A Rede Covid-19 Humanidades MCTI produz pesquisas qualitativas que analisam os impactos da Covid-19. Seu objetivo é subsidiar ações que considerem de modo múltiplo e situado as implicações científicas, tecnológicas, sociais, políticas, históricas e culturais da pandemia. Trata-se de um projeto maior de pesquisa estruturado em duas fases: "A Covid-19 no Brasil: análise e resposta aos impactos sociais da pandemia entre profissionais de saúde e população em isolamento" e "A Covid-19 no Brasil 2: análise e resposta aos impactos sociais da imunização, tratamento, práticas e ambientes de cuidado e recuperação de afetados". A Rede também se interliga a diversos projetos parceiros e recebe apoio de iniciativas da sociedade civil, como a Associação de Vítimas e Familiares de Vítimas da Covid-19 (AVICO).

A Rede Covid-19 Humanidades MCTI integra o conjunto de ações da Rede Vírus MCTI, financiadas para o enfrentamento da pandemia pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Brasil. É liderada pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAS-UFRGS) e mobiliza pesquisadoras e pesquisadores de diferentes áreas das Ciências Humanas, Sociais e da Saúde, no Brasil e no Exterior. Em sua segunda fase, conta com a parceria da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (UNIDAVI), da University College of London e da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA).