E-BOOKS | TESES E DISSERTAÇÕES | CONTATO



NOTÍCIAS

| 21.03.2018 | SEMINÁRIOS ABERTOS DO PÓS

21 de março
(quarta-feira)

Convidada: Profa. Ria Lemaire (Universidade de Poitiers, França)
Mediadoras: Profa. Rita Terezinha Schmidt, Profa. Ana Lúcia Liberato Tettamanzy e Profa. Rita Lenira de Freitas Bittencourt
Palestra: O Pergaminho Vindel: Como 7 Cantigas de Mulher Mudaram Radicalmente a Visão Oficial da História da Literatura Portuguesa.
Local: Sala 120 do Instituto de Letras
Horário: 13h 30min

26 de março
(segunda-feira)

Convidada: Profa. Elaine Barros Indrusiak
Mediadora: Profa. Sandra Sirangelo Maggio
Palestra: Suspense Narrativo: A Manipulação do Leitor/Espectador em Poe e Hitchcock" (Relato de pesquisa de Pós-doutorado)
Local: Sala 120 do Instituto de Letras
Horário: 14h

09 de abril
(segunda-feira)

Convidadas: Profa.Leticia Carrera Pérez e Profa. Irene Pichel Iglesias (doutorandas da Universidade de Santiago de Compostela)
Mediadora: Profa. Regina Zilberman
Palestra: Aplicações de Tecnologias à Pesquisa em Letras
Local: Sala 120 do Instituto de Letras
Horário: 14h

23 de abril
(segunda-feira)

Título: O mundo da poesia erótica: da Grécia Antiga ao negro brasileiro atual, duas visões
Participantes: Akins Kintê, poeta, cineasta e educador popular, ativo no cenário cultural dos saraus periféricos de São Paulo (SP), e Carlos Leonardo Bonturim Antunes, poeta e professor de Línguas Clássicas do Instituto de Letras/UFRGS.
Mediador: Duan Kissonde, poeta, membro do coletivo Sopapo Poético e graduando em História no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas/UFRGS .
Horário: das 14 às 16 hs
Local: sala 120 – Prédio do Instituto de Letras.


RESUMOS

Aplicações de tecnologias à pesquisa
Irene Pichel Iglesias
Leticia Carrera Pérez
Grupo Galabra – Universidade de Santiago de Compostela

O século XXI é para muitas pessoas o século das novas tecnologias. Nestas áreas, certas especialidades, como a linguística ou a informática, desenvolveram técnicas de análise computacional, em concreto de processamento de linguagem natural, o que nos permite trabalhar com um grande volume de corpus linguístico e fazer enormes progressos em áreas como a síntese do discurso, reconhecimento da fala ou recuperação e extração de informações.

Estas formas de realização podem ser evidentes. Mas, quando aplicamos estes avanços a corpus que, pela sua natureza e funcionamento, têm a ver com subjetividades e sentimentos, as novas tecnologias podem gerar dúvidas. Nós, nesta apresentação, pretendemos aplicar estas tecnologias para mostrar como são construídas as distintas obras objeto de análise.

Por um lado, um dos métodos de análise de texto que estamos interessadas em apresentar é o programa informático Iramuteq, desenvolvido por Pierre Ratinaud, que nos permite uma análise multidimensional e trabalhar com volumes de corpus difíceis de ser abordados manualmente. O
programa ajudará a realizar uma análise objetiva e objetivável, graças às caraterísticas que tem de replicabilidade e rastreabilidade, isto é, às propriedades que permitirão a qualquer pessoa traçar todo o processo desde a origem até os resultados, que sempre serão os mesmos .

Ao longo da apresentação, vamos ver e descrever as suas diferentes opções aplicadas tanto ao corpus de Irene Pichel, romances, diários de viagem e guias turísticos sobre Santiago de Compostela e o Caminho de Santiago publicado em Espanha em 2014; quanto ao corpus de Leticia
Carrera, o trabalho publicado em formato áudio por Silvio Rodríguez.

Apesar do grande número de opções de análise que o programa Iramuteq nos oferece, como análise estatística ou análise fatorial, nesta apresentação focar-nos-emos na definição e aplicação de apenas dois: o método Reinert, ou clasificaçao hierárquica descendente, que nos permitirá realizar uma análise temática e observar o agrupamento dos textos em relação a isso, e a nuvem de palavras,
ligada à análise lexical.

Trabalhar com esta ferramenta requer uma preparação prévia do corpus e uma adaptação ad hoc do dicionário de lemas do próprio Iramuteq. Ambos os processos exigem supervisão humana, mas podem ser amplamente otimizados, como veremos, pelo uso de ferramentas como Abby Fine Reader e Linguakit.

Por outro lado, vamos centrar-nos também nesta exposição em mostrar o funcionamento de uma classificação supervisionada no Linux, um método que nos permitirá catalogar de forma temática um corpus selecionado. Uma vez realizada a etiquetagem temática de uma parte do corpus
(cerca do 20%), a classificação supervisionada, baseando-se na relação lexical, atribuirá etiquetas temáticas ao resto do corpus, proporcionando-nos um método de contraste.

> voltar para notícias

 

 

 

                     

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale - Prédio 43221, sala 122
Caixa Postal 15002 - 91501-970 - Porto Alegre -RS
Fone 0 xx 51 3308-6699 | E -mail: ppglet@ufrgs.br