Você tem o Direito de Saber – Feira Ecológica do Menino Deus

A campanha "Você tem o direito de saber" fez a sua participação no último dia 06 de Dezembro, na Feira Ecológica no Menino Deus, no pátio da Secretaria Estadual da Agricultura de Porto Alegre. Organizada pelo Núcleo Interdisciplinar de Prevenção de Doenças Crônicas na Infância em parceria coma Aliança pela Alimentação Saudável, a campanha tem ganhado apoio nos últimos meses de execução.

Estiveram presentes agricultores, entidades como  a ACERT, a AECIA, Cooperativa Pão da Terra, Associação dos Agricultores Ecologistas de Nova Santa Rita e Companheiros da Natureza, juntamente com as colaboradoras e nutricionistas da Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul e do Município de Porto Alegre, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da UFRGS

 

O evento, que iniciou às 13h, esteve posicionado no centro da feira. O consumidor que circulava pelo pátio da Secretaria Estadual da Agricultura pôde visualizar como ficará a embalagem caso a proposta da nova embalagem seja aprovada. Também havia material informativo do Guia Alimentar para a população brasileira, da Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável e da campanha Você tem o direito de saber. Pessoas de diversas entidades estiverem no estande para obter maiores informações sobre o que propõe a Aliança. A partir das informações dadas, as pessoas que circulavam pela feira assinaram a petição, pois perceberem a importância de uma embalagem que contenha uma informação mais clara e correta sobre o que, realmente, se consome. Também animaram-se em levar a ideia adiante, divulgando à família, à escola e aos amigos.

O evento, que finalizou às 17h30, mostrou que o consumidor está preocupado com uma alimentação saudável. Foram coletadas 114 assinaturas que se juntam a outras 25.000, seja por campanha presencial ou virtual. O evento mostrou que a rotulagem nutricional de advertência frontal foi aceita pelo consumidor porto alegrense. Essa proposta de rotulagem atende as necessidades dos consumidores da capital. Eles apostam que o modelo de advertência torna mais clara e precisa as informações nutricionais presentes nos alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *