DISCIPLINAS

 

ESTUDOS DA LINGUAGEM

 

  • A FRASEOLOGIA E SUAS INTERFACES

Oferecer subsídios de caráter teórico-prático que permitam aos alunos conhecer e entender o fenômeno da fraseologia da linguagem geral e especializada bem como a estabelecer suas interfaces com outras disciplinas como a terminologia, a tradução, o ensino de linguas e a língüistica de corpus.

 

  • AMBIENTES DIGITAIS: TEORIA E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

Telemática: pressupostos teóricos e práticas educacionais. Arquitetura de ambientes de EAD: seus pressupostos e aplicações pedagógicas em aulas presenciais. Desenvolvimento de propostas pedagógicas para ambientes digitais para aplicações especificas dos discentes da disciplina.

 

  • AVALIAÇÃO: TEORIAS E PRÁTICAS

Noções básicas em avaliação. Conceitos de proficiência. Avaliação em contextos escolares. Avaliação em larga escala. Tarefas e instrumentos de avaliação, suas características e implicações. Grades de correção, suas características e implicações. Propostas alternativas de avaliação. Efeitos retroativos da avaliação no ensino e na formação de professores.

 

  • ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Definições de foco na forma; o estudo da gramática; o papel da instrução no ensino de língua estrangeira; as principais pesquisas sobre foco na forma em laboratório e na sala de aula; o feedback corretivo na sala de língua estrangeira; a relação da instrução, do foco na forma e da correção com a aprendizagem de língua estrangeira.

 

  • ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA MATERNA

Teorias de aquisição da linguagem. Tópicos do desenvolvimento da fonologia, sintaxe, semântica ou pragmática. O desenvolvimento do discurso narrativo. Socialização da linguagem.

 

  • ESTUDOS DO LÉXICO

Introdução ao estudo do léxico: delimitação e definição de ‘unidade lexical’, os estudos do léxico no âmbito das Teorias Lingüísticas, análises do léxico do português brasileiro.

 

  • FONOLOGIA

Aspectos da estrutura sonora das línguas. Fundamentos teóricos das fonologias estrutural e gerativa e principais tópicos do desenvolvimento da teoria. Padrões sonoros e procedimentos de descoberta, abordagem formal desses padrões, tipos de formalismo propostos, avaliação de análises e comparação entre diferentes abordagens. Tópicos a serem abordados: fonemas; fonética articulatória e acústica: traços distintivos; regras fonológicas; ordenamento de regras; sílabas e esqueleto CV; Fonologia Autossegmental e Geometria de Traços; subespecificação de traços; Fonologia Lexical; Fonologia Prosódica; introdução à Teoria da Otimidade.

 

  • FUNDAMENTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO
Língua, fala, discurso: o objeto da linguística e o objeto da análise do discurso. Texto e discurso: o objeto da linguística textual e o objeto da análise do discurso. O quadro epistemológico da análise do discurso. Do funcionamento linguístico ao funcionamento discursivo. Condições de produção e formação discursiva. O discurso e a enunciação. Sujeito linguístico, sujeito da enunciação, sujeito do discurso.

 

  • FUNDAMENTOS DE LEXICOGRAFIA

Panorama geral da lexicografia. Fundamentos teóricos: metalexicografia. O dicionário como fato lingüístico. Variedades da obra lexicográfica. Lexicografia monolíngüe e bilíngüe. Lexicografia brasileira e internacional.

 

  • FUNDAMENTOS DE TERMINOLOGIA

Terminologia: conceitos, funções e interdisciplinaridade. Terminologia e tradução. Teoria Geral da Terminologia x Teoria Lingüístico-comunicacional. Linguagens especializadas. Léxicos temáticos: termo, definição. Terminografia.

 

  • FUNDAMENTOS EM PSICOLINGUÍSTICA

Discussão de aspectos teóricos e metodológicos da pesquisa psicolinguística, focando na aquisição e no processamento da linguagem (normal e com desvios) em língua materna, no bilinguismo unimodal e bimodal.

 

  • FUNDAMENTOS EM TEORIAS DA ENUNCIAÇÃO

As principais correntes dos estudos enunciativos da linguagem. Fundamentos epistemológicos em teorias da enunciação. As relações língua/ sujeito falante/ comunicação; língua/ enunciação/ (inter)subjetividade; sujeito / linguagem / dialogismo. Os desdobramentos teóricos da enunciação; a heterogeneidade discursiva. Leitura e discussão de análises linguísticas que tomam por base as teorias da enunciação. A interface sintaxe / semântica / enunciação: dêixis e atividade linguística; a paráfrase como processo de significação; relações gramaticais e enunciação; o discurso citado.

