Filosofias da Diferença e Educação


Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Nietzsche, sempre. Então, a crítica-clínica, filosofia, literatura, matemática, teatro, poesia, ciência, pintura, currículo, performance, música, didática, cinema, arte. Conexões transversais. Disjunções inclusivas. Conjunções polívocas. Empirismo radical. Filosofia problemática. Ciência nômade. Arte aberrante. Lógica do sentido. Sexualidade e política. Contra a captura dos aparelhos de Estado e a axiomatização do capitalismo. A favor do imemorial na memória, do impensado no pensamento, do invivível na vida. Quid vitae ? Máquinas de guerra: máquinas de ver, ler, escrever.

Outros links:

ESCRILEITURAS
https://www.ufrgs.br/escrileiturasrede/
http://escrileituras.blogspot.com
Escrileituras – Observatório da Educação
https://www.facebook.com/Escrileituras

ORTOPEDOXIAS
https://plus.google.com/collection/MC_MYB

ORTOPEDOXIZAÇÕES
https://plus.google.com/collection/wRbD1

Professores
Máximo Daniel Lamela Adó
Paola Basso Menna Barreto Gomes Zordan
Sandra Mara Corazza
Samuel Edmundo López Bello

Temáticas Idividuais

Poéticas da diferença e Educação – Prof. Máximo Daniel Lamela Adó
Pesquisa, disseminada, heterogênea e em diferenciação. Contagiada pela escrita: experimentadora e polimorfa. Escrita que força modos de associação e de alianças para uma poética da diferença da e na docência. Pesquisa que estranha suas próprias razões e, por isso, convoca o fazer e pensar da pesquisa–docência via: imitações inventivas, permutações dissociativas, potencializações da diferença na repetição. Tudo para afirmar a docência–pesquisa como existência que difere.

Poéticas transversais – Profa. Paola Zordan
Entre arte, corpo e ensino apresenta criações performáticas, gráficas, plásticas e visuais com intenção de pensar o aprender. Realiza estudos do kitsch doméstico – escolar – suburbano, de fantasmagorias e idolatrias populares em suas figurações historiográficas e herméticas para raspar clichês. Happenings, escultura social, body art, atos mágicos, atuagens, enviroments, marianismo pagão, cut-up, compostagem e residências artísticas buscam matérias de expressão, devires, encontros de bandos e campos de delírio. Evohé

Didática da tradução, transcriação do currículo: escrileituras da diferença – Profa. Sandra Mara Corazza
Desde o arquivo da educação, a filosofia da diferença, teorias de tradução literária, o surracionalismo da ruptura e a poética da imaginação, esta área temática pensa a didática e o currículo, em processos de experimentação de escrileituras (escritas-leituras). De modo empírico-transcendental, pesquisa a especificidade e o impulso vital do ato de educar, dispondo-o como a tradução de matérias originais (teorias, práticas, métodos), criadas pela arte, pela ciência e pela filosofia. Em territórios transdisciplinares, translinguísticos, transemióticos, transculturais e transpensamentais, os professores-pesquisadores exercem um trabalho intelectual afirmativo e uma função inventiva autoral sobre essas matérias; as quais, ao serem traduzidas, didática e curricularmente, interpretam, criticam, reconstroem e, assim, transcriam a realidade e a liberdade, o pensamento e a subjetividade, o mundo e nossas vidas.
Palavras-chave: Diferença. Currículo. Didática. Tradução. Escrileituras.

Currículo, experiência e Subjetivação na Educação Científica – Prof . Samuel Edmund o Lopez Bello
As linguagens da ciência e seus jogos no currículo : jogos de prática, de governo (de si e dos outros), de verdade. Numeramentalidade e outros dispositivos de linhas de poder – saber científicas, de formas – sujeito com (im)possibilidades éticas , estéticas e biopolíticas . Ciências e filosofias da diferença: multiplicidades, variações, derivações.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.