tavola-1

A equipe da Rádio Web Saúde UFRGS esteve presente na realização da Távola sobre a 15ª Conferência Nacional de Saúde. Entre os participantes da Távola, estavam o secretário de Gestão Estratégica e Participativa (SGEP) do Ministério da Saúde, André Bonifácio, a presidenta do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Maria do Socorro de Souza, o mediador e professor da USP, Marco Akerman, conselheiros e trabalhadores de saúde, pesquisadores, mobilizadores sociais e professores de vários estados do país para discutir, pensar e avaliar novas modalidades de organização para a 15ª Conferência Nacional de Saúde que ocorrerá em 2015.

O Conselho Nacional de Saúde é um órgão vinculado ao Ministério da Saúde que gerencia todas as questões relacionadas a saúde pública no Brasil e é composto por representantes de entidades e movimentos representativos de usuários, entidades representativas de trabalhadores da área da saúde, governo e prestadores de serviços de saúde, sendo o seu Presidente eleito entre os membros do Conselho.

Marco Akerman, mediador da Távola, iniciou o debate com alguns questionamentos, fazendo com que os participantes pensassem e articulassem pautas para a próxima e mais importante Conferência Nacional de Saúde.

tavola-2

Questões Norteadoras Preliminares:
Desejo genuíno de se fazer uma Conferência Nacional diferente.
Como transformar esse desejo em operAÇÃO?
Inovar metodologias.
Quais compromissos iremos assumir? Em que tempo?
Agenda política clara.
Reafirmar o direito à saúde.
Desconstruir a imagem ou pensamento da saúde como mercadoria.
Possíveis perguntas…
Como tornar a 15ª Conferência Nacional de Saúde tão relevante quanto a 8ª?
Neste sentido, a 15ª não pode ser um evento. Deve ser uma EXPRESSÃO SOCIAL.
Qual seria a estratégia para dialogar com o cidadão comum?
Como expandir a representação territorial? (Exemplo: do urbano e do rural)
Como a disputa não pode ser setorializada? (Deve ir para além do setor saúde)
Como devemos ter um projeto de desenvolvimento nacional e qual é o lugar da saúde neste contexto?
Como fazer uma avaliação da situação de saúde do povo brasileiro?
A participação dos delegados necessita ser ampliada para além da representação dos eleitos que são membros natos nas conferências (municipal, estadual e nacional).
A 8ª CNS teve 1000 delegados e 3000 convidados (e não havia ainda um sistema de controle social organizado). No contexto atual, como fazer desta 15ª um evento com a cara do povo do Brasil?
Atualmente, temos mais de 100 mil conselheiros.
Este batalhão serve apenas para a formalização burocrática do SUS?
Como não fazer da 15ª CNS um espaço de reivindicações de interesses de grupos?
Como examinar, sem nenhuma restrição, o que está posto pela população brasileira como necessidades, como do que é saúde e avançar cada vez mais na saúde como direito da vida?

Meta: desconstituir a saúde como mercadoria.
.
tavola-5 tavloa-4 tavola-3

Como não fazer da 15ª CNS um espaço de reivindicações de interesses de grupos? Desconstituir a saúde como mercadoria e tornar a 15ª CNS tão importante quanto foi a 8ª são questionamentos que fazem com que a Rádio Web Saúde UFRGS reflita, ajude a construir novos paradigmas, participe mais e marque presença na próxima Conferência!

Referência: Conselho Nacional de Saúde. Disponível em:  <http://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2014/04abr_14_cns1.html>. Acesso em 26/04/2014.

 
Escrito por Francyne Silva e Rossana Mativi. Fotos: RWS UFRGS/Rossana Mativi.