 

  • LEITURAS EM CONTRAPONTO

Comparar e contrastar noções e princípios fundadores da análise do discurso: Foucault, Pêcheux, Courtine e Bakhtin.

 

  • LÍNGUA E ESPAÇO

Relações entre língua e espaço, considerando o uso, variação e contatos de línguas e variedades em diferentes dimensões de análise. Língua e espaços geográficos: realizações da variação e difusão de variantes e línguas no espaço, procedimentos cartográficos, topoestática e topodinâmica das migrações. Língua e espaços sociais: domínios de uso da língua, territorializações linguísticas em contextos multilíngues, redes de comunicação, diglossia, configurações sociolinguísticas de espaços sociais centrais e periféricos. Língua e espaços políticos: reclusão, resistência e progressão de línguas (minoritárias) no espaço político-linguístico. Língua e espaços transnacionais: fronteiras, relações internacionais e sistema global das línguas. Língua e espaços midiáticos: comunidades de fala virtuais.

 

  • LÍNGUA E SOCIEDADE

Comunidade linguística e comunidade de fala. Variação e mudança linguística: fatores correlacionais (idade, sexo/gênero, classe social, escolaridade, redes sociais, etnia, espaço geográfico e migrações). Identidade e atitudes linguísticas. Bilinguismo e multilinguismo. Língua e cultura: determinismo linguístico, etnografia da fala, convenções de contextualização. A ordem interacional: fala-em-interação social e a estrutura da conversa. Linguagem e educação.

 

  • LINGUAGEM E COGNIÇÃO

Discussão de estudos que investigam os processos cognitivos que subjazem a compreensão e produção da linguagem em língua materna e no bilinguismo. EMENTA: O objetivo desta disciplina é aprofundar o conhecimento dos alunos no estudo da linguagem e cognição sob a perspectiva da psicologia cognitiva. Serão apresentados e discutidos em sala de aula artigos clássicos e atuais sobre percepção, atenção e memória, com ênfase na relação desses com a linguagem. No que se refere à linguagem, serão explorados tópicos de processamento de linguagem, que incluem processos de leitura e produção, aquisição de L2 e bilinguismo. Serão discutidas também as diversas metodologias de cunho empírico utilizadas na psicologia cognitiva e na psicolinguística para o estudo do processamento da linguagem.

 

  • METODOLOGIA DE PESQUISA APLICADA AOS ESTUDOS DO LÉXICO E DA TRADUÇÃO

Oferecer subsídios de caráter teórico-prático relativos à metodologia de pesquisa aplicada aos estudos do Léxico e da Tradução que possibilitem aos alunos desenvolver projetos de pesquisa, teses e dissertações, conforme os padrões estabelecidos para esses gêneros textuais.

 

  • MÉTODOS EXPERIMENTAIS EM PSICOLINGUÍSTICA

Serão apresentados métodos quantitativos comumente utilizados em estudos psicolinguísticos experimentais. A ênfase do curso será em técnicas e procedimentos de metodologia experimental, mas também incluirá uma discussão sobre a construção de questionários e métodos qualitativos. O conteúdo ainda incluirá uma breve revisão/introdução a conceitos básicos de estatística, entre eles, tipos de escalas de medição, tipos de variáveis experimentais e medidas de tendências centrais e variação.

 

  • MORFOLOGIA

Introdução a conceitos e abordagens básicas na análise e descrição morfológica; introdução a diferentes teorias a respeito da estrutura morfológica, da relação entre morfologia e fonologia e entre morfologia e sintaxe.

 

  • PESQUISA LINGUÍSTICA COM CORPUS

Fundamentação teórica do uso de corpora como fonte de dados empíricos nos Estudos da Linguagem. Conceito de corpus, tipologia, constituição, armazenamento e processamento. Recursos e procedimentos disponíveis. Exploração do corpus: análise qualitativa e quantitativa. Criação de bases de dados.

 

  • PLURILINGUISMO E CONTATOS LINGUÍSTICOS

Plurilinguismo e contatos linguísticos: definições e abordagens teóricas (fatores sociais e psicológicos). Tipologia do bilinguismo e modos de aquisição bilíngue. Escolha linguística e discurso bilíngue: code-switching e code-mixing. Funcionalização linguística: conceito de diglossia. Interinfluências no contato de línguas: interferências/transferências nos diversos níveis de análise (fonético-fonológico, morfossintático e léxico-semântico). Territorialização de variedades em contato: territorialidades rurais vs. rurbanas vs. urbanas, ilhas e arquipélagos linguísticos, migrações, domínios de uso da língua [domains], redes de comunicação, estratificações; manutenção e substituição linguística (language shift). Sistema global das línguas: plurilinguismo nas relações internacionais.

 

  • PRAGMÁTICA

Apresentação de tópicos clássicos dos estudos de Pragmática, com especial atenção para os problemas teóricos mais relevantes e as abordagens que se notabilizaram pela apresentação de soluções de ampla repercussão para esses problemas.

 

  • SEMÂNTICA

Aspectos dos estudos semânticos: teorias da significação e metodologia de análise semântica, análise dos aspectos semânticos do português brasileiro.

 

  • SEMINÁRIO DE ANÁLISES TEXTUAIS, DISCURSIVAS E ENUNCIATIVAS

Relações e intersecções teóricas e suas implicações para estudos textuais e discursivos.

 

  • SEMINÁRIO DE FONOLOGIA

A disciplina tem como objetivo preparar o aluno para a leitura da literatura fonológica e para a realização de pesquisas na área de fonologia. A ênfase será em desenvolvimentos teóricos recentes e a sua aplicação na análise de línguas, sem perder de vista abordagens anteriores e temas recorrentes, tais como a discussão sobre as fronteiras entre fonética e fonologia, o problema da abstração, opacidade e derivação e o equacionamento entre regras e restrições.

 

  • SEMINÁRIO DE LÉXICO

A disciplina se destina a quem deseja complementar seus conhecimentos de sintaxe gerativa e funcional, apropriando-se, assim, de um instrumental de investigação lingüística variado e atual sobre alguns tópicos do português brasileiro. Os fundamentos do programa de investigação lingüística à luz da sintaxe gerativa – modelo de Princípios e Parâmetros e Programa Minimalista – e a sintaxe funcionalista – modelo de Dik e de Givón.

 

  • SEMINÁRIO DE LINGUAGEM NO CONTEXTO SOCIAL

Tópicos específicos de relações e intersecções entre fenômenos linguísticos e fenômenos ou categorias sociais, estrutura e organização linguística e estrutura e organização social; teoria linguística e teoria social.

 

  • SEMINÁRIO DE LINGÜÍSTICA APLICADA

Estudos avançados de Lingüística Aplicada: ensino de língua materna, segunda língua e língua estrangeira.

 

  • SEMINÁRIO DE MORFOFONOLOGIA

Estudo das teorias que procuram dar conta da interface fonologia/morfologia. Discussão de trabalhos nessa perspectiva em diferentes línguas, especialmente no português brasileiro.

 

  • SEMINÁRIO DE PESQUISA EM TERMINOLOGIA

Linguagem técnico-científica: aspectos lexicais, textuais e comunicativos. Acervos textuais e banco de dados terminológicos. Produção terminográfica e lexicográfica em interface. Seleção de referenciais teóricos para estudo pontual: teorias lingüísticas e terminológicas. Planejamento e condução de estudo-piloto.

 

  • SEMINÁRIO DE SEMÂNTICA

Panorama histórico-teórico do debate em torno das questões relacionadas à descrição do fenômeno pressuposicional em linguagem verbal. Avaliação dos modelos de análise mais significativos propostos para a solução do problema da projeção de pressuposuções.

 

  • SEMINÁRIO DE SINTAXE

A disciplina se destina a quem deseja complementar seus conhecimentos de sintaxe gerativa e funcional, apropriando-se, assim, de um instrumental de investigação lingüística variado e atual sobre alguns tópicos do português brasileiro. Os fundamentos do programa de investigação lingüística à luz da sintaxe gerativa – modelo de Princípios e Parâmetros e Programa Minimalista – e a sintaxe funcionalista – modelo de Dik e de Givón.

 

  • SEMINÁRIO DE VARIAÇÃO E MUDANÇA FONOLÓGICA

Problemas com a mudança de som nas línguas; o papel de fatores sociais e lingüísticos na variação segundo modelo laboviano; variação estável e mudança em progresso; análise em tempo aparente e em tempo real; desenvolvimento de variáveis fonéticas/fonológicas na história das línguas; análises de resultados de estudos quantitativos e a teoria fonológica.

 

  • SINTAXE

A disciplina se destina a quem busca um instrumento de investigação lingüística com base na Teoria Gerativa – modelo de Princípios e Parâmetros.

 

  • SOCIOLOGIA DO PLURILINGUISMO

Abordagem do plurilinguismo na relação entre as línguas como entidades sociais, levando em conta diferentes tópicos de análise, entre os quais: multilinguismo vs. plurilinguismo; definição e tipos de comunidades de fala; presença visual (paisagens linguísticas) e territorialidades de uso de línguas; oralidade vs. escrituralidade; dimensão diamésica da linguagem; organização social de comunidades plurilíngues: suporte institucional; ensino de línguas; política e planejamento linguístico; censos linguísticos; revitalização linguística; mercado linguístico e capital simbólico; percepção e conscientização linguística (language awareness).

 

  • TEORIA DA ANÁLISE DO DISCURSO

Formação ideológica e formação discursiva. A problemática do sentido: sentido literal, processos de significação e efeito de sentido. A questão do sujeito: forma-sujeito, sujeito universal, efeito-sujeito e posição-sujeito. O enunciado discursivo, a seqüência discursiva, o recorte discursivo. Das famílias parafrásicas à heterogeneidade do discurso. O enunciado dividido. O discurso e suas relações com a exterioridade: o pré-construído, o discurso transverso e a memória discursiva.

 

  • TEORIAS DA ENUNCIAÇÃO

Apresentação de diferentes Teorias da Enunciação. Propostas de análise enunciativa da linguagem e sua aplicação ao Português. Estudos recentes em enunciação.

 

  • TEORIA DA VARIAÇÃO

A variação na sincronia e na diacronia; modelos de análise da variação e mudança fonológicas na história da lingüística; pressupostos básicos da Teoria Variacionista Laboviana; regra variável e modelo estatístico de análise segundo Sankoff.

 

  • TEORIAS DO TEXTO

Discurso e texto. Diferentes perspectivas teóricas do texto. Coerência e coesão. Tipologia. a lingüística do texto.

 

  • TÓPICOS DE LEXICOGRAFIA BILÍNGUE

Panorama geral dos problemas que oferece o dicionário bilíngüe, com especial ênfase para: 1) tipo de dicionário bilíngüe segundo as necessidades do usuário 2) o anisomorfismo das línguas e seu reflexo na redação de um dicionário bilíngüe 3) os “realia“ e seu lugar no dicionário bilíngüe 3) problemas de definição de parâmetros macroestruturais 4) o programa de informações da microestrutura.

 

  • TÓPICOS EM ANÁLISE DO DISCURSO (04 créditos)

Espaço para verticalização e/ou atualização de aspectos específicos e essenciais para a formação de pesquisadores na área.

 

  • TÓPICOS EM ANÁLISE DO DISCURSO (02 créditos)

Estudo dos fundamentos que embasam a noção de Formação Discursiva em Análise do Discurso. A intervenção de pressupostos marxistas no funcionamento da noção da formação discursiva como objeto empírico de investigação nos estudos sobre o discurso. O materialismo histórico, o materialismo dialético, o discurso como materialidade a ser investigada.

 

  • TÓPICOS EM AQUISIÇÃO DE SEGUNDA LÍNGUA

Principais teorias de aquisição de L2/LE; definições de termos centrais; tipos de pesquisa; a abordagem comunicativa na história do ensino de línguas; as tarefas colaborativas; revisão histórica e pontos de vista recentes da transferência; os universais linguísticos; a aquisição de L2 e o processamento linguístico; variabilidade na interlíngua; estratégias comunicativas; insumo, interação e output; a teoria sociocultural e a aprendizagem de L2/LE; questões de identidade; diferenças individuais.

 

  • TÓPICOS EM BILINGUISMO

Estudo avançado de temas específicos da pesquisa em bilinguismo e multilinguismo.

 

  • TÓPICOS EM LÍNGUA E SOCIEDADE

Apresentar os discursos teórico-metodológicos sobre a relação entre língua e sociedade. Evidenciar as principais diferenças entre esses discursos, a partir: de suas bases filosóficas e epistemológicas; das categorias teórico-metodológicas; dos objetos privilegiados; do grau de autonomia em relação a outras disciplinas, como a Sociologia, a História, etc.; Focalizar a abrangência temporal e territorial destas idéias e os contextos histórico-sociais em que se desenvolveram.

 

  • TÓPICOS EM PLURILINGUISMO NA EDUCAÇÃO E NA SOCIEDADE

Atuais definições sobre plurilinguismo e multilinguismo. Análise dos diferentes contextos de aquisição bilíngue; línguas em contato. Aquisição de mais de uma língua simultânea e consecutivamente; em ambiente familiar e em contexto escolar. Aspectos sociais do plurilinguismo. Diferentes currículos de Educação Bilíngue; bialfabetização/biletramento; a questão da formação do professor. Políticas linguísticas e educacionais. Aprendizado de outras línguas adicionais (L3).

 

  • TÓPICOS EM PSICOLINGUÍSTICA

Discussão avançada sobre os primitivos envolvidos no processo de percepção de sons da L2. Objetivos – Promover a reflexão sobre diferentes modelos de percepção de sons; – Discutir os primitivos linguísticos da percepção, com base em cada um dos modelos estudados; – Possibilitar a reflexão sobre as explicações, providas por tais modelos, à percepção fônica em uma segunda língua Programa • Fundamentos de Fonética Acústica; • Caracterização do Nível Fônico da linguagem; • Primitivos do processo perceptual; • Teorias de percepção de sons; • Modelos de percepção em L2.

 

  • TÓPICOS EM TRADUÇÃO

Oferecer subsídios de caráter teórico-prático que permitam aos alunos conhecer e discutir aspectos importantes relativos à tradução e estabelecer a interface da tradução com outras áreas do conhecimento. Prevê-se a realização de exercícios práticos a partir dos aspectos teóricos tratados.

 

  • VARIAÇÃO LINGUÍSTICA E PRÁTICAS SOCIAIS

Fundamentos teóricos para o estudo da variação linguística como prática social. Variação fonológica e morfológica e suas interfaces – léxica, sintática, semântica e pragmática – relativamente a práticas sociais.

 

  • VARIAÇÃO E MUDANÇA LINGUÍSTICA

Variação nas línguas naturais e o processo de mudança linguística. Perspectivas de estudo da variação na mudança linguística (tempo real e tempo aparente). Princípios estruturais, sócio-históricos e culturais da variação e mudança linguística. Variação e mudança na forma e estrutura das línguas e variação e mudança no status e comportamento linguístico dos falantes, em contextos multilíngues e multivarietais.

 

ESTUDOS DA LITERATURA

 

  • CONFIGURAÇÕES DO REAL E DO IMAGINÁRIO NAS LEM

Estudar as relações entre o real e o imaginário em obras de uma (ou de várias) Literatura(s) Estrangeira(s) Moderna(s): análise e interpretação da mimésis, dos procedimentos simbólicos e míticos e/ou das atitudes sócio-histórico-culturais em um período dado (mitanálise).

 

  • DIÁLOGOS INTERLITERÁRIOS E TRANSPOSIÇÕES TEXTUAIS NAS LEM

Investigação de textos literários pertencentes aos mais diversos gêneros e de obras significativas de outros tipos de manifestação artística. A identificação de temas comuns e de diversidades. Os diálogos que se estabelecem entre gêneros, obras representativas de diferentes culturas, épocas, ou inter-artes. As questões de influência, intertextualidade, interdisciplinaridade, adaptação e tradução.

 

  • ESTUDOS DE LITERATURA CONTEMPORÂNEA

Aspectos teóricos do romance. Migrações e exílio. Alteridade e identidade.

 

  • FORMAS LITERÁRIAS E PROCESSO HISTÓRICO – POESIA

A Versificação da poesia brasileira. Quais eram as marcas da versificação na poesia barroca, neoclássica, romântica, parnasiana, simbolista, modernista, do século XX (as tradições e as vanguardas) e do Terceiro Milênio. OBJETIVOS: Discutir os processos criativos dos poetas brasileiros, por meio da análise da tradição, e da criação (pelos alunos) de paráfrases, paródias e pastiches, com base em um recorte diacrônico do cânone. Qualificar a produção literária e/ou a leitura dos alunos.

 

  • FORMAS LITERÁRIAS E PROCESSO HISTÓRICO – PROSA

Machado de Assis e a teoria do romance. Memórias póstumas de Brás Cubas e a ficcionali-zação da teoria. Leitores e público no Brasil do século XIX. Representações da leitura e a sedução do leitor. Romance e teoria da literatura.

 

  • HISTÓRIA DA LITERATURA – QUESTÕES DE MÉTODO

Análise de estudos de críticos brasileiros, hispano-americanos e norte-americanos – publicados a partir da segunda metade do século XX – que incluíram ou excluíram a literatura brasileira no/do panorama latino-americano.

 

  • LITERATURA, COLONIALISMO E PÓS-COLONIALISMO

Colonialismo e desobediência epistêmica. A representação de sujeitos e grupos mediados pelas perspectivas descoloniais e anticoloniais. As relações entre as produções literárias e as manifestações da voz tendo em vista as possibilidades de representação e autorrepresentação em língua portuguesa.

 

  • LITERATURA COMPARADA E TRADUÇÃO

O fenômeno da tradução. Tradução literária e não-literária. Percursos históricos e teóricos. Avaliação da qualidade da tradução. Literatura comparada e tradução. Tradução e intertextualidade. Tradução e interdisciplinaridade. Tradução e Estudos Culturais. A tradução literária na produção dos escritores.

 

  • LITERATURA COMPARADA: QUESTÕES DE FRONTEIRA

Discutir os conceitos de regional, nacional, transareal, de pertencimento e a busca (por uma forma de pertencimento) a partir de leituras sugeridas, tendo sempre como elemento fundador a produção literária e cultural como reflexo (ou causa?) para a construção de tais conceitos. Em tempos de rápidos des-loca-mentos, no transpassar de fronteiras, muitas formas de produção (literária, por exemplo) não acompanham o processo (que processo?). Que fronteiras são essas? A produção literária sem local definido (fora de fronteiras?) e o saber sobre-viver da filologia, assim como questões de tradução cultural serão objetos de discussão. A análise de tais características pressupõe um diálogo interdisciplinar para que a obra de arte (literária) possa ser lida e compreendida justamente a partir de fronteiras múltiplas.

 

  • LITERATURA E HISTÓRIA NAS LEM

Trata-se de situar as literaturas nacionais em relação à história, como ponto de intersecção entre tradição e modernidade, entre continuidade e ruptura, entre dependência e autonomização, apresentando as questões identitárias como processos inacabados e determinantes dos imaginários coletivos.

 

  • LITERATURA E OUTRAS LINGUAGENS

Investigação, sob o ponto de vista da interdisciplinaridade, de textos literários em prosa, poesia ou dramáticos e de obras pertencentes a outros meios de manifestação artística, tais como o teatro, o cinema, a fotografia, a música, a pintura, a escultura. Através da observação e análise comparativa,da abordagem de questões como a adaptação e intertextualidade, procura-se levantar as diversas possibilidades de inter-relacionamento da literatura e outros tipos de linguagem e a riqueza interpretativa que ela proporciona.

 

  • LITERATURA E SOCIEDADE – AS LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

A disciplina propõe o estudo da articulação entre romance e prosa realista no Brasil em cinco momentos. O ponto de partida é a leitura de três romances contemporâneos: Não falei, de Beatriz Bracher; K., de Bernardo Kucinski e O professor, de Cristóvão Tezza. Depois, o estudo parte para a leitura de Machado de Assis: Quincas Borba e Dom Casmurro. A seguir um salto para os anos de 1930, com São Bernardo, de Graciliano Ramos. Nos anos 50, o estudo de Grande Sertão: veredas, de Guimarães Rosa. O fechamento será a leitura de Lavoura Arcaica, de Raduan Nassar. Na dimensão conceitual, o interesse é debater diferentes concepções de realismo, a partir da leitura de George Lukács, Theodor Adorno, Ian Watt, Erich Auerbach, Franco Moretti, Jacques Rancière e Fredric Jameson. Na leitura das obras, o foco está no esforço de historicizar a categoria do realismo, a partir das questões suscitadas pela articulação entre forma do romance e realidade histórica em que se insere a produção.

 

  • LITERATURA E SOCIEDADE – QUESTÕES DE MÉTODO

Estudo de conjunto da literatura gauchesca, em perspectiva sociológica e histórica, considerando-a como representativa de uma formação cultural específica, de base histórica relativamente homogênea e de alcance supranacional, envolvendo os dois países do Prata, Argentina e Uruguai, e o sul do Brasil, especificamente o Rio Grande do Sul. O estudo começará por uma discussão conceitual e centrará atenção em obras reconhecidas como superiores, como o Martín Fierro e os Contos gauchescos, assim como apreciará ensaios e obras tidas como menores.

