as instituições formadoras concebiam e praticavam essa formação? Quais representações de escola, de professor e de formação eram evocados ou orientavam a ação dos formadores? Como os atores dessas instituições interpretaram o ideário de movimentos como o escolanovismo e a Matemática Moderna, e que proposições construíram para o ensino dos saberes matemáticos nas escolas primárias? Com a constituição de um acervo digital de fontes e a produção de narrativas acerca da formação de professores para o ensino dos saberes matemáticos na escola primária do Rio Grande do Sul (1889-1970), pretende-se contribuir para os estudos comparativos acerca da escola primária e da formação de professores em diferentes regiões do país e fomentar novas interrogações e reflexões acerca da formação de professores que ensinam Matemática nos dias atuais.
2. O projeto de pesquisa propõe uma investigação sobre os percursos de constituição dos discursos curriculares sobre as finalidades do ensino escolar da Matemática no Brasil, articulando uma perspectiva de discussão de questões curriculares com pesquisas em desenvolvimento no campo da História da Educação Matemática. A investigação é motivada pela identificação de ambiguidades e tensões recorrentes, desde os tempos dos cursos primário e ginasial, entre uma visão instrumental da disciplina e proposições de uma educação matemática orientada para o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico; tensões que são agravadas com a instituição da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e as demandas impostas às escolas pelos sistemas de avaliação da qualidade do ensino. Tomando como marcos temporais a elaboração da Lei nº 5.692/71 e a instituição da BNCC em 2017, e portanto percorrendo um período de aproximadamente 50 anos, o projeto de pesquisa pretende identificar recorrências e inflexões, dissonâncias, convergências, ambiguidades e aproximações em discursos sobre as finalidades da educação matemática escolar que circularam nacionalmente, rastreando os modos como esses discursos foram sendo reiterados ou reconfigurados. A estratégia concebida para a investigação está baseada na articulação de dois procedimentos, a serem desenvolvidos de modo concomitante e articulado. De um lado, pretende-se revisar e sistematizar os resultados encontrados por outros estudos, inclusive aqueles de autoria desta pesquisadora, que tomaram por objeto discursos ou proposições de políticas curriculares para a matemática escolar por diferentes atores, no período referido. De outro lado, pretende-se investigar os enunciados sobre as finalidades da matemática escolar, identificados a partir da leitura de documentação abrangendo: legislação de âmbito nacional, pareceres e diretrizes emanados pelo Conselho Federal de Educação e pelo Conselho Nacional de Educação, documentos do Ministério da Educação e do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (INEP) acerca de temas relacionados às políticas curriculares; anais dos Encontros Nacionais de Educação Matemática, realizados desde 1987, dos Seminários Internacionais de Pesquisa em Educação Matemática, e outros documentos produzidos pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM); documentos sobre ensino de Matemática produzidos pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). Como produto, pretende-se oferecer análises que contribuam para a explicitação e elucidação das finalidades atribuídas à matemática escolar por governos, organismos oficiais e outros atores coletivos, como subsídios para a construção de políticas curriculares com transparência e participação dos sujeitos dos processos educativos.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

1. Grupo Associado de Estudos e Pesquisas sobre História da Educação Matemática

Fabiana de Amorim Marcellofamarcello@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/3635060565287453

Possui doutorado em Educação pela UFRGS (com período de estudos na Universidade Paris III – Sorbonne Nouvelle, doutorado-sanduíche), mestrado em Educação e graduação em Pedagogia pela mesma Universidade. É professora do Departamento de Estudos Especializados, na área de educação infantil, e do Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É vice-coordenadora do PPGEDU/UFRGS (2017-2019) e coordenadora do Dinter com a Universidade do Estado do Alagoas (UNEAL) (2016-2020). Fabiana de Amorim Marcello é membro do Núcleo de Estudos em Mídia, Educação e Subjetividade (NEMES/UFRGS) e do Grupo de Estudos em Educação Infantil e Infâncias (GEIN/UFRGS). É membro do Comitê Científico do GT de Educação e Comunicação da ANPEd (2014-Atual), onde atuou também como Coordenadora (2012-2013). Atualmente, é Editora Associada da Revista Estudos da Presença. Desenvolve pesquisas e orienta teses e dissertações tendo como foco os conceitos de infância e/ou imagem, em seus múltiplos desdobramentos (cinema, artes visuais, mídia).

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Pesquisar com crianças, pesquisar com imagens: práticas do olhar na constituição ética dos sujeitos

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2016 – atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Esta pesquisa emerge de algumas problematizações teórico-metodológicas, derivadas de minha atuação como docente no curso de pedagogia, bem como de pesquisadora sobre a temática da infância e da imagem: a) Inicialmente, uma problematização sobre o lugar de enunciação da criança na cultura; b) Sobre as formas pelas quais somos convocados a pensar sobre nosso lugar num tempo de imagens. c) Sobre os modos de construção de sujeitos partindo do arcabouço teórico foucaultiano. Assim, considerando o panorama da pesquisa, tenho como OBJETIVO GERAL analisar as falas produzidas por dois grupos crianças de 5-6 anos, frequentadoras de uma escola infantil (creche da UFRGS), e dinamizadas a partir de 20 encontros – os quais têm como foco o debate sobre as noções de infância, tal como expressas em imagens de artistas visuais que elegem esta experiência como mote de suas produções – no cotejo de outro processo, qual seja, aquele da análise de tais imagens, na condição de elementos da cultura que, do modo como elaboradas, colocam em circulação questionamentos urgentes acerca de outros modos de ser sujeito-infantil (por exemplo, implicados em noções completamente distintas daquelas que vemos circular nos meios de comunicação ou mesmo aquelas, no senso comum, da infância como lugar ausente de conflitos e cuja estratégia de proteção radica-se numa espécie de silenciamento). A justificativa para a escolha da temática está apoiada na possibilidade investigativa de seleção e análise de um tipo de produção cultural implicado com um tipo específico de formação estética, no caso, ligada à abertura e pluralidade de sentidos, ao desafio, ao tensionamento dos nossos modos já tão conformados de ver – algo só possível mediante um investimento na potência da imagem como linguagem criadora..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

GEIN – Grupo de Estudos de Educação Infantil e Infâncias

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4964865837366739

Núcleo de Estudos de Mídia, Educação e Subjetividade (NEMES)]

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5162882727309871

Fernanda Wandererfernandawanderer@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/9250845249062534

Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS, integrando a Linha de Pesquisa Estudos Culturais em Educação. É doutora (2007) e mestre (2001) em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), especialista (1999) em Formação do Professor de Matemática pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e graduada (1997) em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Membro do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação Matemática e Sociedade (GIPEMS), que integra o Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: currículo, educação matemática, etnomatemática, cultura e práticas pedagógicas.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Educação Matemática e Educação do campo: uma análise sobre jogos de linguagem e processos de subjetivação
  2. Educação matemática e dispositivo de tecnocientificidade

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  • 2016 – Atual
  • 2015 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. O Projeto tem por propósito analisar enunciações produzidas por estudantes do Curso de Licenciatura em Educação do Campo enfocando, em especial, aquelas vinculadas aos processos de ensinar e aprender matemática e tornar-se educador. Seu referencial teórico é a perspectiva etnomatemática, conformada pela articulação do pensamento de Foucault e da obra de maturidade de Wittgenstein, como definida por Knijnik el al (2013). As autoras destacam que com esse entendimento a Etnomatemática passa a ser tomada como uma caixa de ferramentas que possibilita: ?analisar os discursos que instituem as Matemáticas Acadêmica e Escolar e seus efeitos de verdade e examinar os jogos de linguagem que constituem cada uma das diferentes Matemáticas, analisando suas semelhanças de família? (IBIDEM, p. 28). O material de pesquisa é conformado por documentos e materiais do Curso de Licenciatura do Campo ? Ciências da Natureza desenvolvido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e narrativas de estudantes do referido Curso, produzidas em entrevistas, sobre questões vinculadas aos processos de ensinar e aprender matemática nas escolas do campo..
  2. O projeto tem como objetivo geral analisar como, em diferentes formas de vida escolares, opera o discurso da educação matemática, em suas articulações com o dispositivo da tecnocientificidade. É parte de um projeto mais amplo, de âmbito internacional, envolvendo instituições de quatro países: Dinamarca (Aalborg University), Suécia (Malmo University), Colômbia (Universidad Nacional Pedagógica)) e Brasil (Unisinos). Seu referencial teórico tem como eixo principal noções advindas do pensamento de Michel Foucault e das ideias de Ludwig Wittgenstein que correspondem ao que é conhecido como período tardio de sua obra. O material de pesquisa do projeto está estruturado em duas instâncias. A primeira, constituída por documentos oficiais (nacionais e internacionais) que tratam de políticas públicas e diretrizes de órgãos como a OECD e Unesco no que concerne à tecnociência e à educação, em especial à educação matemática. A segunda instância consiste em entrevistas a serem realizadas com professores dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, professores de Matemática, de Ciências Físicas e Biológicas dos Anos Finais do Ensino Fundamental e com professores licenciados em Matemática, Química, Biologia e Física que atuam no Ensino Médio, docentes em exercício em diferentes formas de vida escolares da capital do Estado do Rio Grande do Sul e das regiões do Vale do Rio dos Sinos e do Vale do Taquari, pertencentes a esse Estado..
    Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação Matemática e Sociedade

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3927763371283388

Fernando Becker

LINHA DE PESQUISA:
Aprendizagem e Ensino

CONTATO:
fbeckerufrgs@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

É graduado em Filosofia Licenciatura – Faculdades Anchieta (1971), mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1976) e doutor em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (1984). É professor titular (1995) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Publicou 43 artigos em periódicos especializados e 37 trabalhos em anais de eventos. Tem 23 capítulos de livros, 12 livros publicados e 61 itens de produção técnica. Participou de 54 eventos no Brasil. Orientou 42 dissertações de mestrado e 21 teses de doutorado. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Epistemologia, atuando principalmente nos seguintes temas: epistemologia genética, conhecimento, educação, aprendizagem, ensino-aprendizagem e epistemologia do professor.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Núcleo de Estudos em Epistemologia Genética e Educação

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2002 – Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
1) Linha de pesquisa: Sujeito da educação: conhecimento, linguagem e contextos Sub-linha: Educação e construção do conhecimento ? Prof. Fernando Becker (líder) Profª Tania Beatriz Iwaszko Marques (sub-líder) Estudos em epistemologia genética piagetiana e pedagogia freireana, abordando o desenvolvimento do sujeito cognoscente não apenas em suas interações com o objeto (físico, simbólico, social, cultural, histórico), mas também contextualizando-as no amplo ambiente pedagógico em que as ações do professor e do aluno constituem sentido somente na medida em que constroem o novo por sucessivos patamares de abstração reflexionante.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Núcleo de Estudos em Epistemologia Genética e Educação – NEEGE

Fernando Seffner

LINHA DE PESQUISA:
Educação, Sexualidade e Relações de Gênero

CONTATO:
fernando.seffner@ufrgs.br

CURRÍCULO LATTES

Professor Titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Departamento de Ensino e Currículo. Graduação em Geologia e Licenciatura Plena em História pela UFRGS, Mestrado em Sociologia e Doutorado em Educação UFRGS. Docente e orientador junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU) na linha de pesquisa Educação, Sexualidade e Relações de Gênero. Docente e orientador no Mestrado Profissional em Ensino de História – PROFHISTÓRIA, na linha de pesquisa Saberes Históricos no Espaço Escolar. Atua em pesquisas e orientações investigando processos de produção, manutenção e modificação das relações de gênero com ênfase nas masculinidades, situações de vulnerabilidade à AIDS; conexões entre direitos humanos e políticas públicas de gênero e sexualidade, teorizações queer, interseccionalidade e marcadores sociais da diferença. No nível de graduação dedica-se a disciplinas que envolvem o ensino de História e pesquisa as conexões entre experiência e aprendizagem da História a partir da etnografia de cenas e registros da cultura escolar. É líder do Grupo de Estudos de Educação e Relações de Gênero GEERGE e por conta de redes de investigação construídas é integrante da equipe de outros grupos de pesquisa, destacando-se aqui o LISTHE Laboratório de Ensino de História e Educação UFRGS, o NEPAIDS Núcleo de Estudos e Pesquisas em AIDS USP, e o NEED Núcleo de Estudos em Educação Democrática da UFF Universidade Federal Fluminense, onde é o coordenador da linha de pesquisa Educação Democrática e Gênero, todos registrados no DGP CNPQ. Coordenador do GT23 – Gênero, Sexualidade e Educação da ANPED Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (2017-2021). Integrante da COMPOS PROF HISTÓRIA UFRGS (2016/2021). É Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – Nível 2 – CA ED – Educação

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Processos Culturais e Pedagógicos de Produção, Manutenção e Modificação das Masculinidades no âmbito da cultura escolar: reiterações e transgressões da norma

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2019 – Atual

FINANCIAMENTO: CNPq

RESUMO:
Referenciando-se de modo amplo na perspectiva teórica pós-estruturalista e nos estudos de gênero, sexualidade e educação, este projeto de pesquisa está desenhado em diversos tópicos. Inicialmente, apresentam-se objetivo geral e objetivos específicos do empreendimento de pesquisa e um conjunto de informações que permitem situar a trajetória do pesquisador proponente e os traços fundamentais do grande campo de pesquisa. Após, apresentam-se os elementos essenciais e metas atingidas nos dois triênios em que já desfrutei da Bolsa de Produtividade em Pesquisa CNPq, de 2016 a 2022, extraindo daí elementos para pensar o rumo que agora se deseja dar continuidade para um subsequente triênio. De posse principalmente destes dois elementos – projetos de pesquisa anteriores e tópicos de avaliação de seu desenvolvimento nos dois triênios anteriores – realoco minha “vontade de saber” acerca dos processos culturais e pedagógicos de governamento das relações de gênero e sexualidade no âmbito da cultura escolar, em estreita conexão com o estudo da norma. Dou especial atenção aos processos de reiteração e transgressão da norma em gênero, a cisheteronormatividade, e em sintonia com quatro movimentos sociais de cunho conservador, com larga implicação nas questões em gênero e sexualidade na cultura escolar: movimento “escola sem partido”, movimento “ideologia de gênero”, implantação de escolas cívico militares e proposições de educação domiciliar. Apresento então a questão de pesquisa a orientar os próximos três anos. Na sequência aparecem o cronograma e as referências bibliográficas. Em anexo, a tabela de pontuação de indicadores, conforme exigência do edital. Vale destacar que, para além da avaliação propriamente acadêmica do percurso de pesquisa feito nos dois triênios já concluídos, o cenário político brasileiro alavancou um importante contexto de “pânico moral” para com as questões de gênero e sexualidade, em particular quando referidas à cultura escolar, contexto onde situo minhas maiores atenções de investigação. Desta forma, é tanto pelo acúmulo de leituras e estudos que tenho feito no tema, quanto pelas demandas do contexto político e educacional brasileiro, que aqui se desenham os eixos de pesquisa para o futuro triênio. As tensões que envolvem a abordagem de temas em gênero e sexualidade no campo da educação trouxeram também a necessidade de estabelecer um diálogo da pesquisa com o referencial da educação em e para os direitos humanos, a fornecer um referencial tanto teórico quanto político e programático. O esforço de pesquisa segue inspirado metodologicamente na etnografia, com trabalho sistemático de visita em escolas e observação de cenas da cultura escolar, na sala de aula e nos momentos de recreio, entrevistas informais com alunos(as) e professores(as), observação de elementos materiais e imateriais da cultura escolar, elaboração de diário de campo e outros modos de anotação. O trabalho experimentou modificações importantes no período da pandemia, com o recurso a etnografias virtuais, o que já foi objeto de dois artigos publicados em 2021. O conceito de governamentalidade veio tomando protagonismo teórico, em diálogo com pedagogias do gênero e da sexualidade, e isso justificou oferta de disciplinas e criação de grupo de estudos. Em paralelo ao projeto de pesquisa, se mantém programa de leitura para o triênio, que opera com a noção de reiterações e transgressões da norma e que foca situações de negociação, no âmbito da cultura escolar, entre as reivindicações das culturas juvenis, as demandas familiares sobre a escola, e o avanço de políticas públicas e de movimentos sociais de cunho conservador em temas de governamento moral.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Estudos de Educação e Relações de Gênero – GEERGE

Grupo de pesquisa do LHISTE UFRGS

Núcleo de Estudos para Prevenção da AIDS – NEPAIDS

Preconceito, vulnerabilidade e processos psicossociais

Gilberto Icle

LINHA DE PESQUISA:
Arte, Linguagem e Currículo

CONTATO:
gilbertoicle@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Possui graduação em Artes Cênicas (1992), mestrado em Educação (2000) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). Atualmente é professor associado no Departamento de Ensino e Currículo e professor permanente no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É professor colaborador no Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade de Brasília. Foi criador e editor da Revista da Fundarte. Foi criador e coordenador dos cursos de graduação em Artes (teatro, dança, música, artes visuais) da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS/Fundação Municipal de Artes de Montenegro-FUNDARTE. É editor associado da Revista Educação & Realidade e editor-chefe da Revista Brasileira de Estudos da Presença (www.seer.ufrgs.br/presenca). Tem experiência na área de Artes (Teatro e Dança), com ênfase em Pedagogia Teatral e Pedagogia do Ator, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro, educação, trabalho do ator, pedagogia teatral, discurso, antropologia, performance, etnocenologia. Possui artigos e livros publicados sobre teatro e educação e produção artística como ator e diretor de teatro. É coordenador do GETEPE-Grupo de estudos em educação, teatro e performance (www.ufrgs.br/getepe), no qual dirige e atua a UTA-Usina do Trabalho do Ator (www.utateatro.com.br), grupo de criação e investigação teatral. Foi coordenador do GT-Etnocenologia da ABRACE (2011-2013). É coordenador do Programa de Pós-graduação em Educação da UFRGS no mandato 2015-2016. Bolsista de Produtividade nível 1-D do CNPq.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Pobreza, Performance e Educação

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2019 – Atual

FINANCIAMENTO: CNPq

RESUMO:
Este projeto tem por objetivo produzir conhecimento sobre as relações entre pobreza e performance, assim como analisar o impacto que as performances (artísticas, culturais, sociais etc.) têm na vida das pessoas pobres, procurando subsidiar novas políticas de combate à pobreza. Trabalha-se com a perspectiva dos Estudos da Performance, dos Estudos da Presença e da Etnocenologia para a manutenção de uma rede de pesquisadores, envolvendo incialmente dezoito instituições universitárias e de pesquisa em seis países (Brasil, Argentina, Portugal, Angola, Moçambique e França). A rede é composta de grupos de pesquisa das instituições e países a seguir. Do Brasil: Universidade Federal de Santa Maria; Universidade Estadual de Campinas; Universidade Federal do Acre; Universidade Federal de Sergipe; Universidade de Brasília; Universidade Federal de Pelotas; Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Da França: Maison de Sciences de l’Homme Paris Nord; Université de Nantes; Université Paris Nanterre; Université Lille 3; Université de Rennes. Da Argentina: Universidade Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires. De Portugal: Universidade do Minho. De Angola: Instituto Superior de Ciências da Comunicação. De Moçambique: Instituto Superior de Artes e Cultura. O trabalho se propõe a uma análise transversal coletiva dos dados produzidos a partir de diferentes métodos de produção de dados. A metodologia possui cinco diferentes protocolos metodológicos: 1) análise documental e videográfica; 2) entrevistas; 3) observação participante; 4) etnografia; 5) experimentações artístico-pedagógicas. Os grupos aderem a esses protocolos formados coletivamente pela rede e produzem dados em seus respectivos contextos. O processo de análise dos dados produzidos é cruzado e comparativo, a partir do trabalho coletivo de dois ou mais grupos. Essa metodologia visa a construção compartilhada de conhecimentos aplicáveis ao campo em estudo. Os resultados esperados devem ser publicados em diversos artigos e livros em acesso aberto. Eles incluem metodologias a serem aplicadas na Educação Básica, políticas curriculares de formação para o Ensino Superior e formação de profissionais com altas capacidades em nível de graduação, mestrado e doutorado. O trabalho se enquadra na produção de conhecimento para a qualidade de vida, visto produzir não apenas ciência básica, na construção de teorias descritivo-analíticas sobre as relações entre Performance e Pobreza, mas, mais do que isso, criando diagnósticos e soluções multiplicativas para os contextos nos quais pessoas pobres se envolvem com atividades de performance. Este projeto vislumbra impactos em diferentes temáticas, na medida em que os grupos trabalham de forma interseccional discutido a interface entre pobreza e performance com gênero, classe, subalternidade, raça, sexualidade, imigração, educação, estética, políticas, processos de criação etc. Além disso, prevê a divulgação de abordagens, metodologias e métodos de intervenção em situações de pobreza nas quais performances estejam envolvidas.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Floema – núcleo de estudos em estética e educação

Grupo de Estudos em Educação, Teatro e Performance-GETEPE

Gládis Elise Pereira da Silva Kaercher

LINHA DE PESQUISA:
Educação, Culturas e Humanidades

CONTATO:
gskaaercher@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Licenciada em Letras (1988), mestre em Educação (1996) e Doutora em Educação (2006) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora associada do Departamento de Estudos Especializados da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação para as Relações Étnico-raciais (ERER), formação de professores para a ERER, antirracismo, infância, Literatura e diferença.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Faculdade de Educação e Relações étnico-raciais: observatório investigativo para um diagnóstico do racismo institucional

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2021- Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:
O projeto objetiva diagnosticar e observar a ambiência racial estabelecida na Faculdade de Educação da Universidade Federal do rio Grande do Sul (UFRGS) diagnosticando a presença de pessoas de diferentes etnias e racialidades, a hegemonia ou não de algumas e a possibilidade de existência de racismo institucional na unidade. A pesquisa pretende contribuir para a compreensão do fenômeno e a construção de um diagnóstico confiável para subsidiar posteriores ações administrativas e pedagógicas.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:
GEIN – Grupo de estudos de Educação Infantil e infâncias

Graciele Marjana Kraemer

LINHA DE PESQUISA:
Estudos Culturais em Educação

CONTATO:
graciele.kraemer@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Linha de Pesquisa: Estudos Culturais em Educação, e do Departamento de Estudos Especializados (DEE/UFRGS). Graduada em Educação Especial: Deficientes da Audiocomunicação, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, 2007). Mestre em Educação (2011) e Doutora em Educação (2017), pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Realizou estudos de Pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação Unisinos (2017-2019). Participa do Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão (GEPI) Unisinos e é pesquisadora membro da International Research Network on Inclusion, Learning and Technology in Education (RIIATE) e membro do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação de Surdos-GIPES (CNPq/UFRGS). Trabalha com os seguintes temas: Inclusão Escolar; Políticas Educacionais Inclusivas; Políticas e Práticas na Educação de Surdos.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Educação Bilíngue, Saberes Pedagógicos e Formação Docente

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2020 – Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
Tendo como base a pesquisa Inclusão, saberes e ciclos formativo-pedagógicos pró-aprendizagem na escola, desenvolvida pelo Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão (GEPI/UNISINOS/CNPq), o qual integro; e os resultados da pesquisa Saberes docentes e aprendizagem na matriz de experiência inclusiva, desenvolvida pelo mesmo Grupo de Pesquisa, o presente projeto de investigação propõe-se a avançar na compreensão das práticas pedagógicas voltadas para a promoção da aprendizagem de sujeitos surdos matriculados em escolas de educação bilíngue e escolas comuns. Assim, considerando-se a política línguística e a política de formação docente para a educação de surdos, pergunta-se Como se constitui o repertório pedagógico de docentes que atuam em escolas bilíngues e escolas comuns com alunos com surdos incluídos? Quais são os investimentos efetivados na formação inicial e continuada pelos docentes em vista da promoção da aprendizagem de alunos surdos? Para buscar respostas a esses questionamentos, a presente pesquisa organiza-se a partir de dois procedimentos metodológicos: acompanhamento e registro sistemático  por meio de observações longitudinais de práticas pedagógicas docentes com alunos surdos em escolas bilíngues e/ou incluídos na sala de aula comum e pesquisa documental, a partir dos seguintes documentos: Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996, que institui as Diretrizes e Bases da Educação NacionalLei nº 10.436 de 24 de abril de 2002 que reconhece a Libras como língua da comunidade surda brasileira; o Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro de 2005, que regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002; o Relatório sobre a Política Linguística de Educação Bilíngue – Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa (2014); a Lei nº 13.005 de 25 de julho de 2014 que aprova o Plano Nacional de Educação – PNE; a Lei nº 13.145 de 06 de julho de 2015, que Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Como ferramenta de análise dos dados, será utilizado, a partir dos estudos foucaultianos em educação, o conceito de discurso. A observação longitudinal, de inspiração etnográfica e a pesquisa documental possibilitam voltar a atenção para as práticas pedagógicas desenvolvidas no espaço escolar e constituem possibilidades para responder aos objetivos específicos, quais sejam: 1) Analisar como a política de inclusão escolar, mobilizada pelo Governo Federal, desde a primeira década do século XX, produz efeitos na ação docente; 2) Compreender por meio de observações e da análise documental os saberes que compõem o repertório pedagógico; 3) Traduzir os saberes docentes que compõem o repertório pedagógico para contribuir tanto com a ampliação e a invenção de novas práticas metodológicas, quanto com a formação de professores nos cursos de licenciatura; 4) Analisar e problematizar os investimentos operados pelo Governo Federal na formação inicial e continuada dos docentes em vista de uma educação bilíngue. A pesquisa e demais atividades desenvolvidas, tais como: participação nas reuniões do Departamento, em Grupo de Pesquisa, palestras, produção e publicação de artigos, ações de extensão voltadas à formação docente, atividades de ensino nos cursos de graduação, dentre outras, pretende produzir e difundir conhecimentos sobre os saberes que compõem o repertório pedagógico. Ainda apresentar os resultados da pesquisa em eventos científicos; ampliar e aprofundar os debates acerca dos saberes pedagógicos e contribuir para a qualificação dos processos formativos de professores das escolas pesquisadas de educação básica da rede pública de ensino na região do metropolitana do Rio Grande do Sul (RS).

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Helena Vellinho Corso

LINHA DE PESQUISA:
Aprendizagem e Ensino

CONTATO:
hvcorso@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Professora da Faculdade de Educação da UFRGS, Departamento de Estudos Especializados – Psicopedagogia. Coordena o projeto de pesquisa “Compreensão de leitura: avaliação e intervenção”. Integra o corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Educação (UFRGS), na linha de pesquisa Aprendizagem e Ensino. Possui doutorado em Psicologia pelo PPG do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012), e mestrado em Psicologia da Educação pelo PPG da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991). Realizou estágio de doutoramento com bolsa da CAPES na Temple University (Philadelphia – PA – USA) entre dezembro de 2011 e março de 2012, tendo participado da pesquisa Reading Purposes Study, coordenada por Jennifer Cromley, Ph.D, associate professor do College Education, departamento Psychological Studies in Education. Vem atuando como professora universitária em nível de graduação e pós-graduação (especializações) desde 1991, em diferentes instituições. Colaboradora (sem vínculo) do NEUROCOG (Núcleo de Estudos em Neuropsicologia Cognitiva – PPG Psicologia – UFRGS). É membro do Grupo de Trabalho Desenvolvimento Sociocognitivo e Linguagem da ANPEPP (Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Psicologia). 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Compreensão de leitura – avaliação e intervenção

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2017 – 2023

FINANCIAMENTO:

RESUMO:
A pesquisa envolve o desenvolvimento de programa de facilitação da compreensão de leitura; estudos experimentais para avaliação de eficácia do programa; desenvolvimento de instrumentos de avaliação de compreensão de leitura; normatização de instrumentos de avaliação.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Jaime José Zitoskijaime.jose@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/4765559144115241

Possui Graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Imaculada Conceição (1988). É Mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1992) e Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999). É professor Associado II efetivo na UFRGS, atuando junto ao Departamento de Estudos Básicos na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul nos cursos de Licenciaturas na área de Filosofia da Educação e no Pós-Graduação em Educação (Mestrado e Doutorado) com ênfase em Educação Popular e estudos sobre Universidade, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Popular, Paulo Freire e os desafios da Universidade na perspectiva da Emancipação Social na América Latina. Concluiu em 2011 o Estágio de Pós Doutorado no PPFH da UERJ sob orientação do Prof. Dr. Pablo Gentili.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Universidade, Formação Política e Bem Viver: Estudo dos Projetos de Universidades Emergentes no Brasil.
  2. Educação Superior e Educação Básica no Brasil: vinculações necessárias

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2017 – Atual
  2. 2012 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. A pesquisa busca analisar e discutir o papel social da Instituição Universitária no atual contexto brasileiro, que ainda é marcado por profundas desigualdades sociais e elitização do acesso à educação superior. As Universidades que foram implantadas em nosso país tardiamente e apenas em alguns centros mais populosos, visavam atender as elites e transplantar a cultura européia para as colonias. No atual contexto do Brasil, apesar de uma herança colonial que deixou marcas profundas de desigualdades e exclusão social, estamos experienciando movimentos alternativos de democratização política e social e de mudanças significativas nas instituições republicanas, dentre elas a Universidade. Nessa direção, o objetivo da presente pesqusa é evidenciar as alternativas que emergem de modelos inovadores na forma de projetar e desenvolver a Universidade. Despontaram na última década algumas experiências promissoras de novas universidades , que se organizam desde princípios e filosofias que rompem com a arquitetura clássica das universidades aqui implantadas desde a colonização européia. Destacamos nosso interesse mais específico em aprofundar a análise sobre a UNILA (Universidade da Integração Latino Americana), a UFSB ( Iniversidade Federal do Sul da Bahia), UFFS (Universidade Federal da fronteira Sul) e UNIVASF (Universidade Federal do Vale do São Francisco)..
  2. A presente proposta de pesquisa intenciona construir espaços e dinâmicas de estudo nas interfaces da Educação Superior com a Educação Básica a partir de abordagens articuladoras de ações entre graduação e pós-graduação. A ênfase da pesquisa recai sobre a temática da formação de professores, propiciando, dessa forma, a discussão sobre três eixos articulados entre si, de modo interdisciplinar, a partir da interface entre Universidade e Redes de Educação Básica, em seus diversos níveis: Educação Infantil – EI, Ensino Fundamental – EF e Ensino Médio ? EM. Os eixos articuladores da Pesquisa em Rede são: 1) Interdisciplinaridade e Trajetórias Institucionais; 2) Fundamentos da Interdisciplinaridade: Interfaces entre Educação Superior e Educação Básica; 3) Educação Superior e Interdisciplinaridade: Interlocuções com o Sistema Público de Educação Básica. A partir dos três eixos acima, objetiva-se analisar as políticas públicas educacionais em curso no Brasil, principalmente na implementação e ressignificação destas em instituições de ensino superior, e seus desdobramentos conceituais entre os diferentes níveis da educação brasileira..
    Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

  • Grupo de Estudos e Pesquisa em Trabalho, Educação e Práticas Sociais (GEPTEPS)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3717469488735790

  • Grupo de Estudos Inovação e Avaliação na Universidade

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8632044554453935

  • Grupo de Estudos sobre Fundamentos da Educação Ambiental e Popular (GEFEAP)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0292116626269437

  • Grupo de Estudos sobre Universidade – Inovação e Pesquisa (GEU-IPesq/Edu/Ufrgs)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4532309637127794

Jaime José Zitoskijaime.jose@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/4765559144115241

Possui Graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Imaculada Conceição (1988). É Mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1992) e Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999). É professor Associado II efetivo na UFRGS, atuando junto ao Departamento de Estudos Básicos na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul nos cursos de Licenciaturas na área de Filosofia da Educação e no Pós-Graduação em Educação (Mestrado e Doutorado) com ênfase em Educação Popular e estudos sobre Universidade, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Popular, Paulo Freire e os desafios da Universidade na perspectiva da Emancipação Social na América Latina. Concluiu em 2011 o Estágio de Pós Doutorado no PPFH da UERJ sob orientação do Prof. Dr. Pablo Gentili.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Universidade, Formação Política e Bem Viver: Estudo dos Projetos de Universidades Emergentes no Brasil.
  2. Educação Superior e Educação Básica no Brasil: vinculações necessárias

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2017 – Atual
  2. 2012 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. A pesquisa busca analisar e discutir o papel social da Instituição Universitária no atual contexto brasileiro, que ainda é marcado por profundas desigualdades sociais e elitização do acesso à educação superior. As Universidades que foram implantadas em nosso país tardiamente e apenas em alguns centros mais populosos, visavam atender as elites e transplantar a cultura européia para as colonias. No atual contexto do Brasil, apesar de uma herança colonial que deixou marcas profundas de desigualdades e exclusão social, estamos experienciando movimentos alternativos de democratização política e social e de mudanças significativas nas instituições republicanas, dentre elas a Universidade. Nessa direção, o objetivo da presente pesqusa é evidenciar as alternativas que emergem de modelos inovadores na forma de projetar e desenvolver a Universidade. Despontaram na última década algumas experiências promissoras de novas universidades , que se organizam desde princípios e filosofias que rompem com a arquitetura clássica das universidades aqui implantadas desde a colonização européia. Destacamos nosso interesse mais específico em aprofundar a análise sobre a UNILA (Universidade da Integração Latino Americana), a UFSB ( Iniversidade Federal do Sul da Bahia), UFFS (Universidade Federal da fronteira Sul) e UNIVASF (Universidade Federal do Vale do São Francisco)..
  2. A presente proposta de pesquisa intenciona construir espaços e dinâmicas de estudo nas interfaces da Educação Superior com a Educação Básica a partir de abordagens articuladoras de ações entre graduação e pós-graduação. A ênfase da pesquisa recai sobre a temática da formação de professores, propiciando, dessa forma, a discussão sobre três eixos articulados entre si, de modo interdisciplinar, a partir da interface entre Universidade e Redes de Educação Básica, em seus diversos níveis: Educação Infantil – EI, Ensino Fundamental – EF e Ensino Médio ? EM. Os eixos articuladores da Pesquisa em Rede são: 1) Interdisciplinaridade e Trajetórias Institucionais; 2) Fundamentos da Interdisciplinaridade: Interfaces entre Educação Superior e Educação Básica; 3) Educação Superior e Interdisciplinaridade: Interlocuções com o Sistema Público de Educação Básica. A partir dos três eixos acima, objetiva-se analisar as políticas públicas educacionais em curso no Brasil, principalmente na implementação e ressignificação destas em instituições de ensino superior, e seus desdobramentos conceituais entre os diferentes níveis da educação brasileira..
    Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

  • Grupo de Estudos e Pesquisa em Trabalho, Educação e Práticas Sociais (GEPTEPS)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3717469488735790

  • Grupo de Estudos Inovação e Avaliação na Universidade

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8632044554453935

  • Grupo de Estudos sobre Fundamentos da Educação Ambiental e Popular (GEFEAP)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0292116626269437

  • Grupo de Estudos sobre Universidade – Inovação e Pesquisa (GEU-IPesq/Edu/Ufrgs)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4532309637127794

Jane Felipe de Souza

LINHA DE PESQUISA:
Educação, Sexualidade e Relações de Gênero

CONTATO:
janefelipe.souza@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Professora titular aposentada da FACED/UFRGS (Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Possui graduação e Licenciatura Plena em Psicologia pela UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro (1985), mestrado em Educação pela UFF – Universidade Federal Fluminense – Niterói/RJ (1991), doutorado em Educação pela UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000) e pós doutorado na área de Cultura Visual, pela Universidad de Barcelona (bolsa CAPES – abril/2009 a fevereiro/2010). Na graduação da FACED/UFRGS, ministrou as seguintes disciplinas: Gênero e Sexualidade na Escola; Pesquisa em Educação; Literatura na Educação Infantil; Infâncias de 0 a 10 anos, além de atuar na supervisão de estágios. No PPGEDU tem atuado na Linha de Pesquisa Educação, Sexualidade e Relações de Gênero, no eixo temático Infâncias, Gênero e Sexualidade, tendo orientando até agora (2001 a 2021): 10 teses de doutorado + quatro em andamento; 15 dissertações de mestrado; 6 orientações de pós-doutorado e 28 orientações de TCC (14 das quais na área de gênero, infâncias e sexualidade). Integra o GEERGE – Grupo de Estudos de Educação e Relações de Gênero – e o GEIN – Grupo de Estudos em Educação Infantil e Infâncias – sendo uma de suas fundadoras. Atualmente é coordenadora do referido grupo. Também participa do NUDES – Núcleo de Estudos Diferenças, Educação, Gênero e Sexualidades – da UERJ/FEBF. Atua com os seguintes temas: infâncias, scripts de gênero, sexualidade, educação infantil, educação sexual na escola, pedofilia e pedofilização como prática social contemporânea. Coordenou a pesquisa internacional intitulada “Violências de gênero, amor romântico e famílias: entre idealizações e invisibilidades, os maus tratos emocionais e a morte”, com financiamento do CNPq (Chamada: MCTI/CNPQ/Universal 14/2014). Possui várias publicações na área das infâncias, gênero e sexualidade. Em março de 2018 ganhou o Prêmio Menção Honrosa Sueli Carneiro em reconhecimento ao ativismo e à pesquisa realizados nos campos dos estudos de gênero e sexualidade e de raça/etnia. Atualmente coordena a pesquisa intitulada Ignorar para acobertar ou informar para proteger? Scripts de gênero e sexualidade na prevenção das violências contra crianças. 

Atualmente é professora titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui graduação e Licenciatura Plena em Psicologia pela UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro (1985), mestrado em Educação pela UFF – Universidade Federal Fluminense – Niterói/RJ (1991), doutorado em Educação pela UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000) e pós doutorado na área de Cultura Visual, pela Universidad de Barcelona (bolsa CAPES – abril/2009 a fevereiro/2010). Na graduação atua na disciplina de Estágio na Educação infantil e em semestres anteriores também atuou nas disciplinas de Literatura e Educação, Reflexão da prática pedagógica, Infâncias de 0 a 10 anos e Educação Sexual na Escola. Integra o GEERGE – Grupo de Estudos de Educação e Relações de Gênero – vinculado à linha de pesquisa Educação, Sexualidade e Relações de Gênero, do PPGEDU/FACED/UFRGS, bem como é fundadora e coordenadora do GEIN – Grupo de Estudos em Educação Infantil e Infâncias, da mesma instituição. Atua com os seguintes temas: corpo, gênero, sexualidade, infâncias, educação infantil, educação sexual na escola, pedofilia e pedofilização como prática social contemporânea. Atualmente coordena a pesquisa internacional intitulada “Violências de gênero, amor romântico e famílias: entre idealizações e invisibilidades, os maus tratos emocionais e a morte”, com financiamento do CNPq (Chamada: MCTI/CNPQ/Universal 14/2014).

Temática Individual: Infâncias, Educação Infantil, gênero e sexualidade 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Ignorar para acobertar ou informar para proteger? Scripts de gênero e sexualidade na prevenção das violências contra crianças.

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2020 – Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
A presente pesquisa tem por objetivo central discutir e analisar o problema da violência contra crianças, em seus mais diversos aspectos, em especial a violência sexual e os maus-tratos emocionais cometidos contra elas. O referencial teórico utilizado se baseia nos Estudos de Gênero, nos Estudos da Sexualidade e nos Estudos Culturais, alinhados à perspectiva pós-estruturalista de análise. A metodologia utilizada, de caráter qualitativo, utilizará entrevistas semiestruturadas com diretoras, coordenação pedagógica e professoras que atuam em escolas públicas de Educação Infantil, com o intuito de saber de que forma as escolas atuam diante das situações de violência que as crianças relatam e se há, por parte das secretarias de educação dos municípios que compõem este estudo, investimentos na formação docente envolvendo esses temas: gênero, sexualidade e violências. Pretende-se ainda analisar os planos político-pedagógicos das escolas envolvidas, além de verificar os currículos dos cursos de Pedagogia existentes no sul do Brasil, observando se há disciplinas que contemplam tais discussões. Cabe referir que esta investigação se caracteriza como uma pesquisa “guarda-chuva”, que abriga outros trabalhos de mestrado, doutorado e pós-doutorado, podendo, portanto, ampliar algumas discussões neste campo do conhecimento, utilizando-se de outras metodologias que mais se ajustem aos temas propostos.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

GEIN – Grupo de Estudos de Educação Infantil e Infâncias

Grupo de Estudos de Educação e Relações de Gênero – GEERGE

Johannes Dolljohannes.doll@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/6630859941080575

Professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul atua na Graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação orientando mestrado e doutorado. Membro do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento da UFRGS, é Editor Chefe da Revista “Estudos interdisciplinares sobre o Envelhecimento”. Possui graduação em Teologia Católica – Universitat Tuebingen (Eberhard-Karls) (1988), graduação em Educação – Erziehungswissenschaftliche Hochschule Landau (1989), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1994) e doutorado em Educação – Universitat Koblenz Landau (2001). É especialista em Gerontologia pela Universidade de Heidelberg, Alemanha. Atua e pesquisa no campo da Educação e Envelhecimento com foco nos seguintes temas: Gerontologia, envelhecimento, educação, Didática, endividamento e educação financeira de pessoas idosas, informática.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Propensão ao endividamento de pessoas idosas: um estudo sobre fatores de risco no Rio Grande do Sul
  2. Envelhecimento e Educação ao Longo da Vida na Perspectiva do Lazer Sério

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2014 – Atual
  2. 2011 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. As armadilhas da sociedade de consumo criadas a partir das facilidades de acesso a créditos representam um constante perigo de endividamento excessivo, podendo chegar ao superendividamento, situação em que a pessoa perde as condições de quitar suas dívidas. Estas constelações trazem ameaças muito específicas para pessoas idosas. Por um lado existe um apelo constante das instituições de crédito para que as mesmas façam um crédito consignado. Por outro lado, os idosos tornaram-se importantes fontes de recursos para muitas famílias brasileiras. Com isso, o risco de violência financeira contra pessoas idosas também está aumentando significativamente. Neste cenário torna-se importante conhecer mais detalhadamente os mecanismos que podem impulsionar pessoas idosas a contratar créditos e, com isso, comprometer, muitas vezes de forma drástica, seus rendimentos. A presente pesquisa pretende estudar os processos e riscos que podem levar pessoas idosas ao endividamento para, desta forma, oferecer recursos detalhados para intervenções multidisciplinares, seja da ordem educacional, psicológica ou jurídica. Para atender este objetivo, será elaborado um instrumento (questionário) a partir de quatro escalas já existentes de riscos que podem levar ao endividamento, além de perguntas sócio-demográficas e sobre a situação financeira dos participantes. Este instrumento será aplicado em pessoas idosas de sete diferentes lugares no Rio Grande do Sul (Porto Alegre e região metropolitana; Passo Fundo; Pelotas; Caxias; Bagé; Torres; Santa Maria). Este grupo de pessoas idosas será acompanhado por três anos por meio de entrevistas anuais elaborado para poder captar as formas de lidar com o dinheiro e possíveis processos de endividamento neste grupo. Os resultados desta pesquisa contribuirão para uma melhor compreensão dos modos como pessoas idosas lidam com as questões financeiras e com possíveis problemas de endividamento Pela característica longitudinal da pesquisa, ela possui fundamentos sólidos para identificar fatores de risco de endividamento entre os idosos. Além disso, o estudo contribuirá também para uma consolidação ou revisão das escalas que já foram validadas e estão sendo utilizadas atualmente no Brasil..
  2. As atividades de lazer possuem importância para o bem-estar, especialmente na velhice após a saída do mercado de trabalho. Porém, somente executando alguma atividade de lazer geralmente não consegue dar satisfação às pessoas. Nesta situação, a perspectiva do ?lazer sério?, proposta por Stebbins, aponta para formas de lazer que contribuem significativamente para o bem-estar de pessoas adultas e idosas. O projeto de pesquisa visa a tradução, adaptação cultural, validação e aplicação do instrumento Serious Leisure Inventory and Measure (SLIM) com o objetivo de colocar à disposiçaõ de pesquisadores brasileiros um instrumento que permite um levantamento e análises do lazer e sua contribuição para um envelhecimento bem sucedido, em conjunto à ampliação de propostas teóricas e práticas de educação ao longo da vida para e pelo lazer. A adaptação e validação do instrumento será feito através de um cruzamento de dados obtidos pela aplicação do SLIM com um estudo qualitativo de esportistas adultos e idosos..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Aspectos Interdisciplinares do Envelhecimento

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4349692781272918

Educação e Envelhecimento: múltiplas interfaces

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2656213180989592

Trabalho, Movimentos Sociais, Educação

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1002188834293937

Leandro Rogério Pinheiro

LINHA DE PESQUISA:
Trabalho, Movimentos Sociais e Educação

CONTATO:
leandropinheiro75@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Professor adjunto na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS, 1999), mestre em Administração pela UFRGS (2002) e doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS, 2008), com estágio realizado na Universidad Complutense de Madrid (2006). Mantem participação em pesquisas e projetos de extensão atentos às práticas de moradores e ativistas de contextos de periferia urbana. Tem experiência nas áreas de ‘sociologia da educação’ e ‘educação em periferias urbanas’, abordando principalmente as temáticas: identidades, cotidianos, narrativas e reflexividades.

PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Tempos versados: éticas e capitais nas narrativas da alegria

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2016 – Atual

RESUMO:
O projeto dá continuidade e visa aprofundar diálogos em curso desde 2011, efetivados mediante a imersão etnográfica em diferentes bairros de periferia de Porto Alegre, para discutir processos de identização e individuação entre ativistas de movimentos sociais, participantes de ações coletivas e iniciativas culturais-comunitárias em tais localidades. Assim, com o fito de orientar nossas análises para uma das especificidades encontradas, esta proposta comporta a interlocução e a produção de narrativas junto a jovens e adultos, com o propósito de compreender como os sujeitos construíram e constroem suas relações de sociabilidade, considerando, de um lado, as disposições éticas produzidas e, de outro, os capitais sociais decorrentes (ou não) em tais interações. Para tanto as elaborações de Georg Simmel e Gilles Lipovetsky têm nos inspirado e são referenciais teórico-metodológicos a aprofundar, conforme possamos articular com as contribuições de Alberto Melucci, Paul Ricoeur e Pierre Bourdieu, autores com os quais temos trabalhado desde o início de nossas pesquisas. Dadas as redes de contatos estabelecidas, definimos as comunidades dos bairros Cruzeiro, Ilhas, Lomba do Pinheiro, Mário Quintana e Restinga como espaços de interlocução de longo prazo dirigida aos objetivos de investigação. Fazemos uso de questionários, entrevistas e grupos de discussão. Assim, procuraremos analisar e dar visibilidade às práticas de sociabilidade e, desde este aspecto, pretendemos problematizar a cotidianidade como lugar de produção da vida social. Consideramos a hipótese de que as práticas do “sociável” ambientam a configuração de redes relacionais que, extrapolando as atividades voltadas à subsistência material de maneira mais estrita, potencializam novas condições de existência e tomadas de posição no enfrentamento do incerto e do precário.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Lodenir Becker Karnopplodenir.karnopp@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/6776335394919903

Professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no Departamento de Estudos Especializados e no Programa de Pós-Graduação em Educação (Professor Associado, nível 01). Possui graduação em Letras, Mestrado e Doutorado em Linguística e Letras (PUCRS, 1999). Desenvolve pesquisas no campo dos Estudos Culturais em Educação, com ênfase em Línguas de Sinais e Educação de Surdos. É bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), na modalidade de Produtividade em Pesquisa 2. Durante agosto de 2011 a agosto de 2012 realizou pesquisas na Gallaudet University, em Washington, DC, Estados Unidos, na modalidade de Pós-Doutoramento no Exterior, com bolsa PDE-CNPq. É integrante e presidente da Comissão de Progressão Funcional do Departamento de Estudos Especializados (Portaria 01 de 26 de agosto de 2015, DEE/UFRGS). Desde julho de 2015 é líder do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação de Surdos (GIPES), do DGP/CNPq. Em 2016, recebeu o prêmio de excelência em Pesquisa na Gallaudet University “The Dr Rachel Hartig Award for Research Excellence” do Department of World Languages and Cultures.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Spread the Sign ? Brasil
  2. Produções Culturais Surdas no Contexto da Educação Bilíngue

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2016 – Atual
  2. 2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. O Spread the Sign (Espalhando Sinais) é um dicionário internacional que torna acessíveis línguas de sinais de diversos países para investigação e consulta a uma grande quantidade de sinais. É uma ferramenta de uso livre e ilimitado, disponível online (www.spreadthesign.com) e em smartphones, sob o nome de Spread Signs. O Spread the Sign disponibiliza sinais das línguas de sinais alemã, americana, brasileira, espanhola, estoniana, finlandesa, francesa, inglesa, islandesa, japonesa, letã, lituana, polonesa, portuguesa, russa, sueca, tcheca, turca, entre outras, utilizadas nos respectivos países. O projeto é coordenado internacionalmente pelo European Sign Language Centre (Centro Europeu de Línguas de Sinais), por Thomas Lydell-Olsen (Suécia). Cada país colaborador tem uma equipe que se responsabiliza pelas informações sobre sua língua de sinais. No Brasil, desde 2016, o projeto Spread the Sign ? Brasil tem sido desenvolvido pelo Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação de Surdos (GIPES – DGP/CNPq), que conta com uma equipe de colaboradores e pesquisadores surdos e ouvintes bilíngues (Libras/Língua Portuguesa/Inglês). O objetivo geral do Spread the Sign ? Brasil é realizar o mapeamento e registro de sinais, inserindo a Libras no Spread the Sign (STS). Os objetivos específicos são: (a) promover investigações no âmbito da educação e da linguística sobre as contribuições e os desafios do projeto Spread the Sign no Brasil; (b) investigar os sinais dicionarizados no Brasil, de modo online ou impresso; (c) estabelecer uma rede de colaboradores, usuários da Libras, com representantes regionais e (d) registrar as potencialidades e desafios do STS no Brasil. A equipe brasileira (UFRGS, UFPel, UFSM, UNISINOS e UFF) segue as orientações metodológicas do protocolo internacional, a partir de procedimentos gerais que são construídos e definidos por todas as equipes participantes, viabilizando o fomento e construção do dicionário na Língua Brasileira de Sinais online, no ambiente virtual do Spread the Sign..
  2. Projeto interinstitucional coordenado por pesquisadoras de três universidades federais do Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Federal de Pelotas e Universidade Federal de Santa Maria, com o objetivo de analisar a circulação e o consumo de artefatos culturais em contextos da educação bilíngue para surdos, nos espaços da educação básica..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação de Surdos (GIPES)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/7026622368618023

Luciana Gruppelli Loponteluciana.loponte@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/8279463652781521

Possui graduação em Licenciatura Plena em Educação Artística Hab. em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Pelotas – UFPEL (1990), Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP (1998) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS (2005). Atualmente é pesquisadora e professora associada do Departamento de Ensino e Currículo da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha de pesquisa Arte, linguagem e currículo. Foi vice-presidente da FAEB (Federação de Arte-Educadores do Brasil) de 2006 a 2008 e coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) 24 – Educação e Arte da ANPEd (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação) de 2008 a 2010, e membro do Comitê Cientifico da entidade de 2010 a 2015. Nos últimos anos, tem obtido financiamento do CNPq para suas pesquisas (Edital Universal 2007, 2010 e 2013). É líder do ARTEVERSA – Grupo de estudo e pesquisa em arte e docência (UFRGS/CNPq). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Arte, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de arte, formação de professores, formação estética docente, arte e educação, gênero e artes visuais. 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

O campo expandido da arte e da docência: aproximações, tensões, processos e práticas artísticas contemporâneas

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2016 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Esta pesquisa pretende investigar as aproximações possíveis entre processos e práticas artísticas contemporâneas e o campo da educação e formação docente, expandindo as noções tanto de arte como de docência. Na perspectiva de problematizar essas aproximações, pretende-se tomar determinadas práticas artísticas contemporâneas como ?plataforma de pensamento? para o campo da docência e sua formação, ao mesmo tempo que extrair do próprio campo educacional e de suas problemáticas que envolvem especialmente a educação, a escola básica e a docência a elas associados, perspectivas que contaminem o modo com o qual a arte e seus processos são pensados. Na esteira dessas questões, a pretensão é analisar criticamente os desdobramentos do que se tem chamado de ?virada educacional? (educational turn) no campo das artes visuais, interrogando de que modo este processo pode, de alguma forma, ter efeito sobre uma possível ?virada artística? nos processos de formação docente ou, por outro lado, uma contaminação mútua entre práticas e processos artísticos e educação, em especial, a realizada em espaços escolares formais. O projeto prevê várias ações envolvendo o grupo de pesquisa Arteversa ? Grupo de estudo e pesquisa em arte e docência (CNPq) tais como: fomento a produção de narrativas escritas e visuais, oriundas da análise das aproximações entre processos e práticas artísticas contemporâneas e formação docente a partir dos diferentes contextos territoriais de atuação dos participantes da pesquisa; promoção de encontros e intercâmbios entre os participantes da pesquisa através de conversas de campo, residências artísticas e educacionais e intercâmbios diversos, realizados presencialmente e a distância; subsídio a ações de formação docente inicial e continuada que contemplem a dimensão estética dessa formação, em especial, envolvendo processos e práticas artísticas contemporâneas, no âmbito da Faculdade de Educação da UFRGS e de instituições parceiras, tais como UFSM, UFC, UNIVASF, Colégio de Aplicação João XXIII- UFJF, UERGS, IFSul ? Campus Pelotas e Sapucaia, UNESPAR e Universidad de Antioquia, articuladas ou não com projetos já desenvolvidos em escolas públicas..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

ARTEVERSA – Grupo de estudo e pesquisa em arte e docência

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0454457670090591

Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte, Educação e Cultura

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3458093319997219

Laboratório de Arte e Subjetividades (LASUB)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1554520480075532

Luciana Vellinho Corsol.corso@terra.com.br

http://lattes.cnpq.br/3137514240824387

Professora Associada do Departamento de Estudos Especializados da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do Programa de Pós Graduação em Educação da FACED/UFRGS. Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1987), ênfase em Matérias Pedagógicas do 2 Grau pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1989), Mestrado em Educação – Flinders University of South Australia (1993), Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Psicopedagogia, atuando principalmente nos seguintes temas: processos cognitivos subjacentes à aprendizagem da leitura, escrita e matemática inicial; obstáculos à aprendizagem de tais sistemas simbólicos; diversidade na aprendizagem; dificuldades de aprendizagem; avaliação e intervenção psicopedagógica, alfabetização, educação infantil.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA MATEMATICA E NA LEITURA: ATRASO NO DESENVOLVIMENTO OU DEFICIT COGNITIVO?
  2. ESTRATÉGIAS DE ENSINO PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNO DE

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2015 – Atual
  2. 2008 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. A pesquisa busca maior detalhamento na caracterização dos processos cognitivos de alunos que apresentam baixo desempenho na leitura e na matemática. Caracteriza-se por uma pesquisa de intervenção, com o objetivo de auxiliar tais alunos no desenvolvimento das habilidades necessárias para que avancem no seu processo de aprendizagem. A pesquisa tem como objetivo verificar os efeitos de um programa de intervenção em senso numérico e em consciência fonológica em alunos que apresentam baixo desempenho em aritmética e em leitura respectivamente. O estudo objetiva também identificar os processos cognitivos deficitários que estão subjacentes ao baixo desempenho em aritmética e leitura trazendo, consequentemente, avanços para a prática educacional e psicopedagógica nestas áreas..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Estudos e Pesquisas em Linguagem e Alfabetização (GEALFA)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4426271734651833

Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0978869099358308

Luís Armando Gandinluis.gandin@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/8878872105271901

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1987), mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1993) e doutorado (Ph.D.) em Curriculum and Instruction pela University of Wisconsin – Madison (2002). É Professor Associado IV da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Membro da Comissão Coordenadora (ComPós) do Programa de Pós Graduação em Educação da UFRGS (desde 2013), Editor-Chefe da Revista Educação & Realidade e Editor da Revista Currículo sem Fronteiras. Foi Editor para Língua Portuguesa da revista Educational Policy Analysis Archives até 2015. Entre agosto de 2006 e agosto de 2007 serviu como Professor e Pesquisador Visitante Convidado na Oakland University, Estados Unidos. Foi coordenador eleito do Curso de Pedagogia da UFRGS por três mandatos. É autor de vários capítulos, artigos acadêmicos e livros como Educação Libertadora: Avanços, Limites e Contradições, Educação em Tempos de Incertezas (organizado com Álvaro Hypolito – com edições no Brasil e em Portugal), The Routledge International Handbook of Critical Education (organizado com Michael Apple e Wayne Au), The Routledge International Handbook of the Sociology of Education (organizado com Stephen Ball e Michael Apple), Educação Crítica: análise internacional (organizado com Michael Apple e Wayne Au) e Sociologia da Educação: análise Internacional (organizado com Michael Apple e Stephen Ball). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Sociologia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: sociologia da educação, políticas educacionais, reformas educacionais, Escola Cidadã e currículo. 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. ANALISE E AVALIACAO EXTERNA DE PROCESSOS E DE RESULTADOS ATINENTES A AVALIACAO INSTITUCIONAL PARTICIPATIVA DO SISTEMA ESTADUAL DE AVALIACAO PARTICIPATIVA ?

SEAP/RS

  1. Reformas educacionais progressistas: política educacional, discurso e consolidação de um novo senso comum

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2011 – Atual
  2. 2009 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. ANALISE E AVALIACAO EXTERNA DE PROCESSOS E DE RESULTADOS ATINENTES A AVALIACAO INSTITUCIONAL PARTICIPATIVA DO SISTEMA ESTADUAL DE AVALIACAO PARTICIPATIVA ? SEAP/RS.
  2. A partir da investigação do caso de Porto Alegre, busco examinar possíveis efeitos duradouros e/ou residuais de reformas educacionais progressistas após a mudança de condução política. Em particular, busco analisar em que medida um novo senso comum que espera uma relação mais democrática e participativa na relação escola e Estado, consolidado durante a experiência da Escola Cidadã, se mantém nas comunidades e nas escolas que vivenciaram aquela experiência..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Luis Henrique Sacchi dos Santosluishss2009@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/4857432570166806

Professor Associado no Departamento de Ensino e Currículo da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua na graduação (na área de Educação e Saúde) dos cursos de Pedagogia, Fisioterapia e Nutrição, bem como no Pós-Graduação em Educação (PPGEDU/UFRGS), na linha de pesquisa “Estudos Culturais em Educação”, no eixo “Políticas de Corpo e de Saúde”. Possui graduação em Ciências Biológicas, Mestrado e Doutorado em Educação (PPGEDU/UFRGS). Realizou estágio pós-doutoral sênior (CAPES) junto ao Departamento de Ciências Sociais, Saúde e Medicina, do King’s College – University of London, sob supervisão do Dr. Nikolas Rose. Desenvolve o projeto EDUCAÇÃO, SAÚDE & CIÊNCIAS: dispositivo de medicalização e produção contemporânea dos corpos (2012-2017/1). Foi membro do Comitê de Ética em Pesquisa da UFRGS (Sistema CEP/CONEP) entre maio de 2014 e abril de 2017. Atualmente é Coordenador do PPGEDU/UFRGS (01/06/2017 – 24/01/2019). É pesquisador do NECCSO (http://www.ufrgs.br/neccso/integrantes_luishenrique.htm) e faz parte do Observatório – Interferências na Medicalização (http://www.observamedicalizacao.com.br/). Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: estudos culturais em educação; estudos de corpo; corpo e saúde; cultura somática; educação em saúde (promoção da saúde); ética em pesquisa; medicalização; biossociabilidade; biologia cidadã e biopedagogias.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

EDUCAÇÃO, SAÚDE & CIÊNCIAS: dispositivo de medicalização e produção contemporânea dos corpos

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2012 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Nos últimos anos temos assistido a um enorme aumento de problemas da vida (tristeza, cansaço, agitação, etc.) sendo definidos como problemas médicos (depressão, fadiga crônica, transtornos de déficit de atenção e hiperatividade ? TDAH, entre outros). Como sugere Peter Conrad (2007), em seu livro The medicalization of society, devemos nos perguntar se isto significa que há uma nova epidemia de problemas médicos ou se a medicina está mais bem habilitada para identificar e tratar problemas existentes? Ou, ainda, se isso significa que um grande conjunto de problemas da vida têm recebido, agora, diagnósticos médicos e está sujeito aos tratamentos médicos, a despeito das dúbias evidências de suas naturezas médicas? A partir da análise de diferentes artefatos culturais da mídia impressa (Revistas Veja e Época; Jornal Folha de São Paulo; e de revistas de divulgação científica: Ciência Hoje, Pesquisa FAPESP e Mente&Cérebro), por um período igual ou maior do que dez anos, bem como a partir de um questionário (em forma de survey) nas escolas da rede básica de ensino em Porto Alegre/RS, de entrevistas semiestruturadas (com discentes, docentes, pais e gestores) e de grupos focais de intervenção com professores/as dessa rede, pretendemos mapear e analisar as estratégias de medicalização da sociedade e da escola na direção de problematizar como nos tornamos sujeitos medicalizados. Mais especificamente, pretendemos analisar através de que práticas aprendemos a ser sujeitos desse tipo como parte de um amplo projeto educativo levado a cabo em múltiplas instâncias e práticas culturais, pensadas como estratégias que constituem sujeitos de determinados tipos. Entendemos medicalização, aqui, como aqueles processos em que problemas não-médicos são definidos e tratados como problemas médicos, usualmente como doenças e distúrbios. Embora muitos dos problemas hoje frequentemente descritos no âmbito da sociedade e da escola sejam definidos, (continua, abaixo, em ‘description’).

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Núcleo de Estudos sobre Currículo, Cultura e Sociedade

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5639919727701293

Formação, ética e pesquisa em Educação

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1823967564847925

Magali Mendes de Menezesmagaliufrgs@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/9491379022053570

Possui graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição (1988), mestrado em Filosofia pela Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1994), doutorado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2005) e doutorado em Filosofia pela Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2004). Atualmente é professora adjunto III da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É professora/pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS. É presidenta da ASAFTI (Associação Sul Americana de Filosofia e teologia interculturais). É socia-fundadora do CEBEL (Centro de Estudos brasileiros sobre Emmanuel Lévinas). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética, atuando principalmente nos seguintes temas: etica, filosofia, alteridade, gênero e filosofia intercultural.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

A filosofia latino-americana e intercultural de Rodolfo Kusch no diálogo com uma proposta educacional construída desde os saberes indígenas

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Descrição: O presente projeto de pesquisa busca refletir a Filosofia Latino-americana e intercultural a partir, fundamentalmente, do pensamento do filósofo Rodolfo Kusch e sua possível interface com os saberes indígenas. Para tanto, a pesquisa terá como campo empírico de análise o acompanhamento e reflexão sobre a Ação de Extensão da UFRGS, intitulada ?Saberes Indígenas na escola? e seu desdobramento na proposta de uma Licenciatura Intercultural Indígena. Possui apoio do MCTI/CNPQ/MEC/CAPES Nº 22/2014.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Cultura, Subjetividade e Políticas de Formação

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4729178747316169

Grupo de Estudos Inovação e Avaliação na Universidade

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8632044554453935

PEABIRU: EDUCAÇÃO AMERÍNDIA E INTERCULTURALIDADE

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4335729712724714

Marcelo Leandro Eichlerexlerbr@yahoo.com.br

http://lattes.cnpq.br/2483458145895884

Possui Licenciatura em Química (1997), mestrado em Psicologia (2000) e doutorado em Psicologia do Desenvolvimento (2004), obtendo todos os títulos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é professor adjunto do Departamento de Química Inorgânica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), docente permanente do Programa de Pós-graduação em Educação (UFRGS), docente colaborador do Programa de Pós-graduação Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (UFRGS/UFSM/FURG) e pesquisador da Área de Educação Química. As suas atividades de pesquisa e de inovação estão relacionadas com a disseminação das tecnologias de informação e comunicação na educação científica e tecnológica. Também tem interesse pela tematização e atualização do projeto de pesquisa de Jean Piaget. Possui experiência nas áreas de psicologia da educação e de ensino de química, atuando principalmente nos seguintes temas: epistemologia genética, psicologia ambiental, didática das ciências, informática educativa e formação de professores.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Estudos sobre a difusão da obra de Jean Piaget nas áreas da Didática das Ciências, das Neurociências e da Epistemologia da Biologia

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2015 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Um pesquisador que estuda Jean Piaget, para dizer o mínimo, depara-se com a amplitude, a vastidão e a profundidade de sua obra. Ela é ampla pela diversidade de domínios do conhecimento em que ele escreveu. É vasta pela quantidade de livros e artigos que produziu em mais de sessenta anos de atividade intelectual. É profunda pela análise e pela síntese de conhecimentos científicos e filosóficos que empreendeu. Recentemente, através de um projeto aprovado pelo CNPq, iniciei uma série de estudos onde busco conciliar minha formação inicial, em educação em ciências, como minha formação em pós-graduação, em psicologia do desenvolvimento, onde procurei focar minha investigação em relação à tematização e atualização da obra de Jean Piaget. Assim, tenho empreendido estudos que tratam da recepção diacrônica, ou da difusão, de uma expressiva obra psicológica e de sua recepção no domínio específico da didática das ciências. Nesse particular, pode-se dizer que os estudos sobre a recepção de obras acadêmicas permitem, entre outros: i) compreender melhor as idéias de um autor e ii) saber-se porque são aceitas ou rejeitadas suas idéias por seus pares ou por seus leitores. Dessa forma, esse tipo de estudo permite inferir, ou evidenciar, o que falta ao conjunto ou a uma parte da obra acadêmica em estudo. Portanto, a partir deste projeto pretendo ampliar as áreas temáticas dos estudos de recepção da obra de Jean Piaget, incluindo também as áreas de neurociências e de epistemologia da biologia. Entre os objetivos específicos desse projeto, pode-se citar: 1) Concluir a o estudo quantitativo sobre as citações a Jean Piaget (incluindo as publicações com seus diversos colaboradores) encontradas em artigos da área da didática das ciências indexados no ISI Web of Science; 2) Realizar uma análise qualitativa das citações a obra de Piaget entre educadores em ciências que publicam em língua inglesa, conforme item anterior; 3) Realizar um estudo comparativo entre os educadores em ciências francófonos e anglófonos sobre as citações à obra Piaget; 4) Elaboração de projeto de pesquisa visando ao estudo da recepção diacrônica da obra de Piaget entre os educadores em ciências hispânicos e lusófonos, objetivando posterior submissão às agências de fomento; 5) Realizar estudo quantitativo sobre as citações a Jean Piaget encontradas em artigos da área das neurociências indexados no ISI Web of Science; 6) Realizar uma análise qualitativa das citações a obra de Piaget entre neurocientistas que publicam em língua inglesa, conforme item anterior; 7) Elaboração de projeto de pesquisa visando ao estudo da área de interface entre as neurociências e a educação, objetivando posterior submissão às agências de fomento; 8) Realizar estudos quantitativos e qualitativos sobre as citações a Jean Piaget encontradas em artigos sobre epistemologia ou filosofia da biologia indexados no ISI Web of Science/; e 9) Elaboração de projeto de pesquisa visando ao estudo da área de interface entre a epistemologia da biologia e diversos campos das ciências humanas, tais como antropologia, educação ou psicologia, objetivando posterior submissão às agências de fomento..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Área de Educação Química

