Nota à Comunidade Acadêmica sobre o ERE

Nota à Comunidade Acadêmica sobre o ERE

Nota à Comunidade Acadêmica sobre o ERE

26 de outubro de 2020 Sem categoria 0

À Comunidade Acadêmica,

 

A PROGRAD recebeu hoje, dia 26.10.2020, o Ofício-Circular nº 01/2020 da Comissão-ERE, para ser destinado aos Diretores de Unidades Acadêmicas da UFRGS. Neste Ofício consta  que cada diretor receberá um link que será enviado pelo próprio CPD contendo perguntas a serem respondidas até o dia 13 de novembro próximo. Esta submissão atraves do link é única por Unidade, ou seja, as respostas serão construídas em cada Unidade Acadêmica por seus Alunos, Docentes e Técnico-Administrativos. A Comissão do ERE sugere que, caso não haja uma comissão de acompanhamento interno do ERE em sua Unidade, a resposta seja elaborada pelas três categorias (docentes, discentes e técnico-administrativos). 

Por fim, consolidadas as respostas que desde já podem ser construidas, a Direção da Unidade deverá preencher diretamente no questionário eletrônico considerando o link que será enviado pelo CPD.

Desta forma a Comissão do ERE espera obter o máximo de informações, atendendo ao que consta na Resolução 025/2020 do CEPE:

 

  • 6º A Comissão-ERE é encarregada de emitir orientações para aplicação desta Resolução, quando necessário, e encaminhar relatório ao CEPE sobre o ERE.
  • 7º As Comissões de Graduação e os Departamentos enviarão as informações quantitativas e qualitativas relativas ao desenvolvimento das atividades no período de ERE para a Pró-Reitoria de Graduação, que as centralizará e enviará à Comissão-ERE para elaboração de relatório a ser apresentado ao CEPE, após cada período letivo.

 

Cordialmente,

 

PROGRAD, em nome da Comissão do ERE

 

ATENÇÃO! O link contendo as perguntas abaixo será enviado pelo CPD aos diretores, conforme orientação da Comissão ERE, ainda nesta semana:

 

1) Como está sendo feito o acompanhamento do ERE na unidade? Há uma comissão interna? Como ela é composta? 

 

2) Quais foram ou serão as dificuldades de adaptação ao ERE no oferecimento das atividades de ensino?

 

3) Houve a necessidade de realocar encargos didáticos (incluindo a preparação de material de ensino), conforme previsto no Art. 29 da Resolução 025/2020 do CEPE? Qual impacto das cargas horárias ou do número de docentes se encontram nessa situação?

 

4) Qual a percepção da Unidade com relação à experiência docente: existe um retorno dos docentes quanto à execução dos planos adaptados ao ERE? Está sendo necessário algum tipo de adaptação aos planos além do que foi previsto? A comunicação com os estudantes está adequada do ponto de vista docente?

 

5) Qual a percepção da Unidade com relação à experiência dos servidores técnico-administrativos: quais foram os impactos encontrados nas suas atividades laborais em relação ao ERE?

 

6) Qual a percepção da Unidade com relação à experiência discente: está havendo manifestações individuais discentes sobre a realização do ERE? Além disso, existe alguma manifestação da representação estudantil junto à Unidade, como Diretórios e Centros Acadêmicos?

 

7) Considerando o Art. 2º da Resolução 025/2020, quais foram os impactos do ERE específico para os calouros na Unidade? 

 

8) Considerando o Art. 2º da Resolução 025/2020, quais foram os impactos do ERE específico para os alunos prováveis formandos na Unidade?

 

9) Qual é a percepção da Unidade com relação à realização das atividades presenciais indispensáveis previstas nos Planos de Ensino Adaptados?

 

10) Estão sendo planejados critérios adicionais definidos pela unidade, conforme previsto nos itens 19, 20 e 21 do Relatório do Grupo de Trabalho “Modelo de retorno às atividades presenciais” (página 10).

 

11) Há computadores (desktops, notebooks ou tablets) ou espaços com computadores nas unidades para uso pelos alunos ou servidores? Em caso positivo, eles estão sendo disponibilizados ou há previsão de disponibilização, localmente ou por empréstimo? Em caso negativo, quais são os principais impeditivos?

 

12) Comentários adicionais