Copias ilegais (piratas) de software

NÃO UTILIZE CÓPIAS ILEGAIS (PIRATAS)
DE PROGRAMAS DE COMPUTADOR!

EVITE A CONCENTRAÇÃO DE RENDA.

Você pode atuar no sentido da inclusão social e digital. Evite o uso de programas de computador ilegais (pirata). Se você não tem recursos financeiros para comprar programas de computador, utilize software livre e gratuito.

Devemos considerar que existem disponíveis vários programas de computador do tipo “suíte de escritório” que são equivalentes ao Microsoft Office, composta pelo Word, Excel, Access, Power Point, etc. Entre os programas, destacam-se: o BrOffice, o StarOffice e o AbiWord, todos em língua portuguesa e com versões para diferentes sistemas operacionais (Windows, Linux, MacOS, etc.).

Você pode pegar esses programas pela Internet, sem custos, ou comprar as revistas de Informática, ao custo entre R$10,00 e R$15,00, que são acompanhadas por um CD-ROM (PCMaster, CD-Expert, Revista do CD-ROM, etc.). Peça informações ao jornaleiro.

Mas, se você gosta de utilizar o Microsoft Word para editar seus textos — e possui condições financeiras para adquiri-lo e atualizá-lo a cada 3 anos — , não e’ uma boa tática obrigar os destinatários das suas mensagens a também ter instalado em seus computadores o mesmo programa.

Por exemplo, um arquivo que contém apenas texto simples não deve ser enviado como anexo em uma mensagem de correio eletrônico. Caso ocorra algum problema ao anexar o arquivo, pode acontecer de o destinatário da mensagem não conseguir “desanexar” e então você terá perdido o trabalho que realizou, pois não conseguiu que o destinatário tomasse conhecimento do conteúdo do arquivo anexado. Para evitar esses freqüentes problemas de comunicação eletrônica, adote o procedimento de abrir o arquivo de texto em seu processador preferido e clicar no item “Selecionar Tudo” do menu “Editar”. A seguir, volte a clicar no menu “Editar” e escolha a opção “Copiar”. Agora abra uma nova mensagem em seu programa preferido de correio eletrônico e clique na opção “Colar” do menu “Editar”.

Mas, quando for necessário, devido a características incontornáveis de diagramação ou formatação (tabelas, gráficos, imagens, etc.), remeter algum arquivo de texto anexado numa mensagem de correio eletrônico, o arquivo pode e deve ser remetido em formato RTF (Rich Text Format) ou formato HTML.

É bem fácil transformar um arquivo DOC do Word em um arquivo de formato universal e público como o RTF ou o HTML. Basta clicar no menu “Arquivo” e depois em “Salvar Como…”. Na janela que se abre, na opção “Salvar como tipo” deve-se escolher o item onde diz Rich Text Format (RTF) ou o item HTML (página da Web).

Regularmente aparece um aviso dizendo que se você gravar o arquivo no formato RTF poderá haver perda de formatação/dados. Não dê importância ao aviso se você não tem imagens, tabelas, gráficos ou outras coisas semelhantes no seu texto. Para verificar se houve perdas na transformação, feche o arquivo e torne abri-lo. Se ocorreram perdas, grave o arquivo no formato HTML.

O formato RTF e’ um padrão universal e público que todos os programas de editoração de textos interpretam e o formato HTML é igualmente universal e público como padrão da Internet (interpretável por programas gratuitos de correio eletrônico e de navegação).

Não são formatos registrados como propriedade privada, como por exemplo o formato DOC do Microsoft Word.

Um pequeno gesto de gravar um arquivo em um formato de domínio público evita que o(s) destinatário(s) da mensagem, para poder lê-la, tenha(m) que comprar o programa Microsoft Word, pagando muito caro ($$$) por isso ou, não podendo fazê-lo, por falta de condições financeiras, resolva(m) utilizar uma cópia ilegal (pirata) do programa.

Alem disso, há outros ganhos importantíssimos:

1 – Os formatos RTF e HTML raramente transmitem vírus. O formato DOC do Word é um dos responsáveis pela transmissão de vírus pela Internet.

2 – O formato .DOC em geral implica em um tamanho grande de arquivo. Em muitos casos é possível reduzir em 50% ou mais o tamanho de um arquivo na transformação para RTF ou HTML.

No caso de transmissão do arquivo de tamanho reduzido pela Internet, não devemos desprezar a economia proporcionada pela diminuição no tempo das ligações telefônicas para a transmissão de dados — tanto para o emitente como para o receptor — e tampouco a redução no trafego de bits pela Internet, ajudando a torná-la menos lenta.

Participe da campanha de esclarecimento distribuindo o texto acima entre seus amigos e pessoas conhecidas. Também é interessante divulgar o texto em páginas pessoais na Internet.

Para evitar todos os problemas acima e muitos outros mais, utilize SOFTWARE LIVRE.


NÃO UTILIZE CÓPIAS ILEGAIS (PIRATAS)
DE PROGRAMAS DE COMPUTADOR!

EVITE A CONCENTRAÇÃO DE RENDA.


Compare preços de livros de software livre


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.