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4802057557118113

Filosofia da Química

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/9264584797621444

Maria Aparecida Bergamaschicida.bergamaschi@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/6634410343670618

Doutora em Educação e graduada em História. Realizou Pós-Doutorado na Universidade Estadual de Campinas, SP (UNICAMP). É Professora na Faculdade de Educação da UFRGS, onde atua como professora e pesquisadora no Programa de Pós-Graduação em Educação, orientando Mestrado e Doutorado na área de Educação Indígena e Ensino de História. É líder do grupo de pesquisa (CNPq) Peabiru: Educação ameríndia e interculturalidade. Integra o Conselho Editorial da Revista Espaço Ameríndio, participa da coordenação da Rede Saberes Indígenas na Escola – Núcleo UFRGS. Organizou e publicou artigos e livros sobre Educação Indígena e Ensino de História, tendo experiência nestas áreas, com pesquisas sobre educação guarani, educação escolar indígena e a temática indígena na escola.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Formação de Intelectuais Indígenas, Educação e Interculturalidade
  2. Educação Ameríndia, Interculturalidade e Interaprendizagens
  3. Abya Yala: Epistemologias Ameríndias em Rede

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2015 – Atual
  2. 2014 – Atual
  3. 2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. O projeto Formação de Intelectuais Indígenas, Educação e Interculturalidade tem como objetivo principal cartografar a produção científica de estudantes indígenas (Teses, Dissertações, Monografias e TCCs) produzidas na área da Educação em Instituições de Ensino Superior da Região Sul do Brasil no século XXI, buscando compreender se/como revelam a interface tradição-academia em suas produções. Justifica-se a proposição da pesquisa pelo número crescente de estudantes nos cursos de graduação e pós-graduação lato e stricto sensu nas universidades brasileiras em geral e, em especial, na região sul, onde focalizaremos o olhar nesse primeiro momento da investigação. Intuímos que essa presença, além de representar um movimento de afirmação e valorização étnica para os povos envolvidos, repercute na academia, gerando processos de interculturalidade. O estudo que aqui propomos se deterá na localização e análises dessas produções acadêmicas..
  2.  O projeto Educação Ameríndia, Interculturalidade e Interaprendizagens dá continuidade às pesquisas que envolvem educação indígena e processos de escolarização dos povos kaingang e Guarani. Em especial, se dispõe estudar a formação de professores e de intelectuais indígenas, a presença de estudantes indígenas na universidade, os processos próprios de aprendizagem relacionados à escola em territórios indígenas. Numa perspectiva metodológica qualitativa, a investigação prioriza etnografias, estudo de documentos, entrevistas e registro de depoimentos, tendo como palco as práticas de escolarização nas terras indígenas e na universidade – a política de acesso e permanência de estudantes indígenas -, bem como o programa de formação de professores ?Saberes Indígenas na Escola?..
  3. Projeto de pesquisa aprovado no Edital nº 001/2013, Criação das Redes Interdisciplinares e Multidisciplinares de Pesquisas (RIMPs), do Latino-Americano de Estudos Avançados/ PROPESQ ? UFRGS. Constitui o eixo principal do projeto as relações entre modos de aprendizagem e processos educativos ameríndios e suas correspondentes sócio-mito-cosmo-ontologias, desdobrado em: formação e aprendizagem, escola indígena, universidade; cosmo-ontologias, mitologias, territorialidades; Interciência e interculturalidade; políticas públicas e protagonismo indígena; cosmo-sônica e Antropologia da arte e da imagem. O desenvolvimento do projeto envolve ações de cooperação e intercâmbio entre instituições de ensino superior dos países que compõem a rede: Brasil, Uruguai, Colômbia, Peru, México e Canadá..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

PEABIRU: EDUCAÇÃO AMERÍNDIA E INTERCULTURALIDADE

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4335729712724714

Núcleo de Estudos Educação e Gestão do Cuidado

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5678707940458358

Estudos afro-brasileiros, indígenas e africanos da UFRGS

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5328020963036692

Maria Beatriz Moreira Lucelucemb@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/0353790993809337
ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1842-164X

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1971); Mestre em Educação (M.A.), em 1974, e Doutora em Educação (PhD), em 1979, pela Michigan State University. É Professora Titular de Política e Administração da Educação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando em cursos de licenciatura e no PPG de Educação, pesquisa e extensão sobre Política e Gestão da Educação, assim como no Mestrado Profissional em Educação da Unipampa, por meio de convênio entre ambas as universidades. Teve também diversas experiências de administração acadêmica. Foi a Reitora protempore para a implantação da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), de 2008 a 2011; e Secretária de Educação Básica no Ministério da Educação, em 2014. No Conselho Nacional de Educação, integrou a Câmara de Educação Superior de 2008 a 2012 e a Câmara de Educação Básica de 2004 a 2008 e em 2014. Participa ativamente de diversas entidades acadêmico-científicas, como a ANPEd, sendo atualmente (2019-2021) sua Diretora Financeira, a SBPC, a ANFOPE e a ANPAE, tendo sido desta Presidente e Diretora de Pesquisa e Publicações. Foi editora da Revista Brasileira de Política e Administração da Educação durante vários períodos e é membro de seu conselho editorial como de outros periódicos nacionais e estrangeiros. Atualmente é editora-associada do periódico Education Review – Resenhas Educativas. Participou da comissão especial que propôs o SINAES e de muitos outros trabalhos na área de Educação, com ênfase em Política, Avaliação, Planejamento e Legislação Educacional, Gestão Universitária e Educação Comparada.

PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Reconfigurações na educação: movimentos nas políticas governamentais e nas instituições brasileiras

PERÍODO DE EXECUÇÃO:
2013-atual

FINANCIAMENTO:
Bolsistas Capes e CNPq do PPGEdu/UFRGS; eventualmente IC pelo PIBIC/UFRGS, Faurgs ou voluntários.

RESUMO:

Estudos sobre a dinâmica das políticas públicas de educação básica e superior, com ênfase na democratização da gestão, na expansão do acesso, na valorização e formação dos profissionais, na avaliação e na regulação institucional.

PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Programa Dinheiro Direto na Escola: estudos do Centro Colaborador de Apoio ao Monitoramento e à Gestão de Programas Educacionais – Cecampe-Sul.

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2020-atual

FINANCIAMENTO:

FNDE por PTA UFRGS e Convênio Faurgs. Bolsistas Capes e CNPq do PPGEdu/UFRGS; eventualmente IC pelo PIBIC/UFRGS, Faurgs ou voluntários.

RESUMO:

Projeto abrangente de diversas ações de pesquisa, articuladas com ensino e extensão, tendo como finalidade o monitoramento e apoio à gestão do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e Ações Agregadas, política pública de manutenção e desenvolvimento da educação básica, implementada pelo FNDE em regime de colaboração federativa. As principais ações de pesquisa envolvem a preparação de grandes bancos de dados secundários, oriundos de INEP, FNDE, IBGE, SIOF e outros, e estudos qualitativos em escolas e órgãos municipais e estaduais de Educação, visando análises e avaliações do PDDE e Ações Agregadas, assim como ações de formação e extensão cultural visando qualificar o planejamento e a gestão da educação básica pública. Trata-se de um projeto acadêmico-científico realizado pelo Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação, grupo de pesquisa vinculado ao PPG em Educação / Faculdade de Educação / UFRGS, o qual foi selecionado pelo FNDE (autarquia vinculada ao Ministério da Educação), mediante Edital, para constituir o CECAMPE-Sul, Centro Colaborador de Apoio ao Monitoramento e à Gestão de Programas Educacionais da Região Sul, com fomento inicial para 2 anos e a perspectiva para um plano de estudos e publicações com duração prevista para 4 anos (2020-2024).

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação
dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0412712476729187

Grupo de Pesquisa em Inovação Pedagógica na Formação Acadêmico-Profissional de Profissionais da Educação – GRUPI (Unipampa)
dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5930141100172062

Maria Carmen Silveira Barbosalicabarbosa@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/5017016632945997

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1983), especialista em Alfabetização em Classes Populares pelo GEEMPA (1984) e em Problemas no Desenvolvimento Infantil pelo Centro Lidia Coriat (1995), mestre em Planejamento em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1987), Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2000) e Pós-doutora pela Universitat de Vic, Catalunya, Espanha (2013). Atualmente é Professora Titular na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e atua como Professora Permanente no Programa de Pós-Graduação em Educação, na Linha de Pesquisa: Estudos sobre as Infâncias e como Professora Colaboradora no Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Santa Cruz do Sul na Linha de Pesquisa Aprendizagem, Tecnologias e Linguagens na Educação. Foi coordenadora do GT 07 – Educação de crianças de 0 a 6 anos, da Anped e participou do Comitê Científico da mesma entidade. É editora da Revista Pátio – Educação infantil e da Revista Infancialatinoamericana em colaboração com oito países. Participa como Comitê Editorial e avaliadora ad-hoc em outras revistas científicas. Atua no Grupo de Estudos em Educação Infantil e Infância – GEIN e como Líder de Pesquisa no CLIQUE – Grupo de pesquisa em linguagens, Currículo e Cotidiano de bebês e crianças pequenas. Orienta teses e dissertações nos seguintes temas: educação básica, educação infantil, infância, formação de professores, creche, pré-escola e alfabetização. Participa do Movimento Interfóruns de Educação Infantil – MIEIB e participou como consultora de Currículo da COEDI/SEB/MEC entre 2008-2016.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

AVALIACAO DA EXPERIENCIA BRASILEIRA DE FORMACAO DE PROFESSORES DE EDUCACAO INFANTIL NOS CURSOS DE GRADUACAO EM PEDAGOGIA: PERSPECTIVAS PARA A DOCENCIA NA CRECHE E NA PRE-ESCOLA

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Em 2006, o Conselho Nacional de Educação, através de sua Câmara de Ensino Superior, definiu as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Graduação em Pedagogia – Licenciatura (Resolução CNE/CP n.1/2006). Deste modo, foram reestruturadas as bases curriculares dos mesmos incluindo, especialmente, a formação inicial para o exercício da docência na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental. A pesquisa propõe avaliar a experiência brasileira de formação de professores de educação infantil nos cursos de graduação em pedagogia a partir de dois enfoques, a definição da especificidade da ação pedagógica na educação infantil e a concepção de docência na educação infantil nos cursos de Pedagogia. A investigação acontecerá em três momentos: (1) análise dos documentos oficiais e legais balizadores da formação docente da educação infantil (DCNCPed,2006, DCNEI,2009, ENAD e Exame Nacional da Carreira Docente) procurando verificar possíveis congruências e incongruência dos atributos que definem a especificidade da ação pedagógica na educação infantil e a concepção de docência na educação infantil; (2) a avaliação de 10 cursos de pedagogia (âmbito nacional) procurando obter, a partir de documentos e das vozes de docentes universitários, acadêmicos e gestores das cidades onde se localizam as universidades, como foi a transição curricular no que se refere a especificidade da educação infantil e em que medida a formação inicial universitária vem dando suporte a realização da docência na educação infantil, e (3) o confronto entre os dados produzidos na pesquisa documental e na pesquisa empírica no sentido de estabelecer perspectivas para a formação inicial, no curso de pedagogia, dos docentes de creche e pré-escola..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

LinCE – Linguagem, cultura e educação

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3430932251848224

GEIN – Grupo de Estudos de Educação Infantil e Infâncias

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4964865837366739

CLIQUE – Grupo de Pesquisa em Linguagens, Currículo e Cotidiano de bebês e crianças pequenas

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/7465914653099057

CIC – CRIANÇAS, INFÂNCIAS, CULTURAS

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4648008589445801

Maria Clara Bueno Fischer

LINHA DE PESQUISA:
Trabalho, Movimentos Sociais e Educação

CONTATO:
clara.fischer@ufrgs.br 
mariaclara180211@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1982), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1987), doutorado em Educação – University of Nottingham (1997) e pós-doutorado em educação realizado na Universidade de Lisboa em 2009. É professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul atuando no Departamento de Estudos Especializados e no Programa de Pós Graduação em Educação da Faculdade de Educação na Linha de Pesquisa Trabalho, Movimentos Sociais e Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Tópicos Específicos de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: trabalho-educação, saberes e trabalho, educação do trabalhador, educação de jovens e adultos; educação profissional. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Membro do Comitê Assessor Educação CNPQ 2017-2021. Líder do Grupo de Pesquisa Trabalho, Educação e Conhecimento.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

PRODUZINDO A CULTURA DO TRABALHO ASSOCIADO: SABERES EM (TRANS) FORMAÇÃO NA ECONOMIA POPULAR E SOLIDÁRIA

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2017 – 2023

FINANCIAMENTO: CNPQ

RESUMO:

O projeto intitula-se Produzindo a cultura do trabalho associado: saberes em (trans) formação na economia popular e solidária e tem como coordenadora Maria Clara Bueno Fischer, professora da Faculdade de Educação. Situado na interface entre os campos de estudo Trabalho-Educação, Movimentos Sociais e Educação de Jovens e Adultos, o projeto dá continuidade à trajetória de pesquisa da coordenadora, em particular ao projeto de pesquisa Formação de adultos para e no trabalho associado: atividade de trabalho, profissão e biografias, com previsão de conclusão em julho de 2017; além de haver sido aprovado pelo CNPq na modalidade Bolsa de Produtividade 2017-2021. Apresentando-se como um estudo qualitativo, o objetivo geral do presente projeto de pesquisa é analisar como está se constituindo a relação entre os patrimônios de saberes de sujeitos da economia popular e solidária e aqueles necessários para a constituição de redes de formação e colaboração solidárias, na perspectiva do trabalho associado. A pesquisa realizará três estudos de caso, quais sejam: 1) O trabalho educativo na Escola Municipal Fundamental de Porto Alegre (EPA); 2) A Cooperativa Central Justa Trama; 3) Organização econômica popular Da solidariedade à produção associada: saberes em formação. Adotará procedimentos metodológicos pertinentes a cada estudo, bem como desenvolverá um estudo de tipo Estado da Arte, orientados por suas bases teóricas. A construção e a análise dos dados apoiar-se-ão numa leitura histórica e dialética do objeto pesquisado. MÉRITO – A COMPESQ/EDU aprova o projeto em questão, para o período de 01 de agosto de 2017 a 31 de julho de 2021, por considerar satisfatórios os seguintes aspectos do mesmo: 1) indicação e uso operatório de referências bibliográficas, condizentes e atualizadas; 2) detalhamento e exequibilidade do cronograma previsto para o desenvolvimento do projeto; 3) metodologia fundamentada na literatura escolhida; 4) atendimento aos requisitos previstos no Regramento Ético para as Pesquisas nas Ciências Humanas e Sociais (Resolução 510/16), que dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais, apresentando como suporte para o processo de consentimento, o TCLE (Termo de Consentimento Livre e Esclarecido); 5) valor da problemática de pesquisa, que outorga prosseguimento à produção intelectual da pesquisadora e dos participantes do seu grupo de orientação e pesquisa; 6) importância dos resultados pretendidos, os quais envolvem a Linha de Pesquisa do PPGEDU/UFRGS, Trabalho, Movimentos Sociais e Educação, oferecendo condições de interlocução acadêmica (na pesquisa e no ensino) para os componentes da UFRGS da equipe, mediante participação sistemática no GT Trabalho e Educação da Anped, em eventos que envolvem os campos de estudos e naqueles encontros bianuais dos Grupos de Pesquisa em Trabalho e Educação INTERCRÍTICA.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Trabalho, Movimentos Sociais, Educação

Trabalho Educação e Conhecimento

Trabalho e educação – Neddate

NIEPE-EJA Núcleo Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão em Educação de Jovens e Adultos

EDUCAÇÃO, GÊNERO E TRABALHO ARTESANAL

Maria Elly Herz Genro

LINHA DE PESQUISA:
Educação, Culturas e Humanidades

CONTATO:
mariaellyh8@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Possui Graduação em Licenciatura Plena em Filosofia (1982) pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Mestrado em Educação (1992) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e Doutorado (2000) em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Realizou (2004-2008) trabalho de pesquisa e extensão na ONG Associação de Famílias em Solidariedade (Afaso). Concluiu Pós-Doutorado (2013) no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Docente e Pesquisadora da Faculdade de Educação (Faced) da UFRGS. Membro do Grupo de Pesquisa Inovação e Avaliação na Universidade no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu/UFRGS). Membro da Comissão de Pesquisa (Compesq – 2012-2014) da Faced/UFRGS. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Universidade na América Latina, Democracia, Cidadania e Políticas da Educação Superior.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Universidade, Formação Política e Bem Viver: Estudo dos Projetos de Universidades Emergentes no Brasil.

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2017-Atual

FINANCIAMENTO: CNPQ

RESUMO:
 A pesquisa que apresentamos busca analisar e discutir sobre o papel social da Instituição Universitária no atual contexto brasileiro, que foi historicamente marcado por profundas desigualdades sociais e elitização do acesso à educação superior. As Universidades que foram implantadas em nosso país tardiamente e apenas em alguns centros mais populosos, visavam atender as elites e transplantar a cultura européia para as colônias. No atual contexto do Brasil, apesar de uma herança colonial que deixou marcas profundas de desigualdades e exclusão social, estamos experienciando movimentos alternativos de democratização política e social e de mudanças significativas nas instituições republicanas, dentre elas a Universidade. Nessa direção, o objetivo do presente estudo é evidenciar as alternativas que emergem de modelos inovadores na forma de projetar e desenvolver a Universidade. Despontaram na última década algumas experiências promissoras de novas universidades, que se organizam desde princípios e filosofias que rompem com a arquitetura clássica das universidades aqui implantadas desde a colonização européia. Destacamos nosso interesse mais específico em aprofundar a análise sobre a UNILA (Universidade da Integração Latino Americana), a UFSB (Universidade Federal do Sul da Bahia), UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul) e UNIPAMPA (Universidade Federal do Pampa).

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Estudos Inovação e Avaliação na Universidade

Maria Goreti Farias Machado

LINHA DE PESQUISA:
Políticas e Gestão de Processos Educacionais

CONTATO:
mgoretimachado@gmail.com

CURRÍCULO LATTES
ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5734-4977

Professora Adjunta na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui Mestrado e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007/2012). Especialização em Gestão da Educação pela UniRitter. Graduação em Física (licenciatura) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1988). Foi secretária municipal de educação de Viamão, professora das redes municipais de ensino de Viamão e Porto Alegre e da rede Estadual do RS. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em políticas públicas para educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Financiamento da educação, Controle e accountability, Gestão de programas e projetos educacionais em redes públicas de ensino, Gestão democrática.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Programa Dinheiro Direto na Escola: Estudos do Centro Colaborador de Apoio ao Monitoramento e à Gestão de Programas Educacionais (CECAMPE-Sul)

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2018 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:
Projeto abrangente de diversas ações de pesquisa, articuladas com ensino e extensão, tendo como finalidade o monitoramento e apoio à gestão do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e Ações Agregadas, política pública de manutenção e desenvolvimento da educação básica, implementada pelo FNDE em regime de colaboração federativa. As principais ações de pesquisa envolvem a preparação de grandes bancos de dados secundários, oriundos de INEP, FNDE, IBGE, SIOF e outros, e estudos qualitativos em escolas e órgãos municipais e estaduais de Educação, visando análises e avaliações do PDDE e Ações Agregadas, assim como ações de formação e extensão cultural visando qualificar o planejamento e a gestão da educação básica pública. Trata-se de um projeto acadêmico-científico realizado pelo Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação, grupo de pesquisa vinculado ao PPGEducação/Faculdade de Educação/UFRGS, o qual foi selecionado pelo FNDE (autarquia vinculada ao Ministério da Educação), mediante Edital, para constituir o CECAMPE-Sul, Centro Colaborador de Apoio ao Monitoramento e à Gestão de Programas Educacionais da Região Sul, com fomento inicial para 2 anos e a perspectiva para um plano de estudos e publicações com duração prevista para 4 anos (2020-2024)..


TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Estudos de controle e accountability na administração pública


PERÍODO DE EXECUÇÃO: 
2020 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:
A pesquisa qualitativa tem caráter descritivo/analítico com o escopo no estudo da accountability na administração pública destacando as categorias existentes em diversos contextos políticos e históricos. A partir da compreensão de teorias democráticas pretende identificar as instituições (e legislações) de accountability, sejam elas na esfera dos governos ou da sociedade, seus funcionamentos e as possíveis contribuições para o fortalecimento das democracias, de países selecionado. Visa também o estudo de casos e estudos em perspectiva comparada acerca dos mecanismos de accountability na administração pública.


GRUPO DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:
Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação

Maria Luiza Rodrigues Flores – malurflores@gmail.com

Maria Stephanou

LINHA DE PESQUISA:
História, Memória e Educação

CONTATO:
mastephanou@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-9105-4949

Orientadora de Doutorado e Mestrado junto ao PPGEDU/UFRGS. Graduada em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1982). Mestre em Educação (1990) e Doutora em Educação (1999)/UFRGS. Realizou seu pós- doutoramento na França (Paris) junto ao Service d’Histoire de l’Éducation do IFÉ – Institut Français de L’Éducation (2011-2012). Professora Titular aposentada da Universidade Federal do Rio Grande do Sul,com atuação junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação como docente desde 2001 e Coordenadora do Programa (jan. 2013 – jan.2015), tendo já sido membro da Comissão Coordenadora (2007-2010) e Vice-Coordenadora (2011-2012). Professora Convidada da UFRGS desde 21/06/2019, com atuação junto ao PPGEducação. Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq (2011-2019). Foi Presidente da Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação (2008 a 2011) e Vice-Presidente (nov. 2013 a nov. 2015). Associada à ARTHE – Association Transdisciplinaire pour eles Recherches Historiques sur l’Éducation desde outubro de 2012; da BIOGRAPH – Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, onde atuou como Secretária na gestão 2010-2012 e integrou a Diretoria da Região Sul na gestão 2012-2014. Em 2009 e 2010 integrou a Comissão de Avaliação – Área de Educação da CAPES. Tem experiência nas áreas de História e Educação, com ênfase em História da Educação,com investigações nos temas: história da cultura escrita, práticas de leitura, escrituras de foro privado, manuais de civilidade e urbanidade, medicina e educação, memória e história, memória e patrimônio. Integra o conselho consultivo e conselho editorial dos seguintes periódicos: Revista HISTEDBR on-line, Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, Revista Aulas e Tópicos Educacionais (UFPE). Entre janeiro de 2011 e 31 de setembro de 2018 foi editora da Revista História da Educação (ASPHE). Integra a rede transnacional TRANSFOPRESS (França – Brasil), desde 2013. Membro do Conselho Editorial da Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul no período 2015-2019. Coordenadora do Comitê Assessor de Ciências Humanas e Sociais da FAPERGS (2017-2019) e Membro titular do mesmo Comitê Assessor de Ciências Humanas e Sociais (desde jul. 2015) e do Comitê Assessor Multidisciplinar (2019-2021). É Líder do Grupo de Pesquisa SÉPIA (Preservação – Memórias – Acervos) UFRGS/CNPq.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Viagens inusitadas: percursos de obras do século XIX do acervo da Sociedade Polônia (Porto Alegre, RS)

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2020-Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
Visa reconstruir os percursos históricos de obras do século XIX do acervo da Sociedade Polônia, instituição centenária, fundada por imigrantes e descendentes poloneses em Porto Alegre/RS. Reunidas a partir de outros acervos, ou doadas pela Polônia, ou que acompanharam imigrantes poloneses que se instalaram na Região Sul do país, foram publicadas em diferentes idiomas e países, e apresentam evidências que demonstram sua a singularidade e raridade, e exigem investigação acerca de sua circulação.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
TRANSFOPRESS Brasil – Estudo da Imprensa em Língua Estrangeira no Brasil – 2a Fase – Linha: História da Imprensa em línguas diversas publicadas no Brasil (língua – polonês)

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2019-Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
O projeto corresponde à segunda fase da pesquisa sobre imprensa periódica publicada em língua estrangeira no Brasil e visa dar continuidade ao levantamento sistemático das fontes primárias, sua classificação bem como aos estudos de caso que têm se desenvolvido desde sua primeira fase, iniciada em 2013. É cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq e coordenado por Valéria dos Santos Guimarães e Tania Regina de Luca. É vinculado à rede internacional TRANSFOPRESS-Transnational network for the study of foreign language press (18th-21th centuries) que é coordenado por Diana Cooper-Richet do Centre d’Histoire Culturelle des Sociétés Contemporaines – Université de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines (CHCSC-UVSQ). Mais informações podem ser encontradas no site do projeto: http://transfopressbrasil.franca.unesp.br.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Presença e percursos de uma imprensa quase invisível. Inventário, circulação e práticas de leitura de impressos em língua estrangeira, sobretudo polonesa, no Brasil (Séculos XIX e XX)

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2017-Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
Projeto com objetivo de dedicar-se à pesquisa sobre a imprensa periódica em língua estrangeira publicada no Brasil, como contributo à história da cultura escrita, em especial uma história das práticas de leitura, pensadas a partir do campo da história cultural e da história da educação. Parte de um recorte particular: realização de um inventário, o mais exaustivo possível, de diferentes impressos, com atenção especial, devido a sua quase invisibilidade e esquecimento, àqueles em língua polonesa, embora não exclusiva, àqueles que foram impressos e circularam no sul do Brasil nos séculos XIX e XX. Como segundo movimento, analisa sistematicamente esse corpus, contemplando questões relativas tanto à circulação de ideias e pessoas em âmbito internacional, como às especificidades destes artefatos culturais quando publicados além das fronteiras que lhes deram origem, em particular as estratégias editoriais e as práticas de leitura que ensejaram. O projeto integra as investigações vinculadas à Rede transnacional de pesquisadores para o estudo da imprensa em língua estrangeira (séculos XVIII ? XX) ? Transfopress – e pretende dar continuidade e aprofundar um rico campo de pesquisa, quase inexplorado, que intersecciona história da cultura escrita (produção e circulação de impressos; práticas de leitura) e história da educação. O Transfopress foi constituído a partir de chamada pública, idealizada e proposta pelos professores Diana Cooper-Richet e Michel Rapoport, em 2012, ligados ao Centre d?Histoire Culturelle des Sociétés Contemporaines da Université de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines e coordenadores da rede Transfopress – Transnational network for the study of foreign language press ? XVIIIth-XXth century, ao qual a proponente se vincula desde 2013. Constituído por um grupo internacional e interdisciplinar de pesquisadores do qual o Transfopress Brasil é parte, o projeto ora proposto visa constituir-se como contributo às investigações e inventários do Transfopress internacional.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

TRANSFOPRESS Brasil – Grupo de Estudos da Imprensa em Língua Estrangeira no Brasil

Histórias e Memórias da Educação Brasileira e da Cultura Escolar

Marília Forgearini Nunes

LINHA DE PESQUISA:
Arte, Linguagem e Currículo

CONTATO:
mariliaforginunes@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Professora Adjunta na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no Departamento de Ensino e Currículo da Faculdade de Educação, na área Didática dos Anos Iniciais, leitura e escrita.  Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEDU/UFRGS) orientando pesquisas de mestrado. Licenciada em Letras, com habilitação nas línguas portuguesa e inglesa e respectivas literaturas (UFSM,1999), Mestre em Letras (UNISC, PPGL, 2007) e Doutora em Educação (UFRGS, PPGEDU, 2013). Coordenadora do Programa de Extensão Universitária “Quem quer brincar?” e do “LER: clube de leitura (Lendo Em Roda)”. Editora Associada da Revista GEARTE. Pesquisa: educação literária, currículo literário, literatura infantil, leitura e mediação.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Leitura mediada: de leitor mediado a mediador de leitura

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2019-Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
O presente projeto, que é um desdobramento do projeto Mediação cultural e produção de sentido: diferentes objetos e espaços, tem como argumento central a compreensão de que a mediação cultural é caminho que possibilita a interação comunicativa com objetos multissemióticos de maneira significativa, sensível, atenta.  No entanto, essa mediação só acontece a partir de experiências culturais vividas pelo mediador que se propõe a partir da sua experiência, de modo intencional, a mediar culturalmente outros sujeitos. No contexto educacional, o professor, portanto, oferece mediações culturais coerentes à sua vida e às suas experiências e práticas culturais. Pesquisas como a Retratos de Leitura do Brasil (2016) revelam baixos índices de leitura na vida da população brasileira. Incluídos nessa população encontram-se os docentes em formação inicial e continuada que no processo formativo também revelam pouca interação leitora apesar de tal ação ser essencial na sua formação e na sua atuação futura. Diante desses argumentos, nosso questionamento é de que modo a leitura pode ser mediada no contexto formativo, possibilitando ao leitor mediado tornar-se mediador de leitura?  Associado a essa pergunta especificamos o gênero textual que será nosso objeto de leitura e também questionamos, como mediar o texto literário infantil, um fazer que exige conhecer esse gênero com características sincréticas e estéticas presentes em sua constituição verbo-visual, demandando uma interação leitora específica tanto para quem lê quanto para quem o medeia? Assim, o objetivo geral do nosso projeto é refletir de modo teórico e prático sobre o letramento literário como prática mediadora da leitura de professores em formação para atuarem como mediadores na primeira etapa da Educação Básica (Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental). Para isso, a pesquisa que será realizada com base em uma metodologia de pesquisa qualitativa híbrida entre o teórico e prático estabelece como objetivos específicos: a) iniciar e ampliar os estudos sobre letramento literário em interação com a semiótica discursiva e o seu desdobramento, a sociossemiótica para compreender tanto a produção de sentido de livros literários infantis quanto das interações produtoras de sentido, especificamente as interações leitoras, bem como a apreensão desses sentidos no processo de mediação dessa leitura; b) contribuir no campo educacional, com estudos e práticas teóricas, que reflitam sobre as experiências de leitura mediada como um saber a ser vivenciado pelo professor em sua formação inicial e continuada para que a mediação da leitura possa acontecer de forma significativa em sala de aula. A hipótese é de que a partir dessas ações a presente pesquisa auxilie na solução de uma demanda premente na nossa educação que é a inserção da população em práticas de leitura de modo eficiente e efetivo.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Máximo Daniel Lamela Adó

LINHA DE PESQUISA:
Filosofias da Diferença e Educação

CONTATO:
maximo.lamela@ufrgs.br

CURRÍCULO LATTES

ORCID ID: orcid.org/0000-0002-7643-1785

Professor Adjunto no Departamento de Ensino e Currículo – DEC da Faculdade de Educação – FACED-UFRGS e Professor permanente no Programa de Pós-graduação em Educação – PPGEDU-UFRGS. Integra a Linha de Pesquisa Filosofias da Diferença e Educação com a Temática individual: Poéticas da diferença e Educação. Doutor em Educação pela UFRGS. Mestre em Literatura (Teoria literária) e Licenciado em Ciências Sociais pela UFSC. É Líder do Grupo de Pesquisa POÏEIN – microscopias. educação. imanência; coordena o Grupo de Estudos AtEdPo- Ateliê de Educação Potencial e participa da Rede de Pesquisa Escrileituras da diferença em Filosofia-Educação. Realizou estágio pós-doutoral em Educação na FACED-UFRGS em 2014 e 2015 com Bolsa PDJ do CNPQ e supervisão da Profa. Dra. Sandra Mara Corazza. 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
TRADUÇÃO CRIADORA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2016-Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:
Este projeto de pesquisa tem como objetivo o estudo da formação de professores em sua estreita relação com a didática e o currículo no âmbito das licenciaturas da UFRGS, assim como de suas correlações e continuidades nos cursos de Mestrado e Doutorado em Educação. Para tanto, mobiliza produções textuais que deem a ler traduções criadoras de expressões das culturas traduzidas para um dinamismo espaço-temporal ambientado na educação. Trata-se de ficcionalizar o universo educacional concernente à vida discente e sua relação no processo de formação docente.  Deste modo a pesquisa toma a produção textual como literatura ao entender a literatura como pensamento e teoria social. Nesse processo o licenciando é convidado a misturar códigos narrativos na composição de uma escrita que dimensione o estudo de temas relacionados com a didática, o currículo, a formação de professores e sua identidade docente em variação. A ficção entra como um operador de modos de subjetivação e agenciamento de diferentes lógicas de produção de sentido. Trata-se de reconhecer o licenciando como sujeito ativo de seu processo de formação e a escrita como um agente na mudança e variação dos modos de ler. Como contrapartida o projeto visa organizar Painéis, Seminários e uma publicação que reúna uma seleção de produções disponibilizada em meio digital com acesso livre.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

POÏEIN – microscopias. educação. Imanência.

ESCRILEITURAS DA DIFERENÇA EM FILOSOFIA-EDUCAÇÃO

Nalú Farenzenanalu.farenzena@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/2007735139217872
ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3048-3272

Possui doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1989) e Licenciatura em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1983). É professora titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É presidenta da Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação. Integra o Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação da UFRGS. Atua na área da Educação, principalmente nos seguintes temas: políticas públicas de educação básica, políticas de financiamento da educação, análise e avaliação de políticas educacionais; legislação da educação; administração da educação e gestão da educação.

TÍTULO DE PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Conceitos e abordagens na análise de políticas públicas educacionais

PERÍODO DE EXECUÇÃO:
2020-Atual

RESUMO:
O projeto de pesquisa propõe um estudo teórico, de caráter bibliográfico, sobre o campo da análise de políticas públicas, com vistas a sistematizar conceitos e abordagens deste campo que tenham potencial para subsidiar pesquisas sobre políticas públicas educacionais. É guiado pelo seguinte problema: quais as contribuições de conceitos e abordagens da análise de políticas públicas a estudos de políticas educacionais, levando em conta diferentes recortes temáticos e objetos? O desenvolvimento do Projeto compreende estudo bibliográfico de produções técnicas e acadêmicas sobre a análise de políticas públicas e sistematização, de caráter reflexivo, da produção acadêmica desenvolvida pelos grupos de pesquisa dos quais a coordenadora faz parte, bem como por orientandos de graduação e de pós- graduação e pesquisadores em estágio pós-doutoral. O estudo bibliográfico abrange obras sobre análise de políticas públicas em geral e sobre políticas públicas de diferentes setores, com prioridade para a educação.

TÍTULO DE PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Programa Dinheiro Direto na Escola: Estudos do Centro Colaborador de Apoio ao Monitoramento e à Gestão de Programas Educacionais (CECAMPE-Sul)

PERÍODO DE EXECUÇÃO:
2020 – Atual

RESUMO:
Projeto abrangente de diversas ações de pesquisa, articuladas com ensino e extensão, tendo como finalidade o monitoramento e apoio à gestão do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e Ações Integradas, política pública de manutenção e desenvolvimento da educação básica, implementada pelo FNDE em regime de colaboração federativa. As principais ações de pesquisa envolvem a preparação de grandes bancos de dados secundários, oriundos de INEP, FNDE, IBGE, e outros, e estudos qualitativos em escolas e órgãos municipais e estaduais de Educação, visando análises e avaliações do PDDE e Ações Integradas, assim como ações de formação e extensão cultural visando qualificar o planejamento e a gestão da educação básica pública. É um projeto acadêmico-científico realizado pelo Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação, grupo de pesquisa vinculado ao PPGEducação/Faculdade de Educação/UFRGS, o qual foi selecionado pelo FNDE (autarquia vinculada ao Ministério da Educação), mediante Edital, para constituir o CECAMPE-Sul, Centro Colaborador de Apoio ao Monitoramento e à Gestão de Programas Educacionais da Região Sul, com fomento inicial para 2 anos e a perspectiva para um plano de estudos e publicações com duração prevista para 4 anos (2020-2024).
GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:
Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação
dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0412712476729187

Natália de Lacerda Gil

LINHA DE PESQUISA: 
Educação, Culturas e Humanidades

CONTATO:
natalia.gil@ufrgs.br

CURRÍCULO LATTES

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0818-4858

Professora e pesquisadora na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pedagoga e historiadora, possui Mestrado (2002) e Doutorado (2007) em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Realizou, como parte das atividades de doutorado, estágio de pesquisa na École des Hautes Études en Sciences Sociales, em Paris. Membro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação/ANPEd, da Sociedade Brasileira de História da Educação/SBHE e da Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação/ASPHE. Realizou estágio de pós-doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Desenvolve pesquisa na área de História da Educação, investigando especificamente o movimento dos alunos pela escola no Brasil (acesso, permanência e seletividade escolar), a história das estatísticas de educação.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Exclusão escolar na história brasileira: persistências e resistências (1920-2020)

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2019-Atual

FINANCIAMENTO: CNPq

RESUMO:
Este projeto corresponde à continuidade da pesquisa precedente, intitulada “A escola obrigatória e seus alunos: acesso, permanência e desempenhos (1870-1970)”. Na fase atual, os esforços investigativos concentram-se na descrição de como se estabeleceram formas diversificadas e persistentes de exclusão durante o processo de consolidação da escola obrigatória no país ao mesmo tempo em que essa instituição passou a ser definida legalmente como direito de todos. Para tanto importa saber, do ponto de vista quantitativo, qual a extensão desse fenômeno, analisando as estatísticas de matrícula e reprovação durante 1932 e 2020. Mas como a exclusão não se restringe ao que é possível apreender nesses números, pretendemos também categorizar as formas de inclusão e exclusão que se apresentam ao longo da história da escola brasileira. Além disso, a pesquisa visa a repertoriar as políticas e proposições de enfrentamento da exclusão escolar, selecionando algumas dessas para análise detida e, por fim, conhecer possíveis associações entre processos de exclusão dos estudantes e a produção da (des)valorização profissional docente.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

História da escolarização no Brasil: políticas e discursos especializados

História dos Saberes Pedagógicos (está em processo de cadastramento no DGP)

Neusa Chaves Batista – neuchaves@gmail.com
http://lattes.cnpq.br/6140717980817182

Possui doutorado em Educação (2009), mestrado em Sociologia (2002) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e graduação em Ciências Sociais (1999) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Realizou, em 2017, estágio Pós-Doutoral em Políticas Educacionais Comparadas junto ao Grupo de Investigación Políticas y Reformas Educativas de la Facultad de Ciencias de la Educación – Universidad de Granada-España. Atua como representante alterna da Secretaria de Assuntos Internacionais da UFRGS junto ao Núcleo de Educación para la Integración (NEPI) – Asociación de Universidades Grupo Montevideo. Tem experiência na área de Sociologia da Educação com ênfase no campo da Sociologia das Políticas Educacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: Estado, democracia e justiça social, políticas públicas para a gestão democrática da educação, conselhos de educação e sistemas de ensino, formação de gestores para a educação básica, políticas públicas de ações afirmativas para a educação superior. Atualmente é professora associada da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FACED-UFRGS)

TÍTULO DE PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
(IN)JUSTIÇA EDUCACIONAL NA ESCOLA PÚBLICA E POLÍTICAS DE AÇÃO AFIRMATIVA PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL

PERÍODO DE EXECUÇÃO:
2021 – Atual

RESUMO:
O projeto de pesquisa que proponho é entendido como um projeto “guarda-chuva” que abrigará estudos/abordagens sobre a produção e reprodução de injustiças educacionais (sociais) geradas pelas escolas públicas brasileiras e que impactam no acesso/permanência à/na educação superior pública causando a necessidade de implementação de política afirmativa a fim de equalizar as oportunidades para todas/os as/os estudantes. Os estudos estarão centrados em indicadores e variáveis que possam demonstrar a relação entre os dois fenômenos sociais citados acima (escola pública e universidade pública), tais como: reformas e políticas educacionais locais e globais, organização e gestão da escola e da universidade públicas, políticas escolares e acadêmicas. De forma geral, entendo que as desigualdades são sempre delineadas pela dimensão política da sociedade; dimensão essa, engendrada por correlações de forças e suas repercussões nas decisões emanadas do Estado, a fim de estabelecer os limites dos benefícios e perdas à cidadania nacional, prescrevendo e produzindo ações públicas que garantam um padrão mínimo de justiça educacional e social com o objetivo de garantir a hegemonia de uma certa visão de mundo.


TÍTULO DE PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA: ESTUDOS DO CENTRO COLABORADOR DE APOIO AO MONITORAMENTO E À GESTÃO DE PROGRAMAS EDUCACIONAIS (CECAMPE-SUL)

PERÍODO DE EXECUÇÃO:
2021 – Atual

RESUMO:
Projeto abrangente de diversas ações de pesquisa, articuladas com ensino e extensão, tendo como finalidade o monitoramento e apoio à gestão do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e Ações Agregadas, política pública de manutenção e desenvolvimento da educação básica, implementada pelo FNDE em regime de colaboração federativa. As principais ações de pesquisa envolvem a preparação de grandes bancos de dados secundários, oriundos de INEP, FNDE, IBGE, SIOF e outros, e estudos qualitativos em escolas e órgãos municipais e estaduais de Educação, visando análises e avaliações do PDDE e Ações Agregadas, assim como ações de formação e extensão cultural visando qualificar o planejamento e a gestão da educação básica pública. Trata-se de um projeto acadêmico-científico realizado pelo Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação, grupo de pesquisa vinculado ao PPG Educação/Faculdade de Educação/UFRGS, o qual foi selecionado pelo FNDE (autarquia vinculada ao Ministério da Educação), mediante Edital, para constituir o CECAMPE-Sul, Centro Colaborador de Apoio ao Monitoramento e à Gestão de Programas Educacionais da Região Sul, com fomento inicial para 2 anos e a perspectiva para um plano de estudos e publicações com duração prevista para 4 anos (2020-2024).

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:
Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação
dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0412712476729187
CENTRO DE ESTUDOS INTERNACIONAIS SOBRE GOVERNO
dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2688922645786353

Paola Basso Menna Barreto Gomes Zordan

LINHA DE PESQUISA:
Filosofias da Diferença e Educação

CONTATO:
paola.zordan@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8937-7706

Artista visual, performer, escritora, professora do Departamento de Artes Visuais e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Líder do grupo de pesquisa ARCOE, Arte, Corpo e EnSigno (CNPq) e coordenadora adjunta do Núcleo Transdisciplinar de Arte e Loucura, NuTAL/DEDs/UFRGS. Trabalha com escultura social, dispositivos relacionais e tarôs (tarot). Bacharel em Desenho, Doutora e Mestre em Educação pela UFRGS, membro da Linha de Pesquisa Filosofia da Diferença e Educação, é membro da Rede de Pesquisa Escrileituras. Desenvolve temas entre historiografia da arte, poéticas visuais, esquizoanálise e vida magisterial. Licenciada em Educação Artística, bacharel em Desenho, foi professora de artes em escolas básicas da rede de ensino em Porto Alegre, supervisora de estágios docentes obrigatórios da Licenciatura em Artes Visuais e coordenou projetos do MEC relativos ao componente curricular Arte.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Contas e Tarôs: Desígnios geoplásticos sincrético

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2021 – Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
Nas práticas ancestrais, pelas quais todos povos e culturas afirmam seus valores, encontramos contas, traçados e figuras amparando a complexidade caósmica – como expressou Félix Guattari – da existência. De uma partida esquizoanalítica eminentemente transdisciplinar, a pesquisa desenvolve a história e o conceito de magia junto a Filosofia da Diferença e saberes arcanos. Investiga tarôs e outros oráculos, em especial o Ifá, como dispositivos e relacionais e micropolíticos que operam nos desígnios fabulatórios de uma vida tornada obra de arte. Com ênfase no campo ampliado das Artes Visuais, de caráter multirreferencial, desenvolve-se como escultura social, tendo como mote o conceito de Joseph Beuys e o movimento Fluxus, atuando também na área da Educação. Atenta aos efeitos sincréticos e antropofágicos do que assume como tecnoxamanismo multirreferencial, acolhe estudos e investigações que tratam de esquemas mnemotécnicos, imagens e artefatos circunscritos ao Brasil e países vizinhos. Tem a montagem, ao modo de Aby Warburg e dos dadaístas, como maneira de lidar com as matérias do pensamento. Cria um objeto poético que consta num fio e das contas e apresenta outras produções literárias e artísticas, paralelas aos seus temas e questões em torno do destino, nascimento, sexo, morte e outras passagens. As contas, esses objetos milenares de diversos usos e sentidos, como os ilekês e outros colares rituais, são tratadas como peças de ancoragem para oralidades, rodas de conversa e colaborações com intuito ético-estético. Procura-se relações entre as ditas “figuras da corte” e odus do Ifá e nas contas de opelês com os naipes numéricos, criando decks de tarot a partir das relações com a cultura afrobrasileira. Entre fazer arte, rezar e ensinar há uma ascese na busca de bênçãos, curas, conhecimento de si e do mundo expresso.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Arte, Corpo, ensino

DIF – artistagens, fabulações, variações

ESCRILEITURAS DA DIFERENÇA EM FILOSOFIA-EDUCAÇÃO

Patricia Alejandra Behar

LINHA DE PESQUISA:
Aprendizagem e Ensino

CONTATO:
pbehar@terra.com.br

CURRÍCULO LATTES

Professora Titular da Faculdade de Educação e dos Cursos de Pós Graduação em Educação (PPGEdu) e em Informática na Educação (PPGIE) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui bolsa de Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora (DT), nível I. Mestre (1991-1993) e Doutora (1994-1998) em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação a Distância (EAD) e Informática na Educação. Atua, principalmente, nos seguintes temas: desenvolvimento de ambientes virtuais de aprendizagem (AVAs), produção e avaliação de materiais educacionais digitais, arquiteturas pedagógicas, modelos pedagógicos para EAD, construção do conhecimento em AVAs, formação de professores em AVAs. Coordena o Núcleo de Tecnologia Digital aplicada à Educação (NUTED) da Faculdade de Educação (FACED) e vinculado ao Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação (CINTED). Desenvolveu o ambiente virtual ROODA, utilizado como uma das plataforma de EAD da UFRGS em cursos presencias, semi e totalmente a distância, por mais de 52000 usuários. Membro do comitê IFIP (International Federation for Information Processing) Technical Committee 3-Education. Autora dos Livros MODELOS PEDAGÓGICOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. ArtMed: Porto Alegre, 2009 e COMPETÊNCIAS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Penso: Porto Alegre, 2013. Ganhadora do Prêmio CAPES de TESE EDIÇÃO 2012 na área INTERDISCIPLINAR, como orientadora. Membro da Rede Nacional de Ciência para Educação. Coautora de um dos documentos temáticos “Competências Socioemocionais, Metacognição e Tecnologia Educacional”, 2016. 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
RecPed-EAD – Recomendação Pedagógica em Educação a Distância

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2019-Atual

FINANCIAMENTO: CNPq e FAPERGS

RESUMO:
O projeto tem como principal objetivo investigar como os sistemas de recomendação podem contribuir para os processos educacionais no contexto da Educação a Distância (EAD). Para isso o presente estudo é baseado nos elementos do modelo pedagógico em EAD e, a partir deles, propor formas de recomendação pedagógica. Portanto faz-se necessário tanto a construção de tecnologias que realizem esse tipo de recomendação quanto a análise e discussão dos dados recomendados como formas de melhorar e/ou auxiliar/apoiar o processo de ensino aprendizagem e a atuação dos atores no contexto da educação a distância. Com o surgimento da Web 3.0, conhecida como web semântica, verificou-se a necessidade de investigar a aplicabilidade, em termos pedagógicos, das tecnologias digitais relacionadas a essa terceira geração da internet. Do ponto de vista do comércio eletrônico, ou e-commerce, a web 3.0 ajuda a impulsionar a rede social de compradores de produtos e serviços. A recomendação de mercadorias, compradas por outras pessoas e o registro de suas opiniões vem transformando o comércio virtual. Além disso, é possível agregar métodos para interpretar os hábitos do usuário da internet, de forma que o sistema aprenda sobre os interesses do mesmo. Isso garante uma experiência mais personalizada, seja na área empresarial ou, neste contexto, na educacional. Portanto, entende-se que essa recomendação pode auxiliar os diversos profissionais/alunos que atuam na modalidade à distância. Em razão disso, este projeto se propõe a definir o conceito de recomendação pedagógica, abrangendo o uso educacional de ferramentas digitais voltado para a Educação a Distância. Parte-se, portanto, de um estudo dos elementos do modelo pedagógico, composto pela Arquitetura, Estratégias e seus Sujeitos, para o desenvolvimento de sistemas do ponto de vista tecnológico que realizem esse tipo de recomendação. Logo, está se dando continuidade às pesquisas do projeto anterior da bolsa DT que teve como uma das metas desenvolver os protótipos Mapa Afetivo e Social (antigas ferramenta denominadas ROODAafeto e InterROODA) e propor ?dicas pedagógicas? advindas das informações sócio-afetivas. Portanto, entende-se que essas informações são de fundamental importância para serem levadas em conta nos processos educacionais. Assim, partindo dos indicadores obtidos através dessas funcionalidades, vislumbrou-se um potencial para a construção de arquiteturas pedagógicas para a EAD, que incluíssem aspectos relacionados às interações e aos estados de ânimo do sujeito em Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Logo, essas ?dicas? sugeridas pelo sistema serão aperfeiçoadas e denominadas, nesta proposta, de recomendações. Além dessas tecnologias, pretende-se implementar a nova versão do RecOAComp ? Recomendador de Objetos de Aprendizagem por Competências e o RecETC ? Recomendador do ETC ? Editor de Texto Coletivo. Também serão construídos diversos Objetos de Aprendizagem que terão como objetivo validar os estudos teóricos e práticos desenvolvidos pela equipe do projeto. Estes serão usados para capacitar professores e/ou profissionais que atuam em Educação a Distância e todos estarão relacionados com as temáticas do projeto. Do ponto de vista do sujeito, serão investigados quais são os benefícios e/ou limitações das informações recomendadas para auxiliar os atores nas suas diferentes práticas na modalidade a distância. Destaca-se, portanto, que a presente proposta traz importantes contribuições científicas pois irá integrar a implementação de sistemas de recomendação educacionais e como os processos de ensino aprendizagem que ocorrem através da Educação a Distância podem ser enriquecidos e alimentados pela recomendação pedagógica. Destaca-se que este novo termo será definido e conceituado no presente projeto..

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
COMPETENCIAS DIGITAIS ATRAVES DE RECURSOS TECNOLOGICOS PARA O CONTEXTO DA EDUCACAO A DISTANCIA (EAD)

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2018- Atual

FINANCIAMENTO: FAPERGS

RESUMO:
O projeto propõe como objetivo geral a formação continuada de professores para o desenvolvimento de competências digitais na EAD através de contextos virtuais. Visa oferecer estratégias voltadas ao aprimoramento de ações educativas na modalidade a distância, focando na construção de competências, especificamente, as digitais.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
MODELOS PEDAGÓGICOS PARA MOBILE LEARNING

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2018-Atual

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
O objetivo desta pesquisa é propor a construção de modelos pedagógicos com foco na M-learning (MPs-Mobile). A cada ano aumenta o número de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, sendo comercializados e utilizados em todo mundo. Neste contexto, é importante refletir sobre como incluir tais dispositivos nas práticas pedagógicas que possa abarcar as diferentes necessidades de públicos heterogêneos. A M-learning permite um leque de possibilidades que podem enriquecer o processo de ensino e aprendizagem através da realização de atividades de estudos, comunicação e interação, produção de conteúdo e o compartilhamento de informações em qualquer lugar e a qualquer hora. Desta forma, a metodologia de pesquisa será qualitativa e quantitativa, do tipo estudo de casos múltiplos. O público-alvo serão professores em formação continuada ou inicial que desejam participar da pesquisa. Os instrumentos utilizados serão: questionários, entrevistas e observação participante. A investigação contará com nove etapas de desenvolvimento. Entende-se que os modelos pedagógicos poderão auxiliar o professor a repensar suas práticas e orientá-los no planejamento e implementação de atividades com os smartphones e tablets na sala de aula.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Computação Afetiva

NUTED-Núcleo de Tecnologia Digital aplicada à Educação

Renata Sperrhake

LINHA DE PESQUISA:
Estudos Culturais em Educação

CONTATO:
renata.sperrhake@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Professora do Departamento de Ensino e Currículo da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua na área de Didática dos Anos Iniciais, Leitura e Escrita como docente do Curso de Pedagogia. Foi professora do Ciclo de Alfabetização na Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre e no Colégio de Aplicação da UFRGS, onde atuou como professora substituta. Possui graduação em Pedagogia, mestrado e doutorado em Educação pelo PPGEDU/ UFRGS. Atualmente é docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e líder do Grupo de Pesquisa sobre Educação e Disciplinamento (GPED) e integrante do Grupo Aula: Alfabetização, Linguagem e Ensino. É coordenadora adjunta do Programa de Extensão Universitária “Quem quer brincar?”. Tem interesse nos seguintes temas: alfabetização, leitura, escrita, letramento, avaliações interna e externa e estudos foucaultianos.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Práticas avaliativas da alfabetização: avaliações internas e externas e o acompanhamento da aprendizagem na leitura e da escrita nos Anos Iniciai do Ensino Fundamental

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2021 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:
O presente projeto de pesquisa visa mapear e analisar as práticas avaliativas contemporâneas da alfabetização realizadas interna e externamente às escolas para compreender como tem sido realizado o acompanhamento das aprendizagens das crianças de 1º e 2º anos do Ensino Fundamental, visibilizando saberes elegidos como prioritários para ler e escrever, as técnicas de sistematização, classificação e quantificação desses saberes, e os possíveis efeitos dessas práticas avaliativas no controle do risco do analfabetismo infantil. Para isso, a pesquisa realizará um entrelaçamento entre os campos de estudo da alfabetização e da avaliação educacional, orientando-se por uma perspectiva analítica de viés pós-estruturalista, marcadamente foucaultiana, na qual a problematização do presente ganha destaque. O conceito articulador dos diferentes eixos do projeto de pesquisa é o conceito de prática em Michel Foucault. Metodologicamente, se utilizará de uma bricolagem de metodologias para alcançar os objetivos de três eixos de investigação.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Ricardo Burg Ceccimburgceccim@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/9247766157002480

É sanitarista (Especialista pela Escola Nacional de Saúde Pública), Mestre em Educação (Programa de Pós-Graduação em Educação, UFRGS), Doutor em Psicologia (Processos de singularização na clínica e na cultura, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e pós-doutor em Antropologia Médica (Universitat Rovira i Virgili, Espanha). Atualmente é Professor Titular na Área de Saúde Coletiva (Departamento de Assistência e Orientação Profissional, UFRGS), responsável pelo Grupo Temático de Educação em Saúde inserido nas linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Educação, UFRGS e de Educação e Cultura da Saúde, entre as linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, UFRGS, líder do Grupo de Pesquisa em Educação e Ensino da Saúde (Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, CNPq), coordenador da Comissão de Residência em Área Profissional da Saúde/Multiprofissional (Coremu), UFRGS, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGCol), UFRGS, membro do Comitê Local de Iniciação Científica (Pró-Reitorias de Pesquisa e de Pós-Graduação), UFRGS e do Núcleo Docente-Estruturante do Curso de Bacharelado em Saúde Coletiva, UFRGS. Desde 2005 conduz o Núcleo de Educação, Avaliação e Produção Pedagógica em Saúde – EducaSaúde, criado na Faculdade de Educação e hoje uma parceria com a Escola de Enfermagem. O EducaSaúde integra os grupos de Pesquisa & Desenvolvimento da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Pesquisa-formação na integração ensino-serviço em saúde: compondo referências
  2. Biblioteca Vivente, livros em suporte humano: compartilhamentos de vida para o apreender da alteridade
  3. Pedagogia da vida: Redilhando Cartografias de formação.
  4. Prospecção de Modelos Tecnoassistencias na Atenção Básica em Saúde
  5. Perspectivas e inovações na atenção de saúde aos usuários de crack e outras drogas: avaliação acerca das limitações de acesso e da adesão aos serviços
  6. Pesquisa-ação e educação permanente como desenvolvimento e mobilização de capacidades institucionais em atenção e ensino de saúde
  7. Pesquisa-ação e educação permanente como desenvolvimento e mobilização de capacidades institucionais em atenção e ensino de saúde

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2016 – Atual
  2. 2016 – Atual
  3. 2012 – Atual
  4. 2011 – Atual
  5. 2011 – Atual
  6. 2006 – Atual
  7. 2006 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. A proposta destina-se à formulação de teoria em Pedagogia Universitária tomando por base o caso da Educação em Saúde. Pretende seguir os estudos de identificação de metodologias e tecnologias para a integração ensino-serviço e para a pesquisa &educação em serviço, mediante o dispositivo pedagógico da Educação Permanente em Saúde, mas agora no confronto internacional, fazendo uso das relações já estabelecidas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul ?UFRGS com a Universidade de Bolonha- UNIBO. Implementará o conceito de pesquisa-formação e buscará analisar a pertinência de metodologias pedagógicas desenvolvidas pela UFRGS que mobilizam o ensino, a pesquisa e a extensão universitária no contato com sistemas e serviços de saúde.Parte de uma investigação de campo na Atenção Básica atenção primaria à saúde) e busca a interlocução com atores do ensino, do trabalho, da gestão e representantes dos usuários de serviços de saúde. O projeto de pesquisa ambiciona oferecer à pedagogia Universitária dispositivos metodológicos de educação permanente de pesquisa-ação crítico-colaborativa em serviços de saúde com potência para enfrentar os desafios postos na realidade ontemporânea da gestão de sistemas e serviços na área da saúde. Com a escolha da pesquisa-formação será estimulada a criação e o fortalecimento de redes internacionais entre profissionais, p rofissionais e docentes, profissionais e estudantes, estudantes e pesquisadores, tendo em vista compartilhar conhecimentos e estratégias quanto à formação em saúde. No final, as atividades de knowledge transfer e knowledge translation serão facilitadas, artigos em italiano, português e inglês serão utilizados para a divulgação acadêmica. Aintervenção investigativa em situações reais e a gestão da mudança em cenários concretos de trabalho pode, de um lado, elevar as capacidades institucionais dos parceiros implicadas com a ação, de outro, gerar informação para a sua reprodução como metodologia, instrumento e técnica, vindo sensibilizar coletivos ampliados de atores vinculados aos serviços de saúde e às instituições de ensino, promovendo cenários de integração ensino-serviço. A maior potência da proposta está em seu impacto de colaboração internacional, favorecendo o intercâmbio, promovendo a cooperação e construindo interface de conhecimentos e práticas..
  2. Entendendo a formação menos como uma arte de governar ou guiar, e mais como uma força de afetação sensível dos sujeitos talvez seja possível sugerir as perspectivas da empatia (ou da amizade) e da parrhésía (o franco-falar) como projeto formativo na direção das humanidades, apreensão da alteridade e aprendizagem do acolhimento ético das diversidades e singularizações do humano. Usamos das últimas formulações de Michel Foucault sobre as tecnologias de subjetivação e a experiência internacional das Bibliotecas Humanas, experimento criado na Dinamarca em 2000, onde o contato com pessoas que experimentam estigmas, discriminações e preconceitos se faz à semelhança da consulta bibliográfica. Pensa-se em experimentar um procedimento didático: ?biblioteca vivente, livros em suporte humano?. Em lugar de um livro com o texto já fixado em suporte papel, pessoas-livro com um texto vivo, atuado em ato de conversa. A proposta é pesquisar, mediante ação em cena e mediante formação em ato dos agentes em cena (pesquisa-formação e pesquisa-intervenção). A empatia (amizade) e a parrhésía (falar franco/dizer verdadeiro) são apresentadas como proposta didática e formativa no ensino em ciências sociais e humanas (licenciaturas) e em ciências sociais e humanas na saúde (saúde coletiva), tendo em vista estudos de gênero e sexualidade, de educação em saúde mental, de antropologia do corpo e da saúde, de educação em saúde, de educação inclusiva e de educação e diversidade. Frente ao desafio de construir uma atuação profissional cada vez mais solidária e ética, propõe-se a possibilidade de refletir sobre alternativas de formação profissional na educação superior, onde se incluam qualidades sensíveis (sensações, impressões, desejos, afetos) e se desenvolvam tecnologias inovadoras identificadas com a realidade brasileira. A experiência internacional das Bibliotecas Humanas não tem paralelo na América Latina, assim a utilização da experiência internacional se prestará à metodologia de criar cenários vivos de contato com a diversidade na experiência humana e suas singularizações para ampliar a alteridade e o acolhimento ético do humano, um movimento que incentive o contato social e o diálogo intercultural para promover a igualdade e aceitação, e reduzir a discriminação e o ódio. A pesquisa-experimento que se propõe é a do encontro com livros em suporte humano para formação de estudantes de graduação. Com isso espera-se aprofundar a ruptura com os enfoques tradicionais de pesquisa e ampliar as bases teórico-metodológicas das pesquisas participativas, incluída a proposta de atuação transformadora da realidade sociopolítica, bastante pertinente aos acontecimentos globais contemporâneos.
  3. As práticas pedagógicas e de saúde dos Residentes, nos cenários da Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Mental Coletiva, costuram-se dentro proposta de Educação Permanente [ensino ? gestão setorial ? práticas de atenção ? controle social] (CECCIM; FEUERWERKER, 2004) e a contribuição desses Sujeitos em Formação [os Residentes] na produção de cultura e sentido [nas subjetividades], é o que me impulsiona a sistematizar a boniteza da relação construída entre os processos de educação e saúde. Toda prática de saúde é uma ação educativa, pois o processo de promoção-prevenção-cura-reabilitação é também um processo pedagógico, no sentido de que tanto o profissional de saúde quanto o usuário aprendem e ensinam. Esses conceitos podem mudar efetivamente a forma e os resultados do trabalho em saúde, transformando pacientes em cidadãos, co-participantes do processo de construção da saúde (ALBURQUERQUE e STOTZ, 2004). Essa pesquisa pretende analisar os processos de intervenção dos Residentes nos campos e cenários de prática de modo a perceber essas criações de potência de vida, de subjetividades que [in]ventam novas experimentações de mundo. A análise desses processos de formação profissional dos Residentes poderá incentivar práticas que agenciem argumentos de sensibilidade (CECCIM, 2004/2005) e redes construídas no cotidiano das afecções ..
  4. O cenário sanitário mundial tem dado relevante enfoque aos esforços de inovação e modelares em saúde, seja pelo enfoque na promoção da saúde, pela expansão da atenção primária à saúde ou pela defesa da integralidade e da participação popular nas estratégias do setor da saúde. A discussão dos modelos tecnoassistenciais se torna fundamental no planejamento estratégico do setor quando se pretende o acolhimento universal da população e a elevada qualidade da resposta assistencial aos indivíduos e coletivos ou sua inclusão em singulares projetos terapêuticos ou de promoção da saúde. O fato de serviços e sistemas de saúde serem alvo/objeto tanto da introdução contínua de metodologias e tecnologias, como da sempre renovada inclusão de prioridades epidemiológicas e da implantação novidadeira ou reatualizada de ações programáticas faz com que se entrecruzem múltiplos dispositivos de ação e inovação. Sob esta ótica, ?modelos? antigos ou atuais são portadores de estratégias de acolhimento e de resposta, jamais unitários, posto, inclusive, que sofrem diferentes fatores de produção e consumo, correspondendo a interesses diversos na política social e econômica, assim como nas políticas profissionais, programáticas em saúde e de financiamento setorial. No mesmo ?modelo? em que há forte introdução de metodologias coletivas de educação para a saúde, há a manutenção de metodologias campanhistas de saúde pública. No mesmo modelo em que as consultas de atenção básica são realizadas por médicos de subespecialidades, há a realização de procedimentos técnicos que evitam encaminhamentos e descartam a solicitação de exames supérfluos ou a prescrição prioritária de medicamentos. Assim, uma prospecção de modelos tecnoassistenciais abordaria o elo necessário entre as estratégias de atenção e governo da saúde com o conhecimento tecnológico e científico da área como uma forma de saber sobre inovações e modos de fazer no diagnóstico e terapêutica e na política de saúde. Uma inovação ou modo de fazer pode ser a estratégia de aproximação com a população pela via de uma linguagem cultural apropriada, pela forma de se relacionar em rede pelos laços de amizade e coleguismo local etc.. Um desafio de resolutividade pode ser a invenção de unidades mistas de saúde e assistência social para atender grupos populacionais com discapacidades ou unidades mistas entre hospital e atenção básica para assegurar ?leitos? de reidratação oral, observação psicossocial, parto normal etc.. Em todos os modelos auto-interrogados pela resolutividade encontrar-se-á maneiras de criar valor com base na diferenciação. O problema de um modelo único é a perda da capacidade de diferenciação, justamente pela escolha da modelização. Ao ser visto como estratégico para o setor, o modelo único assume funções e atributos em todos os níveis da organização, reduzindo a escuta dos fatores de diferenciação, portadores de protagonismo local e consequência de disputas locais pelo acolhimento das pessoas e grupos sociais ou pela elevada qualidade assistencial. Deste modo, uma perspectiva interessante ao gestor federal do setor da saúde seria a prospecção de modelos reais (estaduais ou municipais), demonstrando a diversidade e as suas conquistas. A prospecção seria a busca e a detecção das fórmulas resolutivas e dos procedimentos de rede adotados por múltiplos locais submetidos ao mesmo sistema nacional de saúde. Seria como prover visibilidade para as estratégias em curso ?com olhos para o futuro?, capturando as suas potências ou as possibilidades de que são portadoras para que se pudesse conduzir uma política desde seus atores estratégicos, tomados por seu valor protagonista de realidades, não a imposição de desenhos definidos a priori como ideais, posto que não há como prover controle sobre todos os fatores de determinação das práticas locais levadas a efeito..
  5. Entender e formular marcadores apreciativos da rede assistencial a usuários de crack e outras drogas, segundo os indicadores de limitação de acesso e de adesão dos usuários aos serviços profissionais de atenção à saúde, estudando as características das redes de saúde e intersetoriais, configurar um processo de avaliação formativa, tendo em vista elevar a capacidade resposta da rede de atenção integral â saúde aos usuários de crack e outras drogas, qualificando a compreensão sobre as necessidades de educação de profissionais de saúde e de educação permanente em saúde no interior da rede profissional, construindo uma atenção de maior qualidade, equidade e resolutividade..
  6. Desenvolvimento de tecnologias de integração ensino-serviço e mobilização de capacidades institucionais para a renovação do ensino da saúde e sua relação com as profissões da saúde, com base na metodologia da pesquisa-ação e educação permanente em saúde. A pesquisa-ação e a educação permanente em saúde permitem acoplar processos de desenvolvimento institucional e produção de conhecimento científico-tecnológico com o desenvolvimento de coletivos docentes e estudantis e formação em serviço. A pesquisa-ação e a educação permanente em saúde implicam a intervenção investigativa em realidades concretas e a gestão de mudanças em cenários sociais, elevando capacidades institucionais, sensibilizando coletivos ampliados de atores vinculados às instituições de ensino e aos cenários de integração ensino-serviço. A pesquisa-ação usa do trabalho de pesquisadores em produtividade e em formação para gerar uma inteligência sobre processos e métodos ao operar transformações sociais em coletivos de atores implicados. A educação permanente usa da formação em serviço para gerar capacidades técnico-científicas ou pedagógico-educativas em realidades de trabalho cotidiano. A pesquisa-ação transversaliza o conjunto da intervenção e a elaboração dos documentos de inteligência, enquanto a educação permanente consuma produtos em cursos de curta ou média duração especificamente voltados para a gestão de processos de mudança e para o desenvolvimento de práticas pedagógicas de interação entre ensino e serviços, envolvendo professores, preceptores, residentes e estudantes. A ação acoplada permitirá a formação especializada e continuada de profissionais atuantes na área de atenção e ensino. O resultado esperado é a evolução positiva da capacidade institucional e da cultura coletiva para a gestão de mudanças no ensino das profissões da saúde em relação à ampliação dos campos de práticas para o sistema de saúde..
  7. Desenvolvimento de tecnologias de integração ensino-serviço e mobilização de capacidades institucionais para a renovação do ensino da saúde e sua relação com as profissões da saúde, com base na metodologia da pesquisa-ação e educação permanente em saúde. A pesquisa-ação e a educação permanente em saúde permitem acoplar processos de desenvolvimento institucional e produção de conhecimento científico-tecnológico com o desenvolvimento de coletivos docentes e estudantis e formação em serviço. A pesquisa-ação e a educação permanente em saúde implicam a intervenção investigativa em realidades concretas e a gestão de mudanças em cenários sociais, elevando capacidades institucionais, sensibilizando coletivos ampliados de atores vinculados às instituições de ensino e aos cenários de integração ensino-serviço. A pesquisa-ação usa do trabalho de pesquisadores em produtividade e em formação para gerar uma inteligência sobre processos e métodos ao operar transformações sociais em coletivos de atores implicados. A educação permanente usa da formação em serviço para gerar capacidades técnico-científicas ou pedagógico-educativas em realidades de trabalho cotidiano. A pesquisa-ação transversaliza o conjunto da intervenção e a elaboração dos documentos de inteligência, enquanto a educação permanente consuma produtos em cursos de curta ou média duração especificamente voltados para a gestão de processos de mudança e para o desenvolvimento de práticas pedagógicas de interação entre ensino e serviços, envolvendo professores, preceptores, residentes e estudantes. A ação acoplada permitirá a formação especializada e continuada de profissionais atuantes na área de atenção e ensino. O resultado esperado é a evolução positiva da capacidade institucional e da cultura coletiva para a gestão de mudanças no ensino das profissões da saúde em relação à ampliação dos campos de práticas para o sistema de saúde..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

RACIONALIDADES EM SAÚDE: SISTEMAS MÉDICOS E PRÁTICAS

COMPLEMENTARES E INTEGRATIVAS

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4033591928455974

Pesquisa, Ação e Colaboração em Educação e Ensino da Saúde – EducaSaúde

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1665076511892913

Rodrigo Lages e Silva lagesesilva@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/2813551873384105

Possui doutorado em Psicologia: estudos da subjetividade pela UFF (com período de estudos na Universitat Rovira y Virgili – Tarragona/ES, doutorado-sanduíche), mestrado em Psicologia Social e Institucional pela UFRGS e graduação em Psicologia pela UNISINOS. É professor do Departamento de Estudos Básicos da Universidade (DEBAS) Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente é secretário regional da Associação Brasileira de Psicologia Social/RS. Também é membro do Comitê de Ética em Pesquisa da UFRGS desde 2018 e da Comissão de Pesquisa da Faculdade de Educação da UFRGS desde 2017. Foi coordenador da área Psicologia da Educação do DEBAS (2016-2018) e presentemente é chefe substituto no mesmo Departamento desde 2017. É vice-líder do grupo de pesquisas Tecnologias, interdisciplinaridade e multiletramentos na educação – UFRGS e membro do grupo Corpo, Arte e Clinica nos modos de trabalhar e subjetivar – UFRGS. Desenvolve pesquisas relacionadas à: experiência urbana e subjetivação; etnografias educacionais; arte, narrativas e aprendizagens.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

SOBRE PENSAMENTO E SUBJETIVAÇÃO: MODULAÇÕES HISTÓRICAS DA RELAÇÃO ENTRE PSICOLOGIA, EDUCAÇÃO E ESCOLARIZAÇÃO

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2019 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

Pretendo realizar uma investigação bibliográfica inspirado na metodologia genealógica foucaultiana acerca das aproximações históricas entre perspectivas teóricas e conceitos operados por teorias psicológicas e o campo da educação, com especial ênfase às políticas e práticas escolares. A partir da problematização dos modos como as concepções psicológicas operam nas tecnologias educacionais, buscarei extrair pistas para pensar a formação de professores na atualidade, com vistas as potencializar outras formas de contribuição da psicologia para educação que não a psicologização dos processos de aprendizagem ou dos comportamentos escolares. Tomando a noção de pensamento como articulador transversal em diferentes abordagens teóricas, buscarei aproximar psicologia, epistemologia e pedagogia com o intuito de colaborar com a formação de licenciandos. Os resultados das pesquisas bibliográfica, além de publicações científicas, serão organizados em objetos de aprendizagem na modalidade de vídeo, de acordo com a estratégia narrativa draw my life.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Tecnologias, interdisciplinaridade e multiletramentos na educação – UFRGS

Corpo, Arte e Clinica nos modos de trabalhar e subjetivar – UFRGS

Rodrigo Saballa de Carvalhorsaballa@terra.com.br

http://lattes.cnpq.br/9450619789833040

Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGEdu/UFRGS) na linha de pesquisa: Estudos das Infâncias. Professor da área de Educação Infantil do Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FACED/UFRGS), no Departamento de Estudos Especializados (DEE). Licenciado em Pedagogia, Especialista em Gestão da Educação (UFRGS), Mestre em Educação (UFRGS -2005), Doutor em Educação (UFRGS -2011) e Pós-Doutor em Educação (UFPEL -2014). Realizou a pesquisa de pós-doutorado intitulada: Inventando crianças no século XXI: políticas de escolarização, capital humano e gestão de riscos nos discursos de analistas econômicos sobre a Educação Infantil (PPGE- UFPEL). Áreas de Interesse de pesquisa: Educação Infantil; Pedagogia da Infância; Linguagens; Culturas Infantis; Currículo e Cotidiano na Educação Infantil; Pesquisa com crianças; Docência na Educação Infantil; Políticas curriculares de Educação Infantil; Formação de Professores de Educação Infantil. Membro do GEIN – Grupo de Estudos da Infância (UFRGS). Vice líder do Grupo de Pesquisas CLIQUE – Grupo de Pesquisas em Linguagens, currículo e cotidiano de bebês e crianças pequenas (UFRGS). 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

A Pedagogia da Infância em discurso: emergência, embates e reinvenções do conceito na prática de pesquisa na Educação Infantil

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2016 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

O presente projeto de pesquisa, tem como objetivo analisar e discutir as condições de emergência, os

embates e os usos do conceito de Pedagogia da Infância no campo de pesquisas da Educação Infantil brasileira no período de 2000-2015. Tendo em vista que tal conceito é histórico e mutável, produzido e reproduzido nas contingências de cada tempo-espaço, compreende-se no contexto investigativo, a Pedagogia da Infância como um conjunto de fundamentos e indicações de ação pedagógica que tem como referência as crianças e as múltiplas concepções de infância em diferentes espaços educacionais. Desse modo, a perspectiva assumida por tal Pedagogia, tem significado as crianças como seres humanos dotados de ação social (portadores de história, capazes de múltiplas relações e produtores de formas culturais próprias) e afirmado a infância como uma categoria geracional, social, histórica e geograficamente construída (atravessada por variáveis de gênero, classe, religião e etnia). Tendo como objetivo a construção de um mapeamento detalhado que permita pensar sobre as condições de emergência do conceito de Pedagogia da Infância como ferramenta teórica, a pesquisa se realizará a partir das contribuições dos Estudos de Michel Foucault no que diz respeito as relações de saber-poder implicadas na análise do discurso, dentre outros/as autores/as que se vinculam a uma perspectiva pós – estruturalista. Nesse sentido, ressalta-se que a pesquisa tem a preocupação de circundar e problematizar o conceito de Pedagogia da Infância, a partir das produtivas transformações no estado da cultura e das relações com os saberes emergentes do no contexto contemporâneo. Metodologicamente a pesquisa será desenvolvida em três etapas distintas. Inicialmente, serão revisados alguns discursos sobre a infância para evidenciar os elementos a partir dos quais ela é discutida, nas últimas décadas do século XX, como construção cultural e histórica, passando a ocupar, assim, um lugar central nas práticas educacionais que conformam o que vem sendo nomeado como “Pedagogia da Infância”. Na segunda etapa, será realizado um levantamento de documentos como teses, dissertações e artigos (Scielo, Capes, BDTD e Repositórios de Instituições de Ensino Superior) que operam com o conceito de Pedagogia da Infância. A partir da leitura do material de análise serão mapeados os enunciados presentes na rede que configura o construto teórico do conceito, problematizando os embates teóricos na luta pelos processos de significação do mesmo. Por fim, na terceira etapa da pesquisa, seguindo e articulando a discursividade posta em jogo pelo conceito, serão evidenciados e discutidos os processos que tem permitido sua permanência, disseminação e reinvenção no contexto de pesquisas acadêmicas desenvolvidas no país..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Docências, Pedagogias e Diferenças (GIPEDI)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1673844229666121

GEIN – Grupo de Estudos de Educação Infantil e Infâncias

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4964865837366739

CLIQUE – Grupo de Pesquisa em Linguagens, Currículo e Cotidiano de bebês e crianças pequenas

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/7465914653099057

Rosa Maria Bueno Fischer

Linha de  Pesquisa:
Arte, Linguagem e Currículo

CONTATO:
rosa.fischer@ufrgs.br
rosabfischer@gmail.com

CURRÌCULO LATTES 

É doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1996), mestre em Educação pelo Instituto de Estudos Avançados Em Educação Fundação Getúlio Vargas (1982) e é graduada em Letras pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1971). Aposentada na condição de Professora Titular da UFRGS, em 2020. Titular do Comitê Assessor (CA) da área de Educação, no CNPq (2013-2015). Membro do Comitê Assessor área Educação da CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (2005-2008). De fevereiro a agosto de 2009 foi Visiting Scholar da New York University (USA) — onde realizou seu estágio de pós-doutorado. Foi editora da revista Educação & Realidade, da UFRGS, de setembro de 1997 a junho de 2008. Coordenou o GT Educação e Comunicação da ANPED nos anos de 2005 e 2006 e foi membro do Comitê Científico da ANPED em dois períodos; atua no momento como consultora ad hoc do mesmo GT. Editora associada da revista Education Policy Analysis Archives/ Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, desde 2010, até dezembro de 2015. É membro do Comitê Consultivo do Scielo Educa, gerenciado pela Fundação Carlos Chagas, desde 2010. Membro de 8 Conselhos Científicos Editoriais de publicações qualificadas nas áreas de Educação e Psicologia. Participou como membro da Comissão Executiva da ANPED-Sul, em 2018. É membro do Conselho Editorial do Jornal da Universidade, UFRGS. Foi membro da Comissão de Pesquisa da FACED/UFRGS, de 2013-2015. Foi coordenadora de avaliação do PNBE, em 2015. Membro da Comissão de Pós-Graduação do PPGEDU (2011-2015). E membro da Comissão Especial de Assessoramento à Avaliação Docente (PPGEDU/UFRGS). Tem experiência na área de Educação e da Comunicação, com ênfase em Filosofia da Cultura, poéticas dos processos criativos, estudos foucaultianos; realiza pesquisas sobre cinema, imagem, processos de subjetivação e formação ético-estética. Como Professora Convidada do PPGEDU da UFRGS, desde outubro/2020, coordena o NEMES – Núcleo de Estudos sobre Mídia, Educação e Subjetividade, da UFRGS. Autora dos livros O MITO NA SALA DE JANTAR (discurso infanto-juvenil sobre televisão); TELEVISÃO & EDUCAÇÃO: fruir e pensar a TV; TRABALHAR COM FOUCAULT. ARQUEOLOGIA DE UMA PAIXÃO.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA ATUAL:

EMPATIA DAS IMAGENS: CINEMA E EDUCAÇÃO PARA A SOLIDARIEDADE

PERÍODO DE EXECUÇÃO: Pesquisa em andamento (2021-2025, com bolsa do CNPq, Pesquisadora I-A)

Resumo: A pesquisa consiste em um estudo teórico sobre o tema filosófico da solidariedade, acompanhado de um levantamento de filmes que, por suposição, interpelam o espectador, no sentido de provocar nele a empatia com o outro. A pesquisa teórica tem como foco uma indagação sobre a articulação possível entre conceitos como os de empatia, solidariedade, laço social, cuidado, intersubjetividade, reconhecimento e alteridade – oriundos de alguns campos do saber, em especial da filosofia, da psicanálise, da educação e teoria estética. A busca teórica percorre obras de Habermas, Vladimir Safatle, Maria Rita Kehl, Michel Foucault, Jacques Derrida, Carlos Skliar, Nadja Hermann, Judith Butler, Christian Dunker, Edith Stein, Emmanuel Levinas – dentre outros. Indaga-se que enunciados circulam nas formulações desses autores, pensando-os genealogicamente, de modo a tensionar as respectivas aproximações e diferenças conceituais.

Ao mesmo tempo, faz-se o levantamento de uma coleção de filmes (de 50 a 100 realizações), de diferentes épocas, gêneros e nacionalidades – cujas narrativas, de alguma forma, convidam o espectador ao gesto empático e à acolhida da radical alteridade. Tal busca é orientada por duas fontes teóricas principais: de um lado, as elaborações dos pensadores elencados para a pesquisa teórica, anteriormente referidos; de outro, as formulações de estudiosos da imagem, cujas obras examinam a complexidade do conceito de imagem (cinematográfica, em especial), como: Didi-Huberman, Benjamin, Rancière, Mondzain, Ismail Xavier, Barthes, dentre outros.

Uma das metas da pesquisa é, além de produzir ensaios teóricos, construir um material didático destinado a cursos de formação de professores, referente a filmes e a modos de discuti-los, na medida em que tais obras nos interpelam na direção do outro. Uma das suposições da pesquisa é que exercitar a empatia, por meio de gestos mesmo que apenas simbólicos, tem a ver com um aprendizado por meio do qual dizemos a nós mesmos que a dor do outro é também a nossa dor.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Núcleo de Estudos de Mídia, Educação e Subjetividade (NEMES)

Rosane Aragonrosane.aragon@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/3641003731586487

Doutora em Informática na Educação (2001), mestre em Educação (1988) e graduada em Psicologia (1983) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pós-doutorado pela Universidade Federal do Espírito Santo. Professora Associada da Faculdade de Educação da UFRGS e docente no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU/UFRGS), orientando alunos de mestrado e doutorado, Coordenadora do Curso de Graduação em Pedagogia – Licenciatura na modalidade a distância (PEAD/FACED/UFRGS), líder do Núcleo de Estudos em Tecnologias Digitais na Educação. Desenvolve pesquisas na área de Educação, com ênfase em Aprendizagem em Ambientes Digitais, atuando principalmente nos seguintes temas: educação a distância, formação de professores, informática na educação, aprendizagem e projetos de aprendizagem.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DOS CURSOS DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL E DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2015 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

A pesquisa insere-se na Linha de Pesquisa Tecnologias Digitais na Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande Sul (PPGEDU/UFRGS) e tem como foco a análise das concepções e práticas pedagógicas dos cursos de Pedagogia a Distância da Universidade Federal do Rio Grande do sul (UFRGS) e da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). A questão orientadora da investigação é ?Como as concepções de formação dos cursos de Pedagogia a Distância da UFRGS e da UFPel foram traduzidas em práticas pedagógicas?? O objetivo geral é compreender as concepções pedagógicas e práticas dos cursos de Pedagogia a Distância da UFRGS e da UFPel a partir da análise das publicações acadêmicas. Os objetivos específicos são identificar os modelos pedagógicos dos cursos de Pedagogia a Distância da UFRGS e UFPel a partir dos PPCs; interpretar, nas publicações dos cursos de Pedagogia a Distância da UFRGS e UFPel, a estrutura curricular, a articulação teoria-prática, os recursos e as estratégias de aprendizagem, a avaliação, a atuação e a formação dos sujeitos no processo e evidenciar de que maneira as reflexões sobre os cursos expõe os impactos desse modelo de formação. É utilizada a metodologia qualitativa na forma de estudo de caso. Os dados do estudo são as concepções e práticas pedagógicas registradas nas produções escritas e publicadas, principalmente nas categorias de artigos em periódicos, capítulos de livros, dissertações de mestrado, teses de doutorado e trabalhos de conclusão de curso..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Pesquisa em Ecologias e Políticas Cognitivas

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1678380961387153

Grupo de Pesquisa TECEB Tecnologias na Educação Básica

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1544513057357875

Núcleo de Estudos em Tecnologias Digitais na Educação

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6450968758725565

Núcleo de Estudos sobre Coordenação das Ações e o Ensinar e Aprender (NECAEA)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1834334118522311

Roseli Belmonte Machado

LINHA DE PESQUISA:
Estudos Culturais em Educação

CONTATO: 
robelmont@yahoo.com.br

CURRÍCULO LATTES

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul -PPGEDU/UFRGS. Mestre em Educação pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA/Canoas (2010). Pós-graduação em Biomecânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança – ESEFID/UFRGS (2007). Graduada em Educação Física – Licenciatura Plena – pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA/Canoas (2006). Atuou, do ano 2000 ao ano 2013, como professora em escolas de Educação Básica e foi professora em instituições de ensino superior, trabalhando com graduação em Educação Física e cursos de pós-graduação. Entre 2013-2018 foi professora Adjunta na Universidade Federal do Rio Grande (FURG), vinculada ao Instituto de Educação, atuando no Curso de Educação Física e na pós-graduação em Educação Física Escolar. Atualmente é professora Adjunta na Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (ESEFID/UFRGS) e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGEDU/UFRGS). Desenvolve estudos e pesquisas na área da Educação e da Educação Física escolar, trabalhando com Políticas de Inclusão, Currículo, Diferença, Docência e Formação de Professores. É vice-líder do Grupo de Pesquisa em Docência e Avaliação em Educação Física  (GEDAEF/UFRGS/CNPq), e coordenadora do Grupo de Pesquisa em Currículo e Contemporaneidade (GPCC/UFRGS). Vice-coordenadora do GTT Inclusão e Diferença do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
POLÍTICAS CURRICULARES PARA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E A QUESTÃO DA DIFERENÇA: PROBLEMATIZAÇÕES SOBRE A DOCÊNCIA NAS ESCOLAS GAÚCHAS

PERÍODO DE EXECUÇÃO:  2020 – 2023

FINANCIAMENTO: —

RESUMO:
As pesquisas sobre as políticas curriculares e as políticas curriculares são pauta em diversos grupos no Brasil. Do mesmo modo, a pesquisa sobre a diferença e sua abordagem nas escolas considerando os debates sobre deficiência, saúde mental, gênero e questões étnico-raciais estão em desenvolvimento. Alinhada com essas vontades de pesquisa este estudo tem como orientação principal se inserir e ampliar essas discussões. De um modo amplo, esta pesquisa justifica-se pela necessidade de um olhar mais específico para as questões e relações que envolvem a diferença nas propostas curriculares para o universo das escolas de Educação Básica, especificamente, para as propostas para a Educação Física escolar. Para começar a colaborar e a compor essa discussão esta pesquisa será realizada junto a escolas estaduais do Estado do Rio Grande do Sul. O objetivo geral é o de analisar as políticas curriculares para Educação Física escolar no Brasil e no Estado do Rio Grande do Sul e seus efeitos nos processos que constituem a diferença, o currículo e a docência nas escolas de Educação Básica gaúchas. As decisões metodológicas estão ancoradas numa abordagem qualitativa. Como procedimentos de coleta de informações, em consonância com a natureza da pesquisa, pretende-se analisar alguns documentos oficiais que legislam sobre as políticas curriculares e perceber as recorrências ou dispersões discursivas ali presentes. Após, propõem-se ainda, realizar entrevistas com diretores, coordenadores pedagógicos e professores de escolas estaduais do Rio Grande do Sul com o intuito de perceber as estratégias pedagógicas, a constituição da docência e do currículo da Educação Física escolar nas relações com as diferenças. Paralelamente, tem-se como possibilidade de pesquisa, entrevistar estagiários do curso de Educação Física da ESEFID/UFRGS/ Licenciatura durante a realização de um de seus estágios no Ensino Fundamental e Médio, a fim de problematizar a relação dos estudantes com as políticas curriculares e as diferenças que habitam o cotidiano escolar e suas estratégias metodológicas para abarca-las. Os dados produzidos nessa investigação serão discutidos a partir de um quadro teórico pós-estruturalista que reúne alguns conceitos-ferramentas foucaultianos, tais como discurso e governamentalidade, além da contribuição de autores contemporâneos que discutem os processos de currículo e diferença. Com os resultados da pesquisa pretende-se obter: a) conhecimentos sobre as políticas curriculares para Educação Física escolar, suas produções sobre a constituição da diferença e seus efeitos nas escolas e nos sujeitos que habitam esse espaço; b) produção de artigos e publicações científicas sobre o tema da pesquisa, no formato de popularização da ciência para a comunidade escolar; c) qualificar os processos de formação de professores, assim como nos espaços de formação continuada dos professores em exercício nas escolas. Planeja-se divulgar os achados da pesquisa por meio de publicações que permitirão a circulação do conhecimento científico e proposição de curso para professores e alunos contribuindo para a qualificação pela formação continuada.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Pesquisa em Currículo e Contemporaneidade (GPCC/UFRGS).

Grupo de Pesquisa em Docência e Avaliação em Educação Física (GEDAEF/UFRGS/CNPq).

 

Russel Teresinha Dutra da Rosa

LINHA DE PESQUISA:
Educação, Culturas e Humanidades

CONTATO:
http://russeltdr@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Licenciada em Ciências Biológicas (1989), mestre em Educação (1996) e Doutora em Educação (2007) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora associada do Departamento de Ensino e Currículo da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, ensino superior, acompanhamento de egressos e direito à Educação.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Egressos do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas: Estudo de caso na UFRGS

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2021 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

O propósito da pesquisa é realizar um estudo de caso acerca da transição para o trabalho, da situação e da trajetória profissional de egressos do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da UFRGS. Na pesquisa são analisados processos de socialização, disposições que orientam as ações e a constituição de identidades profissionais. O estudo pode contribuir para a avaliação institucional, particularmente do currículo da graduação e também para a proposição de cursos e programas de educação continuada.

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Grupo de Pesquisa em Socialização, Estratificação e Trajetórias Juvenis e Educacionais (GESET)

Samuel Edmundo Lopez Bellosamuel.bello@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/4997543978760163

Possui graduação em Licenciatura em Matemática. Mestrado em Educação (UFPR – 1995) e Doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Pós-doutorado no UMR 5191 ICAR – CNRS Université Lyon 2 – Lyon- França (CAPES Proc: BEX 4392/13-2). Atualmente é professor associado iiI do Departamento de Ensino e Currículo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor do PPGEDU/ UFRGS e do PPG- Ensino de Ciências da UFRGS.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Numeramentalização: normatividade matemática, dispositivos e tecnologias de governo de si e dos outros.

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2012 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

O projeto de pesquisa intitulado: Numeramentalização: normatividade matemática, dispositivos e tecnologias de governo de si e dos outros tem por objetivo propor uma reflexão filosófico-analítica que mostre de que maneira, numa sociedade numeramentalizada como a nossa, práticas sociais – fazendo uso e outorgando um caráter do dizer-verdadeiro a números, índices, medições, taxas [o quantitativo] – intervêm sobre os modos de ser e agir de sujeitos produzindo modos de subjetivação individuais e coletivos, em diferentes espaços socialmente institucionalizados. Particularmente, por estarmos vinculados a uma Faculdade de Educação, os espaços e as práticas a serem analisadas estrão vinculados à produção dos sujeitos da Educação..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Praktiké – Educação e Curriculo em Ciências e Matemática

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2306894215621168

PHALA: Educação, Linguagem e Práticas Socioculturais

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2573190019948471

Sérgio Roberto Kieling Francosergio.franco@ufrgs.br

http://lattes.cnpq.br/6389325869865024

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1985), graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição (1985), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1990) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000). É Professor Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, lotado na Faculdade de Educação e professor dos programas de Pós-graduação em Educação e em Informática na Educação. Foi membro do Conselho Nacional de Educação (CNE) e Vice-Presidente da Câmara de Educação Superior deste Conselho. Foi Presidente da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) do Ministério da Educação e Presidente da Associação das Instituições de Educação Superior Públicas para a Educação a Distância (UNIREDE). Foi Pró-reitor de Graduação da UFRGS, Secretário de Educação a Distância da UFRGS, Diretor da Faculdade de Educação da UFRGS; Diretor do Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação da UFRGS. Exerceu o cargo de Diretor de Políticas de Educação a Distância da Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Psicologia Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: educação a distância, aprendizagem e educação superior. 

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Os fatores de acesso e permanência que envolvem a formação docente na UFRGS e seus contrastes com as expectativas e demandas do mundo do trabalho em escolas públicas da rede básica no Estado do Rio Grande do Sul

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

2013 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. Este estudo investigará os fatores de acesso e permanência que envolvem a formação docente na UFRGS e seus contrastes com as expectativas e demandas do mundo do trabalho em escolas públicas da rede básica do Estado do RS. Tais dados serão coletados nas 19 licenciaturas existentes na UFRGS. Para tanto, realizar-se-á uma pesquisa transversal de cunho qualiquantitativo. A fim de coletar os dados dos fatores locais de acesso e permanência das licenciaturas, utilizar-se-á a base de dados institucional da UFRGS. Para verificar as motivações à permanência nos cursos utilizar-se-á o Questionário de Expectativas Acadêmicas (SOARES; ALMEIDA, 2001) e para verificar a adaptação no ensino superior o Questionário de Vivências Acadêmicas (SANTOS et all, 2005), ambos aplicados com amostra estudantil dos referidos cursos. Tais dados serão analisados através da estatística descritiva. Para os fatores nacionais de acesso e permanência, utilizar-se-á o Censo da Educação Superior. Os dados serão analisados a partir da estatística descritiva e para compará-los com os dados locais, utilizar-se-á o Teste de Mann-Whitney. Para coletar os dados do mundo do trabalho no Estado do RS e dados nacionais será utilizado o Censo Escolar. Os possíveis contrastes com as demandas e expectativas em relação ao mundo do trabalho serão investigados através de entrevista com egressos das licenciaturas que estejam atuando em escolas públicas da rede básica. Esses dados serão analisados utilizando-se matriz de análise qualitativa. Para identificar as possíveis necessidades de mudanças, os dados coletados serão relacionados em uma Matriz de Análise Correlacional e analisados a partir do Teste de Regressão Múltipla. Como resultado, espera-se que o estudo possibilite a UFRGS desvelar as necessidades de mudanças de seus cursos de licenciatura, colaborando para incremento na qualidade desses, incentivando e divulgando orientações necessárias ao desenvolvimento de uma formação de professores sólida e de excelência..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

UNIVERSITAS/RIES

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6314564761607486

Grupo de Estudos sobre Universidade – Inovação e Pesquisa (GEU-IPesq/Edu/Ufrgs)

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4532309637127794

Simone Valdete dos Santossimonevaldete@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/0019646535765625
ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2523-006X

Professora Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), possui Licenciatura em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1994), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998), Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003) e doutorado em Educação na modalidade sanduíche pela Universidade Federal Fluminense (2000). Membro Participante da Comissão de Pós-Graduação em Educação da UFRGS (mandato 2021-2023). Desenvolve pesquisas nos seguintes temas: educação de jovens e adultos, educação profissional, educação do campo, formação de professores, educação profissional integrada à EJA, educação ambiental e história da educação. Foi Diretora de Políticas da Educação Profissional e Tecnológica na Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação de 2011 a 2012. Cumpriu mandato como Diretora da Faculdade de Educação da UFRGS de 2012 a 2016. Desenvolveu estágio de pesquisa em nível de estudos de pós doutorado junto ao Centre Interdisciplinaire de recherche normand en éducation et en formation (CINERF) da Université de Rouen / França de abril a julho de 2018, sob orientação da professora Doutora Stéphanie Gasse.
TÍTULO DE PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:
Trajetórias e estratégias de estudantes e egressos da EJA para acessar e permanecer na universidade

PERÍODO DE EXECUÇÃO:
2020- Atual

FINANCIAMENTO:
FAPERGS

RESUMO:
Este projeto busca conhecer diferentes aspectos das trajetórias escolares e das estratégias de egressos e estudantes do último ano do nível médio da Educação de Jovens e Adultos (EJA) para acessar e/ou permanecer no campo universitário, considerando as transformações da Educação Superior no Brasil nas últimas décadas, particularmente vinculadas às políticas públicas de inclusão de população que tradicionalmente experimentou dificuldades para aceder à Educação Superior. O referencial teórico se baseia no Estruturalismo Construtivista de Pierre Bourdieu e de outros autores do campo intelectual francês e brasileiro que desenvolveram teorizações e pesquisas empíricas vinculadas a essa perspectiva. Trata-se de uma visão relacional que prioriza a superação de dualismos tradicionais das ciências humanas e sociais (macro/micro, individuo/estrutura, sujeito/objeto) e propõe uma trama de conceitos indissociáveis, tais como campo/capital/habitus aos que se articulam o de trajetórias sociais e estratégias. Assim, esses construtos teóricos resultam pertinentes para compreender as dinâmicas de espaços sociais (campos) historicamente distantes, como são a Educação Superior e a EJA. Como esta perspectiva teórica propõe a condição inseparável entre teoria e metodologia, esta pesquisa priorizará o trabalho com dados quantitativos e qualitativos. Os primeiros provenientes de distintas fontes secundárias: microdados do ENEM, Censos da Educação Superior e da Educação Básica (INEP), neste último caso especificamente referidos à EJA escolar, correspondentes aos últimos cinco anos e estatísticas institucionais focalizadas no vestibular de duas reconhecidas universidades (uma pública e uma privada) da cidade de Porto Alegre, no mesmo período. Dessa forma será possível identificar tendências gerais da evolução de ofertas, matrículas e características dos estudantes (classe social, raça, gênero), entre outras informações, para estudar o processo de ampliação do acesso ao ensino superior acontecido nos últimos anos. Essa primeira etapa também incluirá análise de documentos de política pública. Posteriormente, serão consideradas as características dos estudantes e egressos da EJA que tentaram ingressar à universidade pelo ENEM na cidade de Porto Alegre e pelo vestibular em duas universidades (UFRGS e PUCRS), especialmente informações referidas ao capital cultural, às idades, gênero, raça, condição de ocupação desses sujeitos e de suas mães e pais, assim como a escolaridade que alcançaram. Esse estudo permitirá identificar tendências gerais que serão contrastadas com as informações qualitativas provenientes da realização de entrevistas em profundidade com egressos da EJA que estudam nas universidades selecionadas e estudantes do último ano do ensino médio de duas escolas que ofertam essa modalidade educativa e apresentam características diferentes, o Colégio de Aplicação da UFRGS e uma escolar da rede estadual. Com esta pesquisa busca-se a fortalecer aproximações entre as escolas de ensino médio da EJA e a universidade, contribuir com produções acadêmicas ao campo da pesquisa educacional, fortalecer as discussões de política pública através da divulgação de resultados no Fórum Estadual de Educação de Jovens e Adultos e consolidar uma parceria entre os grupos de pesquisa em temas de EJA nos Programas de Pós-graduação em Educação da UFRGS e da PUCRS. – Parceria – Dra. Monica de La Fare (PUC/RS).

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Núcleo de Estudos Educação e Gestão do Cuidado
dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5678707940458358

Simone Zanon Moschensimoschen@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/9706796553756326

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1990), mestrado em Educação / UFRGS pela Faculdade de Educação (1997) e doutorado em Educação pela Faculdade de Educação (2002). É membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre e da Rede de Pesquisa Escritas da Experiência. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desenvolve estudos na na área de Psicologia e Educação, com ênfase em Psicanálise, atuando principalmente nos seguintes temas: psicanálise, escrita, alteridade e transmissão.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. ESCRITA E TRAÇO UNARIO: A CONSTRUCÃO DO CASO NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES IMPLICADOS NA INCLUSAO ESCOLAR DE ALUNOS COM TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO
  2. A CONSTRUCAO DO CASO COMO DISPOSITIVO DE INCLUSAO ESCOLAR DE ALUNOS DE ZERO A CINCO ANOS COM TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO (TGD)

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2015 – Atual
  2. 2012 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. O presente projeto tem por objetivo estudar [resgatando, aprofundando e relacionando] as modalidades de articulação entre a escrita [como um modo de contar / inscrever] e o traço unário [ como o que abre a possibilidade de uma contagem] na construção do caso, estabelecendo a operatividade dessa articulação para a direção do trabalho de formação continuada de professores empenhados na escolarização de crianças com TGD…
  2. O presente projeto tem por objetivo produzir uma interface entre os campos da educação especial, educação infantil, psicanálise e a pesquisa acadêmica, oportunizando, de um lado, a investigação acerca da operatividade da construção do caso como dispositivo de inclusão escolar de sujeitos com TGD e, de outro lado, uma reflexão sobre a formação de professores (de atendimento educacional especializado e sala comum) diante dos desafios inscritos na escolarização destes alunos..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Laboratório de Pesquisa em Psicanálise, Arte e Política

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0755539297796165

Núcleo de Pesquisa em Psicanálise, Educação e Cultura – NUPPEC

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0646341266113155

Rede de Pesquisa Escritas da Experiência

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2655322684633489

Vera Maria Vidal Peroniveraperoni@gmail.com

http://lattes.cnpq.br/9945008202279221

Vera Maria Vidal Peroni é doutora em Educação e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) nos cursos de graduação e pós-graduação em educação. É pesquisadora produtividade CNPQ. Participa do grupo nacional de pesquisa sobre a relação entre o público e o privado na educação. É líder do Diretório Grupo de Pesquisa Estado e políticas públicas de Educação Básica. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: Estado e política educacional, política educacional brasileira, relação público/ privado. Sua pesquisa mais recente trata das “Implicações da relação público-privada para a democratização da educação? .

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

  1. Implicações da relação público-privada para a democratização da educação na América Latina: Uruguai, Argentina, Venezuela, Chile, Bolívia e Brasil
  2. Implicações da relação público-privada para a democratização da educação

PERÍODO DE EXECUÇÃO:

  1. 2016 – Atual
  2. 2014 – Atual

FINANCIAMENTO:

RESUMO:

  1. Este projeto de pesquisa visa a analisar implicações das relações entre o público e o privado para a democratização da educação em países latino-americanos: Uruguai, Argentina, Venezuela, Chile, Bolívia e Brasil. A escolha dos países integrantes da pesquisa é relacionada aos pesquisadores que participam de grupos com os quais já estabelecemos diálogos anteriores, realizando estudos coletivamente ao longo dos últimos dez anos e que temos contato permanente. Com esta pesquisa pretendemos organizar, analisar e aprofundar esta interlocução de forma sistemática, produzindo e divulgando estudos sobre a realidade educacional. A pesquisa será realizada pelo ?Grupo de pesquisa relações público-privado na educação? (GPRPPE) vinculado ao PPGEDU, coordenado pela professora Vera Peroni e composto por bolsistas de iniciação científica, mestrandos, doutorandos e pesquisadores que já concluíram o doutorado e permanecem no grupo, assim como uma pesquisadora de pós-doutorado e colegas professoras da UFRGS..
  2. O projeto tem como objetivo geral: analisar as implicações da relação público-privada para a democratização da educação. E os objetivos específicos: -. Analisar as mais variadas formas de relação entre o público e o privado nas etapas e modalidades da educação básica brasileira. – Analisar as vinculações em redes e o conteúdo da proposta das formas de materialização do público e o privado, em continuidade e aprofundando ao que os grupos já estavam mapeando na educação básica brasileira. – Dialogar com a produção internacional acerca do tema público e privado. – Aprofundar a discussão teórica acerca do conceito e análise de redes globais em educação. -. Mapear as redes globais que influenciam as políticas de educação básica no Brasil e através de que instituições atuam..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Estado e políticas públicas de educação básica

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1934258535943926

KAIRÓS – Grupo de Pesquisas e Estudos sobre Trabalho, Educação e Políticas Públicas/ HISTEDBR

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6394071304402294

Formação de Professores no Mercosul/Cone Sul

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6487620898571887

Núcleo de Estudos de Política e Gestão da Educação

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0412712476729187

Zita Rosane Possamai

LINHA DE PESQUISA:
História, memória e educação

CONTATO: 
zitapossamai@gmail.com

CURRÍCULO LATTES

Pós-doutoramento na Universidade Paris 3 Sorbonne Nouvelle (2014), com o projeto de pesquisa Museu e Fotografia: estudo sobre os museus de educação na França, séculos XIX e XX. Licenciada (1991), Bacharel (1992), Mestre (1998) e Doutora (2005) em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é professora associada da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, exercendo suas atividades no Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio, do qual é coordenadora, no Curso de Museologia, da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicaçao, e no Programa de Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Educação. Bolsista Produtividade do CNPq. Líder no CNPq do Grupo de Estudos em Memória, Patrimônio e Museus (GEMMUS). Tem experiência na área de História, Museologia e Educação, com ênfase em investigação histórica e gestão do patrimônio cultural urbano e museus. Autora e organizadora de artigos e livros sobre História de Porto Alegre, memória, patrimônio, museu. Sua dissertação de mestrado teve como temática o museu de cidade e sua tese de doutorado investigou as imagens fotográficas de Porto Alegre. Membro do Conselho Internacional de Museus, do qual foi secretária do comitê brasileiro, e da Associação Nacional de História, da qual foi presidente da seção RS, coordenadora dos GT Acervos e GT história, imagem e Cultura visual. É coordenadora do GT Nacional História e Patrimônio Cultural da ANPUH. Vem atuando principalmente nos seguintes temas: memória, história, cidade, patrimônio, museu, educação em museus, história da educação nos museus, história dos museus, cultura visual e fotografia .Foi servidora da Prefeitura de Porto Alegre (1987-2006), onde atuou como pesquisadora na Assessoria de Estudos e Pesquisas (1989-1993); foi membro da Comissão de Restauração do Mercado Público de Porto Alegre (1991-1993); Diretora do Museu de Porto Alegre Joaquim José Felizardo (1993-1999); Coordenadora da Memória Cultural (1999-2001); membro do Conselho do Patrimônio Histórico-Cultural de Porto Alegre (1999-2001); membro da Unidade Executora do Projeto Monumenta (2001-2005). Foi docente em vários cursos de pós-graduação lato sensu nas áreas de Patrimônio Cultural e Museologia. Foi docente do Centro Universitário Metodista IPA (2000-2006), onde atuou como Coordenadora do Curso de História; Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Direitos Humanos e Educação; Coordenadora do Museu IPA.

TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA EM ANDAMENTO:

Museus de Educação, um movimento internacional: aproximações e distanciamentos entre França e Brasil , séculos XIX e XX

PERÍODO DE EXECUÇÃO: 2016 – Atual

FINANCIAMENTO: CNPQ

RESUMO:
O projeto objetiva investigar os museus de educação no Brasil e na França, entre os séculos XIX e XX, verificando a relação destes com uma educação dos sentidos, especialmente uma educação do olhar que promovia o agenciamento da cultura visual, especialmente a fotografia, como material de aprendizagem, documentação e difusão da cultura escolar. O projeto detém-se sobre o estudo comparativo entre os processos de criação do Museu Pedagógico da França e o Pedagogium brasileiro, além de estabelecer relações entre os museus escolares de ambos os países. A investigação dá continuidade a estudo anterior sobre os museus de educação na França que mostrou a pertinência e riqueza de investigação dessa temática no âmbito da História da Educação e, principalmente, da Museologia, uma vez que esse objeto é quase totalmente desconhecido desta última disciplina. O estudo ainda permitiu vislumbrar o potencial para estudos comparativos sobre os museus de educação criados na França e no Brasil, uma vez que ambos os países, assim como diversos outros, situavam-se historicamente num movimento internacional pela criação desses museus no âmbito da educação. Essa investigação situa-se em abordagem comparativa transnacional entre duas experiências empíricas diversas, Brasil e França, cujo objeto investigado, os museus de educação, são também abordados a partir do cruzamento disciplinar entre as áreas da Museologia, da História e da Educação, tendo em vista a necessidade de um olhar multidisciplinar para o estudo dos museus.Com base em abordagem relacional, a pesquisa proposta consiste em levantamento bibliográfico, de documentos escritos e visuais sobre os museus de educação no contexto francês, localizados no Museu Nacional da Educação, na Biblioteca Nacional da França e nos Arquivos Nacionais do Ministério da Educação. Para os dados referentes ao Brasil privilegiar-se-á a busca da produção acadêmica disponível sobre o tema, de modo a realizar os procedimentos comparativos e, em segundo momento, documentação localizada na internet ou no Rio de Janeiro. Assim, na perspectiva da história comparada, buscar-se-á estabelecer quadros de semelhanças e diferenças entre os dois países no que concerne às ideias e às representações em circulação no período sobre a necessidade de criação de museus escolares e pedagógicos para o progresso da educação nacional; sobre as práticas levadas a efeito; sobre as repercussões dessas ideias e práticas na escola. Na perspectiva da história transnacional, buscar-se-á delimitar os contornos de um movimento internacional voltado para a consolidação das ciências em diversos países e que configurou os museus como locus dessa produção e circulação, estendendo-se para o campo da educação com a criação dos museus de educação..

GRUPOS DE PESQUISA DOS QUAIS FAZ PARTE:

Patrimônios

Grupo de Estudos em Memória, Museus e Patrimônio – GEMMUS

Cultura Visual e Imagem

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.