Breve histórico do BIM

Em 1974, o professor Charles M. Eastman do Instituto de Tecnologia da Georgia, juntamente com uma equipe de estudiosos, cria o conceito BDS (Building Description System – Sistema de Descrição da Construção), segundo Eastman et al. (1974):

“o sistema BDS foi iniciado para mostrar que uma descrição baseada em computador de um edifício poderia replicar ou melhorar todos os pontos fortes de desenhos como um meio para a elaboração de projeto, construção e operação, bem como eliminar a maioria de suas fraquezas.”.

Este conceito abre as portas para uma nova tratativa no que diz respeito aos projetos de construção e traz consigo a chave para a passagem dos projetos e documentos elaborados em papel, para a utilização de sistemas computacionais (softwares), visando facilitar os projetos e desenhos técnicos associados, os chamados CAD (Computer Aided Design).

Seguindo na mesma direção de Eastman, G.A. van Nederveen e F.P. Tolman publicam, em 1992, um artigo abordando as múltiplas visões de modelagem da construção e a ideia de que a modelagem de informações da construção é útil para fundamentar a estrutura de um modelo de construção, baseado nos diferentes pontos de vista dos diferentes participantes do projeto. Seria a primeira utilização do termo Modelling Building Information, que abriu espaço para o Building Information Modeling (BIM) e a apresentação de uma nova mudança de paradigmas: do tratamento independente de cada aspecto/informação do projeto (dado por cada agente envolvido), ao tratamento integrado dos aspectos/informações na construção. Estava aberto o caminho para a utilização do conceito de um sistema computacional coeso que permitisse o gerenciamento e controle das interações políticas, processos e tecnologias envolvidas nos projetos de construção. Segundo Penttilä (2006):

 “Building Information Modeling (BIM) é uma metodologia para gerenciar a base do projeto de construção e os dados do projeto em formato digital ao longo do ciclo de vida, da construção”.

Iniciava-se a passagem dos projetos e documentos elaborados em CAD e ainda em papel, para a utilização de um banco de dados integrado. Esta mudança de padrão dá-se porque através do BIM podemos colocar todas as ferramentas utilizadas em papel em um ambiente virtual, o que permite, se comparado com os processos tradicionais utilizados na abordagem dos projetos, um nível maior de eficiência, e uma estreita comunicação e colaboração entre os agentes envolvidos.

Comentários estão encerrados.