Foto: Paola Pavezi/UFRGS
Foto: Paola Pavezi/UFRGS
Notícia 26 janeiro, 2016

Extensão discute bancos comunitários, saúde urbana e imigração no 15º Fórum Social Mundial

No dia 20 de janeiro, durante as atividades do 15º Fórum Social Mundial, três projetos de Extensão da UFRGS ocuparam diferentes espaços para debater seus desafios e possibilidades. Pela manhã, o Núcleo de Estudos de Gestão Alternativa (NEGA-adm/UFRGS), coordenado por Pedro Costa, apresentou o seminário sobre bancos comunitários e sua implementação nos bairros Cascata e Sarandi (Porto Alegre), na Faculdade de Educação (FACED). Enquanto isso, no Centro Municipal de Educação dos Trabalhadores Paulo Freire (CMET) ocorreu o debate “Saúde urbana: investimentos sociais e ambientais para a promoção da saúde na cidade”, promovido pelo projeto InterSossego e mediado por sua coordenadora, Alzira Lewgoy. Pela tarde, foi a vez do Grupo de Assessoria a Imigrantes e Refugiados (GAIRE) comemorar seu aniversário de 10 anos ao realizar a roda de conversa com imigrantes, refugiados, voluntários e interessados no tema, no Salão Nobre da Faculdade de Direito (UFRGS).

Joaquim Melo, fundador do primeiro banco comunitário do país (Banco Palmas/CE), explicou que os bancos são associações de economia solidária que promovem o desenvolvimento por meio do estímulo à produção e consumo local. Katiúcia Gonçalves, líder comunitária, relatou como o bairro Cascata vem se mobilizando para conceber a implementação do Banco Antenas, uma iniciativa pioneira do NEGA em Porto Alegre.

O Projeto InterSossego, em parceria com o Programa de Extensão e Pesquisa Saúde Urbana, Ambiente e Desigualdades, levantou a necessidade de buscar os determinantes da saúde urbana, ampliando esse debate para as condições de vida na cidade. Saneamento básico, arborização e mobilidade urbana foram aspectos pontuados como fundamentais ao bem-estar coletivo. A equipe do InterSossego trabalha para o melhoramento desses e outros agravantes sociais e ambientais na  Vila Sossego, a fim de promover estratégias de saúde para a comunidade. Também compareceram ao debate as promotorias de Defesa dos Direitos Humanos, profissionais da saúde, pesquisadores e estudantes.

Na atividade promovida pelo GAIRE, o presidente da Associação de Senegaleses de Porto Alegre expôs as principais dificuldades enfrentadas pelos imigrantes. Dentre elas estão o choque cultural, a difícil comunicação e as barreiras legais restritivas. O GAIRE ajuda a incluir imigrantes e refugiados na sociedade a partir da resolução de empecilhos jurídicos de diversas ordens. Pesquisadores e grupos de apoio ao imigrante de Porto Alegre, Paraná, Santa Maria e São Paulo propuseram um diálogo mais aproximado, a fim de integrar suas ações.

 

Notícias relacionadas:

Av. Paulo Gama, 110 - Reitoria, 5° andar - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Rio Grande do Sul - CEP: 90040-060

divulgacao@prorext.ufrgs.br - +55 51 3308.3374 (Atendimento: 9h-12h e 14h-17h30)