06/04/2022

Detalhe da plataforma online Budrich Journals

Os pesquisadores Jean Segata, Caetano Sordi, Juliara Borges Segata e Bernardo Lewgoy publicaram o artigo Unhealthy Ecologies, Precarious Labour, and the COVID-19 Pandemic in the Global Meat-Processing Industry in Southern Brazil, no periódico alemão Peripherie – Politik • Ökonomie • Kultur, tratando dos altos índices de Covid-19 entre os trabalhadores da indústria frigorífica no estado do Rio Grande do Sul, no período de 2020 e 2021. O artigo explora como crises sanitárias, sociais e ambientais são fenômenos entrelaçados.

Segundo os autores, em um panorama mais amplo, essa situação criada pelo agronegócio ecoa em novas e devastadoras configurações os graves e históricos efeitos sociais e ambientais que assombram o Brasil desde o extrativismo colonial até o neo-extrativismo das commodities. Jean Segata explica que em razão disso iniciam o artigo com uma breve revisão crítica da ideia de Antropoceno. “Compreendemos que na América Latina ele se materializa na combinação histórica entre colonialismo, expansão imperial e suas dinâmicas ambientais e extrativistas. Este cenário de contaminações recentes com a Covid-19 também evidencia que o trabalho precário e racializado e a produção de ecologias doentias da indústria frigorífica formam uma combinação nociva que reforça a importância do debate sobre violência estrutural no campo da saúde e da doença”, explica Segata. Na segunda seção do artigo os autores contextualizam algumas das decisões do governo que ajudaram na desmontagem de pactos e normas ambientais e trabalhistas durante a pandemia, facilitando o seu agravamento no contexto da indústria da carne no Sul do Brasil.

Leia o artigo completo em: https://doi.org/10.3224/peripherie.v41i4.02




Compartilhe nas redes sociais