 

  • LITERATURA COMPARADA, FRONTEIRAS, REGIONALISMOS NA AMÉRICA LATINA

Perspectiva transdisciplinar. Revisão dos estudos de fronteira. Problematização do conceito teórico de regionalismo. Tendências atuais nos estudos comparatistas. Contracultura e globalização.

 

  • LITERATURA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA

Contexto histórico-cultural: Portugal, da passagem do século a nossos dias. Panorama da literatura portuguesa da virada do século a nossos dias. Autores e obras significativas do período (poesia, prosa de ficção, ensaio e crítica literária (seminários).

 

  • LITERATURAS ESTRANGEIRAS MODERNAS E OS MÉDIA I

Parte-se da concepção da sociedade moderna como sociedade de informação, na qual os media – imprensa, fotografia, filme, tv, arquivos eletrônicos e redes de informação, entre outros – co-definem a realidade social e, dentro desta, o âmbito literário. Assim, a imprensa de Gutenberg não significou apenas um novo processo técnico, possibilitando cópias mais econômicas, mas redefiniu a comunicação social tradicional da face to face em direção a uma comunicação normatizada, específica e impessoal através do livro. Conseqüentemente, esta disciplina ocupa-se sobretudo com a interação entre o texto literário em suas formas variadas como romance, poesia ou peça teatral e os media como livro impresso, fotografia, o filme ou a reedificação digital e os impactos das rupturas mediais nas concepções artísticas.

 

  • LITERATURAS ESTRANGEIRAS MODERNAS E OS MÉDIA II

Seqüência e o aprofundamento dos conteúdos abordados na disciplina Literaturas Entrangeiras Modernas e os Media I: tópicos variávies. Parte-se da concepção da sociedade moderna como sociedade de informação, na qual os media – imprensa, fotografia, filme, tv, arquivos eletrônicos e redes de informação, entre outros – co-definem a realidade social e, dentro desta, o âmbito literário.

 

  • LITERATURAS AFRICANAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

A literatura africana sem a presença do branco. A literatura africana com a presença do branco.Imperialismo. Conceitos de Nação, Estado e suas transformações. Um novo perfil de fronteiras. Relações com a alteridade. Quando o Mesmo é o Outro. O Neo-patrimonialismo. Objetivo Geral: Oportunizar a leitura da ficção africana de língua portuguesa a partir da tensão resistência x transformação e das questões do pós-colonialismo voltadas para o conceito de identidade nacional Objetivos Específicos: 1. oportunizar, através dos diferentes sistemas literários, o estudo da descolonização e do pós-colonialismo como fatores ideológicos e estéticos; 2. oportunizar a avaliação de textos de fronteira estética e ideológica; 3. oportunizar o conhecimento e análise dos clássicos dos sistemas literários. Ementa: As literaturas africanas sem a presença do branco. Imperialismo. Conceitos de Nação e de Estado e suas transformações. Um novo perfil de fronteiras. Relações com a alteridade. Análise de casos através da produção de Luandino Vieira ( angolano), Pepetela (angolano), Mia Couto (moçambicano).

 

  • SEMINÁRIO DE ESTUDOS COMPARADOS

Disciplina de caráter tópico, compreendendo o estudo crítico de temas relevantes da literatura comparada. A escolha dos tópicos será feita a cada semestre com alternativa de ênfase em diferentes temas comparatistas.

 

  • TENDÊNCIAS TEÓRICO-CRÍTICAS NAS LITERATURAS ESTRANGEIRAS MODERNAS

Espaço disciplinar destinado à aplicação de metodologias críticas a textos das Literaturas Estrangeiras Modernas.

 

  • TEORIAS DO PROCESSO CRIATIVO

Discutir as concepções de criação, de obra de arte, de autor e de recepção, a partir de ensaios, depoimentos e entrevistas dos próprios escritores, pintores, cineastas, músicos, criadores em geral. Tentar, assim, rastrear uma poética do processo criativo, que se possa detectar a partir de tais reflexões.

 

  • TÓPICOS DE TEORIA DA LITERATURA

Estudo de correntes do século XX: Formalismo e Estruturalismo; Pós-estruturalismo; Sociologia da Literatura e Estética da Recepção; Fenomenologia, Hermenêutica e Crítica do Imaginário; Psicanálise e Literatura.